História You Become A Part Of Me - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Adam Lambert, Linkin Park, Slipknot, The Used
Personagens Adam Lambert, Bert McCracken, Brad Delson, Chester Bennington, Corey Taylor, Dave Farrell, Joe Hahn, Mike Shinoda, Quinn Allman, Rob Bourdon
Tags Bennoda, Corey Taylor, Corey X Adam, Linkin Park, Quert, Yaoi
Exibições 24
Palavras 5.686
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Lemon, Mistério, Musical (Songfic), Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Dessa vez eu nem demorei tanto :v
Ta agora falando sério; desculpem a demora minha alma foi consumida pela falta de inspiração e também por animes: Yuri!!! On Ice e Kuroshitsuji <3 desculpa mas meu coração tá xonado <3
Então o capítulo é quase todo narrado pelo Austin porque eu acho importante vocês saberem como ele se sente e como são as coisas do ponto de vista dele e também porque ele é muito fofo 
Keep Calm e faltam Só 3 capítulos  </3
Ai gente....
🎵eu vou choraaaaaar!!!!!!! Me desculpe mas eu vou chorar!🎵
Desculpa não resisti ;-;

Capítulo 17 - Ohana


       Pov's Austin On

Abri meus olhinhos assim que ouvi papai Mike me chamando: me enrolei mais na coberta cobrindo a cabeça mas papai tirou ela de cima de mim.
-papai! Me deixa dormir...- eu sei que a tia Stacy diz que eles ainda não são meus pais mas eu tenho certeza que vão ser
-nada disso levanta logo antes que seu pai Chaz suba aqui.
Fiz biquinho mas não adiantou muito então me sentei na cama e me estiquei fazendo meu ossos fazerem um barulhinho engraçado.
-papai e se eles não deixarem eu ficar com vocês?
-eles vão deixar...porque você é nosso filho okay? 
-mas e se não deixarem?
-não vamos pensar nisso...agora você tem que ir na escola; porque hoje é sexta e amanhã a gente vai na casa da minha mãe pra você conhecer seus avós e seu tio Jason- sorri assentindo, papai Mike fala muito sobre eles -a gente vai dormir lá; eu você e seu pai Chaz...e então na segunda a gente volta e vai ao tribunal pra eles decidirem tudo.
-tô com medo...não quero que me tirem de vocês...eu gosto de morar aqui.
-Austin você é nosso filho; nada nem ninguém vai mudar isso...fica tranquilo.
Eu queria abraçar ele mas não conseguia; eu tenho medo de abraços, medo de me aproximar das pessoas, a tia Stacy diz que é por causa do que o homem mal fez comigo e com a minha mamãe...
-Mike- papai Chaz apareceu na porta -o Austin tá atrasado! Já era pra você ter dado banho nele...vem querido.
Ele me colocou em seu colo e me levou até o banheiro que tinha no meu quarto. 
Papai tirou com pressa a minha camisola e logo me colocou na banheira com água quentinha.
Eu gostava quando ele me dava banho porque papai Chester não me toca ele só me diz em que lugares eu devo passar o sabonete e depois só tira o sabão com a água.
Agora ele estava me secando enquanto papai Mike separava minha roupinha do uniforme.
Coloquei as meias brancas que iam até a joelho, minha cuequinha do Capitão América, shorts, a camiseta e o tênis.
Desci as escadas montado nas costas do papai Chaz.
Estava tomando meu café e a campainha tocou deve ser o Nick junto com os tios Bert e Quinn; eu sempre vou de carona com ele na escola, estudamos juntos...eu acho que ele é meu melhor amigo e isso é legal porque agora eu tenho dois melhores amigos; o Nick e o Ollie!
-Austin! Austin!- Nick veio correndo e quase caiu de cara no chão -você não vão acreditar! Tinha um ratão enorme lá em casa! 
-sério? 
-é sério ele era enorme! Quase do nosso tamanho! 
-filho não exagera- tio Quinn apareceu junto com tio Bert. -era só um rato de tamanho normal...mesmo assim vou mandar dedetizar a casa; então a gente tava pensando se podia passar o fim de semana aqui
-puts cara a gente vai ficar na casa dos pais do Mike esse fim de semana- papai Chaz falou -mas se vocês quiserem eu deixo a chave de casa com vocês; sem problemas contanto que o Bert não destrua a casa.
-eu fico de olho nele! Pode deixar!
-hey! Eu não sou tão desastrado- tio Bert disse quase derrubando seu copo de café no chão; eu e o Nick começamos a rir fazendo ele nos olhar feio.
Eu fiquei com um pouco de medo estão parei de rir e fui tomar meu café.
Papai Chaz fez panquecas! Eu amo panquecas!
Depois que tomei meu café papai Mike me ajudou a escovar os dentes e eu desci até a cozinha, tio Bert e tio Quinn estavam esperando no carro então eu e Nick fomos correndo com medo de se atrasar.
