História You complete me - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Amizade, Amor, Bangtan Boys, Bias, Bts, Homossexualidade, Idol, Jimin, Kidol, Kpop, Romance, Shipp, Sugamin, Taehyung, Yaoi, Yoongi, Yoonmin
Exibições 57
Palavras 1.382
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi amoras, td bm? Como vai a vida? E as novidades?

Capítulo 13 - Não me peça para ter esperanças


 

Taehyung mexia suas pernas para frente e para trás, ele se divertia com o fato de seus pés ficarem tão longe do chão enquanto ele estava sentado naquela cama de hospital. Ele já estava cansado de ficar dentro daquele quarto sozinho enquanto o seu pai havia saído para conversar com o médico.
   Ele odiava hospitais, principalmente aquele, já que sua mãe passou grande parte de sua vida ali.
   Taehyung deu um pulo e desceu da cama, ele estava descalço e então sentiu o chão gelado, ele mexeu os seus dedinhos dos pés e caminhou até a sua mochila e pegou uma revista em quadrinhos que estava no meio de seu caderno. Taehyung adorava ler seus quadrinhos enquanto fingia prestar atenção nas aulas.
   Então seu pai com o médico voltaram sorrindo para o quarto, e o Dr. Chan se aproximou dele.
   - Você está cada dia mais forte - Ele passou as mãos pelo cabelo de Taehyung e bagunçou alguns fios.
   Taehyung sorriu como resposta e focou a sua atenção em seu pai. Eles se olhavam de uma maneira doce, e seu pai não conseguia esconder o seu sorriso.
   - Conte para mim - Ele se sentou na beira da cama - Você já está com quantos anos?
   Taehyung mostrou seis dedos e sorriu.
   - Eu venho aqui uma vez por mês e o senhor sempre pergunta a mesma coisa, acho que está ficando esquecido
   Os dois começaram a rir, mas logo o seu pai o repreendeu.
   - Taehyung, você não deve falar assim
   - Tudo bem, eu realmente estou ficando cada dia mais esquecido
   - Me diga papai, por que temos que sempre vir aqui? - Taehyung se arrastou pela cama e se aproximou de seu pai que estava parado em pé do outro lado da cama.
   Ele olhou para o médico e perecia não saber o que responder, ele não queria contar a verdade, falar que existia uma possibilidade dele ficar doente assim como a sua mãe.

Desde que sua esposa havia morrido ele havia começado a ter medo de perder Taehyung também, a possibilidade de não ter mais Taehyung ao seu lado fazia ele sofrer. Ele começou a consultar o médico mensalmente para ter certeza de que ele estava bem.
   A resposta era sempre a mesma "Taehyung tem uma saúde melhor que a nossa, não precisa se preocupar tanto com ele", mas era muito difícil para ele não se preocupar.
   

Conforme os anos foram passando as visitas ao médico começaram a diminuir, ele se sentia confiante e já acreditava que felizmente Taehyung não passaria pelo o mesmo que sua mãe.
   Ele começou a planejar uma viagem de férias para ele e para Taehyung. Tae havia acabado de completar doze anos e então ele queria que os dois passassem mais tempo juntos.
   Mas foi quando ele estava voltando para a sua casa depois de longo dia cansativo na escola que tudo mudou. Ele escutou o seu celular tocar enquanto dirigia, ele olhou para a tela e sentiu o seu coração pesado quando viu o número do Dr. Chan, ele estacionou o seu carro rapidamente e respirou fundo antes de atender.
   - Doutor, aconteceu alguma coisa?
   - Você pode vir até o consultório? Precisamos conversar sobre o Taehyung
   Naquele momento era como se a caminho até o hospital houvesse aumentado alguns quilômetros ou que seu carro começasse a andar cada vez mais devagar. Ele tinha pressa em chegar em seu destino, mas ao mesmo tempo ele não queria chegar, ele sabia que ele não podia esperar uma boa notícia.
 

