História You Belong To Me | Imagine Taehyung - BTS - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Park Hye Min (Pony)
Exibições 296
Palavras 1.430
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Ecchi, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei!
Dps de quase um mês, eu trouxe a segunda (e última T.T) parte de You Belong To Me.
Espero realmente que gostem, pois esse foi o primeiro hentai que escrevi em minha life.

Capítulo 2 - Just Mine - part.2


Fanfic / Fanfiction You Belong To Me | Imagine Taehyung - BTS - Capítulo 2 - Just Mine - part.2

Taeyon:

Tem certeza que não vem? Deu maior trabalho para organizar isso, para no final uma das minhas amigas não vir.

Me:

Tenho. Aproveita a festa por mim. <3

Bloqueio o celular, e o coloco sobre o sofá, dou o pause na TV, e vou para cozinha procurar algo para comer.

Ontem, consegui convencer meus pais que seria melhor eu ficar em casa, ao invés de ir para a de Tae, mas para isso tive que falar da briga, e é claro que meu pai ficou do lado do meu namorado, pelo menos tenho minha Omma que me entende.

Hoje, eu devia está na festa da minha melhor amiga, porém, resolvi não ir, e fazer uma maratona de qualquer série de terror, a qual vou decidi na hora que for ver a Netflix.

Minha situação com o Tae continua a mesma. Ele me mandou uma mensagem mais cedo, perguntando se eu iria mesmo a festa, e é claro que eu ignorei.

Eu estava ocupada, escolhendo cuidadosamente os salgadinhos que iria comer, quando ouço o barulho da campainha.

Ai não..., penso.

Tinha duas opções. Ou era a pizza que eu pedi, ou era o meu namorado. Cá entre nós, eu queria que fosse os dois. Estou com fome, no duplo sentido.

Deixei o pacote de salgadinho no balcão, e fui abrir a porta. Infelizmente não era minha pizza, mas a visão, com certeza era mil vezes melhor.

— Se vai me pedi em casamento, vou logo dizendo que tenho que pensar, pois sou muito nova para ficar noiva, e ainda estou com raiva de você por tentar mandar em mim. — falo para Tae, que estranhamente estava vestindo um terno... Putz, como ele fica bonito naquela roupa.

— Não, eu não vou te pedir em casamento. Se bem que é uma ótima ideia, aí o Jackson vai manter distância... — revirei os olhos, e dei passagem para ele entrar na casa. — Estou brincando, estava na festa da Taeyon.

— Pensei que não iria, por isso eu não podia ir, e blá blá blá blá blá blá... — digo, fechando a porta.

— Mas eu sabia que você iria, então me vi obrigado a ir, pois certas pessoas estariam lá para dá em cima de você. Mas eu chego lá, e a Taeyon disse que você não tinha ido. — disse ele, enquanto tirava o sapato no hall, e eu só fiquei observando. — Então, eu vim aqui saber o por que de você não ter ido.

— Não quis. — falo dando de ombros.

— Você está me dizendo, que passamos duas semanas sem se falar, por conta de uma briga que era por causa que você queria ir para essa festa, para no final não ir. Por quê? Por que não quis. — resmunga Tae, irônico. Mordo o lábio inferior, enquanto vejo ele tirar o blazer, e folgar a gravata. Aish, ele tá mais sexy do que o normal.

Quieta, S/N, você só está muitos dias sem transar., penso, mas sem tirar os olhos de Tae.

Quando o mesmo percebe que eu estava o encarando, ele da um sorriso malicioso, fazendo com que eu desvie o olhar, no momento exato que a campainha.

— Esperado alguém? — pergunta Tae.

— Minha pizza. — falo, indo abrir a porta, mas Tae me para no meio do percurso.

— Vai abrir a porta com essa roupa? Sem chance. — fala ele, e foi aí que eu me toquei que só estava com uma de suas camisetas (sempre que vou a casa de Taehyung roubo uma camisa dele), que via até a metade da minha coxa, e uma calcinha box.

Bufei, e fui para sala, enquanto ele foi buscar a pizza. Deitei-me no sofá e peguei meu celular, o qual tinha uma mensagem da Sun Hee.

Sun Hee:

Tae Oppa acabou de sair daqui.

Me:

Eu sei, ele tá aqui.

Sun Hee:

Usem camisinha, não quero ser titia cedo.

Me:

Digo o mesmo. <3

— Sério, pizza mexicana? — pergunta Tae, abrindo a caixa da pizza, deixando o maravilhoso cheiro da pimenta.

— Eu gosto de pimenta! — exclamo, sentando-me para pegar a caixa de Tae.

