História You are my love? - Im Jaebum - Capítulo 39


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Personagens Originais, Youngjae, Yugyeom
Tags Brigas, Casamento, Comedia, Drama, Got7, Jaebum, Romance, Sexo, Universidade
Visualizações 39
Palavras 1.153
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


D E S C U L P A
A
D E M O R A
Eu fiquei internada e minha mãe não deixou nem eu pegar no celular.
Não desistam de mim.

Capítulo 39 - Você também era assim com aquela japonesa!


Fanfic / Fanfiction You are my love? - Im Jaebum - Capítulo 39 - Você também era assim com aquela japonesa!

Wang Ji Hae - ON 




Acordei com JB ainda dormindo, tentei soltar a mão dele do meu corpo sem acordar ele, mas quando sentei na cama, eu ouvi a voz dele, rouca e sonolenta.

- Aonde você vai mocinha? 

- Não queria te acordar, iria tomar banho - voltei a deitar perto dele, ficou passando a mão na minha coxa e mordendo de leve meu pescoço.

- Vou tomar banho junto com você.

Sorri, deitei totalmente na cama e o puxei para um beijo, ele retribuiu o beijo apertando minha cintura com uma mão e com a outra passava a mão no meu cabelo. 

- Então vamos tomar banho - sorri e dei um tapa na bunda dele. 

- Isso é agressão - ele passou a mão na própria bunda.

Revirei os olhos e levantei da cama, entrei no banheiro e tirei meu pijama, colocando na prateleira do banheiro. 

Fechei a porta do box e abri o chuveiro, deixando a água quente cair pelo meu corpo. Sorri ao sentir as mãos de Jae rodeando minha cintura beijando meu ombro. Virei de frente pra ele e joguei um pouco de água no seu cabelo, ele sorriu e me puxou colando nossos corpos. 

- Ainda bem que ninguém vai entrar aqui - Jae riu.

- Não tem nada pra ver aqui mesmo - dou de ombros.

Ele sorriu, passou a mão no meu cabelo e passou suas curtas unhas desde meu ombro, passando pelos meus seios, descendo até minha cintura. Tomamos banho apenas trocando carinhos, risadas e selinhos. Saí do banheiro com a toalha enrolada no corpo, Jae vestiu um roupão meu, antes de chegar no closet Jaebum me puxou tirando a toalha do meu corpo.

- Yah, o que pensa que está fazendo? - perguntei rindo. - Estou com frio.

Ele me beijou de novo, segurando minha cintura com força, passei meus braços em volta do pescoço dele e continuei o beijo, ele andou comigo sem parar de me beijar, até que eu senti um calafrio por estar encostada com as costas quentes na parede gelada.

- Ji Hae, nossos pais... Aigoo, desculpa! - quando nos viramos ele havia saído do quarto.

Dei risada e empurrei Jae, peguei minha toalha e sentei na cama passando a mesma no cabelo. Jae se sentou do outro lado e começou a se vestir, depois de vestidos e arrumados, descemos as escadas, indo para a cozinha de onde vinham vozes dos meus pais e do meu irmão.

- Bom dia, pombinhos - minha mãe sorriu. 

- Vocês parecem um metal e um imã, meu Deus, um acorda e o outro acorda, um come e o outro come, um toma banho e o outro toma também, um cozinha...

- Já entendemos Ji Ho, eles parecem com metal e imã - meu pai o interrompeu, fazendo todos rir. 

Sentamos na mesa e iniciamos um bom café da manhã em família. Uma cena que, particularmente, nunca pensei que fosse presenciar. 

- E quando vocês vão nos dar netos e sobrinhos? - Ji Ho disse antes de beber um gole de café. 

- Tentativas é o que não falta - Jae lançou no ar, sorri e voltei a comer. 

- Woah, e eu achando que minha irmã era inocente. 

- Ninguém com 22 anos é inocente, Ji Ho. 

