História You and I - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Arrow, Demi Lovato, Harry Styles, Little Mix, Martina Stoessel, One Direction
Personagens Harry Styles
Tags Harry Styles
Visualizações 35
Palavras 1.022
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 41 - A vida e uma Dadiva


Fanfic / Fanfiction You and I - Capítulo 41 - A vida e uma Dadiva

<Lembranças on>

Dénia -7 anos atrás

-Lamento Sr. Alaric Saltzman, mas as noticias não são boas ela faleceu! Não pudemos fazer muito.

-Ela o que....

-E mentira! Minha mãe tem que estar viva, ela não pode morrer, chegou aqui ainda respirava.

-Lamento!

-Calma Connor! Vai ficar tudo bem.

Pov's Patty

Eu estava no hospital a algumas horas com Connor! Taylor nós trouxe estávamos em casa, fazendo algumas coisas da escola, quando Alaric nós ligou aos prantos, dizendo que ele e Jô bateram o carro, ela se feriu, foi um acidente. Connor caiu em desespero nós meus braços, e meu Tio Alaric apenas se abaixou no chão e chorava, com mãos sobre o rosto.

-Obrigado Doutor! Só de um tempo a eles.

-Patty! Minha mãe, ela... Como vou viver sem ela!

-Calma Connor! Vai da tudo certo.

Ele saiu dos meus braços e abraçou pai no chão! Algum tempo depois meus pais chegaram, Diego e Sophia eram amigos deles a muito tempo, e Alex, eu e Connor somos amigos desde que viemos pra cá; Depois do velório, e todas as lagrimas, eu passava todos os dias na casa do Saltzman pra ver o Connor, e ate meu tio, mamãe e eu ajudávamos com algumas coisas da casa, já que na mansão ,Jô costumava tomar todas as atividades da casa, compras e tudo.

Haviam dias que Connor só chorava, foi nessa época que começamos a dormir juntos, claro, Alex sempre dormia aqui também, mas Connor tinha pesadelos horríveis com o acidente, e meu tio só se calou e se enfiou no escritório, se não fosse eu e Alex ,Connor passaria todo tempo só.

Um ano se passou, e Connor não sai de casa pra nada, descia pra cozinha comia por que eu brigava com ele pra fazer, até que um dia, eu entrei no quarto e o peguei com uma faca na mão, tentando cortar os pulsos.

-O que pensa que ta fazendo com isso! Connor você piorou, quer se matar?

-Quero Patty! Não tem por que estar aqui, minha vida acabou, minha mãe morreu, meu pai não quer nem olhar pra mim, mas, eu to sozinho.

-Eu to aqui, o Alex, meus pais! Você tem quem te ama aqui, pelo amor de Deus!

-Me deixa! Eu não sei por que esta aqui ainda.

-Por que eu amo você! E por que Jô não iria querer você sozinho, ela ama você Connor, onde ela estiver. A vida e uma dádiva não deve ser tirada.

Eu tirei a faca das mãos dele e o abracei, ele sentou no chão do banheiro e eu com ele. Ele chorava muito;

-Quem disse isso Patty?

-Sua mãe Connor! Quando eu pensei que tinha o direito de ódio, e matar as pessoas com meu ódio, ela me disse isso.

-Ela foi sabia!

-Foi sim!

Ele estava nós meus braços, ambos caídos no chão. Eu sei a dor da perda da Jô, ela era minha Tia postiça, amiga da minha mãe, e quando eu vim pra cá com doze anos, ainda nova , ainda cheia de ódio de Rick, desejando que ele morresse , ela usou todo seu amor e compaixão! Pra me convencer disso: A VIDA E UMA DÁDIVA.

<lembranças off>

<de fora da casa>

-Espera essa Ferrari não e sua!

-Não e alugada! Alex e você acham o que eu não roubei o carro. E sim eu tenho uma em Madri igual!

-Desde quando tem grana para? Alaric não pirou ainda pra te deixar compra isso com a grana dele.

-Não! Nossos lucros do resort de Ibiza, eu fiz uns investimentos, muito pra te contar pequena. Entra vamos ou vai ficar namorando o carro.

<No shopping>

-Connor a gente ta andando a duas horas, esse saltos tão me matando, o Alex tem tudo não tem o que dar a ele.

-Temos que achar algo!

-Vamos comer?

-Tudo bem reclamo na, comemos depois procuramos, mas.

[...]

-Vai me contar o que houve nesses cinco meses, ou continuar em silencio?

Ela me encarou de cabiz baixo

-Basicamente, eu fiquei lá deitada, pensando no nada, no quanto somos miseráveis com essa vida. Os primeiros dias, eu ainda estava bem, comia bobeira, via filmes, chorava com eles, chorava sozinha, depois os filmes acabaram, eu estava enorme de gorda, não queria comer nada, ai os pesadelos, noites gritando, me debatendo, sonhos desconexos com Rick, alguns eu sangrava, ele me matava ou me batia; eu gritava, meus pais começaram a se preocupar ai, então eu só pedi que não fossem mas ao quarto naquelas noites. Ai passava dia encarando teto.

-São por isso os roxos pelo corpo? <Ela puxou a blusa escondendo vergão no braço>.

-Sim!

-Pensou em?

-Sim! Milhões de vezes, pra acabar com dor dos meus pais, de me ver daquele jeito, com a dor no meu peito! Mas todas as vezes que eu pensava em fazer, a voz dela ecoava na minha cabeça.

-A vida e uma Dádiva! <dissemos juntos e nós olhamos.>

-Ela salvou a nós dois, mesmo depois de morta.

-E ela fez!

-Patty! Olha pra mim, já passamos por coisas piores, sei que vai ficar bem, e eu te amo, não vou a lugar algum, até ter certeza que esta bem! Não vou deixar ninguém te machucar.

-Eu já ouvi isso! Ou melhor, disse isso.

-Eu sei! Você disse pra mim, há anos atrás! E olha pra mim agora. Minha vez de cuidar de você pequena.

-Obrigado Connor!

<Ele encarou algo alegremente nas minhas costas>

-O que esta vendo?

-Já sei  o que dar ao Alex! Ele não faz coleção de relógios?

-Sim faz!

-Vamos dar novo lançamento da Armani a ele.

-Boa ideia.

Pov’s Patty

Depois de comer e enfim comprar o relógio para o Alex, nós voltamos pra casa, que estava repleta de enfeites e pessoas trabalhando, só por notar, seria uma grande festa, é com certeza não me deixariam falta, subi pro quarto me encarei no espelho depois de muito tempo sem o fazer, haviam alguns vergões a mostra nos braços, e com toda certeza eu estava magrela, alguns perguntariam ou apenas se calariam. Mas eu tinha que desce pra festa, afinal era o Alex. 


Notas Finais


Mas? Galera como estão gostando ou não comentem?
Beijokas!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...