História You it's my puzzle - Cellbit - Capítulo 4


Escrita por: ~

Visualizações 21
Palavras 1.600
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Really?


Fanfic / Fanfiction You it's my puzzle - Cellbit - Capítulo 4 - Really?

Alguns minutos depois, nos encaramos e percebo o que eu havia feito. O loiro estava com os olhos arregalados, logo, apelou para beijar sua namorada. Voltei para aquela cena com Leo, que estava satisfeito.    

- Ei, hora de acordar bela adormecida - estava tonta, abri os olhos aos poucos e avistei Gabbie - Você ficou um dia inteiro dormindo. 

- Sério? - parecia surpresa, sorri forçado, sentia uma dor de cabeça insuportável - Onde estão as... 

- Fique tranquila, cachorra - sugeriu em risos. 

Levantei aos poucos, estava no alojamento. Encontrei Nic na cadeira do lado da cama, estava roncando horrores, não conti um riso. Estava com a mesma roupa, suponho que não queriam trocar-me, o que foi um alívio, já seria invasão. 

- Aliás - Gabbie apontou para meu celular - Pare de apitar esse bicho! O dia inteiro estava tremendo que nem um louco. 

Peguei o celular, 536 mensagens, uau. Algumas do grupo que haviam me adicionado, milhares das meninas e algumas de um número desconhecido. "O que deu em você?", "Estava bêbada, não é? Você quase nunca bebe tanto". Um espião agora? Arrisquei e mandei aquela pergunta: Quem é? 

Nada. Seria o Leo? Não era possível. Resolvi ignorar e acompanhei Gabbie até o Pátio, único local que não havia visitado ali. Era totalmente gramado e no Centro, havia algumas mesas e uma cantina aparentemente fechada. Avistei a maioria do pessoal lá, incluindo o casal. 

- Nossa amiguinha não aguentou o chumbo? - riu Felipe, com Gabs em seu colo. 

- Só dei uma leve desmaiada 

- Enfim, o que vamos fazer? - perguntou Milena, tentou se enturmar. 

- Olha, eu não... - antes que pudesse dizer mais algo, meus sentidos entraram em ação e dei um passo para trás. 

Em câmera lenta, pude ver uma bola rosa cheia de água, que estourou na cara de Rafael. Ninguém aguentou o riso, lá estava Nic com grandes bacias cheias de bolas de água. 

- Filho da... - brincou ele. 

Pensem em criancas retardadas correndo de um lado para o outro, jogando bolas na cara de seus queridos amiguinhos e você sabe que isso daria uma merda no final? Esse foi exatamente o meu pensamento. 

Tentei acertar Nic, mas o infeliz desviou e parou em Karen, que veio como uma louca me acertar. Esbarrei com Rafael quando estava prestes a correr, seu corpo estava a vista graças a camisa molhada. Pude sentir o calor dele, mesmo estando frio. Nos encaramos por alguns minutos, até que Milena tenta acertar a bola em mim. 

Mas Rafael foi veloz, ele me abraçou e levou a "bolada". Foi o suficiente para cairmos na grama. Fechei os olhos no acontecimento, mas abri aos poucos e percebi que nossos lábios estavam selados. 

- Ah, desculpem! - Milena se aproximou enquanto nos separamos, ela me encarava seriamente. 

Ficou um momento constrangedor para eles, mas dei de ombros e continuei na brincadeira. No canto do olho, vi Rafael me encarando por alguns minutos, enquanto Milena discutia com ele sobre algo. 

Nic estava perturbado com algo, mas logo ele retornou ao normal, com um sorriso largo em seu rosto. Até duas horas da tarde continuamos naquilo, mas aos poucos, todos se cansaram e sentamos na grama. 

- Ei, vamos jogar o Jogo da Pergunta? - perguntou Maethe, apoiada em Alan, que estava quieto por algum milagre. 

- Eu apoio - Gabbie fez uma cara maliciosa - Mas quem não quiser responder, terá que beijar no rosto quem fez a pergunta. 

- Isso vai virar viadagem - brincou Alan. 

- Certo, eu começo - Maethe pegou sua garrafa que havia bebido e girou numa pequena mesinha que ali estava. 

- Karen pergunta para Alan. 

- Sem viadagem - ele comentou. 

- Com viadagem - brincou Karen - Se Rafael, Nic, Felipe e Thiago fossem garotas, quem pegaria? 

- Meu pau que eu pegaria algum deles - a maioria riu - Passo, ah, foda-se. 

- Eu giro... Nic pergunta pra Rafael. 

- Se você amasse alguém, desde a muito tempo, e hoje, ela voltasse... - ele permaneceu sério - Você ficaria com ela? 

Todos ficaram em silêncio, e Alan se lamentava dizendo "só viadagem, só viadagem". Por fim, Rafael disse. 

- Sim - todos o encararam surpresos - Mas isso depende dos meus sentimentos, e se ela quiser facilitar. 

Senti um arrepio, e ao mesmo tempo, raiva. Raiva de ele ter me falado aquilo na cara, sendo que não sou eu que estou namorando e traiu sua companheira comigo. Ele voltou aos olhos em mim, e percebeu minha cara séria. Fiquei presa por um tempo naquele labirinto azul, uma mar de segredos e sentimentos. Nem pude perceber que Nic havia gritado a garrafa. 