Nick sentou comigo no banco de trás; enquanto seus pais conversavam alguma coisa de adulto ficamos brincando com o Ollie até chegar a porta da escola.
Tio Bert nos acompanhou até a sala de aula e como sempre eu Nick e Ollie sentamos juntos.
A professora Pepper era muito legal e gentil; ela me faz lembrar da minha mamãe...
A escolinha é muito legal porque eu sempre fico perto do Nick e do Ollie.
A professora pediu pra gente desenhar nossa família; eu desenhei junto com o Nick afinal nossos pais sempre diziam que a gente era uma família.
Desenhei meus papais e o Nick desenhou os dele e a mamãe dele também.
Desenhei a tia Sam, o Draven, O Tyler, o tio Adam e o tio Corey, e os tios da banda dos meus papais, e o Nick desenhou alguns tios dele que eu ainda não conheço.
Entregamos a folha pra professora assim que terminamos o desenho e ela já tava dando a nota.
-parabéns meninos...tiraram 9! Só não foi 10 porque eu pedi pra que desenhassem só a família de vocês...
-mas professora...nossos pais dizem que todos nós somos uma família- Nick falou pegando nosso desenho de volta -o Austin tem os papais dele, os irmãos e os tios e eu também tenho meus papais minha mamãe e meus tios.
-nossa...quer saber...vocês merecem um 10!- a professora Pepper pegou nossa folha riscou o 9 e escreveu um 10! Eu fiquei muito feliz, eu não tinha coragem de falar mas o Nick tinha e por causa dele a gente ganhou 10!
Chegou a hora da soneca; deitei ao lado de Nick e como sempre não conseguimos dormir então ficamos conversando bem baixinho cochichando no ouvido um do outro.
A hora da soneca passou e fomos brincar; eu e Nick ficamos brincando com Ollie e alguns outros brinquedos que a professora emprestou; a gente sempre inventava uma história diferente pras nossas brincadeiras e era sempre muito divertido.
O Nick tinha alguns outros amigos e ate amigas mas eu não...o meus papais dizem que eu tenho que aprender a fazer novos amigos mas eu não consigo; eu tenho medo...eu também tinha medo do Nick no começo mas eu percebi que ele é legal.
Na nossa história de hoje o Ollie era um super herói que sempre salvava a cidade.
-super Ollie você me salvou- Nick falou fazendo uma voz engraçada enquanto segurava um boneco do Max Steel -eu quero te agradecer...
-não precisa eu te salvei porque é meu dever- falei também fazendo uma voz engraçada
-mas eu quero retribuir...porque eu te amo- Nick fez o boneco beijar o Ollie -meu herói! 
-Nick...porque eles se beijaram?
-porque eles  se amam- ele largou o boneco no chão e eu segurei o Ollie -as pessoas se beijam quando se amam...meu pais se amam por isso se beijam e seus pais também...
-entendi- cheguei perto do Nick e senti um cheirinho de chocolate então eu beijei o rosto dele -eu te amo.
-também te amo...vem vamo brincar na caxa de areia.
A gente brincou um pouco e logo era a hora do lanche era uma das melhores horas porque a gente podia brincar lá fora.
Nick e eu fomos atrás da escola lá era legal porque só a gente ia.
Sentamos no chão mesmo e ficamos ali comendo nosso lanche.
Papai Chaz tinha feito um bolo de chocolate e mandou alguns pedaços e uma garrafinha com suco de maçã.
O Nick tinha levado pão com queijo e suco de uva; a gente dividiu eu dei um dos pedaços do bolo e ele deu um pedaço do pão.
A professora tocou o sininho que significava que era hora de voltar pra dentro.
A gente guardou as garrafinhas na lancheira e voltou pra dentro e sentamos no mesmo lugar.
-Nick- George aquele chato chegou conversar com ele; o Nick diz que ele é legal mas eu não acho! -vai sentar com a gente ali atrás.
-tá bom! Vem Austin pega suas coisas...
-não!- George falou -ele não; só você! Vem Nick...dexa esse estranho sozinho.
-o Austin não é estranho...ele é legal! se ele não for eu também não vou! O Austin é meu melhor amigo e eu não vou deixar ele sozinho.
-você que sabe então fica aí com seu namorado!
-ele não é meu namorado mas se fosse você não tem que falar nada! Isso não é problema seu!
-gay! 
-idiota! Me chamar de gay não me machuca...- Nick se levantou e eu me encolhi na carteira; a professora tinha saído um pouco e não voltou ainda...
-você vai ver só o que machuca...-
George  deu um soco no Nick que deu um soco nele de novo; eles tavam se batendo e a professora não chegava!
Levantei da carteira e saí da sala.
Vi a professora conversando com outra pessoa e puxei de leve a saia dela.
