História You Are My Doll - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer, Grace Phipps, One Direction
Personagens Grace Phipps, Louis Tomlinson
Tags Grace Phipps, Louis Tomlinson, Obsessão, Sexo
Exibições 175
Palavras 2.961
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Tenham uma boa leitura meus anjos, obrigado pelos comentários do capitulo anterior, irei respondê-los, não se preocupem e sério, obrigado <3
Ps: Emma no gif do capitulo de hoje szsz

Capítulo 25 - Nobody Said It Was Easy...


Fanfic / Fanfiction You Are My Doll - Capítulo 25 - Nobody Said It Was Easy...

Então, em silêncio, apenas ande comigo

Como em outro dia qualquer

Sem despedidas tristes, sem lágrimas, sem mentiras

Basta ir para nossos caminhos separados

E Deus sabe

Que é difícil encontrar a pessoa certa

Mas no tempo certo, todas as flores

Sim, no tempo certo

Todas as flores se viram de frente pro sol

James Blunt - Face The Sun

 

Após tal chamada ser encerrada devido a Michael nem estar em condições de conseguir explicar algo entre prantos, nem será preciso detalhar que Kristen praticamente suplicou a Tomlinson para ir até o hospital a levando consigo, sem discordar, o rapaz apenas fez saindo às pressas de sua casa notando que sua filha continha-se para não chorar na frente do mesmo enquanto o seguia calada pelos sentimentos reprimidos e bagunçados que sentirá naquele meio, ela ainda sentia raiva do mesmo de tal forma, mas não era hora para começar algum tipo de discórdia justo agora. Uma mistura de desespero e aflição havia acertado a garota em cheio... Algo apertava seu peito de tal forma ao saber que os amigos estavam no hospital por um acidente...

A consciência lhe pesou exatamente no momento que ela deu-se conta que eles tinham sofrido o acidente justo quando voltavam da casa da menina... A culpa lhe preenchia de certa forma.

A chegada ao hospital não forá não receptiva quanto o esperado...

 

Logo após Kristen passará pelas portas da recepção do local sentindo o breve cheiro de soro invadir suas narinas fazendo-a franzir os lábios em desconforto ao nariz que franzirá juntamente, em um ato despercebido soltou a mão de Tomlinson que por fim a segurava desde que havia descido do carro, o mesmo a olhou-a ressentido pelo ato em desconforto por “afeto” de certa forma em consolo e suspirou baixo seguindo direção ao balcão de atendimento encontrando uma única enfermeira ali digitando algo nas teclas de seu teclado ecoando certo barulho irritante... O mesmo rapidamente chamou sua atenção batucando seus dedos no balcão vendo os olhos esverdeados da mulher caírem sem expressão sobre si:

— Com licença, preciso saber se três jovens estão hospitalizados aqui... São... Emma Stone, Luke Hemmings e Ashton Irwin se não me engano.

Louis proferiu divagando e logo viu a mulher o fitar e suspirar voltando à atenção para o computador digitando algo levantando o indicador em sinal de aguarde, Tomlinson suspirará pesadamente e logo encostará o quadril sobre o balcão esperando pacientemente enquanto fitava sua filha de recanto repensando um pouco...

Kristen por sua vez rapidamente pairou seu olhar sôfrego sobre o lugar logo encontrando certas duas silhuetas masculinas de costas sentadas em uma fileira dos bancos do cômodo silencioso e deprimente pela tensão do silencioso... A mesma aos poucos se aproximou dos mesmos fitando os cabelos coloridos do primeiro rapaz que tinha suas mãos pousadas sobre seu rosto abaixado enquanto fungava baixo escondendo seu rosto, sorriu tristemente e sentou-se ao lado do mesmo passando sua mão pelo ombro do rapaz que de solavanco levará um breve susto levantando a cabeça encarando as órbitas azuladas da garota.

