História You and I - Capítulo 39


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Arrow, Demi Lovato, Harry Styles, Little Mix, Martina Stoessel, One Direction
Personagens Harry Styles
Tags Harry Styles
Visualizações 46
Palavras 1.581
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 39 - Eu não consegui sobreviver a Londres.


Fanfic / Fanfiction You and I - Capítulo 39 - Eu não consegui sobreviver a Londres.

Pov's Patty

Ele saiu eu me troquei arrumei as minha coisas e as do folgado, bebemos a garrafa inteira e ficamos jogados na cama, falando das nossas vidas, lembranças e tudo. Pela manha eu me arrumei, ele me levou ao aeroporto e algum tempo depois estava em Londres, Taylor me buscou eu fui pra casa e bastou um dia, pra eu não querer mas enfrentar aquela rotina. Então...

[...]

-Não tinha que ir trabalhar pequena?

Minha mãe disse entrando no quarto abrindo a janela, fazendo a luz entrar eu apenas puz a cabeça pra fora do edredom.

-Não! Estou planejando ficar aqui pelo menos até próximo século.

-E como pretende sobreviver?

-Barbara pode me trazer comida! Não preciso de, mas nada.

-Tudo bem o que houve?

Ela se sentou na cama, me encarando e eu fiz o mesmo.

-Mãe eu achei que seria fácil! Era só voltar, respirar e ser a melhor editora do mundo, sem ligar muito para centenas de e-mails que amigos da área de jornalismo me mandaram perguntando sobre fim do namoro, por que queria novas informações pra publicar, ou as redes sociais, ou me livrar de tudo que tínhamos fotos, presentes. Eu pensei que seria fácil, mas não consigo.

-Você já teve outros relacionamentos, e todos acabaram e não ficou assim, por que agora?

-Por que eu o amo! Eu achei que era só momento so mas uma desilusão, só mas uma paixão! Mas não , tudo aqui Sophia me lembra nós dois, e na minha sala tem uma foto na mesa de nós dois, e eu não consigo se quer jogar fora.

-Ele despedaçou mesmo seu coração. Filha!

-Sim! <Eu comecei a chorar>

-Olha! Eu entendo que precise de um tempo, e estamos todos aqui juntos em Londres! Seu pai, eu e Alex estamos meio atolados com alguns acontecimentos na empresa, mas estamos aqui, eu vou entender se quiser só ficar na cama, mas isso só piora tudo! Te ensinamos a ser forte, e você já passou por coisas tão pior.

-Já! Mas nada se compara a falta de força e vontade que me foi tirada com tudo isso.

-Tudo bem! Pode ficar escondida ai nesse mundinho de edredom meu amor, só não nos afaste ok!

Ela me abraçou.

-Não vou! Mas eu tenho que ir a revista, preciso dar explicações a Katie. E mãe, Alex vai querer de todas as forças me tirar da cama...

-Ele vai.

-Eu sei , primeira coisa e ligar pro Connor! Mas ele e Alaric se resolveram agora, precisam de tempo pai e filho, não deixa ele ligar.

-Com medo do Connor?

-Não! E que eu disse a ele que ficaria bem, se ele souber desse meu estado, ele volta correndo e eu não quero por que ele tem o pai, que precisa dele.

-Tudo bem! Eu falo com seu irmão, deixamos o Connor de fora da missão ressusitação.

-Virou uma missão! <eu sorri fraco limpei as lagrimas> -E só tempo mãe vou ficar bem.

Pov's Patty

Eu me levantei, tomei banho me vesti, peguei o carro fui até vogue, sem muita coragem de encarar a Katie.

-Você pensou mesmo que eu não iria reparar você, chegando a essa hora, depois de uma licença pra ir NY. Estou anotando no meu caderno de chefe. E você não ta bem.

-Não! Eu to super mal, e vim falar com você.

-Patty! E sobre você e o Harry! Olha isso vai passar amiga, você vai ficar bem.

-Eu vou, mas até la não consigo , suportar tudo isso Katie.

-Não me diz que vai....

-Katie você é minha amiga, dona disso agora, e eu amo essa revista como você, mas não posso ser a editora da Vogue de Londres. Não tenho força, você já conhece tudo, contatos, pessoas, eu preciso de um tempo e agora. Então me demito.

-Não aceito sua demissão! <Ela disse meio em lagrimas meio brava>

-Você literalmente não serve pra ser megera como eu!

-E a matéria sobre sua historia, sobre Sam Klaus?

-Isso e uma das coisas que esta na lista, do não tenho força pra fazer.

<Ela respirou fundo, se levantou da mesa veio me abraçar.>.

-Se cuida, eu to com seu irmão na missão fica bem Patty!

-Ele ainda nem sabe de tudo, ta na empresa, quando souber que eu larguei tudo vai tipo surtar, mas eu preciso.

-Tudo bem! E olha sua sala, seu cargo, nossa revista, sempre que quiser tem lugar aqui.

-Quem sabe quando ficar melhor. Tenho que ir, pretendo passar tarde entre tragédias românticas, sorvete e brigadeiro.

-Cuidado pra não virar parte do edredom, e nem ficar parecida com travesseiro.

