História You are my love - Imagine Park Jimin - BTS - Oneshot - Capítulo 1


Escrita por: ~

Exibições 577
Palavras 1.383
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá meu ser com mais um Hot :3
Espero que gostem <3
Esse hot também se encontra no: @sweet__chanyeol.
Apenas mudei o nome do Chanyeol para a do Jimin.
Se tiver o nome do Chanyeol no meio, me avisem :3

~Boa leitura e desculpem pelos erros

Capítulo 1 - Capítulo Único


Capítulo Único.

 

A sala estava um completo silêncio, cada aluno fazia sua lição, que eu tinha dito para fazer minutos atrás. Eu caminhava entre as mesas, afim de ver se os alunos estavam mesmo fazendo os deferes que foi ordenado.

Ao passar em todas as mesas, vou até a minha e me sento, e solto um suspiro cansado, como estávamos em reta final do bimestre, as coisas estavam muito corridas, não apenas para mim, para os outros professores também.

Eu mantinha os olhos cerrados, e com os músculos relaxados, mas acabo que por me despertar quando escuto um barulho vindo da sala silenciosa.

Levantei meu olhar e olhei para a classe diante á mim, mas não encontrei a origem do barulho. Quando ia dar de ombro, escutei novamente o mesmo barulho, e pude ver claramente de onde vinha.

A origem daquele barulho vinha do fundo, ou melhor, vinha da (S/n). A mesma tinha em mãos um pacote de bala. Suspirei ao ver que (S/n) quebrou umas das regras, peguei meu celular e lhe mandei uma mensagem.

Mensagem On

Jimin– Quebrando umas das regras? Você sabe muito bem como odeio quando comem algo na minha aula, principalmente bala, chiclete ou pirulito... Seu Daddy não lhe ensinou bem? Parece que não, assim que terei que te punir... Depois da escola, venha direto para minha casa.

 Mensagem Off

Vejo (S/n) arregalar os pequenos olhos, que logo foi direcionado para mim. Sorri de lado para a mesma, que apenas corou e abaixou a sua cabeça, voltando a fazer o exercício.

(...)

- Por que estava comendo bala na minha aula? – (S/n) estava em minha frente. Já estávamos em minha casa, no meu quarto. Eu me encontrado sentado na cama, e (S/n), estava em pé. A mesma olhava para baixo, evitando fazer contado visual. – Olhe para mim Baby. – De uma forma tímida, (S/n) levanta o seu rosto e olha em meus olhos. – Sente aqui no colo do Daddy. – Dou uma leve batidinha na minha coxa. (S/n) andou até a mim e se sentou no meu colo. – Você se esqueceu das regras? – A mesma me abraçou e escondeu seu rosto delicado na curvatura do meu pescoço. – Eu te perguntei se você se esqueceu das regras Baby... – (S/n) nega com a cabeça. – O Daddy gosta quando fala.

- N-não... – A mesma me respondeu logo em seguida, se afastando do meu pescoço e olhando para mim.

- Então por que estava comendo?

- E-eu tava com pouco de fome Daddy... me desculpe... – (S/n) passava a mão pela minha camisa social, desabotoando alguns botões.

- Então na ultima vez que você chupou pirulito, estava com fome também? – Pude ver suas bochechas ficarem vermelhas, ao ver isso, dou um sorriso malicioso. – Ultimamente, você tem chupado muito pirulito nas minhas aulas. Você gosta tanto assim desse doce? – Passei meu polegar em suas bochechas.

- S-sim Daddy... eu gosto de pirulitos... P-por que? – Me aproximei de seu rosto e depositei um beijo no seu maxilar.

- Que tal chupar algo melhor que um pirulito? – Sussurrei em seu ouvido enquanto eu pressionava sua intimidade contra o meu membro coberto pela calça preta. 

(S/n) saiu do meu colo e ficou de joelho entre as minhas pernas. Suas mãos pequenas massageava o meu membro ainda coberto, de uma forma calma e lenta. Enquanto (S/n) massageava meu membro, eu retirava a minha camisa social.

- Vamos logo Baby, não provoque o Daddy... – Segurei os seus cabelos de uma forma fraca, levando o seu rosto para mais perto do meu membro.

Desabotoei minha calça, e deixei cair junto com a cueca até o meu tornozelo. Com nada cobrindo meu membro, (S/n) o abocanhou. Seu movimento era calmo, vezes ou outra, (S/n) passava seus dentes de leve pelo meu falo. O pré-gozo se espalhava cada vez mais.

Segurei o seu cabelo, e comecei a estocar de leve a sua boca, com o tempo, a estocada ia ficando cada vez mais rápida.