— Michael... Perdoe-me... — murmurou a mesma baixa e logo notou o outro rapaz cujo era Calum que tinha o olhar fixo e perdido em um canto da sala com os cotovelos sobre as coxas parecendo nem notar a presença da garota — Se eles não tivessem ido a minha casa, nada disso teria acontecido... Eu-u... Juro por Deus... — vacilou em sua vez ao encarar os olhos marejados e vermelhos do rapaz a fitarem reprimido — Se algo acontecer com eles... Pode me odiar e...

— Kristen... A culpa não foi sua. — Calum disse por sua vez virando o olhar fitando os dois logo suspirando pesado — Acidentes são inevitáveis e... Ninguém sabia que uma chuva daquelas cairia ontem... Não se culpe.

— Mas... — a mesma tentará retrucar, porém cessou ao sentir Clifford segurar seus ombros firmemente a olhando um pouco neutro.

— Ele tem razão... A culpa não foi sua e... No momento o que resta é rezar para que nossos amigos saiam dali bem. Pense positivo, okay? — sorriu tristemente fazendo a garota o olha-lo e logo abaixar o olhar assentindo sentindo seus ombros serem soltos.

O silêncio logo se estalou novamente no local enquanto apenas os tiques do relógio da parede da recepção eram ouvidos e as teclas sendo apertadas pela enfermeira eram ecoados por ali deixando todos incertos de proferir algo, por parte eles nem sabiam exatamente o que dizer em uma situação daquela. Os jovens ajeitaram-se em seus bancos e suspiravam vez ou outra enquanto Tomlinson já estará irritado internamente por tanta demora por parte da assistência dali:

— Com licença, isso é para hoje. — disse sorrindo cinicamente para a enfermeira que o lançou um olhar reprovador e suspirou.

— Sim, eles estão no sistema, mas estão em alas separadas. — disse rígida fazendo o mais velho cerrar os olhos.

— O estado deles é muito grave? — questionou e logo viu um sorriso cínico surgir nos lábios da enfermeira fazendo seu sangue ferver minimamente.

— Isso você tira a limpo com o Doutor, aguarde, por favor, senhor...? — indagou questionou o nome do mesmo indiferente voltando a digitar qualquer coisa nas teclas.

— Tomlinson. — respondeu secamente e bufou se segurando para não acabar por pular no pescoço da enfermeira, respirou fundo e se dirigiu até um dos bancos dali sentando-se no mesmo cruzando os braços — aguarde, por favor... — resmungou irritado.

Os minutos e segundos eram contados pelo relógio passavam-se silenciosamente enquanto nenhum presente ali se proferia ou até mesmo questionava algo com a enfermeira mal humorada novamente...

Logo a atenção de todos ali se dirigiu até as portas da entrada abrindo-se rapidamente, Kristen fora a primeira que botará seus olhos sobre as três mulheres e dois homens presentes que adentravam a recepção com expressões devastadas e inconsoláveis nos rostos, logo os mesmos se dirigiram as pressas ao balcão de atendimento e foi nessa que Louis pairou seu olhar sobre o alvoroço.

— Com linceça, Emma Stone deu entrada aqui?! — uma mulher de cabelos grisalhos e fracamente ruivos questionou limpando rapidamente seus olhos apoiando suas mãos no balcão.

— Luke Hemmings também! Como meu filho está?! — um homem de estatura baixa meteu-se no meio um pouco impaciente batendo a mão sobre o balcão assustando a enfermeira que logo os olhou atônica.

— Ashton Irwin... — uma mulher sendo abraçada pelo suposto marido que a consolava murmurou falha e com os olhos inchados provavelmente pelo choro que deixará cair em prantos mais cedo encarando a enfermeira que logo se encontrou perdida para atender tantos pacientes de tal vez.

— Os três deram entrada aqui e estão sendo atendidos, o Doutor Joseph já lhes irás trazer informações deles, apenas lhes peço calma... Vocês são...? — sorriu gentilmente fazendo Tomlinson revirar extremamente os olhos.

— Os pais... — responderam juntamente e logo a mulher suspirou.

— Por favor, assinem cada um uma ficha... Precisamos de algumas informações. — pediu pacientemente e logo tirará algumas pranchetas debaixo do balcão tomando a atenção dos pais.