- Isso é verdade - meu pai disse, fazendo minha mãe rir.

- Não é não, eu era inocente com 22 anos e continuo até hoje - ele disse calmamente, mas não demorou para todos na mesa, exceto ele, começarem a dar risada.

- Meu querido, você é tudo, menos inocente - minha mãe disse levantando da mesa.

- Eomeoni, dá uma moral aí. Aboji? - ele olhou para o meu pai. 

- Não me mete nisso não - meu pai respondeu fazendo eu e Jae rir mais.

Meu pai levantou da mesa e começou a ajudar minha mãe a tirar a arrumar as coisas, eu e Jae nos levantamos, nos oferecemos para lavar as coisas e eles recusaram, como sempre. 

- Vamos agora? - perguntei para Jae passando os braços envolta do seu pescoço o trazendo para mais perto, ele rodeou minha cintura com um braços e colou nossos corpos.

- Se você quiser ir agora, podemos ir - ele respondeu roçando nossos narizes, me fazendo sorrir.

- Quanta melação, que horror - Ji Ho revirou os olhos e seguiu para a sala.

- Você também era assim com aquela japonesa! - exclamei rindo.

- Isso não vem ao caso, agora! - ele gritou subindo as escadas.

Jae riu e deu um beijinho na ponta do meu nariz.

- Vamos ir a um encontro, hoje à noite? - ele segurou minhas mãos sorrindo.

- Estamos parecendo dois adolescentes, mas sim, vamos sair. - Sorrio e lhe dei um selinho, que ele retribuiu sorrindo. - Aonde vamos?

- Vamos ao cinema, talvez ir fazer compras... - ele sorriu.

Iniciou um beijo calmo com as mãos no meu rosto, sorri e retribui seu beijo, ele se afastou minimamente de mim e selou nossos lábios. 

- Como vocês são nojentos - Ji Ho exclamou com uma careta engraçada na cara, segurando o riso.

- Para de ser chato - peguei uma almofada próxima e joguei nele rindo. - Aliás, porque você não vai sair com a Akemi e me esquece? 

- Porque, ela não está na Coreia ainda. Senão eu estaria lá com ela, e não observando vocês trocando saliva. Nojentos.


[...]


Entramos no carro, Jae ligou o rádio e ligou o motor do carro, começou a tocar Ko Ko Bop do EXO, rimos e começamos a cantar, acompanhando a música.

Shimmie shimmie

Ko Ko Bop, I think I like it

Ginjangeunn down down

Bukkeuleol malgo

Jae sorriu e abaixou o volume da música, alternava o olhar entre o farol e meu rosto.

- O que foi? - fui pega de surpresa assim que ele me puxou contra seu corpo e me beijou, de um jeito afoito. Começamos a ouvir buzinas estridentes começaram a soar, Jae cessou o beijo e acelerou com o carro deixando o som de buzinas pra trás, sorri e arrumei meu cabelo. Voltamos para a casa sem trocar nenhuma palavra, mas ambos sorriam. Saí do carro assim que ele parou na garagem, peguei meu celular e fechei a porta, dei a volta e entrei em casa, deixando os sapatos do lado de fora, coloquei meu celular no balcão e abri a geladeira pegando uma garrafinha de leite de banana, furei a tampinha com o canudo e bebi o líquido quase que por inteiro. Jae sorriu e passou a mão no cabelo enquanto entrava em casa. 

- Que filme você vai querer assistir? - perguntei tirando o canudo da boca.

- Eu não sei quais filmes estão em cartaz, a gente vê quando chegar lá. 

Assenti e joguei a embalagem do leite no lixo. Me aproximei de Jaebum e o abracei forte.

- O que foi, princesa?

- Promete, nunca me deixar...? - olhei seu rosto, ele sorriu terno e sincero. 

- Eu prometo que não vou te deixar, por nada nesse mundo - beijou minha testa e me abraçou.


Notas Finais


É isso, obrigado pela atenção.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...