História You Belong With Me - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias André Schürrle, Marc Bartra, Marco Reus, Natalia "Nah" Cardoso, Roman Bürki
Personagens André Schürrle, Marc Bartra, Marco Reus, Nah Cardoso, Personagens Originais, Roman Bürki
Tags André Schürrle, Bvb, Futebol!, Nah Cardoso
Visualizações 45
Palavras 1.295
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Obrigada pelos favoritos! Agradeço todos que leram essa história!

Capítulo 4 - Four


Já faziam três meses que Schurrle estava namorando a Anna Sharypova. Eles pareciam cada vez mais próximos e postavam em redes fotos juntinhos com mais frequência. Com uma grande dor percebi que ele realmente havia encontrado alguém especial. Não adiantava nada eu gostar ou não da Anna, era ela quem André amava com todo coração. 

Depois daquele fatídico dia em que ele me apresentou sua nova namorada as coisas entre nós só pioraram. Fiquei com tanta raiva dele que voltei para o Brasil naquele mesmo dia. Choveram mensagens de todo mundo para que eu não desistisse, mas eu estava cansada. Já alimentava esse amor platônico há tempo demais para continuar fazendo papel de idiota. Era óbvio que o loiro só me veria como a "amiguinha" para sempre. 

Mas o problema era mais profundo que isso. De repente me senti só e vazia. Ficava pensando no André o dia todo, não adiantava tê-lo bloqueado, ter parado de lhe falar, ter cortado relação até com seus amigos. Schu era uma constante em meus pensamentos. Isso me fazia sofrer ainda mais. Comecei a atrasar os conteúdos do canal, a não conseguir vencer prazos e fui muito criticada por patrocinadores e fãs. Estava num buraco sem fundo. Briguei com meu pessoal do Nah Space e até com minha mãe. Acabava descontando em quem não precisava. Isso já estava me matando. Por isso tomei uma decisão radical. Larguei meu canal, meu site, redes sociais, publicidade, absolutamente tudo. Saí de São Paulo por um tempo para respirar. Fiz vestibular novamente e voltei a cursar publicidade. Uma tia minha estava morando em Porto Alegre e vim morar com ela. 

Não foi tão ruim quanto pareceu essa mudança. No início era estranho e as pessoas me reconheciam. Muitos me encaravam com olhar julgador e os professores diziam que não me dariam nota só por eu ser famosa. Mas não liguei e prossegui firme no meu objetivo. Com o passar do tempo todos entenderam que não estava ali como Nah Cardoso, mas sim como a Natalia, uma jovem em busca de se redescobrir. 

Fiz minhas primeiras amizades e estava indo bem nos estudos. Me falava de vez em quando com a Chris, mas sabia que ela me entenderia. Ao contrário, vários "amigos" de quando eu era famosa me abandonaram ou me criticaram em público. Mas resolvi ignorar, estava feliz por me livrar de parasitas. 

A única pessoa que não consegui abandonar foi o Burki. Nos tornamos muito amigos e ele sempre me apoiava e me fazia sorrir. Eu pedi para meu amigo que não mencionasse Schu em nossas conversas e ele sempre respeitou meu pedido. Além do mais nunca revelou ao loiro onde eu estava. Ele chegou a me contar que André estava me procurando uma vez, mas lhe pedi que nunca mais falássemos nesse assunto. 

E assim com mais alguns meses voltei a ser a Natalia anônima de sempre. Estava feliz e voltando a me sentir realizada. Eu ía bem na universidade e já tinha conseguido um estágio no jornal Zero Hora. Estava gostando de conhecer o lado "por trás dos holofotes e câmeras". Eu ficava na redação e me sentia bem com isso. Eu trabalhava na organização e diagramação das publicidades do jornal, cuidava de suas propagandas, do marketing pelo estado, em fim era muito trabalho, mas amava fazer algo que me trazia paz absoluta. E assim meus dias foram aos poucos voltando a criarem uma rotina.

 

Na Alemanha.

 

André seguia por meses procurando entrar em contato com Natalia. O jogador sentia falta de sua melhor amiga. Além disso não entendia bem o que motivou a volta repentina da moça ao Brasil e seu sumiço. O que teria acontecido para ela abandonar sua vida e seu trabalho e simplesmente sumir do mapa?

