História You make me begin - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Taekook, Vkook
Visualizações 16
Palavras 854
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 31 - 31.


Taehyung nunca voltou à nossa cidade. Nunca voltou à nossa escola, às aulas de pintura, à praça onde nos encontrávamos. O plano era ele voltar. A promessa era ele voltar para mim naquele lugar. Mas isso não aconteceu.











 

Parei na frente da porta, com o coração acelerado.

— Jeongguk, nós vamos comer alguma coisa e já voltamos, tudo bem? — a mãe de Taehyung colocou a mão nas minhas costas. Eu assenti. — Vou trazer algo para você comer.

Assenti também, apesar de não ter a mínima vontade de comer qualquer coisa. Meu estômago queimava e revirava de nervoso. Eu passei a mão no rosto e virei a maçaneta.

Meu namorado estava deitado na cama, dormindo. Aqueles caninhos horríveis saíam de seu nariz. Ele respirava tranquilo e a máquina ao seu lado fazia bipes estáveis. Meu coração deu uma batida forte e fiquei melhor.

Fechei a porta sem fazer barulho e andei devagar até a poltrona ao lado da cama. Fiquei observando-o dormir e não consegui não chorar.

— Taetae — sussurrei e olhei minhas mãos. — Você devia ter me falado... devia ter dito que estava cansado. Não precisávamos ter saído. Eu... eu fiquei com medo, Taehyung. O medo andava comigo desde que você foi embora, mas eu aprendi a controlá-lo e a deixá-lo embaixo do otimismo, como nossos hyungs me ensinaram. Mas quando vi você no chão do restaurante, eu tive tanto medo... tanto medo de te perder para sempre, Taehyung. Eu não fazia ideia do que tinha acontecido. O médico disse que foi o cansaço misturado à fome que abaixou sua pressão... você devia ter me dito. Se estava cansado, se estava com fome, eu ia cuidar de você. Devia ter me falado... me desculpe por ter sido... irresponsável.

— Eu estou no céu? — era a voz de Taehyung.

Ergui a cabeça rapidamente, sentindo meu coração acelerado.

— Taehyung! — segurei sua mão. — Não — ri —, eu que estou no céu. Por você estar aqui comigo. Sempre estou no céu com você por perto.

— Ah... que romântico — ele sorriu, os olhinhos cansados. — Kookie, eu ouvi o que você disse... Desculpe por não ter dito nada. Eu estava cansado, mas... achei que estivesse tudo bem.

— Nunca mais faça isso, entendeu? Nunca mais me assuste. Nunca mais me faça achar que vou te perder, porque, se eu te perder, Taehyung, eu não vou ser mais nada. Eu não vou ter mais nada. Eu não vou conseguir viver.

— Jeongguk, para com isso. Se alguma coisa um dia acontecer comigo...

— Não fale isso.

— Se alguma coisa acontecer um dia — ele continuou —, saiba que eu estarei sempre com você. Você vai ser tipo meu assunto inacabado. E eu ficarei feliz em te ver seguir em frente.

Fiquei olhando para seu rosto e passei a mão por seu cabelo. Eu sentia falta das mechas verdes em sua franja. Aquelas que haviam me chamado a atenção e feito-me ficar curioso.

— Eu te amo — sussurrei.

— Eu também. E, sabe, vou te dar outra chance de me pedir em namoro, porque, quando eu desmaiei, percebi que foi bem sem graça essa sua proposição.

— Ah, é...? — ri. — Bom, você é a primeira pessoa que eu peço em namoro, eu não soube bem o que fazer.

— Olha só que legal, você vai poder pedir duas vezes a mesma pessoa.

— Taehyung, eu não tenho flores e nem um anel.

— Não disse que tem que ser agora.

— Não terminei de falar.

— Nossa, seu grosso. Eu acabei de voltar da morte e você me diz isso?

— Para de ser dramático — fiz uma careta —, o médico disse que foi só um susto. Você não voltou da morte.

— Ah, agora eu sou o dramático? Foi você quem pensou que ia me perder.

— Taehyung, você fala demais! Estou tentando te dizer que quero que você me namore antes de casar comigo.

Ele arregalou os olhos e me encarou. Ficou uns seis segundos em silêncio antes de piscar abismado, balançar a cabeça e dizer:

— Acho que não ouvi direito, Jeongguk.

— Você ouviu sim. Namore comigo antes de nos casarmos, Kim Taehyung. Eu vou comprar um anel para você, e você pode até ter uma aliança de noivado quando formos nos casar. Eu quero passar a minha vida ao seu lado. Você vai dizer "somos muito novos para você dizer isso, Jeongguk!", mas, quando você estava lá caído no chão, quando entrou na emergência e me impediram de entrar junto, eu tive a maior certeza da minha vida. Eu quero passar o resto dos meus dias com você, Taehyung. E eu não sou jovem demais para te dizer isso!

Taehyung estava chorando.

— Ah... hey, Taehyung, eu disse algo que não devia ter dito? Desculpe.

— Eu também quero passar o resto dos meus dias com você. Eu soube disso quando te vi na frente da sala, apresentando-se para todo mundo. Eu tive certeza disso quando você me beijou e, mesmo quando me mandou embora, eu ainda te quis para todo o sempre. E eu queria muito te beijar agora, mas acho que vai ser meio difícil, então se prepare para quando eu puder me levantar e tirar essa coisa irritante do meu nariz.

— Eu vou esperar ansioso — sorri.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...