História You are not of this World - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Exibições 15
Palavras 2.388
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


E aí, galerinha! I comeback! Desculpe a demora em postar. Deem muito amor a fic! Leiam as notas finais. Beijinhos!!!

Capítulo 4 - The First time. Descovering you


Fanfic / Fanfiction You are not of this World - Capítulo 4 - The First time. Descovering you

Estamos arrumando a casa toda. O pai do Tae virá hoje passar o final de semana com ele. O Sr. Kim trabalha em algum departamento de pesquisa em Osan, Base Aérea da Coreia do Sul. Deve ser um cargo importante já que é difícil ele sair de lá pra ver a família. Os irmãozinhos do Tae já chegaram e tá meio difícil de conseguir arrumar a casa, já que eles são uns pestinhas.

- Ai, seus pestinhas! Vocês vão ver só quando o appa chegar! - Tae gritava pela casa.

- Taehyung, não deixe eles caírem. - a mãe do Tae gritava da cozinha. Ela tava lá com o Jin hyung, ajudando-o a cozinhar. Por um milagre do divino, Milah ainda não tinha acordado. Tava tarde, então fui até nosso quarto pra acordá-la.

Antes de acordá-la, fiquei alguns segundos admirando-a. Tão linda.

- Faz carinho em mim? - ela perguntou do nada, me deixando sem graça. - Jungkook não gosta de mim? Por isso não me faz carinho?

- Milah. - me aproximei dela na cama. Acariciei seu rosto bem de leve. Ela me encarava. Seu olhar não desviava do meu. Sua mão subiu até meu peito e o acariciou por dentro da camiseta, como de costume. Mas algo foi diferente desta vez.

- Jungkook. - ela disse baixinho. Um gemido. Muito gostoso. Quero ouvir mais. Me aproximei mais dela. Coloquei meu rosto da curva de seu pescoço. Senti seu cheiro. Que cheiro! Não evitei deixar um beijinho de leve ali. E ela me chamou de novo, mais alto.

- Jungkook!

- Milah! - chamei por ela. Sua respiração ficou mais pesada. Talvez ela não soubesse, mas eu tinha certeza de que ela estava excitada. Controle-se. Controle-se. - Levante-se. Já está tarde. - falei, desviando o olhar e me levantando.

 

Milah Pov’s On

Não sei descrever o que acabara de sentir. Senti uma vontade imensa de gritar o nome dele. Não sei porquê mas meu sexo palpitava. Senti o músculo distender. Nossa! Que sensação estranha, mas, ao mesmo tempo, gostosa. Parecia que ela estava se abrindo. Eu queria algo ali dentro. Só não sei dizer o quê. Só tinha a certeza de que tinha que ser dele. Só dele. Senti seus lábios tocarem a pele de meu pescoço. Eu podia explodir nesse momento. Algo estava úmido no meio das minhas pernas. Eu precisava dele de alguma maneira. Não pude evitar.

- Jungkook! - falei alto, mas na minha cabeça eu gritava a plenos pulmões.

- Milah! - ele disse no meu ouvido. Por Nikith, ouvi-lo dizer meu nome naquele tom me fez implorar por mais. Não sei dizer o quê, mas seja o quê for eu quero mais! - Levante-se. Já está tarde. - ele disse, se levantando.

- Eu quero você. - falei, sem pensar muito no que podia significar pra ele.

- Não fala assim, Milah. Por favor, não fala assim!

- Ofendi você? - fiquei preocupada. Isso que dá não pensar nas coisas que fala. Acho que ele ficou chateado.

- Milah… eu… não é isso, ok?

- Ok. - falei desanimada.

- Não faz essa carinha! - ele se aproximou de mim. Deitou ao meu lado na cama. Acariciou meu rosto novamente. Eu não conseguia parar de me mexer. Nos encaramos por alguns segundos. Ele aproximou sua boca da minha. Senti seus lábios úmidos e macios nos meus. Só tocou-os de leve. A sensação gostosa voltou. Seus lábios estavam geladinhos. Ele ficou um bom tempo assim, tocando meus lábios com os dele. Senti sua língua invadir minha boca. Recusei instantaneamente.

