História You Got it Bad - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Drama, Novela, Romance
Exibições 61
Palavras 768
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ponto de vista da Alice!


BOA LEITURAAAAAAA!!!

Capítulo 11 - Destination Disaster


Fanfic / Fanfiction You Got it Bad - Capítulo 11 - Destination Disaster

                                                     ''Don't you give up. I won't give up. Let me love you.''
                                                                                                      Alice Waldorf.




Minha cabeça estava um verdadeiro inferno. Justin tinha acabado de confessar o que me traira, não que eu não imaginasse mas ouvir de sua boca me pareceu ferir mais. E eu não queria olha-lo, eu não conseguia mexer meu corpo estava completamente anestesiada por sua fala e as lágrimas desciam em meu rosto sem se preocupar. Minha mente me punia passando imagens de como deveriam ter sido as noites dele com todas essas garotas, e pensar nelas o tocando, sentindo tudo que ele já me fez sentir um dia me deixava devastada. 
—Por favor, fala alguma coisa— a voz embargada dele me despertou dos meu pensamentos horrendos —Grita, me bate, por favor eu preciso de reações Lis.
—M...me...—suspirei pesado eu não conseguia falar por causa do choro. — Me leva pra casa — sussurrei. 
—Tesouro...
—Por favor. — Ele desceu do capô e se colocou entre minhas pernas tocando levemente em meu rosto e o levantando me fazendo olhar em seus olhos, e pude ver que seus hipnotizantes cor de mel estavam cansados com vergonha e ele não escondia as lágrimas. 
—Lis, eu quero você, eu preciso de você... Eu não sei mais o que fazer.
—Eu preciso pensar tudo bem? Eu preciso de um tempo pra digerir tudo isso. 
Num ato involuntário ele passou a língua entre os lábios, os lábios que eu tanto queria, mas não podia, eu não conseguiria.. Não agora. Ficamos um tempo nos olhando e seu olhar parecia atravessar minha alma. Justin tem essa mania, os carinhos que me dava ia além de um ato físico, eu sentia seu carinho em minha alma. 
Suas mãos sairam do meu rosto e pousaram em minha cintura, em seguida me envolvendo em um abraço, era o máximo que poderia acontecer naquele momento, e eu não hesitei em lhe corresponder. A energia daquele abraço me encheu e eu senti que mesmo que eu não queira assumir agora, nossa conexão ainda existe e é forte. 
Com um impulso ele me pegou no colo e me colocou no banco colocando meu cinto e me dando um longo beijo na testa. Justin deu a volta e entrou de seu lado dando partida novamente. Tirando quando Justin perguntou se queria que ele me deixasse já em casa, fomos em silêncio e eu agradeci mentalmente a ele por isso, eu não queria ouvir mais lamentos agora, eu precisava analisar tudo que estava acontecendo, minhas engrenagens estavam rodando a mil, eu precisava do colo de Nate.
—Obrigada por ser sincero.—disse quando paramos o carro em frente ao seu prédio onde havia deixado meu carro. 
—Tem certeza que você não quer que eu te leve? Eu poss...
—Não. — suspirou.
—Você vai.. você vai ficar bem? Me promete que se precisar me xingar ou precisar falar alguma coisa você pode me ligar ou eu vou até você, só por favor não esquece que eu te amo.
O olhei e desci do carro, meu lado pensativo reprovou essa última atitude dele, eu precisava pensar, e se ele continuasse falado que me amava eu cederia só por sentir tanta verdade em sua voz. 
Entrei em meu carro e dei partida saindo dali, no primeiro sinal vermelho parei e logo o choro voltou, e eu soluçava alto com a respiração falha. Liguei pra Nate e Serena atendeu.

—Baby Lis, seu irmão tá no banho. 
—Oh...Vocês estão em casa?
—Ãh.. Não, estamos na minha casa. Alice você está bem?
—S-sim.
—Você esta chorando. — era uma afirmação.
—Está tudo bem. — desliguei. 


O sinal abriu e segui sem saber pra onde estava indo, Serena ligava de volta mas não queria atrapalhar os dois com minhas merdas.
Liguei para Vanessa. 

—Lis.— comecei a chorar. —Oh minha menina... Ele piorou tudo? O que aconteceu?
—Tá doendo muito Van. E-eu... Ele foi sincero mas eu precisava tanto dele naquela época e ele estava com outras Vanessa ele estava com várias outras.
—Lis... Justin errou eu sei mas vocês podem recomeçar.


Meu soluço era alto e minha visão estava embaçada o que me atrapalhou enxergar o sinal vermelho. Merda. Um barulho alto de buzina seguido de um baque, a voz de Vanessa ecoou pela última vez e me senti em uma montanha russa na primeira volta que o carro deu, pensei em meus pais e em Nate, na batida de outro carro, pensei em Justin, na terceira pancada em Peter, será que agora iria reencontra-lo? Tinha algo escorrendo em mim, oh... sangue... meu sangue... Aos poucos minha visão foi ficando pesada e eu não conseguia mais pensar em nada, e assim desmaiei. 


Notas Finais


Primeiramente perdão pelo capítulo pequeno, mas cheio de emoção.

SERÁ QUE A ALICE VAI SAIR DESSA??????????


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...