História You Only LIve Once - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Sistar
Personagens Hyoryn, Jin, Rap Monster, Soyou
Tags Kpop Yaoi Yuri Bts Bangtanboys Namjoon Rapmonster Seokjin Jin Monjin Namjin Sistar Soyou Hyolyn Hyorin Sorin Solyn
Exibições 11
Palavras 1.261
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi, Yuri
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


yep! :3

Capítulo 4 - Cúmplices


Fanfic / Fanfiction You Only LIve Once - Capítulo 4 - Cúmplices

Soyou acordou cedo pois levariam o pai e a madastra ao aeroporto, o casal embarcaria às sete em ponto em direção a Europa, em uma viagem de lua de mel.

Namjoon acompanhou os amigos e depois seguiria para sua casa. A amiga pediu que voltasse para casa com os outros mas Namjoon, sob o olhar atento do pai de Soyou, preferiu voltar apenas no fim de semana.

-O seu pai ia ficar bravo, You.

-Você tem razão. - A menina suspirou. - Mas quero te ver no fim de semana.

-Okay, okay. - Disse sorrindo e abraçando a amiga.

Ele nem teve tempo de falar sobre Jin pois o garoto estava ao lado deles então teve de deixar para a próxima oportunidade.

Quando o avião decolou, Namjoon se despediu de todos e finalmente se separou do grupo.

•••

Soyou achou que a casa parecia grande demais na ausência do pai. Ficou feliz em pensar que ele estaria de volta em menos de um mês.

 

-Agora parecemos mesmo uma família. - Jin comentou enquanto sentava no sofá para assistir TV, junto às meninas.

 

-Sim, como irmãos. - Soyou completou.

 

Era mês de julho então os três teriam muito tempo para se acostumar com a convivência. Apesar de viverem em harmonia, não era simples morar na mesma casa com pessoas as quais você estava habituada a ver apenas umas poucas vezes durante o ano.

Não foi necessário nenhum pedido, na ausência da cozinheira da casa, Seokjin já sabia que era o novo responsável pela tarefa. E enquanto enchiam o prato de salada, naquele mesmo dia, pensavam em alguma diversão para o fim de sema.

 

-É o mês de férias. Todo dia é fim de semana. - Hyolyn disse entre risos. - E o papai nem tá aqui.

 

-Hyolyn! Sou o mais velho e como responsável por vocês- Ele nem terminou a frase e as duas começaram a rir.

 

Jin suspirou bravo mas no fundo queria rir. - Só não saiam de casa nem façam nada errado, por favor. O papai vai me matar se eu deixar o algo sair do controle.

 

-Tá tudo bem, Jin. Você se preocupa demais. - Soyou sorriu para o menino antes de levantar para ajudar a irmã a lavar as louças.

 

-Mas festinha particular pode né, Seokjin? - Hyolyn perguntou, apertando a bochecha do irmão.

 

-Yaah!

 

Elas riram. Isso porque Soyou ficou sabendo que na última viagem de negócios do pai, Hyolyn organizou uma "festinha" na casa, a qual deixou tudo uma bagunça. Seokjin ficou muito bravo pois o pai castigou os dois irmãos.

A verdade é que Seokjin queria ouvir de Soyou que ela convidaria o amigo Namjoon para dormir em casa novamente. Ele estava encantado com aquele garoto, com a forma como ele conseguia despertar seus sentidos e sentimentos mesmo sem dizer uma palavra sequer.

Ele e a irmã eram cúmplices então Jin sabia tudo a respeito dos sentimentos entre Hyolyn e Soyou, o que o deixava tranquilo sobre o fato de ter certeza que Namjoon não era o namorado de Soyou, como os pais pensavam.
Ele queria ver Namjoon de novo, olhá-lo de perto, tocar seu rosto, sorrir para os seus olhos e beijar sua boca. Precisava apenas de um pouco de coragem, pois os sentimentos já estavam todos ali, quentinhos, prontos pra sairem do peito. E as palavras também, logo ali, prontinhas para seguir caminho até o outro coração.

...

Soyou resolveu não sair de casa  até o pai retornar. Apesar de estar tudo muito bem, ela ainda era a novata ali e queria agir da  forma mais correta possível.

 

-Então vamos ficar aqui? Que chato! - Hyolyn reclamou.

 

Soyou achava que ela ficava linda fazendo birra daquele jeito.