- Chega! – Puxei sua cabeça para trás. – Agora se levante e tira suas roupas. – (S/n) se levantou e começou a tirar sua roupa de uma forma lenta e provocativa. Eu mordia os lábios enquanto me masturbava vendo a cena, que apenas eu poderia ver. (S/n) ao estar completamente nua, a peguei no braço e a joguei na cama. Me levantei e tirei a calça e os sapatos, logo voltei para cama e fiquei entre suas pernas. – Como você quebrou uma regra, terá que ser punida. – Segurei umas de suas pernas e dei um beijo na sua coxa externa, escutei um gemido baixo vindo dela. – Assim que, você terá que arcar com suas conseqüências.

Levei umas das minhas mãos e passei pela sua intimidade úmida. Pressionei o meu polegar no seu clitóris, ouso um gemido um poço mais alto, o que fez-me dar um sorriso grande.

Não demoro muito, e a penetro com um dedo, e logo, coloco o segundo. Os movimentos de inicio eram calmo, mas com o tempo, foi sendo mais rápido. Seus gemidos preenchiam o quarto. Meu membro latejava a cada gemido alto que (S/n) soltava. Acabo retirando ambos os dedos de seu interior.

Fico entre suas pernas, e pressiono a cabeça do meu membro em sua entrada.

- Jimi-Jiminnie... – Meu nome acaba saindo como um gemido. Mordo o meu lábios e a penetro de uma vez, e como resposta, (S/n) da um gemido sofrido alto.

Me curvei e comecei a beijar os seus lábios de uma forma necessitada, podendo assim, ajudar a aliviar a sua dor.

Depois de um tempo, começo a me movimentar. As estocadas eram calmas e precisas, (S/n) gemia e arranhava o meu braço, deixando alguns vergões.

- M-mais rápido Jimin... uhmm... – Sorri de lado ao ver o que eu consegui alcançar o meu objetivo: Vê-la implorar por mais. De alguma forma, era torturante para mim ir nesse ritmo, e não, fundo e forte, como eu sempre faço. – Jimin... deixa  eu sentar em v-você?... – Quer saber? Que se foda a punição.

Retirei o meu membro de (S/n) e me sentei na cama, a mesma se levantou e se posicionou no meu membro e em seguida sentou de uma vez. Fazendo eu gemer um pouco mais alto.

(S/n) descia e subia de uma forma rápida, eu podia sentir a sua parte sensível ser acertada varias vezes, fazendo ela gemer mais.

Segurei na sua nuca e aproximei o nossos lábios, dando inicio a outro beijo, os fios do meu cabelos eram puxando por (S/n), que gemia entre o beijo.

- Vai com calma (S/n). – Segurei na sua cintura, na tentativa de fazer-la ir mais devagar, mas logo minhas mãos são retirado as sua cintura. – Parece que alguém não quer ir com calma. – Pensei sorrindo pra mim mesmo.

- Ahh... Jimin! – Ao acertar novamente sua parte sensível, a mesma chega no seu ápice. Dando um gemido alto no final.

A mesma encostou sua cabeça no meu ombro e lá ficou por um tempo. Acabei não fazendo nada, já que ela acabou de ter o seu orgasmo, então séria obvio que ela estaria cansada.

- Ei (S/n). – Chamei pela mesma, que não me respondeu. – O seu Daddy está te chamado pequena. – Passei a mão no seu cabelo. (S/n) vira o rosto, percebo que a mesma dormia. – Céus, como alguém consegue dormir assim? – Sorri ao ver seu rosto calmo. – Parece que vou ter que me aliviar sozinho...

(...)

 

- Jiminnie? – Escutei a voz doce de (S/n), abri os meus olhos e direcionei meu olhar para a mesma, que estava dormindo ao meu lado. – Desculpa, acho que... acabei dormindo... – A mesma disse envergonhada.

- Não se desculpe pequena.

- Como eu coloquei a sua roupa? – (S/n) olhava para a roupa preta e grande que usava.

- Antes de dormir, eu te limpei e coloquei uma roupa. – Sorri pra mesma, dando um beijo no topo da sua cabeça.

- Falta tão pouco para eu me formar. – Sorriu e me abraçou

- Sim, falta pouco, assim que você se formar, iremos nos casar. – (S/n) me olhou surpresa.

- C-casar?

- Sim, você é a única mulher que eu amo. – Pude ver um sorriso em seus lábios, um sorriso de felicidade.

Não teria o por que de não á pedir em casamento, (S/n) tem 19 anos, e eu tenho 22, não á uma grande diferencia de idade, então, o que eu poderia temer?

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado >3<
Bye~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...