- Relaxa. Tá tudo bem. - ele disse, com a voz rouca. E voltou a tentar. - Repete o que eu fizer, ok?

- Tá. - Senti sua língua novamente em minha boca. Ele começou a movê-la lentamente. Comecei a imitar os movimentos. Eu já tinha beijado antes, mas lá não é assim. Ah, é tão bom! Involuntariamente, agarrei seus cabelos. Algo estava me alucinando. Ficamos assim, movendo nossas bocas uma contra a outra. Um gemido alto saiu da minha quando senti seus dedos em meu sexo. Ele me destapou. Eu estava seminua. Ele ficou deslizando as mãos pelo corpo lentamente enquanto lambia os lábios.

Ah, aquela sensação de querer algo dele dentro de mim voltou. Minha intimidade estava clamando por isso. E ele me ouviu. Um de seus dedos entrou em minha intimidade. Mais um gemido.

- Jungkook! - um movimento de entra e sai iniciou. Tão delicioso! - Ahh… ahh! - ele me beijou novamente. Com mais voracidade do que antes. Me sentou em seu colo.

- Milah! M-milah! - sua voz saiu arrastada. Sua boca desceu pro meu pescoço e logo pros meus seios. Ele abocanhou um deles. Meus seios não são grandes, então tive a sensação de que ele podia engoli-los. Senti sua língua na ponta, fazendo círculos. Não sabia o que estava fazendo, mas, com certeza, não queria que parasse. Agarrei seus cabelos com força.

- Jungkook! - disse em seu ouvido. Ele moveu seu quadril forte contra o meu, me fazendo pular quando ouviu.

- Milah? - ele falou, parando. Fiquei brava com isso.

- Hum?

- Eu vou ter que fazer uma coisa. Mas pode doer um pouquinho. - ele disse me encarando nos olhos.

- Eu confio em você. - ele sorriu e me deu um beijinho rápido. Se levantou e foi até a porta do quarto. Não vi direito, mas acho que ele girou a chave. Voltou pra cama e começamos tudo de novo. Ele chupava meus seios com vontade. Não tinha notado antes, mas percebi um volume em suas calças. De alguma maneira isso me deixou inquieta, e mais eufórica. Ele percebeu.

Cuidadosamente me colocou deitada na cama de frente pra ele. Abriu minhas pernas e se pôs no meio. Tirou o objeto que segurava suas calças. Abriu os botões. Isso me fez lembrar da cena dos homens na cela em que eu estava presa. Meus olhos lacrimejaram. Ele ia me machucar? Levantei as pressas, sentando na cama e fechando as pernas num reflexo.

- Jungkook? - ele tinha prometido. Virei o rosto.

- Ei, olha pra mim. - ele me fez olhar pra ele. - Só vou fazer se tiver seu consentimento, ok? Eu não vou te machucar. Nós fazemos isso aqui. Mas alguns homens são maus e fazem sem a devida autorização. Foi o que eles fizeram com você. Eu prometi que não te machucaria e não vou. Tá bem? - ele disse me enchendo de beijos.

– Mas você disse que ia doer!

- Porque é sua primeira vez. Vai ser prazeroso. Eu vou fazer ser. Você vai pedir mais, eu prometo. Confia em mim? Vem cá, vem!

Milah Pov’s Off

 

Ela tava indecisa. A coloquei novamente na posição que queria.

- Eu não vou te machucar. - repeti, tentando tirar a tensão dela. - Relaxa. Só se você quiser. - Voltei a beijá-la. Que boca maravilhosa. Tirei suas roupas por completo. Seu corpo era douradinho e com desenhos vermelhos por toda sua extensão. Fiquei admirando ele por um bom tempo. Cada linha, cada curva. Eu tava babando. De novo. Massageei seus seios rudemente. Eu tava começando a perder o controle. Mas não podia. Não na primeira vez dela.

