História You Are My Lucky! ( Imagine ChanYeol) - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Girls' Generation
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Kai, Lay, Tiffany, Xiumin
Tags Chanyeol, Lotto, Lucky One
Visualizações 364
Palavras 1.943
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desde já venho pedir que preparem os lenços, estão avisados ;)

OLAAAAAAAA COMO VCS ESTÃO??

Eu to bem feliz, sabe porque? A FIC CHEGOU A 411 FAVS AAAAAAAAAAAA EU NEM TO ACREDITANDO AINDA, SÓ TENHO A AGRADECER A CADA PESSOINHA QUE LÊ ESSA FIC DOIDA DE UMA AUTORA LOUCA AAAAAAAA AMO VCS <3

Enfim, vão ler logo esse cap que tá cheio de surpresas :D

Quero agradecer a minha irmanzinha que revisou o capitulo, TE AMO NENÉM <3

Boa leitura!!

Capítulo 33 - Madness


Fanfic / Fanfiction You Are My Lucky! ( Imagine ChanYeol) - Capítulo 33 - Madness

“Na minha frente, seus passos são mais escuros que os meus. Nos meus olhos, suas lágrimas

Choraram mais por mim do que por você. Quando meu coração estava desgastado

Você me apoiou, preenchendo-me de volta.”

 

 

 

 

É incrível como as coisas ocorrem em nossas vidas, as surpresas sempre são as que mais nos fazem repensar, mesmo tendo passado tanto tempo, olhar para Chanyeol ainda era doloroso, mas meu coração parecia querer saltar do peito. Seu rosto ainda era o mesmo do qual eu me recordava, os olhos ainda tinham o mesmo brilho de sempre, que agora continham um misto de confusão, para minha sorte ele não moveu um músculo, parecia tão perplexo quanto eu, mas ainda não alterava a minha vontade de sair correndo, contudo eu estava presa em seu olhar cheio de saudade, em um dado momento Chanyeol deu um passo para frente me causando espanto, mas ele parecia hesitar, será que ele estava com medo? Eu realmente não queria saber.

- Desculpe a demora, amor, parei para ajudar... – Sehun segurou meus braços e me virou pra ele, desviando meu olhar e finalmente me despertando. – O que aconteceu? Você está pálida e com as mãos frias. – Ele tocou meu rosto.

- Eu... Eu o vi. – Disse meio atordoada.

- Viu quem? – Sehun me chacoalhou e eu saí do transe outra vez.

- Chanyeol.

Voltei a olhar para a fonte, mas não havia nenhum sinal dele, olhei ao meu redor e nada.

- Ele estava ali, Sehun, olhando diretamente pra mim, eu tenho certeza.

Sehun me analisou com um semblante serio, ele parecia confuso.

- Fica calma ____, você tem certeza que era Chanyeol? Poderia ser alguém parecido com ele.

Respirei fundo, será que minha mente estava me traindo? Eu estava louca?

- Eu não sei, eu...

- Está tudo bem meu amor, eu estou aqui.

Sehun me abraçou, eu o apertei contra mim e senti ele beijar o topo da minha cabeça sussurrando que estava tudo bem repetidas vezes. Depois de um tempo eu finalmente me acalmei e pude pensar com clareza, eu já não tinha certeza se meus olhos estavam dizendo a verdade, mas se era Chanyeol ou não, do que isso me importa? Mesmo que fosse ele, nada mudaria, mesmo que meu coração fraco ouse me trair todas as vezes que meus olhos encontrarem os dele, nada mudará.

 

(...)

 

Depois daquele meu surto psicótico no parque, Sehun me trouxe pra casa, eu ainda estava meio atordoada, refletindo sobre a visão que tivera mais cedo, eu realmente estava ficando louca? De fato eu poderia estar, e talvez Sehun pensasse o mesmo de min.

- Bebe isso aqui, vai te acalmar.

Sehun me deu uma xícara que tinha uma espécie de chá que ele mesmo havia preparado, afinal Sehun já conhecia a cozinha de Kyungsoo como a palma da mão.

Ingeri um pouco da bebida que tinha um gosto doce, camomila, constatei. Tudo parecia estranho demais, eu estava em silêncio e Sehun também, ele estava lendo minhas expressões de novo.

- Está melhor? – Perguntou depois de um tempo.

- Sim, obrigada.

Outra longa pausa. Tomei todo o chá e quando Sehun percebeu isso, pegou a xícara e colocou em cima da mesa de centro que havia na sala.

- Você quer falar sobre que aconteceu hoje? – Ele segurou minhas mãos.