Kristen observará aquilo e logo lançou um olhar reprimido para seu pai sentando sobre a poltrona fitando o relógio descontraído provavelmente perdido em seus pensamentos... Ou quase isso.

.

.

Senhora Stone?

Logo uma voz se ecoará pela recepção chamando a atenção de todos ali, os olhares caíram sobre um rapaz brevemente jovem, mas que tinha em seu jaleco o nome do tal Doutor Joseph lhes trazendo expressões rígidas.

— Sou eu... — a mulher logo levantou de seu lugar sentado ao lado de Louis que fitará aquilo calado como todos — Como minha filha... Melhor... Como as crianças estão? — disse serenamente sôfrega logo vendo o rapaz suspirar e olhar sua prancheta.

— Olhe senhora Stone, infelizmente sua filha estava sem o cinto de segurança e ainda mais sentada no banco passageiro do veiculo que resultou em seu corpo sendo lançado para fora do carro pela batida na pista, foi algo muito brusco com ela. — suspirou continuando — O processo que estamos ainda fazendo com ela é complicado então estamos tentando de tudo, estamos fazendo nosso melhor... — disse sendo cuidadoso com as palavras e logo viu a mulher meramente ruiva abaixar o olhar abalada assentindo com um gesto logo voltando para seu lugar abaixando sua cabeça, Louis em um ato de remorso abraçou a mulher de lado suspirando baixo...

— Ficará tudo bem, senhora Stone... Sua filha é uma garota forte. — murmurou Tomlinson baixo vendo a mulher assentir baixo e retribuir do abraço tentando se reconfortar com o rapaz mais jovem sem tais intenções - até porque ela muito menos teria - já que estava sensivelmente machucada pela dor da filha logo ouvindo o doutor continuar:

— Em questão aos rapazes que por sorte estavam usando seus cintos, eles tiveram alguns ferimentos e queimaduras pelo choque dos dois veículos no viaduto, o paciente Luke Hemmings infelizmente fraturou a perna esquerda, mas tem chances do mesmo se recuperar em questão de alguns dois ou três meses. — proferiu o mesmo vendo o mesmo homem que antes estava impaciente suspirar certamente aliviado, porém ainda aflito — O paciente Ashton Irwin fraturou o braço direito e bateu a cabeça a cabeça contra o vidro da janela do seu assento, mas ele está nas mesmas condição que o Hemmings, tem chances de se recuperar, então por todos peço-lhes pensamentos positivos e paciência... Bem, são as únicas informações possíveis que tenho a lhes dar, qualquer coisa, eu aviso, com linceça...

Fez um breve gesto sorrindo cauteloso e logo passará pela porta dando acesso ao corredor com inúmeras portas com os quartos dos devidos pacientes.

— Ouviram isso? — Michael questionou baixo entre Kris e Calum que caíram os olhares sobre o mesmo — Será que a Emma... — falhou com a voz.

— Ela é forte, deixe de pensar besteira. — Calum retrucou um pouco irritado — Até o senhor Tomlinson disse isso, seremos positivos.

— Mas ele disse que com ela o processo é mais complicado, meninos... — Kristen murmurou fraca brincando seus dedos abaixando o olhar para seu colo — A culpa foi minha... Se eles não tivessem ido para minha casa, isso não teria acontecido.

— Kristen, pelo amor de deus, a culpa não foi de ninguém. —Calum retrucou baixo novamente — Para com isso e também, não adianta merda nenhuma ficar se culpando.

— Abaixa o tom com ela, Calum. — Michael advertiu olhando o amigo o repreendendo — Vamos esperar, okay? Vai ficar tudo bem... Eu sei, afinal, ela é a nossa amiga, ela é a Emma, gente, por favor... E ela prometeu que estaria ao nosso lado sempre, certo? Ela nunca quebrou promessas e não será agora que quebrará. — disse esperançoso entreolhando os dois.