— Eu sei, oh se sei. — fala ele, perto do meu ouvido, fazendo-me arrepiar. — Tem refrigerante?

— Na geladeira. — respondo, tentando não fazer minha tremer, e felizmente deu certo.

Procurei alguma série, e acabei por optar por SCREAM.

— Você não tá de TPM, não é? Se tive vou repensar o fato de que eu irei dormi aqui. — fala meu namorado, sentando-se ao meu lado, e me entregado uma Coca Diet.

— Não, não estou de TPM, e eu ainda estou com raiva, não quero que você durma aqui, a não ser que peça desculpas.

— Você vai continuar com essa ideia na cabeça? — pergunta ele, e eu assinto, olhando para a TV. Tae solta um suspiro, e segura meu queixo fazendo eu olhar para ele, o mesmo rouba um selinho. — Me desculpa, S/N.

— Espera, fácil assim? Você tá bem, Oppa? — pergunto, pondo a mão em sua testa.

— Aish, só por que eu pedi desculpas, não quer dizer que eu estou doente. — resmungou ele, ainda me encarando.

— Eu vou continuar a comer minha pizza que dá mais futuro. — falo, e volto minha atenção para TV, e levo um pedaço para a boca.

— Você vai acabar me forçando a fazer do jeito difícil, o que eu adoro. — e novamente, Tae sussura no meu ouvido, e desta vez o morde.

— Mas eu quero assistir. — mentira. — e comer minha pizza. — verdade.

Tenho meu rosto virado novamente para Tae, que destaca vez me beijou, logo pedindo passagem, a qual eu cedi. Por incrível que pareça, o beijo não foi feroz e quente, foi calmo e cheio de carícias.

Enquanto nós beijamos, ele me deitava no sofá, ficando por cima de mim.

Parou de beijar minha boca, e passou para meu pescoço, e eu mordo o lábio, em uma tentativa falha de não deixar os gemidos escaparem.

— Eu acho bom irmos para seu quarto antes que as coisas comecem a esquentar. — fala Tae, se levantando, e me puxando junto. Ele me guiou pela casa, até chegar no meu quarto, onde ele voltou a me beijar, enquanto eu o ajudava a desabotoar sua camisa.

Quando percebi, já estava deitada na cama, com Tae sobre mim, e tanto sua camisa quanto a minha estavam jogada pela chão.

— Para quem não queria, até que tá aceitando muito bem. — fala Tae, apertando um dos meus seios, e eu não consegui conter o gemido, e meu namorado sorriu.

Ele estimulava meu peito esquerdo, enquanto chupava o direito.

— Oppa... — gemo, mordendo lábio logo em seguida. Tae para, e me encara, e devolvo com um olhar confusa. Com um sorriso malicioso, ele começa a distribuir beijos pelo meu corpo, até chegar no cós da minha calcinha, a qual ele tirou, devagarinho. Por um momento pensei que ele iria fazer oral em mim, mas Tae apenas jogou a roupa longe, e ficou admirando emu corpo, enquanto tirava sua calça, e junto sua cueca. Depois se posicionou entre minhas pernas, e falou.

— Diz para o Oppa o que você quer...

— Você... — gemo, por conta do atrito que ele estava causando entre minha intimidade e a dele.

— Seu desejo é uma ordem, mon amour. — e sem aviso prévio ele me penetra, solto um gemido bem alto.

Tae fazia movimentos lentos, e aquilo estava me enlouquecendo.

— Tae... mais... mais rápido. — falo, e ele aumenta a velocidade das investidas, e eu as arranhadas em suas costas.

Os gemidos que ele soltava me enlouquecia, tanto quanto os que eu soltava devia enlouquecer o mesmo.

Meu corpo se contraiu, e foi o momento do meu orgasmo. Alguns segundos depois ele também chegou, e senti seu peso sobre mim.

— Você não deixou de ser pesado. — falo, meio sem fôlego. Tae rir, se deitou ao meu lado, e me puxou para si.

— Desculpa por ter proibido você de sair sem mim. — fala ele, olhando diretamente para mim. — É que eu tenho ciúmes do Jackson.

— Já percebi... — falo, revirando os olhos.

— S/N... eu sei que eu não costumo te falar isso, mas... Eu te amo. — paralisei, Kim Taehyung, nunca falou que me amava, nesses 6 meses de namoro. — Aish, não vai falar nada?

— Eu também te amo, bobo. — digo, depositando um beijo em seus lábios.


Notas Finais


Terminei essa One-Shot T.T
Tô até tiste...
Obrigada para quem leu 💙

Bjs, e até aproxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...