- Eu realmente não sei o que aconteceu, uma hora eu vi ele e depois não tinha nada. – Suspirei, estava parecendo uma louca falando com um psiquiatra.

- Você tem dormido bem ultimamente?

- Perfeitamente bem, Sehun, não há motivo algum para eu imaginar Chanyeol.

Foi a vez de Sehun suspirar, me senti um pouco culpada, o dia estava tão perfeito e acontece uma coisa dessas.

- Tudo bem, meu amor, vamos esquecer isso, certo?

Sehun me puxou para um abraço breve, não estava sendo fácil pra mim viver com medo da sombra de Chanyeol, mas imagina pra ele, ter que aturar uma garota paranoica como eu, vendo fantasma do ex namorado do nada, eu não quero feri-lo com essas coisas tão toscas.

- Me desculpa por estragar nosso dia, Hunnie.

- Não foi nada querida, temos um longo tempo pela frente, não se preocupe.

 

Algum tempo mais tarde, Kyungsoo e Baekhyun chegaram do parque, estavam bem animados por sinal.

- Ei, o que aconteceu com vocês dois? – Perguntou Kyung sentando-se no sofá.

- É que...

- _____ não estava muito bem então trouxe ela pra casa. – Disse Sehun antes de mim, evitando que eu falasse alguma besteira.

Meu irmão surgiu do nada, ele estava um pouco quieto demais, Baek caminhou lentamente até o sofá e sentou-se ao lado de Kyung, ele parecia um pouco cansado.

- Você está bem Baek? – Ele sorriu.

- Sim maninha.

- Ele parece um gordo sedentário, fui inventar de correr com ele mas não deu nem cinco minutos e ele já tava morrendo de cansado. – Kyung caçoou.

- Você corre muito rápido, Soo. - Defendeu-se.

- Você parece mais magro, Baek, tem se alimenta corretamente?

- Se você não tiver comendo direito eu vou te amarrar na cadeira e vou te dar comida. – Disse Kyung super protetor fazendo todos rirem.

Depois que Sehun  perguntou, eu comecei a notar, Baek trabalhava de segunda a sábado e as vezes almoçava no café, eu não estava com ele o tempo todo pra saber, realmente ele havia perdido muito peso esses dias.

- Tenho sim Hunnie, como você me recomendou, acho que deve ser só impressão de vocês.

- Se cuide, Baek, agora que você está trabalhando, tem que se alimentar. – Disse por fim.

- Não se preocupe , pequena, eu estou me cuidando direitinho. – Sorriu largo.

Passamos um tempo conversando, felizmente eu esqueci as coisas que aconteceram e foquei na conversa dos garotos. Depois de muito falarem de vídeo game, viram que já era noite e Sehun decidiu ir embora, amanhã teria que estar bem cedo na clínica. Ele aparentava estar bem, não estava chateado nem triste, o que deixou meu coração mais leve.

Naquela noite quando deitei em minha cama, desejei que não fosse Chanyeol no parque, será melhor para todos se não for verdade.

 

(...)

 

- Dois sucos de laranja e uma fatia de torta de morango.

Mais um dia fervoroso no café, as coisas estavam progredindo bem, Ji Hye estava no caixa e Jin estava atolado de coisas na cozinha, a única coisa que eu podia fazer era anotar os pedidos. Quando o movimento deu uma diminuída resolvi sentar em uma das cadeiras, suspeitei alto, meu corpo pedia por cama e olha que ainda faltava mais três horas de trabalho.

- Mana, você esqueceu de ligar para o fornecedor? O pedido só vai até hoje. – Levantei de supetão, Ji Hye havia acabado de salvar minha vida.

- Eu esqueci completamente disso.

Fui até meu pequeno escritório que ficava no fundo da cozinha, comecei a revisar uns papéis e ligar para alguns fornecedores, havia muitos boletos em aberto, acho que vou passar o dia todo amanhã só pagando conta, cuidar de um negócio próprio era realmente difícil.

Escuto duas batidas na porta.

- Entra. – Ji Hye colocou a cabeça na porta.

- Tem um casal lá fora querendo falar com você.

- Quem são? – Perguntei curiosa.

- Não conheço e também eles não disseram o nome.

Segui Ji Hye até o casal, assim que meus olhos avistaram aquelas duas pessoas a minha frente, eu achei que meus olhos tivessem me traído outra vez, os sorrisos estampados nos lábios alheios era uma prova de que aquilo não era um sonho.

- Vai ficar parada feito uma estátua ou vai vir aqui me dar um abraço.

- Tiffany.