Calum e Kristen olharam-se em cúmplices logo franzindo os lábios juntamente sabendo que quem estava se contendo ali para não cair em prantos novamente era o amigo que mantinha o sorriso singelo e ingênuo no rosto com seus pensamentos mantidos em leves conclusões positivas... Os mesmos desviaram seus olhares, o clima ali praticamente caiu ficando tenso novamente após deixaram o silêncio como tal reposta.

.

.

Horas e mais horas passavam-se enquanto o final da tarde já estava por vir, todos manteram-se ali esperando tais noticias que até então não passavam por parte de enfermeiros e do próprio doutor de:

“Estamos fazendo o nosso melhor...”

Os homens decidiram levar suas esposas para suas casas para tal repouso para então assumirem os postos de ficarem aguardando alguma informações dos jovens, como a senhorita Stone é uma mera viúva acabou por Tomlinson leva-la de volta para sua casa com muita calma e afeto pela mulher em seu estado abalado, assim como com muita insistência conseguiu levar Kristen junto que a contra gosto seguiu as ordens do pai já que o mesmo disse que ficaria junto com os rapazes. Logo assim fora feito, as mulheres cansadas voltaram mesmo aflitas para suas casas deixando aquele turno no hospital com seus companheiros... Calum e Michael por insistências das mães que apareceram lá mais tarde preocupadas conseguiram convencê-los de voltarem para suas casas, mesmo aborrecidos os mesmos não discutiram.

Tomlinson por sua vez deixou a mãe de Emma em sua casa e derá seu número para a mulher em caso de qualquer emergência, a mesma pegou sorrindo serenamente triste agradecendo ao rapaz pelo apoio logo se despedindo vagamente, ele ainda pode ver a mesma ir até a porta de sua porta e abraçar seu filho mais velho que a esperava chorando aos prantos... Louis vendo o estado estático da filha e principalmente da mãe de sua amiga estava a posto de ajuda-la em qualquer situação, afinal, nenhuma mãe ou pai quer uma situação dessas para seu próprio filho e por uma parte ele entenderá a dor que eles estavam a sentir...

 

No momento Kristen encontrava-se deitada em sua cama em seu quarto meramente escuro fitando seu abajur ligado comprimindo meramente os lábios enquanto apertava a barra de seu cobertor, a menina moveu-se um pouco ouvindo passos do pai do andar de baixo enquanto o mesmo provavelmente ajeitava-se para voltar ao hospital como prometido... A mesma puxou um pouco seus cabelos negros para trás os pousando espalhados pelo travesseiro enquanto ouvia os passos subirem pelas escadas...

A garota encolheu-se minimamente e suspirou ao ouvi-los aproximarem-se, fechou os olhos rapidamente e logo ouviu sua porta ser aberta em questão de segundos.

Tomlinson ajeitava seu casaco de moletom cinza meramente logo suspirando ao encarar sua menina, em passos cautelosos o mesmo aproximou-se da cama sentando-se na lateral da mesma na beira do acolchoado fitando a expressão serena da jovem, seus dedos se dedilharam pelos cabelos da mesma vendo-a ficar tensa.

— Papai sabe que você esta acordada... — Tomlinson disse baixo vendo a menina suspirar pesado e abrir seus olhos enquanto sentia as caricias em sua nuca fazendo-a fita-lo — Dia cansativo, uh? — sorriu fraco.

— Pai... — murmurou falha e suspirou novamente — a Emma ficará bem, certo? — questionou e Louis olhou fixamente as órbitas da menina a vendo encolher-se novamente.

— Claro meu anjo, ela sempre foi forte e não é agora que ela nos deixará — sorriu sereno — porque a pergunta?

— O que acontece quando as pessoas partem? — sussurrou a menina baixinho vendo o maior respirando fundo.

— Se elas tiverem uma boa alma, provavelmente viram anjos e... Kristen minha filha, ela ficará bem, okay? Não confia em mim? — questionou acariciando levemente a bochecha esquerda da menina.