-Austin? Querido o que faz aqui fora-
Eu tentei falar mas eu não consegui, eu nunca conseguia -tem algum problema na sala? 
Fiz que sim e a puxei pela mão até chegar a sala; Nick e George ainda estavam se batendo.
-PODE PARAR COM ISSO AGORA!
Então eles pararam -VOCÊS DOIS PRA DIRETORIA AGORA! 
-mas professora- Nick tentou dizer o que tinha acontecido mas a professora fez sinal pra ele parar de falar
-Nick não piore as coisas...vão pra diretoria
Nick abaixou a cabeça e saiu pra ir falar com a diretora e depois a professora mandou o George ir também.
Eu não podia deixar o Nick se dar mal...ele tinha me defendido!
-professora Stacy- chamei baixinho; acho que é a primeira vez que eu falo com ela -dexa eu ir junto; eu preciso contar pra diretora que o Nick só tava me defendendo!
-Austin eu não posso deixar você sair sozinho são ordens dos seus pais
-então me leva até a sala dela! Por favor! Se eu não falar o Nick vai se dar mal.
-okay vai lá...
-obrigado!
Saí correndo da sala e fui até a sala da diretora da porta eu podia ouvir ele conversando com eles e perguntando porque eles tinham brigado.
Bati na porta e ouvi ela mandar entrar.
-diretora...
-Austin? Querido poderia esperar uns minutos?
-diretora o Nick tava só me defendendo por favor não faz nada pra ele!
-isso é verdade? 
-é sim! Juro de dedinho! 
-olha Austin é muito bonito o que você está tentando fazer mas isso não justifica ele ter começado uma briga; se o George estava importunando vocês era só contar a senhorita Stacy...bom eu não vou suspender os dois mas vou ter que chamar os pais de vocês meninos...e você querido obrigado pela ajuda...pode ficar aqui esperando os pais do Nick chegarem; eu vou avisar a professora de vocês e pedir pra trazerem suas coisas...se comportem.
A diretora saiu da sala; George estava sentado na cadeira chorando e Nick estava sentado no sofá; sentei do lado dele e abracei ele.
-obrigado Austin...se você não tivesse falado aquilo eu ia me dar muito mal.
-você é meu melhor amigo e me defendeu eu precisava te ajudar. 
A diretora voltou com as nossas coisas e entregou pra gente.
A gente teve que ficar ali até os pais do Nick e do George chegarem a diretora falou o que tinha acontecido pra eles.
Os pais do George ficaram muito bravos com ele e fizeram ele pedir desculpa pra mim e os tios Bert e Quinn também fizeram o Nick se desculpar com o George.
A diretora mandou eles irem pra casa e disse que eu podia ir também; então eu fui de carona com tio Bert e tio Quinn 
Eles me levaram até a porta de casa porque iam dormir ali por causa do remédio pra rato que o tio Quinn colocou na casa deles.
-olha só quem voltou!- Tio Bert falou abrindo a porta da sala e sendo atropelado pelo papai Chaz que veio correndo me abraçar.
-meu amor! A diretora ligou pro Bert e ele nos contou tudo. Você se machucou? Aquele garoto bateu em você?
-não...mas ele deu um soco no Nick...
-você tá mesmo bem nenhum arranhão?
-ele tô bem papai- falei sorrindo
-graças a deus!- papai Chaz me abraçou tão forte que até doeu -eu e o seu pai Mike estamos muito orgulhosos de você por ter tido coragem e ter contado pra diretora que o Nick só estava te ajudando.
-eu precisava falar; o Nick tinha me defendido primeiro...
-parabéns meu amor...você foi muito corajoso...agora vai lá pegar suas coisas porque daqui a pouco a gente sai.
-tá bom...Nick vem!- puxei Nick pro meu quarto; eu tava feliz porque os tios Bert e Quinn não tinham ficado bravos com ele...
-Vocês tão indo viajar? 
-o papai Mike vai me levar pra conhecer a família dele...eu tô com medo
-porque? 
-eu não conheço ninguém...eu não quero ir...mas eu também não quero falar isso pro papai Mike...ele tá tão feliz...
-e se eu for com vocês?
-sério? Você pode!?
-se vocês me ajudar a pedir meus pais deixam!- Nick me pegou pela mão e me arrastou lá pra baixo. -papai Bert!  Papai Quinn!
-Oi Oi...calma...respira! Aonde é o incêndio?- tio Quinn riu segurando Nick 
-diz você!- Nick falou olhando pra mim
-eu?
-por favor! Se eu pedir ele não vai deixar...
-então...você vai me dizer o que quer ou...
-tio Quinn...é que...eu vou ir com meus papais na casa da minha vovó...mas eu não conheço ninguém de lá...e eu queria que o Nick fosse comigo
-aí meninos não sei...Seus pais deixaram o Nick ir com você? 
-eu ainda não pedi...
