História You became a baby? - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Bakugo Katsuki, Midoriya Izuku
Tags Baby, Bakugou, Criança, Deku, Festa, Heroi, Kacchan, Yaoi
Visualizações 195
Palavras 911
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Fantasia, Fluffy, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello!

AHHHHHHH 58 FAVORITOOOOOOS! VOCÊS SÃO D+++!!!!
Quando chegarmos a 100 favoritos eu vou fazer um especial que tenho certeza que muitos de vocês irão gostar. Não vou falar sobre o que vai ser, se não estraga a surpresa.

Me desculpem, eu sei que eu demorei (tipo, muito)! Mas é por que as coisas estão meio (muito) corridas aqui. Mas prometo atualizar sempre que der.

Desculpem pelo tamanho do capitulo, o único tempo livre que tive para escrever foi agora. Espero que gostem!
Desculpem os erros.

Boa leitura.

Capítulo 3 - Three - Desabafo


|Katsuki Bakugou|

Já fazia um tempo que Uraraka falava, falava e falava. E eu sinceramente, já estava com vontade de desligar o celular.

― Uraraka, será que você poderia calar a boca? ― Falei já irritado.

― Mas eu...

― Eu só pedi para você me falar as coisas mais importantes que eu devia fazer. Não ditar um livro inteiro sobre como preparar um mingau! ― Reclamei.

― Mas eu aposto que você não sabe preparar um! ― Retrucou.

Revirei os olhos e desliguei o celular.

Desviei o olhar do aparelho em minhas mãos, e voltei o olhar para o esverdeado em tamanho mini que estava sentado em minha cama. Suspirei pesadamente, antes de me deitar ao lado do pequeno.

― Sabe... Eu não sei se você se lembra do quanto eu sempre te tratei mal. Aposto que você nunca soube o motivo. Na verdade, nem eu sei o motivo. Só... Era assim. ― Comecei a falar enquanto encarava o teto.

― Kacchan... ― Deku falou e eu virei o rosto, encarando seus olhos verdes.

― Na verdade, eu tenho minhas suspeitas. Talvez fosse por que eu sempre tive inveja de você. Inveja de saber que você sempre consegue ser melhor, inveja de saber que mesmo quando você não consegue você sempre continua tentando.  Inveja de saber que eu nunca vou ser igual a você. ― Desabafei. ― Eu sei que eu não tenho motivos para isso, eu sempre fui o melhor, e todos sempre me respeitaram... Mas, você sempre consegue fazer amizades enquanto eu apenas afasto as pessoas. ― Falei já com algumas lagrimas no canto de meus olhos.

Deku, ao perceber que eu estava quase chorando, abriu logo o berreiro, seus olhos se encheram de lagrimas, e não demorou muito para que ele começasse a fazer barulho. Sequei rapidamente meus olhos e comecei a balançar o garoto.

Como se isso fosse ajudar em alguma coisa, idiota! Pensei comigo mesmo, desistindo da idéia de ficar balançando o garoto.

― E-Ei Deku! Não precisa chorar! Olha, para! Os vizinhos vão pensar que eu to querendo te estrangular, garoto! ― Falei parando na frente dele, mas o mesmo continuou chorando.

[...]

De verdade! Eu acho que eu nunca passei tanto mico na minha vida! Ainda bem, que não tinha ninguém aqui em casa (além do Deku). Midoriya só parou de chorar quando eu comecei a fazer careta.

― Eu ainda não estou acreditando no que você me fez fazer! ― Comentei retirando o nariz de palhaço, a qual eu havia colocado.

O esverdeado apenas gargalhou.

― Vem, você deve está com fome. ― Peguei o pequeno nos braços e fui para a cozinha. ― Droga, eu vou ter que concordar com a Uraraka, eu não sei nem por onde é que eu começo. ― Pensei comigo mesmo olhando para a mesa vazia.

― Kaccha, fo...me. ― Deku falou e eu suspirei.

― Já sei! ― Falei e peguei o celular do bolso da calça.

Não demorou muito até que carregasse a minha pesquisa.

O que a internet não te ensina, não é mesmo?

Em pouco tempo, o mingau do mini Deku estava pronto.

Eu sou um gênio!

[...]

| All Might |

Eu não consigo entender como o jovem Midoriya conseguiu encolher. Até hoje isso é algo praticamente impossível!

― Pela visto, também não conseguiu pensar em nada lógico para a situação do Midoriya não é mesmo? ― O diretor perguntou entrando na sala onde eu estava.

― Sim. E você? Conseguiu pensar em algo? ― Perguntei encarando o diretor que havia se sentado a minha frente.

― Estou na mesma situação que você. ― Comentou. Suspirei. ― Chá?

― Não obrigado.

Escutamos batidas na porta e logo os alunos do 1-A apareceram.

― Er... Podemos entrar? ― Todoroki pediu.

― Claro entrem. ― O diretor falou e logo todos entraram na sala.

―Viemos conversar com vocês sobre o Midoriya, pensamos que talvez todos nós pensando seja melhor. ― Momo falou e eu concordei com a cabeça.

― Sim, é verdade. Sentem-se. ― Falei e logo todos se sentaram nas cadeiras vagas ao redor da mesa.

― Estavamos pensando que isso talvez possa ser obra de alguma bebida que ele ingeriu na festa. Algo que fez com que esse efeito ocorresse, gero. ― Asui falou e eu comecei a pensar no assunto.

Realmente fazia todo o sentido.

― Hm... É uma ótima hipótese. ― O diretor concordou. ― Podemos dividir vocês em times, e fazer com que cada time fique responsável por alguma parte da pesquisa.

― Iguais detetives! ― Mina exclamou animada.

― Então se dividam em dois times. Um time pode ficar responsável por descobrir quais foram as bebidas que o Midoriya bebeu, e um outro time descobre se tem alguma intervenção de um vilão. ― Sugeri e eles concordaram e logo se separando em duas equipes.

― Podíamos começar amanhã. ― Todoroki sugeriu.

― Amanhã eu estou na escala para cuidar do Deku. ― Momo falou.

― Você podia ligar para o Kirishima e ele ficava com o Deku amanhã. ― Uraraka sugeriu.

Eu realmente acho incrível essa união que eles tem uns com os outros.

― Mas ai, o Kirishima iria ficar com o Midoriya dois dias seguidos! ― Todoroki reclamou, porém foi completamente ignorado.

Momo saiu da sala para ligar para o Kirishima, enquanto os outros jovens ficaram discutindo sobre como fariam para descobrir informações para os casos.

― Ele concordou! ― Momo falou entrando na sala.


Notas Finais


Cheguei.

Não esqueçam! Quando chegarmos a 100 favoritos irei fazer um especial.
#EspecialTemaSurpresa

Nos vemos proxima semana!

Obrigada pelos 58 favoritos!

Kisses!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...