História You Only Live Once - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Yuri!!! on Ice
Personagens Christophe Giacometti, Hiroko Katsuki, Jean-Jacques Leroy, Ji Guang-Hong, Kenjiro Minami, Lee Seung Gil, Leo de la Iglesia, Michele Crispino, Minako, Phichit Chulanont, Toshiya Katsuki, Victor Nikiforov, Yuko Nishigōri, Yuri Katsuki, Yuri Plisetsky
Tags Anime, Drama, Romance, Shounen, Yaoi, Yuri!! On Ice
Exibições 62
Palavras 1.015
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shounen, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Desculpa foder o kokoro de vocês com vários probleminhas rolando com o shipper aqui na fanfic, mas no anime continua firme e forte amém.
Boa leitura ^^

Capítulo 10 - Shut a fuck up! (flashback part 2)


Fanfic / Fanfiction You Only Live Once - Capítulo 10 - Shut a fuck up! (flashback part 2)

Cara eu odeio o Viktor, como pode agir tão naturalmente depois de ter esquecido de mim? Eu ficava feito um idiota escrevendo cartas esperando pelo dia em que ele iria retornar e me colocar em seu colo outra vez, acariciar meu cabelo e me abraçar enquanto choro... Não! Você não vai chorar Yuri, você é forte, é o melhor, vai superar o Viktor e provar para ele que você é o único que vale a pena por aqui, ele vai implorar para te ver, vai implorar para te treinar porque você é um Plisetsky...

_Plisetsky's nunca desistem. -ouvi uma voz feminina na qual não conduziria em lugar nenhum. 

_Você desistiu! Você foi tão egoísta... Só pensou em você. -disse atirando um vaso qualquer na parede, Mila ouviu e veio correndo.

_Yuri calma, você está suando e está pálido também. 

Mila está ao meu lado desde que me entendendo por gente, ela foi mais minha mãe que minha própria mãe, sempre me fazendo sorrir e sempre aturando meus surtos e rebeldia sem reclamar. 

_Eu sou um peso pra você né Mila? Eu vou embora daqui! 

_Yuri! -pela primeira vez ela havia gritado. _Senta! Senta nesse sofá agora! 

Eu me sentei... Esperei que ela me desse uma bronca porque a mesma estava coçando o cabelo com o indicador como se estivesse pensando no que dizer. Ela sentou-se no sofá a minha frente sem me encarar, olhava para o tapete azul no chão, que minha mãe havia comprado na liquidação. 

_Olha Yuri... Sei que essa é a fase para você ficar rebelde, experimentar coisas ruins e ter experiências ruins, mas me escuta bem... Só escuta... Grand Prix! Grand Prix... Foca nele, faça o que você ama e faça direito, gaste sua raiva, tristeza, desapontamento no gelo... Mostre ao público tudo que tem não por ser um Plisetsky e sim por ser você Yuri. Você é o menino mais forte que já conheci, nem mesmo havia percebido que a morte da titia tivesse te afetado tanto porque você sempre foi frio, mas agora entendo... É o seu jeito! Você sofre quieto em seu canto... Saiba que estou aqui de qualquer forma e... É isso. -ela suspirou e ao perceber as lágrimas escorriam pelos meus olhos, me ajoelhei em frente a ela e deitei minha cabeça em seu colo. Suas palavras foram duras, mas verdadeiras e serviram para abrir meus olhos só que nada me fará perdoar okasan. 

***

Viktor ao ver Yuri no vestiário foi simpático, mas sentiu uma forte pontada no peito. No fundo ele o entendia, só que ao contrário de Yuri, Viktor tem uma barreira de simpatia impenetrável e isso não dá brechas para que os outros perguntem sobre seu passado. 

_Viktor... Viktor... -uma voz feminina o chamava da cozinha, mas o grisalho não a ouviu porque estava distraído demais em seus pensamentos. 

_Viktor meu querido, a comida está pronta. -disse a mulher colocando a cabeça para dentro do quarto. _Viktor... Ei! -disse ela o abraçando pelo pescoço.

_Me solta! - ele a empurrou. 

_O que é isso? -perguntou ela surpresa.

_Preciso tomar um banho gelado. 

Pensar sobre si mesmo o deixava irritado, pensar sobre os sentimentos ruins que pode provocar nos outros o piorava, Viktor não gosta de si mesmo... Se sente falso por disfarçar sua dor em simpatia e felicidade e as lágrimas acabaram descendo pelo seu rosto. 

Viktor começou a gritar como se estivesse sentindo uma forte dor no peito. 

_Viktor. -a mulher estava o chamando novamente. _Se continuar assim vou contar à todos ahahaha, vou contar que é uma fraude. Você é uma fraude! 

_Cala a boca Sara! Vai procurar seu querido irmãozinho. - gritou ele com raiva. 

Parece que as chantagens nunca acabavam, Viktor sempre estava sendo perseguido pelo seu passado.

Sara ria feito uma louca, debochando da dor do grisalho. 

_Tchauzinho meu amor. Não esquece... Você prometeu voltar para mim... Se isso não acontecer vou atrás de você meu querido e vou mostrar para todos a famosa fraude que é Viktor Nikiforov. 

_Cala a porra dessa boca Sara, some! Some! 

Tudo que o grisalho queria era livra-se dessa preocupação, dessa pedra em seu sapato, mas não podia viajar para longe de novo como da última vez, então leu todas as 100 cartas de Yuri novamente. 

_Preciso vê-lo... -disse ele em voz alta. 

Foi até a casa de Plisetsky com o endereço que havia buscado no Google, tocou a campainha e foi atendido por Mila que de maneira alguma queria que ele entrasse. 

_Não! Você já causou problemas demais para meu pobre Yuri. 

_Chama ele, só preciso perguntar uma coisa.

_Desiste Viktor você não vai...

_O que é? -Mila foi cortada por Yuri aparecendo no portão.

_Por que continuou a me mandar todas aquelas cartas? 

_Jura que veio aqui pra isso? Vai embora. -disse Yuri com firmeza em seu tom de voz.

_Sim... kudasai... Me responda.

_Eu te mandei tudo aquilo porque me sentia solitário, Mila estava viajando com os pais e eu não tinha os meus... Só tinha você... Achei que tinhamos a porra de um vínculo, mas acabei de perceber que não. 

_Eu sou um baka mesmo Yuri, não vim aqui para que me perdoe, vim aqui para responder suas preguntas. Você me disse na carta que doía... Essa dor nunca vai deixar de existir, você tentou encontrar em mim um refúgio, mas não podia te dar isso... Eu gritava com você, estava esgotado e mesmo assim você continuou lá e eu fui um baka por me isolar na Índia para fugir dos problemas enquanto você enfrentava tudo aqui sozinho... Yuri você é o melhor... Sim, você é melhor que eu... Como patinador e como pessoa, não perca seu brilho e nem a confiança em si mesmo, obrigado. -Viktor não chorou, só estava com a mão direita em seu peito olhando para o chão e sorrindo, orgulhoso de ter conseguido dizer aquilo tudo. 

Yuri correu e o abraçou, na verdade pulou em cima dele grudando suas pernas na cintura do grisalho. 

_Viktor... Eu te odeio! -Yuri começou a puxar a orelha do maior como se fosse uma criança birrenta, suas bochechas estavam coradas e ele sentia uma pequena felicidade novamente. 





Notas Finais


Acabei com um mistério e comecei outro. O que será que Sara descobriu sobre Viktor? Seria ela uma S? Comentem o que acharam e me digam se acha legal a ideia de postar 2 cap por dia? Kkkkk to empolgada demais com essa fic minha mente não para.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...