-não pediu o que meu amor?- papai Mike apareceu na sala abraçado com o papai Chaz.
-papais; o Nick pode ir com a gente? Por favor! Eu não quero ir sozinho!
-claro meu amor- papai Chaz falou sorrindo -se o Bert e o Quinn deixarem por mim tudo bem
-por mim também!
-Tio Bert! Tio Quinn! Vocês deixam né?
-a gente deixa sim mas se comportem eim?
-eu prometo que vou me comportar! Prometo! Prometo! Prometo!
-okay! Calma tampinha!- Tio Bert falou sorrindo; eu gosto do tio Bert ele é doido e vive sorrindo! -mas tão detetizando lá em casa então com que roupa você vai criaturinha? 
-eu posso emprestar minhas roupas pro Nick...a gente é quase do mesmo tamanho!
-melhor ainda! Assim não sou eu que preciso lavar a roupa!
-Bert! Seu idiota! 
-que foi é verdade! 
-bom eu vou deixar vocês crianças discutindo e vou lá ajudar os meninos com as malas- papai Chaz falou segurando as nossas mãos.
A gente subiu pro meu quarto e ficamos escolhendo algumas roupas pra poder levar eu fiz uma malinha pra mim e o Nick também fez uma pra ele.
-o que vocês acham de tomarem um banho antes de irmos?
-pode ser tio Chaz! Eu e o Austin podemos brincar de monstro do lago na banheira! Eu e o papai Bert sempre brincamos disso!
-pode ser...- eu tinha um pouco de vergonha mas já que o Nick dis que faz isso sempre então deve ser normal.
-então vão! Entrem no banheiro! 
-Tio Chaz...você vai ficar olhando a gente tomar banho?
-porque? Você tem vergonha de eu olhar? Porque se for assim eu posso ficar aqui fora esperando vocês entrarem na banheira...mas depois eu entro porque nem sonhando que vou deixar vocês sozinhos bagunçando! Agora vão entrem lá e me avisem quando estiverem dentro da água.
Fizemos que sim e entramos no banheiro.
Nick começou a tirar a roupa e eu fiquei com um pouco de vergonha mas começei a tirar minha roupa também.
Nick ficou de cueca então fiquei também e a gente entrou na banheira.
-pode entrar papai
Papai Chaz entrou e ficou olhando a gente, eu e Nick ficamos brincando de guerrinha de água; papai Chaz também tava brincando com a gente e ficou todo molhado.
-não acredito nisso...- era o papai Mike ele tava na porta rindo da gente -as crianças já pararam a guerrinha de água?
-estraga prazeres! Por que em vez de ficar aí rindo não vem aqui brincar com a gente amor?
-não obrigado...alguém precisa secar as crianças...Vem meninos eu seco vocês.
A gente saiu da banheira e papai Mike tirou nossa cueca molhada e deu a toalha pra gente se secar.
Meus papais ficaram dentro do banheiro eu e Nick ficamos olhando da fresta da porta pra ver o que eles estavam fazendo.
Papai Mike segurou  papai Chaz pela cintura eu e Nick seguramos o riso.
-e eu? Não vai me secar papai Mike?- papai Chaz falou sorrindo.
-você eu seco depois...
-ahhhh...mas eu tô molhado papai...
-Chaz...não faz assim...
-mas já faz uma semana...tô com saudades de você...- papai Chaz agarrou papai Mike e eles se beijaram; eles ainda não tinham se beijado na minha frente...foi tão fofo
-oooooonnt!!- Nick e eu gritamos juntos e eles se separaram.
-AUSTIN! não sabe que é feio ficar espionando as pessoas?!
-desculpa...eu só queria ver vocês se beijando.
-okay mas é errado espiar as pessoas e você sabe
-tá bom...desculpa papai
-desculpo sim vem
Depois de ajudar a gente a se secar papai Mike nos vestiu e já estávamos prontos pra sair...
-Nick amor tem certeza que arrumou sua mala direitinho?
-já falei que sim pai...o tio Chaz me ajudou a fazer a mala.
-tem roupas de calor e de frio? Pode esfriar...colocou protetor solar? Essa mala tá tão pequena...você tem certeza que tem roupa suficiente pro fim de semana?
-Quinn o menino vai passar o fim de semana e não o resto da vida morando lá.
-isso Bert! Me desmoraliza na frente do nosso filho! Seu idiota! 
-Quinn calma...o Chester ajudou eles com as malas tá tudo bem
-okay...só que ele vai ir sem a gente...tô preocupado...
-é só um fim de semana...
-odeio quando mesmo sendo o idiota da relação você parece mais sensato do que eu...- tio Bert beijou tio Quinn e foi muito fofo! 
-Nick se comporta tá bom? Se quiser alguma coisa por favor peça pros seus tios emprestarem o celular...e outra coisa se algum deles atender o celular dizendo que sou eu que estou ligando por favor vá falar comigo tá bom?
