História You Must Believe in Spring


Escrita por: ~


Sinopse:
E foi assim que eu permiti a sua entrada definitiva em minha vida. Taehyung passou pela porta, limpou os pés no tapete e disse o quanto tudo parecia aconchegante; não era a sua primeira vez ali mas ele nunca demonstrou se importar com a minha bagunça, nunca reparou as coisas fora do lugar. Talvez se sentisse em casa.
Iniciado
Atualizada
Idioma Português
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, V
Tags Hoseok, Taehyung, Taeseok, Vhope, V-hope
Exibições 306
Comentários 10
Palavras 7.404
Terminada Sim

Fanfic / Fanfiction You Must Believe in Spring
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Lista de Capítulos

Capítulo
Palavras
1.
And there's the truth that they can't see.
4
170
3.680
 
2.
Get the sense that you're on the move...
6
136
3.724

Gostou da História? Compartilhe!

Comentários em Destaque

Postado por ~toppangel
Capítulo 2 - Get the sense that you're on the move...
Usuário: ~toppangel
Usuário
Oi, Laru.
Se prepara pro textão, Laru.
Pra início de tudo: no primeiro capítulo logo pensei que seria todo aquele fluffy incrível; mas aí lembrei que era você e você nunca faz só um fluffyzinho se não tiver um plot tão incrível por trás e com tantas lições que se cada um aqui se esforçar um pouquinho, se torna uma pessoa melhor.
Enquanto lia (e te xingava no twitter), pensei que seria mais uma das suas história que teria uma reviravolta incrível e você daria um jeito de 1) deixá-los separados ou 2) matar um deles. Meu coração, como sempre, se apertou com ambos os pensamentos. E acredite: eu sei que ficaria incrível de qualquer forma, eu confio em você e em cada plotzinho teu. Arriscaria dizer que você é uma das melhores (se não a melhor) vhopas da minha vida; tanto quanto autora quanto pessoa.
E Laru, eu não poderia estar menos encantada com o rumo que essa belezinha aqui tomou e como ela me tocou. Como eu disse ali em cima, você sempre dá umas lições pra gente, é só saber ler, de fato, o que você diz nas entrelinhas; até mesmo sem querer ou com um outro propósito. Às vezes você nem quer passar alguma coisa pra gente, mas acaba passando e isso é tão bonito...
Aqui não foi muito diferente... Quando vi o motivo pelo qual Hoseok começou a narrar a história daquele jeito, ali no primeiro capítulo, entendi perfeitamente o porquê dele narrar com tanto cuidado e ficar tão tenso (ao mesmo tempo que até um bocado emocionado ao se lembrar de tudo) enquanto nos contava cada segredinho... A reação dele foi até compreensível. Eu me coloquei no lugar de ambos e claro que isso não é a mesma coisa, mas me fez enxergar algumas coisinhas e pegar bem a lição que você quis tratar aí (ou eu acho que quis, se não quis, parabéns, olha aí o que eu disse sobre suas histórias e cada coisinha que elas passam)... Não falo nem sobre a arte do perdão, que é muito difícil. Eu, no lugar de Hoseok, provavelmente sairia virada no cão e nunca mais olharia na cara de Taehyung, mas me desmontaria por completo se desse de cara com ele (se não tivesse superado todo o amor, como o Hobi).
Acontece que... Isso não foi sobra o perdão propriamente dito. Uma história em primeira pessoa a gente nunca vai saber o que o outro está pensando a não ser que ele nos diga; e Taehyung nunca nos disse. Nem mesmo pra Hoseok. Ele nunca disse diretamente o que sentia, nunca disse o que faria ou deixaria de fazer para realizar seus sonhos e mais mil e uma coisas que as pessoas normalmente costumam dizer e demonstrar (como Hobi fez todo o tempo, meso que não quisesse). O que Taehyung fez foi... Escroto, escroto pra caralho, tenso, feio, talvez um pouquinho imoral. Mas... Hm, devemos nos lembrar que, sim, no mundo da moda muitas vezes é assim que funciona, infelizmente. O talento da pessoa normalmente não importa; e isso é uma pena. Muita gente desiste por isso. E muita gente segue por isso também; não julgo ambos os casos. Cada um lida com aquilo da forma que consegue e de acordo com suas necessidades. Está aí um motivo pelo qual acho que Taehyung engoliu todo o amor, orgulho e qualquer outro pensamento que possa ter passado na cabecinha dele no momento: a necessidade. Ele só tinha a mãe, que seguia com o problema que poderia matá-la a qualquer instante; quem o garante que, se não tivesse feito, ela continuaria viva e bem? Eu faria coisas muito piores se fosse pra salvar minha mãe.
Eu acho que a confusão e a briga interna de Taehyung foi ainda um pouquinho pior que de Hoseok. Não defendo a atitude; foi terrível, sim. Mas eu entendo que ele jamais, em hipótese alguma, chegaria para Hoseok pedindo um favor ou dinheiro ou qualquer coisa que fosse. São milhares de possibilidades pelo motivo de Taehyung; e nós nunca saberemos ao certo. O que sabemos é que ele fez, errou, pecou e precisou de dois anos inteiros (assim como Hobi) pra se curar, se reinventar, talvez até mesmo para superar e engolir o próprio orgulho (e talvez vergonha) para então voltar e correr atrás daquilo que o fez tão feliz e o ajudou tanto. Porque Hoseok, no fim das contas, foi um anjinho maravilhoso com ele, o ajudando de todas as formas. E isso é só mais um motivo pra Taehyung se martirizar tanto pelo que fez; e eu tenho certeza que ele pensou tanto, tanto, tanto sobre isso que sofreu igualmente, embora posasse sempre sorrindo e fingindo ser aquele modelo incrível que ele realmente era.
Acontece que, repetindo: isso aqui não foi sobre a arte de perdoar, acredito que tenha sido algo mais profundo. As pessoas precisam parar, refletir, repensar certas atitudes e para então tentar mudar. É assim que funciona, afinal. Com um pouquinho de medo, um tantinho infeliz e com um coração levemente partido, Hoseok conseguiu concluir um livro (incrível, tenho certeza) e expôr pra todo mundo, nas entrelinhas, o quanto ele amou, foi feliz, lutou e pensou nessa história toda; no fundo ele sabia que Taehyung voltaria, 100% mudado e pronto pra tentar reconquistá-lo e fazê-lo finalmente feliz.
No fundo a gente sabe que, realmente, o tempo é o melhor remédio pra tudo; às vezes piora, às vezes melhora, às vezes só faz uma confusão sem tamanho, mas, no final, a gente sempre supera as coisas.
E aí, quando a gente nota, putz, já perdoamos tudo, nem sentimos tanto e aquelas coisas nem foram nada.
Ah, Laru. Você e suas histórias me tiram da vida de exatas; me torno uma filosofa sem rumo pensando no que você passa a cada palavrinha que escreve. Parabéns, mozinha. Você é incrível mesmo.