Claro que essa inquietação toda provocou ciúmes em Anna, no fundo ela sabia que Schu amava Natalia Cardoso e que não iria nunca ficar feliz sem ela. A modelo tentou de tudo para que André a esquecesse, mas a todo momento sua lembrança os assombrava. 

"A Natalia adora essa comida..."

"Que saudades de quando a Nah e eu jogávamos conversa fora..."

"Sabe essa música? Nah sempre amou..."

"Será que Natalia está assistindo os jogos?"

"Nah onde está você?"

E assim eram todos os dias. O nome da brasileira sendo exaustivamente repetido na casa de Schurrle. Até um ponto em que Anna não aguentou mais. Só o que faltava era o loiro lhe chamar pelo nome da outra. Então ela decidiu partir. 

Schu nem sequer a impediu. Era claro que ele não amava Anna. Porém uma venda parecia obscurecer sua visão. O jogador não admitia o óbvio. E foi nesse momento que seu amigo Burki resolveu dar uma forcinha. Ele sabia que mesmo Natalia não falando ainda amava Schu. Por isso o suíço resolver ter uma conversa de homem para homem com André e manda-lo assumir o que sente e ir atrás de sua verdadeira amada. 

André refletiu muito e finamente desistiu de lutar contra o que sentia e começou uma busca incessante por sua melhor amiga. Busca essa que o levou até esse momento. Schurrle observava Nah trabalhar concentrada na redação de um jornal. Conseguira fazer Burki quebrar sua promessa em nome do bem maior e contar onde Natalia estava. André nem acreditava que estava novamente frente a frente com sua amiga. Ele foi silenciosamente até a mesa dela e lhe cobriu os olhos.

-Mas quem está fazendo essa brincadeira? -reclamou Natalia irritada.

Schu se abaixou até seu ouvido e falou:

-Senti saudades meu amor.

A brasileira sentiu o coração disparar no peito. Já fazia meses que não ouvia aquela voz. Ainda mais lhe chamando de amor.

-Schu? -ela perguntou confusa. O jogador então ficou de frente para ela fazendo-a abrir um sorriso. Nah se deu conta que ainda não o havia esquecido.

-Achei que nunca mais fosse te ver.

-Eu...precisava de um tempo... -respondeu a moça sem saber como se explicar. 

-Você fez muita falta. Todos sentiram muito quando partiu. Principalmente eu. 

-Não quis magoa-los. Estava muito mal naquele momento. Precisava desse tempo.

-Eu sei Nah. E vim aqui justamente lhe pedir perdão por ter te feito sofrer tanto. 

A morena olhou Schurrle sem entender.

-Eu fui um idiota por não assumir meus sentimentos. Mas não posso deixar que fique sem saber do imenso amor que sinto por ti. Você sempre foi muito mais do que minha melhor amiga. Só demorei tempo demais para enxergar isso. 

Lágrimas caíam na face de Natalia. Ela sentiu no fundo de sua alma que ainda correspondia fortemente esse sentimento. 

-Me perdoe por não ter te amado como merecia. 

-Schu não...

-Não Natalia eu preciso te pedir perdão. Perdão por não ter pedido você em namoro naquela noite. Por ter te deixado ir sem ter lutado pelo seu afeto. Mas eu estou aqui para que você saiba que eu te amo mais do que qualquer coisa.

André se aproximou de Natalia e lhe roubou um beijo carinhoso. A morena correspondeu a carícia pensando que era melhor do que havia tantas vezes sonhado. Seus lábios se encaixavam de forma perfeita nos de Schu. Eles estavam tão ou mais apaixonados mesmo com meses de separação. Aquele beijo dera a certeza a André que ele havia feito a escolha certa em não desistir de Natalia. 

A essa altura toda a redação assistia a cena romântica. Quando os dois se afastaram todos ali os aplaudiram animados. Nah sorriu tímida enquanto André se ajoelhou a sua frente.

-Natalia Cardoso -ele disse olhando-a e sorrindo profundamente -Quer casar comigo?

A brasileira ficou paralisada enquanto todos ecoavam um grito de "aceita, aceita" e para felicidade geral a resposta foi sim. O casal novamente se beijou esbanjando felicidade e gratidão. Eles agora tinham plena certeza: pertenciam um ao outro, e sempre pertenceriam.


Notas Finais


Agradeço mais uma vez por vocês terem lido a história! Até uma próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...