-tá bom papai
Nick disse thal para os pais dele e então entramos no carro e sentamos na cadeirinha.
E papai Mike ligou o carro; eu e Nick fizemos thal para os papais deles pelo vidro do carro.
                  **********
Fazia um tempão e ainda não tava nem perto eu já estava cansado e Nick também.
A gente tava assistindo o Filme Lilo e Stich...Nick já estava dormindo e eu também tava quase dormindo; mas consegui ouvir minha parte favorita:
"-Ohana quer dizer família; família quer dizer nunca mais se abandonar ou esquecer"

Pov's Austin Off

-Austin...Nick...meninos acordem a gente chegou- Chester falava suavemente cutucando os meninos adormecidos no carro 
-a gente chegou papai?
-sim...vem vamos ajudar seu pai com as malas.
O tatuado desatou o cinto da cadeirinha e logo os dois meninos saíram do carro indo até o porta malas onde Mike estava pegando suas coisas.
Cada um pegou sua respectiva mala; o japonês fechou o porta malas e trancou o carro. Logo estavam a frente da grande casa em estilo japonês.
Mike apertou a campainha e logo foi atendido por uma senhora de cabelos grisalhos que logo pulou em seus braços.
-Mike! Meu deus meu filho! A última vez que eu te vi estava casado com a Anna!- a senhora falou fazendo Chester corar levemente; será que Dona aceitaria seu relacionamento com Mike?
-e você eim?- falou olhando sorrindo para o tatuado -agora vai fazer parte da família?
-sim- Sorriu constrangido -e eu realmente espero que aceite nosso relacionamento e quero que fique bem claro que eu não sabia que o Mike gostava de mim quando ele se divorciou da Anna...
-Chester querido...você sempre foi da família...e pra falar bem a verdade nunca gostei dela...agora me digam cadê meu netinho? 
-Austin...
O garoto ruivo se aproximou da senhora e apertou sua mão corando violentamente e abaixando a cabeça 
-Oi você deve ser o Austin...eu sou Dona a mãe do seu pai Mike...
-prazer em te conhecer vovó
-o prazer é todo meu querido...e esse loirinho é quem?
-eu sou Nick eu sou amigo do Austin! Meus pais me deixaram vir junto...
-seja bem vindo Nick! Agora vamos entrem! O jantar tá na mesa!
Eles todos entraram já indo direto a cozinha onde Muto e Jason já estavam comendo.
-filho! Senta aqui eu tava com saudades de você! 
-eu também tava com saudades pai.
Mike abraçou o japonês mais velho com carinho e logo depois abraçou também seu irmão mãos novo.
-então...já conhecem meu filho?- o japonês perguntou apontando pra Austin que rapidamente se encolheu atrás de Chester.
-oooooonnt que fofo! Da vontade de apertar!
-Jason para de ser estranho!
-pai! Ele me chamou de estranho!
-calem a boca! Dexa eu falar com meu neto...- Muto se levantou e chegou perto do ruivo que se apertou ainda mais contra o corpo de Chester -Oi eu sou seu avô...pode me dizer seu nome? 
-Austin...esses são meus melhores amigos o Ollie e o Nick- o gatinho loiro sorriu e Austin abraçou Ollie que estava em seus braços.
-Oi Austin...bem vindo a família querido-
O japonês mais velho abraçou o garoto que no início se assustou mas logo se acostumou deixando ser abraçado.
-e você loirinho qual seu nome? 
-Nick!
-ele é filho dos nossos vizinhos; ele e o Austin não se desgrudaram um segundo- Mike explicou sorrindo
-parece até você e o Chester quando eram mais novos- Jason disse sorrindo bobo -será que isso vai virar namoro? 
-Jason você tem sérios problemas mentais! Vou simplesmente ignorar essa sua pergunta 
-meninos parem de brigar olha o exemplo que estam dando pras crianças...vem agora vamos comer depois vocês guardam as malas.
Mike concordou com sua mãe e logo se sentaram a mesa Chester tirou um prato pra cada um dos meninos e depois tirou um pra ele também.
Foi um jantar incrível; eles conversaram e não houve nenhum clima estranho como Chester tinha imaginado que seria; na verdade o clima estava tão família que parecia que fazia séculos que todos eles eram literalmente uma família.
Após o almoço Mike foi levar os meninos ao seu antigo quarto; afinal os dois ainda estavam com sono e já estavam começando a ficar manhosos por causa disso.
Dona os dividiu da seguinte forma: os meninos e Jason no antigo quarto de Mike; e o casal Bennoda no quarto de Jason que tinha uma cama casal.
Enquanto o japonês fazia as crianças dormirem Chester ficou ajudando Dona com a louça da cozinha.
-então querido como vão os preparativos para o casamento? 