Ela entreabriu sua boca, deixando suspiros escaparem. Mas eles logo viraram gemidos, quando ataquei um de seus seios sem piedade. Delícia! Chupei, mordi, chupei de novo. Uau, eu tava alucinado. Ela agarrava meus cabelos com força. Desci mais. Pra sua barriga, depois suas coxas, entre as coxas, até chegar no prêmio. Suguei sua intimidade sem pudor. Era lindo vê-la agarrando os lençóis. E gemendo alto. Ela tava pronta. Abri suas pernas lentamente. Não queria que ela perdesse o clima. Acho que fiz um bom trabalho, já que ela estava perdida em prazer. Não, não estou me exibindo. Tá, talvez um pouquinho! Tirei minha cueca junto com a calça e soltei meu garoto. Livre! Ele tava quase estourando na cueca.

- Ei, olha pra mim! - a chamei. - Não quero que desvie o olhar, tá bem?

- Uhum. - ela disse fechando os olhos.

- Não, Milah. É sério. Olha pra mim. - nos encaramos. Me ajeitei no meio de suas pernas. - Quando disser ok, tá?

- Jungkook…

- Só pensa rápido, porque eu tô quase explodindo. Por favor!

- Ok. - a resposta me fez pular por dentro. Comecei bem devagar. Ela cravou as unhas nos meus braços. Não desviou o olhar. Empurrei mais um pouquinho. Ela arqueou a coluna, ainda me arranhando. Tive que segurar uma de suas pernas, pois seu primeiro reflexo foi fechá-las. Empurrei mais…

- Pára, por favor… - ela disse com a voz falha. Comecei a enchê-la de carinhos.

- Tá quase lá, amor! Você vai gostar depois.

- T-tem mais? - sorri com sua inocência.

- Tem. - respondi, rindo. - No ok, tá?

- Ok. - empurrei tudo de uma vez. Achei que ela ia gritar, como já aconteceu com outras meninas, mas ela me mordeu e gemeu depois. Não me importei nenhum pouquinho. Pode me morder à vontade, delicinha. - Ahh! Ahh, Jungkook!

Entrei e saí. Entrei e saí. Incontáveis vezes. Gemíamos juntos. Eu perdi completamente a sanidade. Se é que eu tinha alguma quando iniciei isso.

- M-mais rápido! - ela pediu.

- N-não agora. Eu não posso perder o c-controle…

- E-eu quero! - ela insistiu.

- Tá, mas eu não me responsabilizo pelo que vier depois! - ela deu um gritinho quando a virei de bumbum pra cima. E que bumbum, hein! Não resisti e deixei um chupãozinho ali. Só um! Penetrei fundo e aos poucos fui aumentando a velocidade. Ela pediu mais rápido!

- Jungkook! Ahh… - eu tava enlouquecido. Aumentei mais a velocidade. - Ahh, ahh…

- JUNGKOOK-AH!!! - não era bem a pessoa que eu queria que gritasse meu nome. Parei instantaneamente. Milah me fez abraçá-la por trás, ainda sem fôlego. Apertei seus seios e ela me chamou.

- Jungkookie! - então comecei de novo.

- JUNGKOOK-AH!!! - eu vou matar o filho da puta do Taehyung.

- É o Tae? - Milah perguntou. - Acho melhor você ir…

- Não. Não é nada, ele é louco assim mesmo. Não dá bola. - falei beijando-a.

- Jungkook-ah, a noona Bora tá aí! - Taehyung falou na porta. O quê essa vadia tá fazendo aqui? Milah ficou imóvel. Caí ao seu lado na cama. Que filha da putagem! Tava tão bom. Bom demais pra ser verdade!

- Quem é? Pela forma que o Tae falou é uma fêmea. - fiquei quieto. Não sabia o que dizer. Levantei da cama e fui tomar um banho.