- Eu sinto muito
   O pai de Taehyung cobria o seu rosto com as mãos.
   - Eu realmente não sei como não vi isso antes
   Dr. Chan segura alguns exames em sua mão e olhava para o pai de Taehyung com vergonha. Taehyung sempre esteve doente, mas por um pequeno descuido eles nunca perceberam isso. 
   Ele apresentava uma leucemia que se desenvolvia rápido, conhecida como leucemia aguda. Por se desenvolver rápido podem existir casos em que ela não apareça em um exame, mas apareça nos seguintes, assim como foi o caso do Taehyung.
   - Eu devia ter feito mais exames
   - Não é sua culpa, tinha que acontecer - Sua voz era fraca e sua cabeça estava baixa.
   - Nós vamos entrar com o tratamento e você só precisa ter esperanças
   - Não me peça para ter esperanças, eu já tive ela por muito tempo enquanto minha esposa estava doente e eu apenas sofri por acreditar que tudo acabaria bem
   - Cada caso é um caso, ele ainda é um menino muito jovem as chaces são um pouco maiores
   - Eu sei que criamos uma amizade, você cuidou muito bem da minha esposa e eu sou muito grato por isso - Ele levantou a cabeça e encarou o médico - Mas você não pode mentir pra mim para tentar fazer eu me sentir melhor, eu já convivi com essa doença e eu sei o que ela faz com as pessoas, eu sei quais são as chances dele
   Os dois ficaram um bom tempo em silêncio, até que o pai do Taehyung se levantou e saiu do consultório sem falar nada.
   Ele segurou no volante com força e encostou a sua cabeça no banco, ele não conseguia mais segurar aquela vontade de chorar. Cada lágrima doía, em sua mente começou a se passar um filme de cada momento triste que sua esposa teve em vida, ele não aguentaria ver o seu filho daquele jeito.
 

Ele fez o caminho mais longo até a sua casa, ele não queria que Taehyung percebesse o quanto ele estava mal, ele não queria ter que contar o motivo de suas lágrimas.
   - O senhor estava chorando? 
   Taehyung entrou no quarto de seu pai e encontrou ele sentado na cama olhando para uma foto velha de sua mãe. Seus olhos estavam vermelhos, ele conhecia o seu pai e sabia que se ele estava daquele jeito havia um bom motivo.
   - Eu só estava lembrando da sua mãe - Ele enxugou o rosto e guardou a foto.
   - Eu também sinto saudades dela - Taehyung segurou a sua mão - Ás vezes quando eu estou com muitas saudades fecho os meus olhos e começo a conversar com ela
   - Isso deve ajudar - Ele tentou sorrir.
   - Sim, ajuda muito, podemos tentar se quiser
   Os dois se ajeitaram na cama e fecharam os olhos.
   - Quer conversar primeiro? - Taehyung perguntou.
   - Tudo bem - Ele respirou fundo - Eu sinto tanta a sua falta 
   Ele parou de falar e sentiu um certo alivio em seu coração, era a primeira vez que ele conversava com ela desde que ela havia partido.
   - Tem sido tão difícil não ter você aqui, eu me sinto perdido e eu não sei se estou fazendo as coisas certas, eu quero ser o melhor para o nosso filho - Ele sentiu novamente as lágrimas aparecerem - Por favor, me ajude, eu preciso de ajuda para enfrentar o que está por vir
   Ele sentiu as mãos de Taehyung em seu rosto e enxugar as suas lágrimas, mas continuou de olhos fechados.
   - Mamãe, eu também sinto a sua falta, eu queria ter você aqui em vários momentos, mas entendo que isso tudo devia acontecer - Ele apertou a mão de seu pai um pouco mais forte - Obrigada por ter escolhido um ótimo pai para mim, ele faz sempre tudo certo, eu já não me importo mais quando ele esquece de assinar os meus bilhetes, sei que ele tem muitas coisas para se preocupar
   Ele deu um pequeno sorriso e abriu seus olhos, ele ficou observando seu filho sentado em sua cama que estava com os olhos fechados e suas pernas penduradas para fora dela.
   - Ajude o meu pai a ser forte, ele não precisa ter medo, e nem esconder de mim a verdade, eu sou um menino crescido e sei que assim como você eu estou doente, mas tudo bem mamãe, eu sei que você vai deixar eu ficar muito tempo ainda com o papai e quando eu me for a senhora vai cuidar muito bem dele e não vai deixar que ele sofra
   Os dois se abraçaram com força enquanto o seu pai chorava.
   - Você vai ficar bem filho, eu sei que vai
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...