História You are my love! - Amor Doce- - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Debrah, Kentin, Lysandre, Melody, Nathaniel, Personagens Originais, Professor Faraize, Rosalya
Tags Amor Doce, Auto-mutilação, Bad Boy, Comedia, Drama, Fria, Morte, Nathaniel, Pais Que Não Ligam, Rebelde, Romance
Exibições 72
Palavras 699
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Um obrigada.


Logo depois de lancharem ( - CALE A BOCA, NÃO ESTOU AFIM DELA COISA NENHUM!- Lysandre ) os tres se dividiram, mesmo que sejam melhores amigos eles não poderiam ficar o tempo inteiro juntos.

O loiro, por sua vez, estava apoiado no muro da escola, que ficava bem perto do vestiario feminino.
Agora era a aula de educação fisica, ele ja estava com o uniforme, apenas esperando todos.
Portanto, algo lhe chamou a atenção.

Alguns meninos ~conhecidos por continuamente atentar as meninas e levar porrada ~ estavam na porta do vestiario, espreitando.
Mordeu o pirulito que estava chupando com força e franziu o cenho.

O que diabos queriam fazer?

A curiosidade moveu ele até lá, sorrateiro, parecia até um Espião. E se deparou com uma cena que quase lhe fez vomitar.

Parecia que a Presidente tinha sido pega de surpresa, por causa de algumas brigas que rolaram, ela tinha se atrasado e só sobrara ela, supondo. e os meninos conseguiram a encurralar.

Ele abriu a boca , em espanto, por mais que odeie ela, eles poderiam fazer algo a mais, pois eram muitos! E ele odiava estupro.

Parando para analisar, antes ele a considerava como um espinho chato e dolorido, mas agora começou a olhar ela com olhos de homem.
Ela era bonita, não chegava a ser beldade, mas sim, era.

Os cabelos castanhos- escuro ( quase preto ), que contrastavam com seus olhos verdes estavam presos para traz em um rabo de cavalo alto.
O uniforme de educação física era um short azul escuro e camisa branca regata, pois estava no verão.
Mordeu o lábio, por um segundo queria ver a pele debaixo da roupa.

Parou de espionar e se apoio na parede leste do vestíario, o que iria fazer?
Ela era sua inimiga, isso era fato, e se ela fosse estuprada, talvez ficasse traumatizada e nunca mais daria as caras, o que seria MUITO BOM para ele.
Por outro lado, apitava o coração, aos berros, dizendo que mesmo que a pessoa seja sua pior inimiga, ela não merecia um estupro! Isso é coisa cruel.

Suspirou fundo e passou a mão pelos cabelos desarrumados. Ele iria ajuda-la.

Saiu de traz da parede e ela já estava encurralada na parede, pode ver ela engolindo em seco.
A mesma olhou para ele como " Vai ficar ai parado como um covarde?? " 

Alguns segundos se passaram e ele parecia estar pregado no chão, Natália resolveu tomar uma decisão por conta própria.

O que aconteceu a seguir foi rápido.

A mesma deu um chute no joelho do que estava tentando aterroriza-la, com a força do golpe, o mesmo caiu no chão, recebeu um chute na boca, que foi capaz de tirar sangue.

Seus olhos se tornaram frios como o de uma psicopata.
Ele, por sua vez, já tinha ido pra traz de dois, dando um mata leão.

- Manda a ver, Presidente! - Ele falou a ultima palavra sarcástico.
- Va se foder!- Ela falou, com raiva, mas no fundo agradeceu por ele estar a ajudando, mesmo que alguns já tinham fugido, ainda sobraram alguns.

- Costa com costa.- Ele falou, concentrado.
- O que?- Ela disse , intrigada.
- Você não teve infância, porra..- Ele a pegou pelo braço, sem força, e encostrou as costas dela nas suas. Os dois se arrepiaram.

- As vezes eu acho que você é bipolar.- Ela suspirou, enquanto batia a cabeça de um contra a parede.
- Você não faz ideia, Presidente.- Debochou e jogou três para longe.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

- Meu deus, já tamo muito atrasados pra educação fisica! Melhor nem ir, vamos tomar um esporro que puta que pariu.
- Pare de falar tanto palavrão! Pelo amor de deus..- Disse ela, brava.
Ele perdeu a paciencia.

- PORRA, EU ACABEI DE TE AJUDAR A BATER NAQUELES CARAS E NÃO SER ESTUPRADA E VOCÊ SÓ FICA " AI NÃO FALA PALAVRÃO" PUTA QUE PARIU!- Ele explodiu.  Fechou os olhos e tentou controlar a respiração, o que foi em vão, pois a mesma chegou perto dele logo e disse, olhando para o chão.

- Não quis te ofender, desculpe....- Ela levantou o olhar e deu um sorriso minimo, que durou cerca de 3 segundos.- Obrigada.


Notas Finais


Obs:
O cabelo dela era castanho claro?? Me desculpem ;-;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...