Fui até minha velha amiga com lágrimas nos olhos e dei um abraço apertado e cheio de saudade.

- Que saudade desse abraço. – ficamos um tempo naquele abraço, tentando descontar toda a saudade, afinal, foram quatro anos.

 

Desfizemos o abraço e só depois de algum tempo eu percebi que Jongin também estava lá segurando uma criança nos braços.

- E quem é essa pequena?

Me aproximei de Jongin e deu um abraço meio desajeitado, a garotinha sorria e de um modo estranho ela tinha o sorriso de Tiffany e a pele bronzeada de Jongin, ela era uma mistura dos dois.

- Essa é Nana, nossa filhinha. – Respondeu Jongin simplista e meu queixo veio ao chão. – Nana, essa é sua titia também.

A pequena me olhou curiosa e pronunciou um “titi” muito fofo para em seguida estender seus bracinhos em um pedido mudo para que eu a pegasse nos braços, assim fiz.

- Você é tão fofa, Nana. – Olhei para Tiffany. – Vocês casaram?

Eles se entre olharam e sorriram.

- Mais ou menos. – Respondeu Jongin.

- Como assim?

- Moramos juntos, mas não somos casados no papel, afinal isso não importa muito, somos felizes com ou sem um pedaço de papel. – Tiffany realmente parecia feliz, enfim tudo havia dado certo para eles.

Como o movimento no café havia diminuído um pouco, convidei eles para sentarem em uma mesa mais reservada e comer alguma coisa, enquanto eu segurava Nana em meus braços.

Eu não acreditei quando Jongin disse que havia vendido o cassino e a casa de Tiffany para morar em Seul, não achava que isso iria acontecer, mas ficou claro que eles queriam recomeçar como uma família e em seu país de origem, deixando todo aquele passado triste para trás.

Conversa vai e conversa vem, acabei por ficar intrigada, como eles haviam me encontrado? Seul é grande suficiente e me encontrar seria ligeiramente difícil.

- Como vocês me acharam? Seul é um pouco grande.

Jongin arregalou os olhos e Tiffany desatou a falar.

- Chanyeol veio antes que nós e procurou por você, ele que nos enviou o endereço do seu café.

Jongin deu uma cotovelada em Tiffany que disse um “ai” nada discreto.

- Ele está aqui a muito tempo? – Perguntei totalmente atordoada.

- Mais de um mês, ele trabalha em um escritório de advocacia que por consciência é bem perto daqui, ele não veio te ver? Estranho. – Outra cotovelada de Jongin.

Meu coração acelerou do mesmo modo como havia acontecido ontem, então realmente no parque era Chanyeol me olhando ao longe, eu não estava louca e nem tão pouco imaginando coisas, era ele sim, eu estava tentando processar tantas informações, a volta dos meus velhos amigos, a volta do meu primeiro amor, tudo parecia caminhar para um local escuro e nublado, onde não se pode prever o que vai acontecer.

Jongin e Tiffany começaram uma pequena discursão, eu não estava prestando atenção na conversa, mas era algo como, “Chanyeol pediu para manter segredo”, minha mente parecia voar, eram muitas coisas a serem processadas de uma vez só e eu não estava dando conta, Chanyeol estava me seguindo todo esse tempo? Quais eram seus motivos? Eu simplesmente queria que ele sumisse, que todo o passado evaporasse de minha mente, mas infelizmente isso não era possível.

- Você não consegue fechar essa boca, Tiffany, olha o estado da _____. – Disse Jongin preocupado e totalmente furioso com sua amante, namorada, esposa ou seja lá o que eles fossem.

- Aii, eu e minha boca grande, me desculpe amiga.

- Está tudo bem. – Disse voltando aos meus sentidos.

- Maninha?

Ouve um silêncio sepulcral no local, minhas mãos gelaram, Tiffany e Jongin arregalaram os olhos ao ouvirem aquela voz, quando olhei para frente, Baekhyun estava lá, com uma expressão indecifrável em seu rosto, de repente uma maré de lembranças invadiram minha mente e tudo que ele fez com Tiffany e Jongin voltou a minha memória, ali eu realmente soube, que tudo podia piorar e que o futuro que eu imaginei esses anos, estava parcialmente arruinado.

 

 


Notas Finais


NÃO ATIREM PEDRAS EM MIM AAAAAAAAA

Será que o Baek vai surtar gente? ou será que ele vai cair duro? me digam ai hehehe

GENTE PRECISO DA AJUDA DE VCS!!!

Se por acaso vcs puderem indicar algum capista, por favor ME AJUDEM ;(((

Até semana que vem :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...