-na verdade ainda nem começamos a planejar...a gente tá esperando pra ver se o juiz vai dar a guarda definitiva do Austin pra gente pra depois começarmos a pensar no casamento.
-entendi mas...fica tranquilo com certeza vão ter a guarda definitiva  logo.
-obrigado...é ótimo saber que você apóia o nosso relacionamento e a nossa família.
-imagina...eu sempre quis a felicidade do Mike e bom; ele não parecia estar feliz com a Anna...além disso eu realmente não gostava dela
-pra falar a verdade nem eu...- ambos riram enquanto secavam as louças.
-tão falando mal de mim né?- Mike chegou abraçando seu futuro marido por trás dando beijos em sua nuca 
-claro que estamos meu amor...e as crianças? 
-graças a deus dormiram; eles tavam fazendo a maior bagunça lá no quarto...
-achei que eles tavam com sono-
O tatuado se virou ficando de frente para Mike; Dona já havia até se retirado do cômodo pois não queria segurar vela.
-mas eles tavam com sono; até perceber que o colchão tinha molas...
-tem molas na cama do Jason também?- o tatuado perguntou com uma segunda intenção que quase passou despercebido pelos radares do japonês
-tem por...ahhh...entendi...tem molas sim...quer ver?
-quero!
Chester levou seus lábios aos de Mike enquanto o japonês o carregava até o quarto.
Mike trancou a porta que estava aberta e logo jogou o tatuado na cama subindo em cima dele e assim que ficou por cima começou a distribuir beijos pelo pescoço de seu noivo o fazendo começar a gemer; os gemidos que tanto amava escutar.
O mais novo levou suas mãos até a barra da camiseta de Chester a fim de tira-la mas...
-PAPAI CHAZ! PAPAI MIKE! EU TIVE UM PESADELO!
Chester suspirou afastando Mike de si.
-papai tá indo abrir a porta meu amor.
O tatuado se levantou e abriu a porta dando de cara com os dois garotos; Austin chorava manhoso e Nick coçava os olhos de sono.
-vamos; vem...vamos dormir...já ta tarde.
Mike deitou de um lado da cama com Nick e Austin no meio deles e do outro lado estava Chester.
Assim que deitaram os garotos caíram no sono e o casal Bennoda ficou apenas se olhando e trocando alguns carinhos no rosto.
-a vida de pai é sempre assim? 
-sempre...melhor ir se acostumando senhor Shinoda; a partir de agora sexo será a palavra menos usada no seu vocabulário...espero que isso não te faça desistir do casamento 
-nunca...até porque a bíblia diz: "não só de sexo o homem viverá"
-eu acho que a bíblia não diz isso- o tatuado contatou sorrindo 
-é um país livre; eu posso fazer minha própria interpretação.
-eu te amo sabia? 
-também te amo...mas tá meio difícil de te beijar agora; espero que entenda...
-não se preocupe eu entendo...agora acho que temos que dormir né? 
-é...boa noite Chaz
-boa noite Spikey. 
Deram as mãos e ficaram se olhando por alguns segundos até o sono começar a os preencher os fazendo dormir.

                  Sábado

Mike acordou cedo naquele sábado de manhã; afinal aos sábados sempre levantava cedo e ia malhar na pequena academia que tinha em uma das áreas externas de sua casa com Chester.
Demorou alguns segundos para o japonês lembrar que estava na casa de seus pais, mas bom; já havia acordado mesmo então o certo a fazer era se levantar.
Chester estava sozinho na cama provavelmente os garotos já tinham acordado e estavam brincando em algum lugar.
O mais novo beijou suavemente a testa do tatuado que dormia tranquilamente com a barra da camiseta levemente levantada mostrando sua deliciosa barriga fazendo o japonês suspirar; fazia quase uma semana que Austin estava morando com eles e fazia quase uma semana que não faziam sexo.
Austin era um amor mas tinha o estranho dom de atrapalhar toda e qualquer relação sexual que o casal tentava ter; claro que não era culpa dele afinal era só uma criança assustada que precisava de seu carinho e atenção; mas droga! Mike é humano afinal; também precisa se aliviar de alguma forma...e bom? Tinha hora melhor? Estava sozinho no quarto com o tatuado ainda adormecido em cima da cama.
O japonês sorrateiramente se encaixou no meio das pernas de Chester e levou a mão á bunda do mais velho que estava coberta por uma fina boxer marrom.
Com cuidado Mike começou a apalpar aquela deliciosa carne; mesmo dormindo o tatuado rebolou lentamente; talvez um espasmo involuntário; talvez ele estivesse sentindo os toques mesmo estando desacordado.
-papai Mike- a voz de Austin foi ouvida fazendo o japonês tirar as mãos do lugar onde se encontravam o mais depressa possível -o que você tava fazendo? 
-eu tava...hmm...er...fazendo uma massagem no seu pai 
-mas ele tá dormindo...
