História You And I - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, Chen, Kai, Lu Han, Sehun
Tags Sekai
Visualizações 97
Palavras 2.603
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Capitulo 2


Mais uma vez Sehun havia estacionado o carro em frente à sua antiga casa, saiu de dentro do carro e deu a volta se escorando na porta do carona.

Olhou para as casas do bairro sentindo um sorriso brotar em seus lábios. Havia aprontado tanto por ali com seus amigos, deixavam os vizinhos quase loucos, mesmo na adolescência nunca haviam deixado de aprontar.

Sentia falta dos amigos, era uma das poucas coisas que sentia falta naquela cidade. Eram em seis, todos tão unidos, mas foram esses amigos que lhe viraram as costas quando precisou, exceto um, Jongdae havia ficado do seu lado, nunca se esqueceria dele, havia ganhado uma surra de seus pais pois os mesmos pensaram que estava tendo um caso com Sehun, apenas por ter ajudado quando Sehun precisou.

Sehun foi tirado de seus pensamentos quando sentiu algo bater em seus pés.

Olhou para baixo vendo uma pequena bola vermelha, sorriu e se abaixou para pegá-la.

— Isso é seu? — perguntou para o garotinho que vinha correndo em sua direção.

— Sim — o garotinho gritou animado fazendo Sehun sorrir, adorava crianças, e aquela era extremamente fofa, a pele moreninha, cabelos negros e uma boquinha carnuda, parecia um pequeno bonequinho.

— Meu nome é Sehun, e o seu? — perguntou entregando a bola para o menininho que sorriu abraçando o objeto.

— Sou o Taeoh.

— E quantos anos tem Taeoh? — perguntou e o menininho parou um pouco como se pensasse, até que mostrou cinco dedinhos em uma mão e um em outra, mas com sua atitude fez a bola cair. — Já é quase um homenzinho então — Sehun falou voltando a pegar a bola e entregando para Taeoh.

— Você é bonito tio, e seu cabelo é diferente — Taeoh falou esticando a mãozinha para tocar no cabelo de Sehun, este que sorriu e se abaixou um pouco mais para que o pequeno pudesse tocá-lo.

— Taeoh, venha já aqui! — Sehun ouviu a voz feminina e o pequeno se afastou de si com olhos arregalados.

— Eu não quero ir — Taeoh falou choroso encarando Sehun.

— É sua mamãe? — perguntou olhando em volta mas não vendo ninguém se aproximar.

— É a namorada do papai, mas eu não gosto dela — falou fazendo um biquinho com os lábios.

— Taeoh seu pestinha, onde você se meteu? — Quando Sehun ouviu o grito de novo se levantou e finalmente pode ver uma mulher vindo na direção deles, e tinha absoluta certeza que conhecia ela. — Taeoh eu vou contar para o seu pai que você fugiu de novo! — ela falou irritada se aproximando do pequeno, este que se agarrou nas pernas de Sehun sem sequer se importar em derrubar sua bola de novo.

— Eu não quero ir com você — a criança falou chorosa.

— Você não tem querer, e ainda por cima sai falando com estranhos — ela falou finalmente dirigindo seu olhar para Sehun, e quando finalmente percebeu quem era arregalou os olhos. — Sehun?

— Olá Yuri — Sehun falou sorrindo, a mulher continuava linda, lembrava-se que Yuri sempre estivera se metendo em seu grupo de amigos, afinal era apaixonada por um deles.

— O que faz aqui? Taeoh, saia já de perto dele! — Yuri falou encarando a criança que negou e se agarrou ainda mais nas pernas de Sehun.

— Não importa o que vim fazer aqui, e pare de brigar desse jeito com a criança — Sehun falou revirando os olhos.

— Achei que nunca mais iria voltar — Yuri falou debochadamente.

— Eu não voltei, apenas vim buscar meu irmão, ele vai embora comigo daqui alguns dias — Sehun falou, não que devesse explicações há alguém, mas queria que todos soubessem que estava ali, e o motivo de ter voltado, e sabia que Yuri era perfeita para espalhar a fofoca.

— Vamos Taeoh, seu pai está esperando para sairmos — Yuri falou voltando a encarar a criança.

