História You can call me monster - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Personagens Originais, Sehun
Tags Exo, Original, Sehun
Visualizações 128
Palavras 917
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Missing


Fanfic / Fanfiction You can call me monster - Capítulo 3 - Missing

Abro meus olhos com dificuldade por conta de alguma luz forte perto de mim. Sinto minha cabeça latejar e eu me sinto um pouco tonta. Assim que consigo me acostumar com a luz do local, vejo que estou em um quarto, e vejo por uma pequena entrada de ar no teto que já é noite lá fora, eu fiquei desacordada por todo esse tempo?! A medida que vou acordando, as lembranças vão voltando. Puta merda, eu fui... Sequestrada.

Me desespero e tento me levantar, mas minha cabeça ainda dói muito pra isso. Quando eu finalmente consigo me sentar sem minha cabeça explodir, ouço a porta ao meu lado se abrir, e só consigo pensar em uma coisa: fodeu.

Dou um pulo pra trás e arregalo os olhos quando vejo o estranho que eu ajudei na noite anterior parado na porta, ótimo, então é assim que o cretino retribui.

- Você dorme muito, pensei que tinha morrido. – Diz ele fechando a porta e vindo em minha direção. Além de me sequestrar ainda zomba de mim?

- É assim que você me agradece por ter salvado sua vida? Me sequestrando? – Falo elevando meu tom de voz.

- Mas eu salvei sua vida antes. – Ele retruca e sorri, parecia estar se divertindo com a situação.

- O que? Eu que chamei a atenção daqueles caras. – O encaro incrédula, e ele continua com um sorriso debochado no rosto. – Isso não importa agora, o que você quer de mim? Porque não me deixa em paz? Eu vou fingir que nada dis...

- Hannah. – Ele me interrompe e me encara sério. Como diabos ele sabe meu nome? – Aqueles dois homens daquela noite eram de uma máfia perigosa, e agora que a máfia sabe que eles morreram... eles estão querendo me matar.

- Tá, e o que eu tenho haver com isso? – Pergunto frustrada.

- Droga, você pode calar a boca por um minuto?! – Ele eleva o tom e eu resolvo me calar. – Acontece que no local onde tudo isso ocorreu tem uma câmera de segurança, eles viram você também, então eles também querem você. Não que eu me importe se você morrer, na verdade se fosse por mim você estaria morta desde ontem, mas eles irão te torturar até você falar que me viu, e isso que é um problema. Ah, e aposto que eles viram o que você fez com um dos amigos deles... Não devem ter ficado muito felizes com isso... – Engulo o seco quando lembro que atingi o homem. Isso não pode estar acontecendo comigo, é muita informação para processar, mas em que eu fui me meter? Eu poderia muito bem ter corrido naquela noite e ter deixado esse babaca morrer, mas que inferno.

- Você vai ficar nesse quarto até resolvermos o problema. Aqui tem tudo que você precisar, e eu venho deixar comida pra você quando estiver com fome. – Eu não presto atenção em suas palavras, apenas o encaro incrédula. Ele ainda está com os pontos que eu dei nele, seu cabelo está mais comportado agora, ele veste uma camisa branca com uma jaqueta de couro por cima, os seus ombros são bastante largos e percebo que seus olhos são puxados. Ele parece o típico badboy de faculdade, não um assassino sequestrador de garotinhas inocentes.

- Eu não acredito em você. – Retruco. – E eu não vou ficar aqui, isso é sequestro! Eu vou pegar um telefone e ligar pra polic...

- Eu te mataria antes que discasse algum numero. – Ele me interrompe e se levanta. – Acreditando em mim ou não, você vai ficar aqui. E não há nada que você possa fazer a respeito disso. – Bufo e ele anda em direção a porta, mas se vira pra mim. – Ah, meu nome é Sehun, Oh Sehun, caso queira saber.

- Você é da máfia chinesa? – Pergunto me levantando com cautela e ele ri.

- Eu sou coreano. – Ele diz ríspido e antes que eu pudesse dizer qualquer coisa ele sai do quarto, trancando a porta por fora. Ótimo, fui sequestrada por uma máfia porque outra máfia quer me sequestrar, não poderia ficar melhor.

Olho em volta do quarto e ele é bem espaçoso. A cama é de casal, tem um guarda-roupa grande bem em frente à cama, uma penteadeira e um banheiro logo ao lado. Seria um quarto qualquer se não fosse pelo fato de que não há janelas em nenhum lugar, apenas uma pequena abertura no teto pra poder entrar ar.

Suspiro e vou até o banheiro. Paro em frente ao espelho e me fito, estou realmente horrível. Tenho cara de que não durmo há semanas, meu cabelo está todo bagunçado e minha roupa está amassada. Ligo a torneira e passo agua no meu rosto, eu pensei que Amanda estava exagerando quando disse que eu estava horrível.

Oh céus, Amanda. Ela disse que ia me ligar, deve estar preocupada comigo agora. Procuro meu celular nos meus bolsos, mas em vão, é claro que ele não ia deixar meu celular comigo. Volto pro quarto, me sento na ponta da cama e fito a porta que Sehun acabara de sair.

Me encosto na cama e não consigo conter minhas lagrimas. Choro por ser estupida de ajudar um estranho, choro por lembrar que meus amigos vão sentir minha falta e ficarem preocupados comigo, choro por estar nessa situação, choro de raiva, de medo.

Depois de algumas horas o cansaço toma conta de mim, e eu adormeço pensando que tudo aquilo será apenas um sonho, e quando eu acordar estará tudo bem.


Notas Finais


Espero que estejam gostando.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...