História You don't know my heart - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Harry, Larry, Louis, Stylimson
Exibições 101
Palavras 3.037
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente desculpa não ter postado ontem, aconteceu coisas, e então neeh, to postando hj!!

Desculpa os erros, Não tive muito tempo pra revisar!

Boa leitura...💚💙

Capítulo 13 - 12 - Febre


Alguns dias depois

P.V.O Louis

Os dias passaram quase que voando, e me deparei em uma sexta-feira de madrugada sem conseguir dormir e uma tempestade caindo do lado de fora, eu estava na cozinha, e tinha pegado um pouco do whisky, a algum tempo esquecido, em cima do balcão, estava sem sono, e com um pingo de vontade de fazer chá, escutei um barulho vindo do corredor e quando me virei vi Harry parado no batente.

Meus pais haviam voltado para Doncaster a alguns dias, e Harry tem ficado muito comigo, durante esse tempinho que estavamos juntos, descobri várias coisas dele, e ele de mim, era incrível que eu me sentia tão bem perto dele, e que o conheço a tão pouco tempo, mas era como se o conhecesse a muito tempo, ele se aproximou de mim e me abraçou por trás me dando um beijo na bochecha.

-- Senti sua falta na cama, não consegue dormir? -- ele sussurrou em meu ouvido e eu terminei de virar a pequena quantidade de álcool.

-- Não... Dessa vez nem seus braços me fizeram dormir -- disse me virando de frente pra ele

-- Não preferia ter tomado um chá? -- ele perguntou sorrindo doce.

-- Não estava com um pingo de vontade de tomar chá, e foi só um gole -- Harry não gostava muito de bebidas, então resolvi parar com as misturas por enquanto

-- Tudo bem -- ele disse beijando minha testa e me guiando até o quarto -- Então vamos voltar, e quem sabe você consegue dormir agora...

Suspirei ao sentir seu calor em minhas costas, voltamos ao quarto e me deitei sobre o peito de Harry, e demorou um pouquinho para que eu pegasse no sono, não sei porque, mas estava sentindo algo estranho nos últimos dias, recebi a ligação da empresa que me contrataria, e quando fui até lá, combinamos que eu começaria no próximo semestre, ao sair do local, senti como se estivesse sendo observado, mas não vi ninguém. Sempre que eu saía, para correr, ou para ir a academia, ou a casa de Harry, sempre com a sensação de estar sendo observado, mas nunca havia ninguém, oque começou a me deixar um pouco assustado.

-- Pensando muito pequeno? -- escutei a voz rouca e baixa de Harry e o olhei saindo do pequeno transe que havia entrado

-- Não consigo dormir -- disse baixinho fazendo bico

-- No que estava pensando? -- ele perguntou mais um vez acariciando meus cabelos.

-- Só que... Nesses últimos dias, eu tive muito a sensação de estar sendo observado, mas nunca tem ninguém -- ele umedece os lábios e me olha como se entendesse

-- Também tive essa sensação, mas achei que fosse coisa da minha cabeça -- ele diz dando meio que de ombros

-- Acha que estamos ficando loucos? -- pergunto baixinho beijando seu pescoço.

-- Talvez...

-- Hmm, talvez é...? -- digo passando a língua por seu pescoço e deixando algumas mordidas pelo caminho.

-- É... -- ele diz um pouco ofegante.

Riu fraco e começo a chupar seu pescoço, traçando um caminho de beijos e mordidas, ele aperta minha bunda com certa força, oque me faz gemer baixinho, continuo a trabalhar ali e vou subindo para o seu maxilar, distribuo beijos por seu rosto e sinto minha boxer um pouco mais apertada, Harry segura firme em minhas coxas, enquanto o beijo e ele retribui com a mesma intensidade. Eu já passei por meus momentos de excitação, já me peguei várias vezes pensando no corpo de Harry, e precisei de uma pequena ajudinha das mãos, mas nunca fiquei exsitado na frente dele, e nesse momento me pego corado, em seu colo, e sentindo minha boxer cada vez mais apertada.

-- Lou? -- escuto Harry me chamar, e o olho meio corado, ele tem um sorriso no rosto -- Acho que não sou o único que não tem controle...

Ele diz, claramente, sentindo oque está acontecendo aqui embaixo

-- Descupe por isso -- digo meio envergonhado, e escondo o rosto na curva se seu pescoço.

Ele ri baixinho e suasurra em meu ouvido

-- Eu posso te ajudar com isso, se você quiser...