-é mas...esse é um novo tipo de massagem...você faz em alguém enquanto essa pessoa dorme e depois ela acorda bem mais relaxada...-
Se Chester estivesse acordado provavelmente teria rido daquela mentira; o japonês era mesmo um péssimo mentiroso
-ahhhh...entendi...papai a vovó disse que é pra você descer
-tá bom; vamos?
Eles desceram as escadas calmamente.
Nick comia ovos com baccon com uma cara de quem estava gostando e logo Austin sentou ao seu lado e ambos ficaram cochichando um no ouvido do outro e dando algumas risadas; coisa de criança.
Os olhos observadores de Shinoda rapdamente percorreram a cozinha; tudo normal; seu pai lendo o jornal, sua mãe escutando músicas no rádio enquanto lavava algumas louças sujas, seu irmão prestando atenção no celular enquanto seu café esfriava; Adam e Corey se beijando...Adam e Corey?
-Cara o que vocês tão fazendo aqui?- Shinoda perguntou se referindo ao casal problema -por favor não diga que vieram até aqui pra receber conselhos
-lógico que não né?- o purpurinado que estava vestido com roupas quase normais falou revirando os olhos (quase normais pois seus jens foram cortados por ele mesmo com um estilete, e sua camiseta estava cheia de strass que ele mesmo colocou; era engraçado ver a camiseta do Slipknot que Corey havia o dado cheia de brilho e purpurina)
-Eu vim conhecer a nova casa da minha mãe- ele continuou -e pelo que percebi nossas mães são vizinhas agora.
-nossa...que conhecidencia...
O japonês finalmente sentou-se pegando uma fatia de baccon para comer.
-então cadê seu noivo?- Corey perguntou sentando-se também 
-dormindo...- suspirou derrotado 
-e porque essa carinha?- Adam perguntou.
O japonês olhou para os lados e viu que as crianças já estavam brincando do lado de fora da casa junto com Jason que os ensinava a jogar futebol.
-faz uma semana que eu e o Chester não transamos e eu tô enlouquecendo! E o pior ontem a gente tava quase mas o Austin tinha tido um pesadelo e queria dormir com a gente...e hoje de manhã eu ia começar a tirar a roupa dele e o Austin foi me chamar pra tomar café...eu tô com saudades...droga! E justo agora que ele tá estressado porque segunda feira tá chegando e ele tá com medo de não conseguirmos a guarda definitiva...eu só queria que ele relaxasse um pouco....
-que ele relaxasse no seu colo?- Corey perguntou arqueando as sobrancelhas -Mike porque você não sobe lá pra cima e transa logo com ele?
-não dá! Eu conheço o Chester ele não vai querer fazer sexo de manhã numa casa cheia de gente e num quarto onde nosso filho e o amigo dele podem entrar a qualquer hora.
-ah mas nisso a gente pode dar um jeito- Dona falou enquanto lavava alguns copos -pensa bem meu amor, seu pai foi trabalhar, o Jason já está quase na hora de sair, e quanto aos meninos...bom; tem um parque de diversões aqui perto eu posso levar eles lá.
-podemos ir também?- o purpurinado perguntou com os olhos brilhando -adoro parques de diversão!
-podem ir sim.
Mike então chamou as crianças pra dentro e contou as novidades; claro que os meninos ficaram muito animados com a idéia mas tinha um problema; Austin queria que seus papais fossem também.
-papai por favor!
-meu anjo não dá...eu já disse papai Chaz tá passando mal e eu vou ficar aqui cuidando dele- "eu estou mentindo pro meu filho a troco de sexo....eu sou um péssimo pai" -você entende né? Vai lá se divertir com seus tios 
-tá bom! Não esquece de dar remédinho pro papai Chaz melhorar 
-tá bom meu amor eu não vou esquecer- "definitivamente o pior pai"
O japonês se despediu dos meninos e assim que os viu subindo no carro de Corey juntamente com sua mãe; rápidamente trancou a porta e subiu voando para o andar de cima.
Tranquilamente abriu a porta do quarto; o tatuado ainda estava dormindo...e porra! Como estava fodidamente sexy com aquela bunda empinada e pele branca que ainda continha algumas poucas marcas da última noite de amor que tivera com o noivo.
Sorrateiramente o mais novo novamente se encaixou no meio das pernas do amado e começou a beijar suas costas desnudas.
-amor...Chaz...amor acorda...
-hmm...
-vai amor levanta! Eu te trouxe o café na cama...- Mike deu uma mordida no ombro do tatuado que deu um fraco gemido; Chester se virou ficando de frente pra Mike sonolento coçou os olhos e deu um selinho demorado em seu amado.
-cadê o café? 
-tá aqui- o japonês se afastou o suficiente para que o mais velho percebesse que ele estava sem roupa.
-o que? 