-Pode deixar ! Tchau.

Eu sai do prédio da revista, antes de entrar no carro, que estava na porta, eu olhei aquele imenso prédio que era Vogue de Londres. Eu comprei essa revista, por que quando estava nas ruas, eu olhava as pessoas aqui, e imaginava qual fortes, resolvidas e lindas podia ser a vida delas, aquelas mulheres fabulosamente lindas e poderosas, e dizia: "Quero ser assim um dia." E eu fui, mas hoje me sinto como aquela menininha de quinze anos atrás, perdida, despedaçada, sozinha, perdida por um amor, traída, vazia! Eu dirigi até em casa, em lagrimas, e fui pro quarto, fazer parte da nostalgia de ser traída clichê que os filmes mostravam, o dias passaram e eu passei das trágicas historias românticas, pra passar os dias encarando o teto só de moletom, mal comia, mal bebia, mal sai do quarto pra jantar com a família

Cinco meses depois.

Pov's Patty

Mas um dia, e eu acordei sem vontade de comer, o que não adiantou muito, minha mãe em complô com Barbara estão pegando no meu pé, com minha alimentação graças  aos desmaio recente na sala após o jantar, quando fui obrigada a descer e ouvir Papai, Alex e Mamãe falando de negócios.

Eles estavam furiosos comigo é com razão, bastava me olhar no espelho, eu tava magra devo ter perdido uns cinco kilos, olhos fundo, não se sabe se são das lagrimas ou das noites sem dormir.

<Sonho on>

Eu estava no carro, olhava da janela, e Alex falava comigo, alguma coisa, Taylor não teve escolha, então pegamos a avenida movimentada que eu evitava passar, por que nela eu passei meus horrores de criança, e naquele sinaleiro onde vendia balas, tinha uma menina, meus olhos acharam os dela, eu não sabia se era uma lembrança ou real, mas eu o vi, Rick puxou a menina com força e entrou com ela no beco, eu sabia o que vinha a frente, socos, e tapas, às vezes por corpo mole, mas não mole e sim cansaço, as vezes pela grana que não vinha. Eu sai do carro corri até lá, a menina já estava no chão com boca em sangue, eu gritava coisas a ele, coisas desconexas, partia pra cima dele e batia no mesmo, ele revidava e eu caia com a dor!

Fui levada a uma  rua, eu corria agora, trás da menina que antes estava no chão, ao atravessar a rua,  a luz forte. Eu gritei...

<Sonho off>

Pov"s Patty

Acordo gritando outra vez, meus pulsos estão arranhados, eu devo ter me debatido durante sonho, era assim nós últimos cinco meses, pesadelos desconexos, gritos noturnos, haviam noites que eu acordava com alguns roxos, feitos por mim mesma, suada, com coração na boca. Esta de noite mas uma vez, nas primeiras noites, Alex , Diego e Sophia vinham aqui pra ver o que estava acontecendo, mas com tempo se tornou tão comum, que eu exigia que eles não viessem, mesmo minha mãe desesperada com meus gritos no quarto dela, pedi que só fingissem não ouvir.

Me levantei, iria até a cozinha pegar leite quente me ajudaria a tentar dormir,  insônia que vinha sempre depois de um pesadelo.

-Acordado a essa hora pai!

-Eu acordei com seus gritos! Vim pegar água, tudo bem com você?

-O de sempre, Rick e sangue e alguma tragédia.

-Isso tem que parar filha!

-Um dia para pai! Mas enquanto aquele homem estiver por ai, minha mente se lembrar de que ele faz com crianças o que fez comigo, e impossível parar.

-A terapia podia ajudar! Talvez seja hora de voltar?

-Não quero voltar pra terapia, aquilo e entediante!

-Mas do que passar as noites gritando e se debatendo, gemendo e o dia em silencio naquele quarto sem se quer se mexer. Eu sua mãe estamos preocupados com você filha.

-Eu sei! Só não fique pai, isso vai passar, sempre passa!

-Já faz cinco meses Patty! Tem dias que Alex abre uma brecha na porta pra saber se esta respirando.

-Pai! <rimos fraco> E serio! <Nos rimos e depois silencio> - Rafael me disse que estão perto de pega lo.

-Tomara, não vejo a hora daquele monstro ser preso de novo.

-E aniversario do Alex amanha!

-Serio! Que dia estamos, em que mês?

-Filha! <ele me olhou segurando riso> - Calma to brincando, eu sei! Vinte anos o pirralho faz, vai ter festa?

-O que acha, vocês falam disso a vida toda, sua mãe esta empolgadíssima, acho que a família inteira estará aqui.

-Hora de pegar o carro buscar outra cama pra me internar.

-Tem isso também, ela acha que pelo menos assim pode te tirar do quarto.

-Se acordar e não estiver na cama, não se preocupem, Holmes Chapel Casa do Victor, meu quarto lá, estarei segura.

-Não vai aditar! Eles vêm!

-Eu sei! Fui tentar dormir.

-Boa noite minha princesa.

-Boa noite Pai! 


Notas Finais


Gente como estão! Comentem....
Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...