O olho por um segundo, uma certa insegurança toma conta de mim, e não sei exatamente oque responder, ele beija meu rosto e vai para o meu pescoço, com um simples toque se sua coxa em meu membro me faz gemer, isso estava me matando, e com a minha sanidade quase pulando pela janela, respondo

-- Mas eu não quero fazer, ainda não me sinto muito certo... -- digo baixinho em seu ouvido

-- Não vou fazer nada que você não queira -- ele ganrante, e eu concordo.

Harry beija meus lábios, e com cuidado me coloca na cama, ele fica por cima do meu corpo, e começa a beijar meu pescoço, ele vai devagar, com pequenos beijos e chupões, então vai descendo até chegar em meu peito, com os dedos ele traça a tatuagem It's is what It's is, que por acaso completava a sua de borboleta, ele beijou cada parte de meu abdômen, seus toques eram leves, e isso só me atiçava, aos poucos ele foi chegando perto de meu membro, oque fez minha respiração falhar por um estante.

Ele puxou a barra da minha boxer com os dentes, fazendo bater contra minha pele, mordi o lábio inferior, impedindo um gemido.

-- Não reprima os gemidos baby... -- ele disse passando a língua bem próximo ao cós da boxer.

-- H-Harry -- gemi seu nome ao que ele finalmente abaixou minha boxer, me livrando do aperto, mas não por completo.

Ele deixou até a metade de minhas coxas, e começou a passar a mão perto de minha virilha, e beijar minhas coxas, sempre mantendo meu membro sem ser tocado, minha respiração já estava desregulada, e essa falta de atenção estava me deixando louco.

-- Uhn -- gemi manhoso tentando levar minha mão até meu membro, mas Harry a seguro, fazendo com que eu a apertasse como um pedido, para que fosse logo com aquilo.

-- Isso está te matando não é? -- ele disse e eu assenti -- Se responder talvez eu ande mais rápido...

-- H-Harry, po-por favor! -- gemi pouco me importando de estar implorando ou não, eu queria sentir seu toque.

Ele soltou minha mão e me agarrei ao lençol, ele terminou de abaixar minha boxer, agora me sentia um pouco exposto, ele se encaixou no meio de minhas pernas e senti seus beijos molhados em minhas bolas, e não tive tempo para processar mais nada antes dele colocar meu pênis em sua boca, gemi ao sentir seus lábios em meu membro, ele beijou a glande, que já escorria pré-gozo, e logo começou a passar a língua pela extensão, masturbando o resto com a mão, ele fazia tudo devagar, sem pressa alguma.

Levei minha mão até seus cabelos, e o segurei com força, eu mantia os olhos fechados, era uma mistura de gemidos e palavras sem nexo, Harry sabia oque fazia, seus lábios subiam e desciam em meu membro, nesse instante eu não tinha mais nenhum resquício de consciência, a deixei sair do quarto na hora que aceitei que Harry me "ajudasse", ele tinha os toques tão levez e ágeis ao mesmo tempo, que os gemidos só saíam por meus lábios sem censura.

-- Hazzy! -- gemi e o encarei, pude ver sua boca perfeitamente envolvendo meu pênis oque me fez perder o fôlego por um segundo -- E-eu, eu vou... Oh fuck! Hazz!

Senti seus dentes roçarem em meu membro, e não tinha sensação melhor, ele me olhou de volta, suas orbes verdes encarando as minhas azuis, me perdi um pouco ali, retomei o fôlego e mordi o lábio inferior tentando me controlar.

-- Oh fuck! Hazz, e-eu vou gozar! -- gemi um pouco alto, ainda bem que meus pais já tinham ido embora.

Ele soltou meu pênis a tempo de me ver gozar, afundei a cabeça no travesseiro, apesar de estar fazendo um pouco de frio, e praticamente o mundo estar caindo lá fora, estava suado, e mative minha atenção em voltar a minha respiração ao normal, senti apertar minhas bolas, e gemi manhoso, Harry foi subindo até estar sobre meu corpo novamente.

Ele passou o nariz por meu pescoço e beijou sobre meus lábios, mas foi apenas nossos lábios se movendo, sem língua, ele ageitou a minha franja que estava caída sobre meu rosto e alguns fios que estavam grudados em minha testa.

-- Acho que problema resolvido -- ele acariciou meu rosto e abri os olhos devagar.

-- Acho que sim -- disse sorrindo e o beijei mais uma vez.

-- Vou no banheiro e já volto ta bom? -- ele disse e eu assenti, aproveirei para controlar a minha respiração, continuei na mesma posição de antes e Harry voltou ao quarto com uma toalha.

