História You Are My Angel — Imagine Kim Namjoon - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Kim Namjoon, Namjoon, Rapmonster
Visualizações 43
Palavras 629
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, a história You Are My Angel chegara ao fim no capítulo 40, pode ser que, talvez, caso minha criatividade se desenvolva mais, tenhamos mais capítulos, desde então, agradeço todo o amor que deram para fic, e espero que dêem o mesmo amor a outras histórias de minha autoria. ❤

Me sigam no Spirit para ver outras histórias!

Capítulo 31 - Capítulo 31; Solitário.


Fanfic / Fanfiction You Are My Angel — Imagine Kim Namjoon - Capítulo 31 - Capítulo 31; Solitário.

 

— Mamãe! Acorde! — Pulava na cama, ria, brincava não parava até cansar! Caiu em cima de mim, a porta foi aberta, estiquei meu corpo, sentindo alguns estralos. 


— Filho, deixe ela dormir mais um pouco, vá para a sala, está passando seu desenho favorito. — O pequeno garoto correu para porta, descendo as escadas, estiquei meus braços para cima, sentindo as mãos em meus pulsos. Senti seus lábios contra os meus, beijando-me com vontade. — Bom dia, amor. — Sorriu ao separar nossos lábios, ainda segurando meus braços. 


— Bom dia. — O dei um selinho, seguido de outros selinhos. Ri baixinho, mordendo meu lábio inferior. Senti seus lábios sobre os meus novamente, num beijo intenso. — Namjoon, não podemos deixar ele sozinho.


— Ele pode esperar um pouquinho. 


— Idiota... — Rimos, e o mesmo começou a descer os beijos para o meu pescoço. — Amor, é sério, por favor. Deixamos para outra hora. — Ele soltou meus pulsos, me dando um último selinho. Andou até a porta, me levantei, o abraçando por trás, beijando suas costas. — Vamos, Vamos, temos que fazer o café da manhã. — O apressei, subindo em suas costas e distribuindo beijos em seu pescoço, enquanto descia a escada comigo em suas costas. — Namjoon, você pode fazer? Tenho que dar banho nele. — O mesmo concordou, peguei o pequeno no colo e o levei até seu quarto, pegando as suas roupas e indo ao banheiro. — Credo, que correria. — Ri, ligando o registro e o ajudando a tirar sua roupa. 


— Mãe, posso te contar uma coisa? — O coloquei na água ao perceber a banheira cheia. 


— Sim filho, fale. 


— Eu estou me sentindo tão sozinho, eu queria ter um irmão ou irmã, ou algum amigo. 


— Mas e eu e o papai?


— É diferente, mamãe. — Fez um biquinho triste, olhando para a água. Coloquei minhas mãos dentro da banheira. 


— Eu, eu irei conversar com seu pai sobre isso, mas, filho, vamos esquecer isso por um tempo, ok? Agora sorri e vamos tomar um banho. — Rimos. 


(...) 


Após o banho, o sequei e o vesti com um pijama de ursinhos, o levando a sala e indo até Namjoon, vendo oque o mesmo fazia. 


— Deus da destruição não atacou dessa vez. — Ri baixo, recebendo um olhar mortal do mesmo. — Qual é Namjoonie, você sabe que eu não disse por mal. — Sorri o abraçando e o vendo emburrado. — Tão fofo. — Apertei sua bochecha. — Irei tomar um banho rápido. 


Subi as escadas novamente, fechando a porta do quarto e já retirando as minhas roupas, ficando apenas com as íntimas e buscando alguma roupa confortável para o dia a dia.

Peguei uma camiseta de Namjoon, um short curto de algodão e minhas roupas íntimas, correndo para o banheiro, me despindo e me acomodando na banheira já cheia, tentando relaxar meu corpo. 


— Você está um pouco apressada hoje, não acha melhor fazer as coisas com um pouquinho de calma? Isso pode te afetar. — Ouvi a voz familiar de Namjoon, abrindo meus olhos e o encarando escorado na porta, com as mãos nos bolsos da calça moletom. — Jin chegou, ele ficará com Young-Nam por um tempinho. 


— Estou me sentindo cansada esses dias. E, sobre nosso filho, hoje ele me disse algo que me comoveu. 


— O que é?


— Acha que podemos adotar uma criança, ou, quem sabe um cachorrinho? — Olhei sua expressão confusa, suspirei. — Ele disse estar se sentindo sozinho, não quero que o garoto fique triste por isso. O que podemos fazer? 


— Bem, sinceramente, ___, eu não sei, podemos falar sobre isso outra hora quando você estiver melhor, quando as coisas estiverem mais calmas, tudo bem? 


Okay...






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...