-o seu café da manhã hoje serei eu...- Mike atacou os lábios do noivo com fúria; suas línguas se encontravam frenéticas; ávidas por contato.
Chester estava com tanta saudade daquilo que somente aquele beijo foi necessário para deixa-lo excitado mas uma coisa não saía de sua mente; Austin podia acabar os vendo e com certeza não estava afim de passar por esse constrangimento.
-M-Mike...p-p-para...não faAAAHH...hmmm....porra!- o japonês chupava cada pedaço da pele de Chester; ficou algum tempo marcando seu território no pescoço do mais velho, desceu para os mamilos onde deu uma mordida fazendo o outro arquear as costas gemendo seu nome.
-ahhhhhh...Mi-Mike...p-para! O Austin...hmm...
-relaxa- falou descendo os beijos para a barriga de Chester; ah! Aquela barriga! Como era gostosa e chamativa! -o Austin tá passeando com minha mãe e o casal problema.
-casal problema? O que o Adam e o Corey tão fazendo aqui?
-amor...jura mesmo que quer que eu pare de te beijar pra explicar o que eles tão fazendo aqui? 
-não...não importa! Continua!- o tatuado segurou nos fios negros que Mike possuía e o levou os lábios do japonês de volta a sua barriga mas desta vez um pouco próximo a barra de sua boxer.
-delícia- o japonês susurrou começando a baixar a boxer do seu noivo -você é tão gostoso....
-eu sei que sou...- riu -você deve ser cego! sinceramente...eu sou magro o que tem de tão gostoso em mim?
-várias coisas...mas essa é minha parte favorita- falou levando os lábios até a cabeça do membro do tatuado o fazendo gemer alto.
-porra!
Mike sorriu continuando a chupar somente a glânde enquanto suas mãos passeavam pelas coxas fartas do noivo.
Se atreveu a descer a boca até o fim daquele maravilhoso membro; Chester só conseguia gemer e segurar forte puxando os fios negros do cabelo de Mike.
Por um momento o japonês parou; o tatuado gemeu um "não para" sôfrego mas Mike estava mesmo querendo a outra parte daquele corpo esculpido por deuses, então virou o outro o deixando quase de quatro.
-Mike- Chester exclamou ao sentir uma mordida forte entre suas nádegas; logo sentindo a língua do japonês em sua entrada causando-lhe um arrepio no corpo todo -hmmm....amor...eu tava com tanta saudade de você...
-eu também tava...- Mike se afastou um pouco já começando a brincar com os dedos na entrada do tatuado -fiquei a semana toda esperando por isso...
Mais uma vez se afastou um pouco e começou a inserir enfim seu membro, Chester empinou sua bunda pra trás instintivamente fazendo o japonês revirar os olhos e afundar mais seu pênis logo acertando a próstata do tatuado que gritou de prazer chamando pelo nome do noivo; aquilo era tão bom que fazia o  mais velho pensar: "porque porra eu não começei a me relacionar com ele assim que o conheci?"
Shinoda segurava a cintura do amado com força enquanto estocava rápidamente do jeito que sabia ser agradável ao companheiro.
-i-isso a-assim...hmmm Miiike...
Shinoda levou suas mãos ao membro de Bennington que já estava sensível devido a boquete que tinha recebido; não demoraria muito para ele se derramar.
Mas no fim, não importava quanto tempo levasse e sim o quão bom foi.
Sendo assim o japonês acelerou os movimentos tanto das estocadas quanto os da masturbação que fazia no amado.
Mike sorriu mordendo o ombro do tatuado que olhou para ele com o rosto vermelho e gemendo baixinho como sempre fazia quando estava perto de gozar.
O tatuado chamou pelo nome do noivo baixinho num gemido sofrido e abafado enquanto gozava sujando o lençol da grande cama de Jason.
Antes de se deixar chegar ao ápice o japonês virou seu amado de frente pra ele e sentou na cama com as pernas abertas; mesmo cansado o mais velho chegou perto começando a masturbação em seu amado enquanto aproveitava para chupar aquele delicioso membro que Mike possuía.
Não demorou muito para que seu ápice chegasse dentro da boca vermelha de Chester.
O tatuado após engolir o líquido puxou seu noivo para um beijo enquanto Mike os deitava delicadamente na cama.
-bom dia amor...- susurrou sorrindo contra o pescoço do amado 
-bom dia...


Notas Finais


Cara que capítulo enooooormeeee  <3
Desculpa pessoas mas eu não conseguia parar de escrever :v foi maaaaaal ^^ bom gente a fic tá acabando e meu coração tá apertado tô com tanta dó de me despedir dela....mas bom é o que acontece não?  Os filhos crescem se tornam independentes e vão embora....é triste mas é a realidade  <\3
Bom gente....até a próxima  <3
Beijos e beijokas nas piras e nas pirokas ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...