— Eu não quero ir, quero meu papai — Taeoh falou chorando baixinho.

— Vamos logo Taeoh, seu pai não vai vir aqui apenas para buscá-lo — Yuri falou respirando fundo, tentando manter a calma com a criança.

— É melhor você ir, não queremos deixar essa bruxa velha mais irritada, não é? — Sehun perguntou se abaixando em frente à Taeoh secando as lágrimas do pequeno, este que sorriu ao ouvir do que Sehun havia chamado Yuri.

— Ela é mesmo uma bruxa velha, não sei como o papai gosta dela — Taeoh segredou baixinho, ambos olharam para Yuri que parecia mais furiosa ainda.

— Agora vá, outro dia iremos conversar — Sehun falou bagunçando os cabelos do pequeno.

— Tchau tio Sehunnie — falou sorrindo antes de abraçar Sehun e correr até Yuri, mas passou direto pela moça.

— Não se aproxime dele de novo — Yuri falou encarando Sehun com desgosto.

— Pare de encher minha paciência Yuri, tenho mais o que fazer — falou vendo que Luhan saía de casa. Deu as costas para ela indo dar a volta no carro.

— Ele é filho dele — Yuri falou fazendo Sehun travar no lugar, ele se virou para ela a encarando de cenho franzido. — Taeoh, ele é filho de Jongin, infelizmente não comigo, mas espero que em breve façamos o nosso — Yuri falou de forma venenosa fazendo Sehun suspirar.

— Bom, desejo felicidades para vocês, então — Sehun falou voltando a virar as costas para Yura e indo até a porta do motorista e entrando no carro, observou Yura ir até a casa do lado e abrir o portão para Taeoh que não conseguia abrir por ser pequeno demais, parou para pensar e Taeoh realmente era parecido com Jongin.

— Já conversou com a Yuri? — Luhan perguntou entrando no carro, fazendo Sehun desviar seu olhar para ele.

— Sim, ela já veio despejar seu veneno em mim — falou suspirando.

— Ela te contou? — Luhan perguntou hesitante após Sehun ligar o carro.

— Sim — foi só o que Sehun falou.

— Não ligue para ela, é apenas uma cobra que não perde uma chance de magoar alguém.

— Eu não ligo — Sehun falou mentindo para si mesmo.

— Sehun, você ainda sente falta dele? — perguntou após ficarem longos minutos em silêncio.

— Talvez... Eu não sei... Mas eu nunca deixei de pensar nele — Sehun falou após pensar nas palavras certas para dizer.

— O Taeoh é filho dele, ele é filho de uma mulher que se mudou logo depois que você foi embora, Jongin e ela nunca tiveram nada, apenas acabaram tendo um caso e nasceu Taeoh, pelo que sei eles sempre foram bons amigos — Luhan falou.

— Ele agora namora a Yura, é o que ela sempre quis — falou dando de ombros.

— Ela é uma vadia, nem o próprio Jongin gosta dela, só continua com ela porque as pessoas falavam demais sobre ele nunca ter arrumado alguém — Luhan falou dando de ombros.

— Não faz diferença, não tenho que me meter na vida dele — Sehun falou suspirando. — Em breve vamos ter que ir ver sua transferência, você ainda é um colegial, tem mais alguns meses até completar o colégio — Sehun falou levando uma mão até os cabelos de Luhan e os bagunçando, Luhan ainda teria três meses de aula, e os completaria em Seul.

— Será que eles vão dar minha transferência? — Luhan perguntou.

— Se não quiserem dar a transferência esperamos mais alguns dias para podermos pegá-la. Se informe hoje e me fale depois — Sehun falou.

— A mamãe e o papai ontem falaram um monte, eles ficaram furiosos quando falei que iria embora.

— Deixe eles, vão superar — Sehun falou estacionando o carro em frente ao colégio de Luhan, era o mesmo que havia estudado anos atrás.

Quando entrou viu que não havia mudado muita coisa, apenas haviam pintado o colégio, antes ela era uma cor branca encardida e agora estava azul.

— Nos falamos depois então — Luhan falou soltando o cinto.