Procurei minha boxer, que se perdeu em meio aos lençóis, e Harry limpou um pouco da minha bagunça, limpei meu estômago, que sujou um pouco, e joguei a toalha em qualquer canto do quarto, Harry se deitou ao meu lado novamente e subi em cima dele o beijando

-- Será que você consegue dormir agora pequeno? -- ele disse me puxando com cuidado para deitar em seu peito

Abracei se pescoço e passe minha bochecha na dele, a beijando logo em seguida

-- Vou entender como um sim -- ele disse rindo e me abraçando de volta.

-- Obrigado por respeitar o meu tempo Hazz! E por me ajuadar com isso -- disse baixinho e ele beijou meus cabelos

-- Sempre que quiser, e quando eu puder -- disse com um sorriso malicioso no rosto

-- Harry! -- disse rindo e ele me apertou em seus braços.

-- Não precisa agradecer por isso, eu sempre vou respeitar o seu tempo -- disse carinhoso -- Sempre entendido?

-- Entendido -- disse sorrindo e acabei bocejando.

-- Agora dorme um pouquinho, que você não dormiu nada essa noite -- mandou e o olhei divertido mas estava mesmo com sono.

-- Boa noite Hazz... -- disse já sonolento e senti ele mexer em meus cabelos

-- Boa noite Lou -- sussurrou de volta e adormeci em seus braços, como a maioria das noites.

***


Acordei e senti um arrepiu percorrer minhas costas, puxei mais a coberta, coloquei a mão ao meu lado e não senti Harry ali, abri os olhos devagar, e fiquei olhando para o teto, meu nariz ardia e meus olhos marejavam, tentei me levantar mas assim que sentei na cama senti minhas costas doerem, me espreguicei e acabei espirrando, e com ele mais três, um atrás do outro. Droga, peguei um resfriado durante a noite.


-- Lou? -- Harry entro no quarto com um copo de chá e um comprimido


-- Bom Dia? -- minha voz quase não saiu, e minha garganta estava seca -- Oque aconteceu?


-- Bom dia... -- ele disse com um sorriso me entregando o comprimido e o chá -- Bom, você começou a tossir no meio da madrugada e tremer, tirei sua temperatura e você estava com um pouco de febre, não se lembra?


Fiz que não com a cabeça e ele acariciou meu rosto.


-- Eu encontrei um analgésico no seu armário, e você dormiu bem o resto da madrugada, então resolvi te fazer um chá, para tomar com o comprimido -- cheguei mais perto dele e me aconcheguei em seu peito -- Sério que não se lembra, nem da sua crise de tosse?


-- Tenho sono pesado -- disse com a voz fraca -- Eu devo ter falado com você dormindo...


Ele riu e começou a fazer carinho em meus cabelos, eu ainda tinha o chá e o comprimido na mão.


-- Melhor você tomar, antes que esfrie -- beijou minha bochecha e coloquei o comprimido na boca, o tomando com o chá.


-- Minhas costas doem Hazz! -- disse como uma criança que pede colo, e Harry me aconchegou melhor em seu peito


-- É por causa do resfriado, logo passa -- fechei os olhos, a sensação que tinha, era de cansaço...


-- Harry fica comigo? -- pergunto meio manhoso, eu odeio ficar assim, geralmente Liam ou Zayn ficam comigo, mas o mesmo não esta muito bem, eu fui ve-lo essa semana e ele não se sentia muito bem

-- Claro amor -- ele falou baixinho mas pude ouvir e sorri para ele -- Só espera um pouquinho, vou trazer alguma coisa pra você comer.

Assenti e espirrei assim que ele saiu do quarto, me embrulhei de baixo das cobertas, e fechei os olhos, eu devo ter adormecido, ou algo do tipo, pois eu de repente vi Josh na minha frente, junto comigo, eu havia pegado um resfriado, e Zayn estava comigo, mas ele teve que sair para fazer alguma coisa, e então Josh apareceu no meu apartamento, ele estava bêbado, e eu sem um pingo de paciência, começamos a discutir, e então mandei ele ir embora, mas ele insistia em ficar, em dizer que ne amava, e que eu era seu. Apartir daí minha raiva foi maior.

Como ele ainda dizia que me amava? Eu não acho que isso que ele fazia comigo era amar, era tudo, menos amor! O puxei para fora da cozinha onde estavamos, o tentei colocalo para fora, mas ele me agarrou, e quanto mais tentava me livrar de seu aperto ele colocava mais força, foi então que ele me deu um tapa na cara, e como já estava fraco e meio zonzo dos medicamentos foi o suficiente para ele fazer oque quisesse comigo.

Acordei assustado, pingando suor, meus olhos ardiam, mas eram pelas lágrimas que derramava, estava tremendo, e não conseguia parar, quando tentei chamar por Harry minha voz saiu distante.

