História You Are Mine - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Marshall Lee, Principe Chiclete
Tags Gumlee, Hora De Aventura, Yaoi
Exibições 149
Palavras 599
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Estou um pouco nervoso. Claro, é minha primeira fanfic... Mas, espero que gostem! ^^

Sem enrolar mais. Boa leitura!

Capítulo 1 - •Capítulo Único •


  

                                - Nova York

   

As bebidas, drogas, músicas, danças, barulhos...

    

Acabaram me levando para a cama, me fizeram amar um alguém. Mas não sei quem é.


Estou deitado de costas para ela. Aposto que deve ser uma loira gostosa, pelo jeito que estou todo doído. 

   

Vou me virando devagar, até ficar de frente para a pessoa. Mas espere... Não é uma garota! É um garoto! Não... Não podia ser ele.

    

Eu transei a noite toda com o meu inimigo. É isso que eu estou vendo? Tenho que me conforma com isso...

    

Encarava aquele miserável deitado na minha cama, na minha frente. Como eu pude ficar tão louco ao ponto de ficar a noite toda com o Chiclete!?

    

Rapidamente me levantei da cama com cuidado para não acordar esse miserável. Tomei banho, e percebi que tinha algumas marcas de arranhões nas minhas costas, e chupões no meu pescoço. Por Glob... Isso é um sonho, não é?


Não, não é.

   
    

Termino o banho, me visto, e sento na poltrona e frente para a minha cama, esperando o inimigo acordar. Não demorou muito para ele despertar. Vejo-o se espreguiçar na cama, e suspirar... Enfim, ele olhou para mim. Aposto que ele deve ter sentindo  a mesma reação que eu. 


- M-Ma-Marshall!?  -  Olhou para mim incrédulo cobrindo-se até  o peito com a coberta.

- Você bebeu também? 

- Fui estimulado. Bebidas fortes. Mas isso não importa! Eu vou sair daqui! Deixa eu me trocar e ir embora.  -  Sua voz soou chorosa.

 

    

Não disse nada apenas, só sai do quarto para que ele se trocasse e fosse embora de uma vez.

    

Mas... Estou me sentindo feliz, diferente. Eu... Tive aquele corpo apenas para mim.  Por quê?


Sinto que quero repetir a dose. Mas por quê?

    

Uma voz vem à minha mente...

       

"Marshall... Me foda!  A-ah..."

"Chiclete, eu te fodo com força!"


    

Será que dissemos isso mesmo? Ou é fruto da minha imaginação?

  

- Nunca mais quero olhar na sua cara! Finja que nunca tivemos nada...  -  Chiclete disse andando até a porta.

    

Observei ele ir embora, andando até a porta. Não me senti bem vendo isso. Dei uma pequena corrida até a porta, impedindo Chiclete de ir embora. Ele me olhou surpreso.

     

Por que estou fazendo isso? Não quero que ele vá embora, quero-o aqui comigo. Desejo ele de novo...

    

Sinto algo embolar na minha barriga, estou quente... Meu coração pulsa forte.

  

- Marshall! Sai da frente! Abra a porcaria dessa porta! Caralh...  -  O interrompo.

    

Calei Chiclete com um beijo. Impulso talvez? Não... Porque eu quis. Um beijo calmo, ambos retribuindo cada movimento, línguas se encontram  e dançam uma com a outra. Baba escorria pelo canto de nossas bocas. Separamos por falta de ar, ofegantes...

  

- Chiclete... Me perdoa.

  

- P-pelo o quê?  -  Estava super corado.

  

- Por tudo. Não sei o motivo pelo qual, que eu considerei você um inimigo... Na verdade  -  Pego nas mãos de Chiclete.  -  eu sempre desejei você. Senti borboletas na barriga, ainda sinto.

    

Chiclete olhou no fundo dos meus olhos, um pequeno sorriso surgiu em seus lábios.  -  Eu amo você, Marshall.  -  Abaixou a cabeça.

  


Meu Glob... Eu não estava acreditando, a pessoa que eu amo, sente o mesmo... Uma lágrima escorreu do meu olho, e um sorriso apareceu. 

  

- Chiclete. Meu rosado!  -  Abracei ele levantando-o um pouco.

- Topa uma segunda dose?  -  Sussurrou no meu ouvido. 



Não respondi nada, apenas levei ele para o quarto...

    

E lá... Nos amamos novamente. Gemidos, gritos, sussurros, arranhões, foram marcados em nossas almas...


                

" -Às vezes o amor da sua vida, está bem na tua frente, basta enxergar."


           

FIM.


Notas Finais


Ohayo Minna-san!


Não sei se ficou bom... Isso é decisão de vocês. Aceito críticas e opiniões. Poderá me ajudar.

Sayonara....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...