— Vou te buscar de noite em casa, vamos jantar juntos — Sehun falou bagunçando os cabelos de Luhan, ele assentiu antes de sair do carro e correr para dentro da escola.

Sehun suspirou voltando a ligar o carro, teria muito tempo até sair com Luhan, e não havia nada para fazer naquela cidade.

Foi para o mesmo parque que havia ido com Luhan no outro dia, deixou o carro no estacionamento e começou dar uma volta no mesmo, até parar em uma árvore e se sentar de frente para o pequeno lago que havia ali.

Quando morava na cidade ia praticamente todo final de semana andar de bicicleta naquele parque com seus amigos, e no fim do dia roubavam a identidade do irmão de Minseok e iam comprar bebidas em um mercadinho ali perto.

Nunca entendeu porque os amigos viraram as costas para si, sendo que sempre no meio dessas bebedeiras faziam coisas entre eles, coisas que caso alguém da cidade descobrisse os julgariam o resto de suas vidas, e Sehun foi descoberto, e seus amigos ao invés de defendê-lo deixaram o povo o julgar, apontar o dedo para si, deixaram ele ser expulso de casa sem ter para onde ir, tudo por medo de receber o mesmo tratamento que Sehun havia recebido.

— Então o falatório era verdade, Oh Sehun voltou para a cidade — Sehun ergueu a cabeça assustado ao ouvir lhe chamar, mas abriu um largo sorriso quando viu quem era.

— Jongdae! — falou se levantando e pulando em cima do amigo.

Desde que havia ido embora nunca mais havia o visto, Jongdae foi o único que ficou ao seu lado, foi o único que lhe defendeu de todos que o julgaram e falavam de si, também foi Jongdae que arrumou dinheiro para Sehun ir embora, mesmo tendo apanhado de seus pais não se importou, simplesmente ajudou Sehun.

— Você cresceu, quando saiu daqui era do meu tamanho — Jongdae falou se afastando de Sehun.

De fato Sehun havia crescido quando saiu de lá, e teve a prova disso quando viu estar maior que Jongdae.

— Talvez você tenha encolhido — Sehun comentou pensativo.

— Seu idiota — Jongdae falou sorrindo.

— O que faz aqui? — Sehun perguntou voltando a se sentar, dessa vez com Jongdae à sua frente.

— Soube que estava na cidade, então estava passando por aqui e lhe vi.

— Parece que já sou o assunto da cidade — Sehun falou rindo.

— Se servir para aumentar seu ego, você nunca deixou de ser o assunto daqui.

— Bom saber que todos aqui nunca se esqueceram de mim — Sehun falou orgulhoso de si mesmo.

— Então me diga, o que veio fazer aqui?

— Vim buscar o Luhan, ele me ligou há um tempo atrás pedindo para que eu viesse buscá-lo — Sehun explicou.

— Luhan virou um garoto maravilhoso, vai fazer bem para ele sair daqui — Jongdae falou. — E como está sua vida na cidade grande?

— Está bem, me formei em medicina, trabalho em um hospital como pediatra, levo uma vida boa lá — Sehun falou dando de ombros. — E você? Que rumo tomou sua vida?

— Nada demais, trabalho no escritório de um banco aqui, moro sozinho em um apartamento pequeno, e tenho o meu gato para me fazer companhia, levo uma vida nada diferente do que muitas pessoas aqui na cidade.

— Eu lhe disse para ir embora comigo naquela época.

— E eu me arrependo de não ter ido, você sabe o motivo de eu ter ficado — Jongdae falou abaixando a cabeça. Ele sempre foi apaixonado por Minseok, mas Minseok sempre foi medroso demais para assumir um relacionamento entre eles.

— E o que aconteceu com ele? — Sehun perguntou.

— Ele se casou, vive uma vida infeliz cheia de brigas com sua esposa, e tem um filho de três anos chamado Kyungsoo — Jongdae falou dando de ombros.

— Parece que todos vocês tiveram filhos — Sehun falou rindo.

— Eu não tive, mas o Yifan e o Tao sim, eles levam uma vida igual a de Minseok, posso nunca ter me assumido aqui na cidade, mas pelo menos não vivo uma vida de mentiras como eles.

