História You Are Not You - Newtmas Fic - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dylan O'Brien, Jack O'Connell, Katherine McNamara, Kaya Scodelario, Rosa Salazar, Skins, The Maze Runner, Thomas Sangster
Personagens Alby, Aris, Ben, Brenda, Gally, Harriet, James Cook, Jonah Jeremiah "JJ" Jones, Minho, Newt, Pandora Moon, Sonya, Teresa, Thomas
Tags Bottom, Dylan O'brien, Effy, Europa, Kaya Scodelario, Ki Hong Lee, Lemon, Londres, Maze Runner, Newt, Newtmas, Otp, Paris, Skins, Thomas, Thomas Brodie-sangster, Tommy, Top
Exibições 61
Palavras 1.548
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


B o a L e i t u r a!
LadyNewt!

Capítulo 35 - Andar ou correr?


Fanfic / Fanfiction You Are Not You - Newtmas Fic - Capítulo 35 - Andar ou correr?

 

Thomas retirou seu corpo exausto de cima de Newt, desabando ao lado do namorado. Enroscou seus braços em volta do corpo do loirinho, puxando-o até seu peito. Sangster repousou a cabeça ali, ganhando um cafuné gostoso. Ficaram aproximadamente 15 minutos no silênico, tendo apenas o som a respiração de ambos voltando ao normal após mais um sexo perfeito.

- Vamos! – Newt deu um espasmo da cama, buscando or suas roupas pelo chão.

- Nossa, que pressa! Aconteceu alguma coisa? – O’Brien sentou, analisando o garoto.

- É sábado! Estamos na minha cidade. Quero mostrar as coisas pra você. Temos muito para ver. Mas antes temos que pegar sua irmã e os meninos em casa. – advertiu.

- Tem certeza que quer voltar pra la depois do que aconteceu? – Thomas deu com a língua nos dentes, dando um tapa na sua própria cabeça como punição por ter uma língua maior que a boca.

Newt terminou de calçar o tênis, encarando-o – O que aconteceu ontem?

Tommy riu envergonhado – Você sabe... Depois que você saiu do quarto... – sibilou.

- Não, eu não sei – o loiro foi enfático na sua resposta.

- Sua discussão com seu pai. Você avançou em cima dele, peitando-o. Disse pra ele que eu era especial, então Janson te chamou de demônio e você gritou bem bravo algo como “O GAY ESTÁ SAINDOOO!”.

- Sério que eu fiz isso? – o loiro questionou.

- Sério que não se lembra? – o moreno devolveu.

- Não. Não me lembro de nada disso. Lembro apenas de ter descido a escada e ido direto pra rua.

Era um blackout. As crises de Newt tinham voltado. Thomas permaneceu sentado, confuso. Ele não estava louco. Ele viu de fato o namorado discutindo com o pai na noite anterior. Uma discussão nada amigável e o fato de Newt não lembrar do ocorrido deixou o garoto preocupado.

- Vai mesmo ficar ai peladinho me encarando ou prefere um boquete no London Eye, uma punhetinha na fila do Buckingham Palace, ou perder Londres para me comer de novo nessa cama até ficar cansado demais pra respirar? – Sangster destilou.

- To indo, seu tarado! – Toms correu se trocar para finalmente curtir a cidade. Ao final, lançou para Newt – To pronto. Mas vou querer mais tarde tudo que me disse agora a pouco, ta? – falou dando um carinhoso beijo nele.

Da marina Gallions direto para a mansão de Janson e Gwen. Encontraram os amigos entediados no jardim, fingindo interesse na aula sobre história e cultura britânica que o matriarca insistiu em dar.

- Graças a Deus vocês voltaram! – Aris suspirou louvando a Deus, já incapaz de ouvir mais uma palavra brotar da boca do pai do amigo.

Janson lançou um olhar fulminante para Newt, pedindo que ele o acompanhasse até o escritório. Thomas notou a tensão entre os dois e antes do loiro sair, sussurrou no ouvido dele:

- Mantenha a calma. Vamos curtir a cidade hoje, tá? Nada vai estragar isso que temos e lembre-se: eu te amo – piscou, indo de encontro aos Wallflowers.

- O que você quer? – Newt perguntou sem paciência ao entrar no escritório do pai.

- Tranque a porta Newton, por favor – pediu sério.

Newt podia ter encolhido o corpo, como sempre fazia, mas apenas bateu a imponente porta de madeira escura, girando no calcanhar, sorrindo ao velho.

- Eu poderia te pedir desculpas por ontem, por ter me excedido um pouco, mas... Não vou não. Eu quero Thomas fora dessa casa ainda hoje.

- O QUE? – Newt não acreditou naquelas palavras.

- Fora. Rua. Longe daqui. Quer que eu desenhe? – perguntou zombando – Você e seus amigos podem ficar, mas este garoto não.

- Okay. – o loiro devolveu fácil demais a resposta ao pai.

- Okay? Simplesmente... Okay? Não vai nem dar uma de machão como fez ontem?

- Não! – Newt sorriu desfilando seu corpo pelo escritório, checando alguns livros – A casa é sua. Você tem razão. Desculpe trazer um gay aqui pra dentro e te ofender. – justificou.

- Muito bem então, Newton. Peça que ele retire suas coisas daqui o mais rápido possível – ordenou.

- Como o senhor quiser.

Newt abriu a porta e saiu, seguindo diretamente para seu quarto. Tommy e os amigos notaram a movimentação. O loiro socou todas as coisas de Thomas de volta na mala, jogando ela escada abaixo. Os olhares congelaram. Não demorou muito e outra mala despencou pelos degraus.