- Milena para Alex - "fudeu" pensei. 

- Alex - ela enrolou, começou a brincar com seus cabelos castanhos e loiros - Nic ou Rafael? 

Fácil. Era sério aquilo? Jurava que iria soltar uma séria, mas fiquei contente com o resultado. Percebi o rosto de Nic, estava vermelho. Ele se incomodou com aquilo? Rafael desviava o olhar, todos estavam inquietos. Mas aquilo também estava difícil para meu lado. Se eu falasse Rafael, receberia uma surra ou um puxão de cabelo, mas se eu falasse Nic, o caminho estava livre, mas eu iria estar mentindo. Arrisquei. 

- Óbvio - resmunguei em risos - Nenhum dos dois. 

- Mas... - a maioria ficou contente com a resposta e comemoraram em risadas, enquanto ambos estavam vermelhos e surpresos, e miraram o olhar em mim. 

- Ninguém falou nenhuma regra que eu não podia escolher a alternativa "Nenhum" - brinquei. 

- Oras, deixe-me girar isso finalmente - falei, e fiz - Alan para Nic. 

- Alex ou Gabbie? - imediatamente falou - Sem enrolação, viado. 

- Bom... - ele se levantou e foi lentamente para Alan, que surtava enquanto riamos. 

Ele fez o possível para aguentar, mas acabou permitindo o beijo na testa. Não parava de murmurar alguma língua árabe, devia estar louco. 

... 

- Ei - falei enquanto me espreguiçava na grama - Aquilo é... 

- Sim! - exclamou Gabbie - É uma estrela cadente, façam um pedido agora! 

Todos fecharam os olhos, seguindo a ordem. Estávamos no gramado observando o céu escuro, iluminado de estrelas, uma bela vista. "Que eu decida meus sentimentos" desejei. 

Tempo depois, escutei roncos e a maioria dormindo, sabe-se lá o que haviam aprontado antes. Levantei aos poucos, e percebi que Rafael estava apoiado na parede, em silêncio e encarando o nada. Caminhei lentamente em sua direção, até nossos olhares se encontrarem. Senti o frio que estava, ao ponto de caírem folhas das poucas árvores ali. Resolvi puxar conversa. 

- O que está fazendo? 

- Pensando, só estou cansado - ele coçou a orelha esquerda. 

- Sei - desviei o olhar - Milena parece ser legal. 

- Ela é - suspirou - O que deu em você ontem? 

- Em mim? Oras, só estava curtindo, e parece que você também. 

- Esqueça isso, por que não respondeu minhas mensagens? 

- Que mensagens? - até que me toquei. 

...e algumas de um número desconhecido. "O que deu em você?", "Estava bêbada, não é? Você quase nunca bebe tanto".

Não me diga que eram dele? Ele havia se preocupado comigo, mas estava com outra, aquilo era sério? 

- Alex? O que... 

- Cala a boca - eu parti para a direção dele e efetuei um tapa em seu rosto, que por sinal, ficou vermelho. 

- Você está namorando uma e me beijou feito louco naquela noite, você é um cafajeste Rafael! Nunca me senti tão usada na minha vida. Se esse é você realmente, nem amizade quero ter. 

- Você não pode falar nada - ele revidou com suas palavras - Simplesmente beijou aquele cara para causar esse efeito em mim. 

- Isso são duas coisas diferentes! Você namora, eu não tenho nenhum compromisso. Agora já chega dessa palhaçada, eu preferia passar mil anos numa cadeia, preferia me afastar de todos, somente para não ver mais essa sua cara.

Saí irritada, sem olhar para trás. Voltei para o meu quarto e encontrei Nic, que jogava algo. Afundei meu rosto em meu travesseiro, já estava cansada. 

- O que ele fez agora? - ele prosseguiu ainda com seu jogo. 

- Só merda atrás de merda, não quero mais isso - murmurei. 

Senti meus olhos marejarem, e encarei Nic, que se aproximou e me deu um abraço por trás apertado. Me senti aliviada naquele conforto. 

POV's Nic

Alex caiu no sono, aproveitei para cobri-la. O pessoal já havia acordado e ido embora, mas restava só Rafael, resolvi bater uma pequena conversa no Centro. 

- E seu namoro? - perguntei, dando mais um gole no restante da bebida. 

- Milena é melhor ser entendida com o tempo,  sabe as regras, não? 

- E a Alex? - provoquei. 

Ele fitou o nada por algum tempo, estava pensativo. As vezes, não o compreendo. Por que brincar com ela assim? Enquanto viajava em meus pensamentos, ele sorriu. 

- É bom provoca-lá, isso me faz perceber o quanto evoluiu - riu. 

- Ela não é um Pokémon - seriamente, bati na mesa - Rafael, você pensa que tudo é um enigma fácil para resolver, saía um pouco da imaginação. 

Seu sorriso se desmanchou, mas continuou a movimentar sua moeda. Levantei e três passos depois, falei. 

- Sabe, você devia parar de brincar com os sentimentos dela, e entender os seus. 

Continuei minha caminhada ao quarto, pude escutar Rafael murmurando algo, e fez um estrondo ao levantar da cadeira e me encarar raivoso. 

- A propósito, isso não é seu - gritei - Se quebrar algo, você mesmo pagará. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...