— Não é questão de confiar, pai e que... Eu sinto que talvez o destino interfira e force as pessoas a se afastarem das outras por bem ou mal, eu só não entendo o porquê do destino ser tão... Cruel... — murmurou embargada — Eu só quero ver a Emma de novo sendo animada e hiperativa como sempre, eu não quero perder ela como perdi a amizade do Niall... Eu não o vejo a dias e parece que todos os anos que crescemos juntos não foram nada... Por que... — suspirou falha cessando e logo sentiu os lábios do maior selarem os seus rapidamente em um ato ingênuo a deixando estática fitando o rapaz que sorria tristemente.

— Você tem que ser forte, meu amor... Daqui para frente, você tem que ser... Se for para ser, será... Um dia tudo isso passará como lembranças, me prometa que serás forte, Kristen... — indagou fazendo a menina suspirar e repensar por alguns segundos logo assentindo — Boa garota, agora descans...

A voz do rapaz fora cessada pela campainha do andar de baixo tocando o fazendo franzir e suspirar pesado beijando a testa da menina rapidamente a cobrindo levemente logo se levantando virando-se se retirando do quarto...

E novamente a mesma ouvirá os passos do pai sendo ecoados pelo piso de mármore da casa a deixando atenta, em um ato a mesma virou-se abraçando uma parte de seu cobertor mantendo-se em silencio enquanto ouvia os passos cessando e logo um barulho de porta abrindo com a breve voz de Tomlinson se proferindo.

— Você... O outro não veio, por quê? Como?! Oh sim... — um silêncio se estalou e logo a voz continuara já incerta e ressentida — Deus... Não, eu entendo, infelizmente... É melhor você falar... O quarto é lá em cima...

E logo totalmente cessou-se as voz do rapaz para Kristen seguidos dos passos novamente se ecoando, porém mais auditivo por supostamente terem mais pessoas ali...

A garota apertou meramente seu cobertor e escondeu a metade do rosto sobre o travesseiro fechando os olhos fortemente.

O som da porta abrindo novamente fora ouvido pela garota e logo pelo espelho de corpo do cômodo, ela abrirá os olhos vendo o reflexo de Calum com uma expressão caída, o mesmo rapaz suspirou pesado encarando Louis na porta encostado a batente dando permissão para o mesmo... Aos poucos o rapaz ia se aproximando, porém algo o acertou sentimentalmente ao ouvir um murmúrio fraco, logo se sentou na lateral da cama tocando no ombro da garota.

— Kris... — a chamou com a voz rouca e falhada como se sua garganta estivesse desgastada, a menina virou-se e olhou o rapaz.

— Calum... — sorriu fraca — A Emma melhorou? — questionou, porém logo se arrependeu ao ver a expressão do rapaz cair e seus olhos desviarem dos seus olhando estático para um canto do quarto — Ela... Vai voltar para casa, certo? Calum...

— Kristen... Eu sinto muito...

O rapaz proferiu falho novamente logo suspirando vendo os olhos da menina ficarem fixos e seu rosto empalidecer, a mesma olhou Louis atrás do rapaz o vendo a olhar reconfortante forçando um pequeno sorriso fraco, porém não adiantará, pois logo as lágrimas caírem pelas órbitas azuladas da garota deslizando sobre suas bochechas molhando o travesseiro com as mesmas...

O som do choro da pequena Kristen ecoou falho em questão de segundos pelo quarto pelo ato da mesma virar-se e abraçar fortemente o travesseiro se “embargando” em suas próprias lágrimas escondendo o rosto na superfície macia, porém agora abafada, não adiantava muito já que infelizmente o choro ainda era ouvido pelos dois rapazes presentes ali que se olharam reprimidos abaixando suas cabeças permanecendo em silêncio ambos, a mera consciência da garota infelizmente lhe fez entender apenas com os breves gestos...

 

 


Notas Finais


É pessoas, as coisas não ficarão boas tão cedo então aguentem e tentem não me matar daqui para frente, amo vocês <3 Comentem loucamente aí em baixo sz

Ps: me perdoem por qualquer erro
Fanfiction Nova: https://spiritfanfics.com/historia/kiss-it-better-6743163


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...