- Você vem? - perguntei pra ela. Milah parecia perdida em pensamentos.

- Aonde? - ela perguntou, confusa.

- Você tem que tomar banho depois de transar. - falei, me matando de rir por dentro. Ela é tão fofa, cara!

Fomos pro banho e este foi um pouco mais demorado do que de costume. Qual é, não deu pra resistir! Me vesti primeiro que ela e desci. Bora tava na sala com os irmãozinhos do Tae. Tava na cara que ela queria matar eles, mas estava lá, fingindo adorar a bagunça.

- Jungkookie! - para de me chamar assim, inferno! - Que saudades. - Tae me olhou com cara de ‘’xii, se fudeu!’’. Bora e Hyori estavam na nossa sala.

- Oi, noona. - falei colocando na cara o meu melhor sorriso forçado. Queria fazê-la sofrer por ter atrapalhado o melhor momento da minha vida. Qual é, não é todo dia que você transa com um alienígena e pede mais!

- Tomou banho. Olha! Só pra me ver? Por isso demorou? - ela sorria maliciosamente e mordia os lábios, me provocando. Admito que me arrepiei um pouquinho. Eu ainda tava sensível, já que não pude ir até o fim na cama, só no chuveiro. O clima não era o mesmo.

Logo seu sorriso meio que murchou. Quando vi, Milah descia as escadas. Que cretina! Ela descia graciosamente. Usava um vestido… bom, não era bem um vestido e sim alguns paninhos em volta do seu corpo maravilhoso. Seus seios estavam bem expostos, me dando água na boca. Na verdade, acho que eu não era o único babando.

- Quem é essa? - Bora perguntou, com desdém.

- Essa é Milah. Nossa… nossa… nova colega de trabalho. - Jin hyung falou. Nem ele parecia convencido do que disse.

- E por que ela tá vestida assim, Jin-sshi? - Hyorin perguntou, analisando Milah de cima a baixo.

- E-ela é… indígena! Ela tem alguns costumes diferentes dos nossos. É da Austrália. - na moral, eu queria bater a cabeça dele na parede.

- Ai, que legal! - ela disse, toda animada. - Hello! My name’s Hyorin. Nice to meet you! - ela falou, em inglês. É, na Austrália eles também falam inglês. Ferrou!

- Nice to meet you, too. I’m Milah. - Milah respondeu, nos deixando de boca aberta. - Mas pode falar coreano comigo. Acho que pode ficar mais confortável.

- Ai, meu Deus! Ela fala coreano como se fosse daqui. Que genial! - Hyorin tava animadíssima com a Milah. Não se podia dizer o mesmo de Bora.

- Você é estranha. - ela disse.

- Por quê? - Milah parecia surpresa.

- O que são todas essas tatuagens?

- É o meu D… - corri e tampei sua boca. Não ia pegar legal ela dizer pro SISTAR que ela tinha DNA externo. Prometemos protegê-la e isso inclui bullying também.

- É da cultura da sua tribo. Eles tem o costume de… de… de pintar o corpo pra diferenciar certos membros do resto da tribo. - Milah abraçou minha cintura.

- Como sabia disso? - ela perguntou. Eu não sabia de nada! Falei a primeira coisa que veio na minha cabeça. A olhei confuso. Ela sorriu. Ficou um silêncio constrangedor no ar. Bora não parava de fuzilar Milah. Aí, como sempre, Taehyung resolve gritar dando um cagaço em todo mundo!

- APPA!!! - seu pai acabara de chegar. Ele e seus irmãozinhos foram correndo para cercá-lo. Milah deu um grito, me deixando em alerta. Ela paralisou geral, apontando pro pai do Tae. Ela se colocou atrás de mim, apavorada. O grito de Milah voltou toda a atenção de todos pra ela. Inclusive a do Sr. Kim.


Notas Finais


Galera, só pra constar ''Nikith'' é o deus dos ca'litenos. Irei explicar um pouco mais sobre a cultura nos próximos capítulos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...