- Hey, essa é a minha mala! – Aris protestou.

Mais uma bagagem cheia de florzinhas escorregou até a porta minutos depois.

- O que minha mala faz aqui? – Pandora arregalou os olhos, chocada.

E depois veio outra. E mais outra. E mais outra. Até que sete malas passaram a configurar a nova decoração do corredor.

- Estão todos de saída! – Newt desceu cantando feliz, encarando os amigos. Janson encontrava-se parado na porta do escritório observando a cena – Desculpem, mas meu pai não quer mais ninguém aqui.

- Newton... – Janson chamou sua atenção, bravo com o que o filho estava fazendo.

- O que? Só estou dizendo a verdade. Não espera! – ele sorriu ao pai, deixando todos curiosos – Na verdade pessoal, ele só não quer o Thomas aqui, porque o Thomas é gay, como eu.

- Chega com isso, filho, por favor – Janson pediu, tentando parecer educado.

- Ah, vai a merda! – Sangster mandou irritado.

- Olha como fala comigo, mocinho! – o pai aumentou o tom de voz, cruzando o espaço existente entre eles – Achei que a nossa conversa estivesse resolvida.

- E está! Olhe a sua volta, Janson! Todos vão embora, como me pediu agora a pouco. Vamos combinar: não dá pra mandar o Thomas embora, sem mandar esses babacas junto! Mas não se preocupe papai. – bateu o dedo em riste no peito de Janson - Eu me incluo nos babacas.

- Eu não quero que saia, Newton! – Janson segurou o pulso do filho.

- Desculpe te desapontar, mas estou de saída com o meu namorado e os nossos amigos. Vamos logo, galera, cada um catando a sua mala!!! – Newt impôs aos colegas absortos captando a cena.

Thomas foi o primeiro a pegar a bagagem. Cook fez o mesmo, encarando o tio com rancor. Aris seguiu os amigos, entregando o restante para JJ, Gally e Panda.

- Obrigado pela hospitalidade, Sr. Sangster – JJ agradeceu assim que cruzou com o homem. Pareceu mais uma provocação do que propriamente um agradecimento.

- Newton Sangster, se sair por essa porta eu corto seu cartão de crédito, sua mesada e seu intercâmbio na França. Diga Adeus a sua vidinha feliz em São Francisco. Você volta pra Londres em 3 segundos! – ameaçou.

- Tudo isso por que sou gay? – Newt questionou esquivando-se dos braços de Thomas que tentavam segurá-lo.

- SIM! – o pai gritou.

- Tudo bem. Eu convivo com isso. Mas aproveita e faz o mesmo com Sammy, porque ele é gay também papai, aparentemente você nem sabe fazer filhos “normais”. Beijinhos! Tchau Gwen – Newt zombou, batendo com força a porta de casa.

- Andar ou correr? – Panda perguntou aos meninos.

- E você ainda pergunta? Correr! – Cook anunciou, sendo o primeiro a sair em disparada para longe daquela casa.

- Eu não acredito que fez isso! – Thomas murmurou para seu loirinho enquanto corriam com as bagagens.

- Vá se acostumando. Essa é a minha vida – Sangster sorriu maduro até demais para o que tinha acabado de acontecer lá dentro.

No caminho, antes que o pai cortasse sua grana, Newt parou num caixa eletrônico e sacou tudo que conseguiu para sobreviver por um tempo até a poeira baixar. Ele tinha certeza que seu velho estava blefando.

- Nós temos algumas opções... – JJ murmurou checando seu guia de viagem – Podemos poupar nossa grana e ir para um hostel perto do Piccadilly Circus, voltar para a França ou...

- Ou curtir essa cidade do caralho, apertar o foda-se para meu tio, deixar nossas bagagem na casa de alguém e viver como se não houvesse amanhã! – Cook sugeriu empolgado.

- Acho que é uma boa idéia! – Thomas O’Brien foi o primeiro a sorrir com a ideia maluca de James.

- O QUE? – Newt, Pandora, Gally e Aris questionaram ao mesmo tempo, exceto JJ. JJ sorriu de uma maneira estranha, apoiando Thomas e Cook na loucura.

- Você tá falando sério, Tommy? – Newt questionou duvidoso. Empolgado, mas duvidoso, afinal, aquele não era o perfil de Toms.

- Nunca falei tão sério na minha vida, Newtie. Vamos aproveitar. Topam? – lançou convicto de que aquilo era o melhor a fazer.

Os jovens trocaram olhares cheios de malícia, fechando o acordo. Largaram as malas dentro do veleiro na marina Gallions, prontos para encarar o primeiro destino do dia: London Eye.

- O que faremos quando voltar para a França? Será que seu pai falou a verdade? Será que ele vai cortar sua grana e te levar pra longe de mim? Como vamos fazer para dormir? Onde vamos comer? Que horas voltamos para Paris? Onde tem um banheiro para usar? Vamos socar esse povo onde para tomar banho? Será que nós dois...

- Tommy? – Newt cortou o namorado, gargalhando.

- Que foi, loirinho? – ele respondeu inocente.

- Gostei do Thomas destemido e seguro de minutos atrás quando decidiu o que todos deviam fazer. Relaxe, vamos curtir o presente, mais tarde a gente pensa no que vai fazer – Sangster disse calmo, beijando o moreno. 


Notas Finais


Será que o Janson cumpre com sua ameaça?
hmmm....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...