— Você é como o Luhan, um dos motivos dele ir comigo é que cansou de fingir ser quem não é — Sehun falou e em seguida ambos ficaram em silêncio. — Eu conheci Taeoh — falou baixinho e Jongdae arregalou os olhos o encarando.

— Você o conheceu? — perguntou trêmulo.

— Sim, e me encontrei com a Yuri também.

— Jongin é o pior entre nós, ele teve o Taeoh há seis anos atrás. A mulher com quem ele teve o pequeno se chama Jihyo, ela é uma querida, virou uma grande amiga nossa, veio de Incheon, nunca foi preconceituosa, o que a deixava mais perfeita ainda, mas em uma noite de bebedeira nossa, ela e o Jongin acabaram tendo algo, então nasceu o Taeoh, mas eles nunca tiveram nada além dessa noite, apenas o Taeoh os ligam, mas faz uns três anos que Jongin começou namorar a Yuri.

— A vida dele parece boa — Sehun falou tentando não mostrar interesse.

— Jongin é um bosta, isso sim — Jongdae falou revirando os olhos fazendo Sehun rir. — Ele virou professor de dança como queria, dá aulas em uma escolinha aqui perto, as crianças adoram ele — Jongdae explicou.

— Ele sempre gostou de dançar, e sempre quis fazer algo assim — Sehun falou acabando por deixar um sorriso escapar.

— Você também, o que o fez se tornar pediatra? — Jongdae perguntou mudando de assunto.

— Você sabe que sempre gostei de crianças, e quando comecei a fazer as pesquisas do que eu deveria fazer fiquei encantado com pediatria — Sehun explicou.

Ambos ficaram um bom tempo ali sentados conversando, e quando o sol começou a se pôr Sehun se despediu do amigo e foi buscar Luhan.

Passou uma noite agradável com seu irmão, o levou em um restaurante para jantar e ficaram conversando. Luhan contou tudo que havia acontecido desde que Sehun havia ido embora, e Sehun contou sobre sua vida na cidade grande.

Já era um pouco tarde quando deixou Luhan em casa, e quando chegou ao hotel decidiu que não queria ficar lá, então tomou um banho e colocou uma roupa confortável antes de sair do hotel.

Foi andando pela cidade já com um destino certo.

Por ser uma cidade pequena e que ficava mais no interior havia várias florestas próximo da cidade, e havia um lugar que sempre ia quando criança e em sua adolescência.

Chegou em uma casa abandonada que havia ali e pulou a cerca da mesma dando a volta na casa para em seguida pular o muro dos fundos.

Ali era a entrada para uma floresta, sequer se importou por estar escuro, apenas foi andando, se embrenhando no meio da mata.

Sorriu ao ver que o tronco que havia caído formando uma ponte em cima do rio ainda estava ali.

Atravessou com cuidado pelo tronco e voltou a andar no meio da floresta, conhecia aquele lugar como a palma de sua mão, e mesmo depois de nove anos ainda se lembrava de tudo.

Continuou andando até chegar onde queria, uma enorme árvore onde em um dos galhos havia uma casa na árvore, casa que foi construída quando ainda era pequeno, Sehun, Jongdae, Minseok, Yifan, Zitao e Jongin haviam passado dias construindo aquilo, era tudo bem simples, um chão de madeira reforçado com as paredes erguidas também em madeira, apenas para as pessoas não verem o interior da casa, pois ela não havia teto, eles haviam feito assim para poderem observar as estrelas à noite.

Sehun se aproximou dos galhos começando a subir, haviam algumas madeiras pregadas para facilitar a subida. Haviam sido colocados ali para Minseok, já que este nunca conseguia subir a árvore direito, e hoje Sehun agradecia por terem posto, afinal seu corpo já estava desacostumado a fazer essas coisas, e com certeza não conseguiria subir a árvore sem ajuda.

Quando chegou na pequena porta que daria acesso ao interior da casa a abriu lentamente, mas se assustou por ver que já havia alguém ali, alguém que mesmo estando de costas para si, Sehun sabia quem era.

— Jongin... — sussurrou.

Na mesma hora o homem o encarou e assim que viu quem era arregalou os olhos tanto quanto Sehun.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...