-- H-Harry! -- comecei a tossir, okay, talvez não fosse um simples refriado, tentei me levantar, mas não tinha força nas pernas -- Harry?

Chamei mais uma vez e ele apareceu no quarto, ao ver meu estado veio até mim, sua voz também era distante, ele tocou minha pele e senti que, ou eu estava muito quente, ou ele muito gelado.

-- Lou! Você está ardendo em febre! -- ele disse e senti a preocupação em sua voz -- Vou te levar ao hospital, você não pode ficar assim!

-- N-Não Harry! Fica comigo! -- disse olhando em seus olhos -- Só fica, por favor!

-- Mas precisamos abaixar sua febre! -- ele disse me apertando em seus braços.

-- N-na segunda gaveta, tem... Uma caixinha... -- comecei a tossir e ele foi até onde eu apontei e pegou a caixinha com os remédios.

Ele pegou um dos comprimidos e me deu, pegando um copo de água na cozinha, enguli o comprimido, minha cabeça girava.

-- Acho melhor tomar um banho para ajudar a abaixar, o remédio só faz efeito depois de 30 minutos... -- ele disse me ajudando a levantar, mas não tinha força nem para afirmar as penas no chão

-- Ah, Lou, oque aconteceu? Você estava tão bem ontem... -- ele me pegou no colo, meus olhos estavam pesados.

-- Já... Faz um tempo que isso... Isso não acontece... -- tento dizer mas minha garganta doi.

-- Isso oque pequeno? -- ele diz me ajudando a tirar as roupas, me colocando sentado na pia.

-- Essas... Essas febres repentinas, são... São do meu psicológico -- começo a tossir e Harry começa a encher a banheira com água gelada -- É uma... Uma sequela do trauma que eu tive... Quando isso acontece, atinge meu organismo por causa das febres muito altas

Comecei a tossir de novo, Harry me colocou na banheira e a água estava bem gelada, em contraste ao meu corpo quente. Eu não tive uma dessas a muito tempo, a última foi um ano depois que Josh foi preso, mas desde então, nunca aconteceu, até agora.

Depois de uns 5 minutos na água fria, Harry me ajudou a me secar, a febre abaixou por conta da temperatura baixa da água e eu consegui reafirmar minhas pernas no chão, me troquei, e Harry ficou comigo, eu ainda tremia, mas não suava.

-- Oque aconteceu para isso volta pequeno? -- Harry sussurrou em meu ouvido.

-- Quando você foi para cozinha, eu cochilei um pouco...

-- Sim, foi quando sua febre aumentou drasticamente

-- É que, e-eu, eu sonhei com o Josh! -- disse escondendo meu rosto em seu peito.

-- Oque você sonhou exatamente amor? -- ele insustiu, eu nunca tinha contado a ninguém, nem mesmo Liam ou Zayn, nem mesmo meus pais sabiam que Josh abusava de mim.

-- É-é que -- comecei a chorar e Harry me abraçou mais forte.

-- Pode contar pequeno, mas se não quiser eu vou entender -- beijou meus cabelos.

-- H-Harry, o Josh, ele -- eu tinha que contar, me faria bem, isso me matava a tanto tempo -- Não só batia em mim, ele abusava de mim...

Harry ficou tenso, e eu comecei a chorar abertamente, achei que Harry iria ficar com nojo de mim, nunca mais olhar em minha cara, como ele podia querer um objeto usado como eu? Nunca! Minhas lágrimas escorriam livres, tanto de dor, quanto de que eu esperava o pior, esperava que Harry me empurrasse e saisse por aquela porta me deixando, mas pelo contrário, ele me embalou em seus braços, e vi que ele chorava comigo, ele me apertava contra seu peito, com a intenção de me fazer parar de chorar.

-- A cada palavra sua sobre esse Josh, só fico com mais nojo dele! -- Harry disse com raiva.

-- E-ele está preso, ele não vai voltar -- falei para ele, tentando me convenser disso.

-- Não ele não vai, e eu garanto que ele nunca mais vai chegar perto de você -- disse me beijando

Senti minha febre abaixar e o remédio fazer efeito, fiquei sonolento e Harry começou a fazer carinho no meu cabelo, ao dizer isso a Harry me senti um pouco menos pesado, Harry era perfeito em todos os sentidos, com ele me sentia em casa, me sentia seguro em seus braços, aos poucos me entreguei ao efeito do remédio e dormi voltando a relaxar em seu calor.


Notas Finais


Até semana que vem



Beijos no core...💝😘😘💝


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...