 

-Papai volta semana que vem. Não seja chata, Hyo. - Jin riu.

 

-Mas temos como nos divertir aqui mesmo. Assistir filme, comer, dormir, sei lá. - Soyou tentou ajudar.

 

O telefone dela tocou em cima da mesa.

 

"Atende pra mim."

 

Jin atendeu. O alô vinha de uma voz grave e carinhosa.

 

"Oi. Não é a Soyou. Eu. . .eu vou passar pra ela." - Nossa. Ele se entregou completamente.

 

Soyou tinha um sorrisinho escondido nos lábios quando pegou o celular das mãos do garoto.

 

"Olá, Nam-Joon"  - Ela falou quase cantando e o amigo riu aliviado do outro lado da linha.

 

-Ele sabe cozinhar, You? A comida do Jin não é tão boa.

 

Hyolyn estava adorando aquilo tudo. Soyou bem ali pertinho, ao alcance das suas mãos. Tudo parecia perigosamente divertido.

Seokjin queria muito ouvir a conversa com Namjoon mas saiu da cozinha assim que terminou de guardar os pratos de volta no armário.

Soyou então caminhou até a porta da cozinha e a fechou. Em seguida chamou a morena.

 

-Eu acho que o Namjoon tá gostando do Jin. - Ela disse quase num sussurro, com uns  olhos de cupido.

 

-O quê?! -  Hyolyn era mais escandalosa que a própria Soyou.

 

-Shhh. Ele vem pra cá amanhã, vamos armar pra eles. - A menina festejava em voz alta e sem perceber, segurou as mãos de Hyolyn, como sempre fazia com o amigo Namjoon.

 

Hyolyn segurou as mãos dela e nãos as soltou até que Soyou olhasse nos seus olhos. Quando isso aconteceu, a morena não perdeu tempo e puxou Soyou para um beijo rápido. Alguma parte dentro dela queria resistir, queria empurrar o corpo de Hyolyn para longe de si e sair dali. Mas esse sentimento era tão insignificante perto do gosto daquele beijo que Soyou escolheu permanecer ali, com os lábios grudados nos da outra menina, fazendo o seu coração  relembrar daquela sensação boa de tanto tempo atrás.

 

Jin abriu a porta da cozinha e parou ali mesmo.

 

"É. . . o papai no telefone. Quer falar com vocês. . ."

 

As meninas se afastaram de súbito. Soyou passou pela porta rapidamente e subiu para o quarto. Hyolyn a acompanhou com o olhar enquanto recebia um olhar acusador de Jin e começava a responder as perguntas do pai, com pouco interesse.

 

[. . .]

Toc toc toc. Jin batia na porta.

 

-Abre, Soyou, sou eu.

 

-Tá sozinho? - Ela respondeu com a voz embargada.

 

-Tô.

Entã ela veio abrir a porta. Jin sentou na ponta da cama e suspirou longamente antes de falar.

 

-Me diz que vocês não fazem isso sempre.

 

-Acha errado? - Ela falava com voz de choro.

 

-Não, You. Só não quero que corram o risco do papai ver vocês. Seria o fim do mundo, você sabe.

 

-Eu sei. - Soyou colocou o travesseiro no rosto e deitou na cama.

Jin sentou mais perto dela a fim de consolar a menina. Tirou o travesseiro do seu rosto e mandou ela sorrir.

-Me promete que vai tomar cuidado.

-Eu prometo. Obrigada, Jin.

-Não quero ver vocês com problemas.

-Mas nós não estamos namorando nem nada do tipo, Jin! - A menina tentou se defender. - Ela só me beijou.

-Essa Hyolyn. . . Cuidado, irmã. Ela parece meio tarada. Tranca a porta do quarto a noite viu. - Ele riu e fez a menina rir também.

-A sua pode deixar aberta viu, irmão? Nam vem pra cá amanhã.

-O quê? - As bochechas dele se avermelharam.

-Acha que eu não notei. . .? - Ela disse apertando os olhos.

Ele sentiu uma vontade incontrolável de sorrir e então cobriu o rosto com as mãos.

 

-Ele é muito bonito, You! - disse com os olhos arregalados.

A menina esqueceu por um momento das suas frustrações e se pôs a pular na cama enquanto fazia as bochechas de Seokjin ficarem mais e mais rosadas.


Notas Finais


~_~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...