História You Should Know - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Tom Holland
Personagens Personagens Originais, Tom Holland
Tags Harrison Osterfield, Tom Holland
Visualizações 146
Palavras 2.305
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Tem alguns avisos nas notas finais. Por favor leiam.
Obrigada por todos os comentários e favoritos!
Espero que gostem desse capítulo.

Capítulo 5 - Capítulo 5- We Need To Talk.


Fanfic / Fanfiction You Should Know - Capítulo 5 - Capítulo 5- We Need To Talk.

Capítulo 5- We Need To Talk.

AMELIE HARRIS POV.

-Conversar sobre o quê? -falei, engolindo seco e ela riu com deboche.

-Sobre o que você está tentando fazer com o Tom. -ela falou, se aproximando e eu apoiei as mãos na pia, apertando-a com força.

-Olha Elle...

-Cala a boca que quem vai falar sou eu. -ela falou, bruta e eu achei melhor me calar. -Não venha com essa conversinha de que vocês são só amigos, porque eu sei que você sente mais do que isso. Eu vejo no seu olhar. Sem falar nessas idas a sua casa que eu tenho certeza que você já vai levando para outro sentido. Eu não sou cega, Amelie, e sei quando alguém quer pegar o que é meu.

-Primeiro de tudo, Tom não é um objeto para você lutar por posse e segundo, eu não estou tentando nada com ele. Se você tivesse o mínimo de senso e consideração para sequer pensar saberia o quão importante somos um para o outro, mas não nesse sentido louco que você está vendo as coisas. Somos melhores amigos, Elle, e isso nunca mudará.

Não sei de onde tirei coragem, mas eu tive que colocar para fora. Esse joguinho dela já estava indo longe demais. Ela estava completamente possessa e com raiva. Seu olhar me fuzilava de um jeito fora do normal e eu estava começando a ficar com medo do que ela seria capaz de fazer pelo simples fato de estarmos a sós.

-Será que não? Vamos ver se não vai mudar quando eu mostrar para o Tom quem você realmente é. -ela falou, com um sorriso assustador e eu arregalei os olhos. -Você pode enganar todos, mas a mim não. Eu sei quem você realmente é, Amelie Harris.

-Você só pode ter perdido completamente a noção. Você tem noção da merda que está falando? Eu não quero seu namorado, Elle. Como eu já disse, somos só amigos e continuaremos. Pare de tratar ele como um prêmio.

-Ele é meu namorado, Amelie. Já não basta o Harrison seguindo a gente o tempo todo, agora você também? Por que você não se joga em cima dele para nos deixarem em paz?

Eu não queria acreditar no que ela havia dito, eu realmente não queria. Ela estava completamente fora de si, mas infelizmente eu não poderia falar nada dessa conversa para Tom. A última coisa que eu quero é ser o motivo do final da relação deles.

-Eu não aguento mais essa conversa, você está completamente fora de si. Eu espero que você coloque um pouco de senso nessa sua cabeça e pare de achar que eu quero roubar seu namorado. Pode ficar com ele o quanto quiser, Elle. A última coisa que eu quero é bagunçar a vida dele. -falei, e passei por ela para voltar à mesa, mas ela puxou meu braço com força.

-Se ele souber uma frase dessa conversa, eu acabo com a sua vida. -ela falou, rude e eu revirei os olhos me soltando.

-Eu quero que você me deixe em paz. Não precisa se preocupar comigo tentando roubar seu namorado, eu vou ficar bem longe.

Sai do banheiro sem olhar para trás. Tentei o máximo fingir que nada havia acontecido. Tom não poderia saber de nada, talvez nem Harrison. Sentei na mesa com a maior cara de sonsa e ele sorriram. Tom chegou a perguntar de Elle, mas eu falei que só a vi quando já estava saindo. Ele e Harrison voltaram a conversar sobre algo que eu não fiz questão de saber.

Depois de um tempo Elle voltou e os meninos pararam de conversar, já que ela tomou toda a atenção do Tom. Toda vez que ele tentava falar algo com o Harrison, ela o puxava para uma conversa particular. E eu aproveitei isso para puxar uma conversa baixa com o Haz.

-Haz?- o chamei baixinho e ele me olhou.

-Fala.

-Eu não estou me sentindo bem, acho que o lanche me fez mal. Eu vou para casa, tá? -falei, fazendo uma careta e segurando a barriga.

-Eu te levo. -ele falou, recolhendo as coisas da mesa e colocando no bolso.

-Não precisa, aproveita o filme. Eu peço um táxi. -falei, colocando a mão por cima da sua e ele riu baixinho.

-Precisa sim, se eu passar mais 5 minutos vendo a Elle lambendo o Tom, acho que vomito. -ele falou, me fazendo rir alto e a atenção dos pombinhos se voltaram para nós, me fazendo corar. -Bom, a tarde foi boa, mas eu e Amelie já estamos indo.

-Mas e o filme? Onde vocês vão? -Tom perguntou, com os olhos levemente esbugalhados e intercalava o olhar entre mim e Harrison.

-Deixa eles, Tom. Eles querem ficar sozinhos para aproveitar. -Elle falou, tocando o braço de Tom, que mordeu o lábio com força e eu olhei para Harrison em busca de ajuda.

-Aproveitem o filme. -Harrison apenas falou isso e saímos de perto acenando.

O caminho até minha casa foi bem silencioso, mas um silencio bom. Harrison já havia percebido que tinha algo de errado comigo, mas resolveu esperar até em casa para me questionar. Quando chegamos, demos boa noite a mamãe que estava vendo um filme qualquer na sala e subimos para o meu quarto. E foi aí que ele já soltou o questionamento.

-O que aconteceu no banheiro? -ele perguntou, e eu fiz a maior expressão de confusa que pude. -Não adianta me enrolar, Ame. Eu te conheço, portanto eu sei que alguma coisa aconteceu naquele banheiro.

-Eu realmente não quero falar sobre isso, Haz. Não foi nada. -falei, desconversando e tirei o casaco, sentando na minha cama.

-Ela te ameaçou, não foi? Eu sabia que ela ia fazer isso. O que ela te falou, Amelie? O que a Elle aprontou dessa vez?

-Ela só está com ciúmes e eu entendo. Ela achava que estava me jogando para o Tom, mas conversamos sobre isso. Eu expliquei tudo direitinho e ela aceitou. Como eu disse, não foi nada.

-Eu sei que não foi só isso e eu já percebi que você não vai me contar, então eu vou deixar para lá, mas só por enquanto. Eu sei muito bem o tipo de coisa que ela seria capaz de te falar, então não se deixe intimidar. Ela só late, não morde. Não deixe ela influenciar na sua amizade com o Tom. Não deixe ela estragar o que vocês dois têm.

Decidimos mudar de assunto e eu o chamei para dormir aqui, que aceitou. Ele tirou os sapatos e eu fui colocar o pijama enquanto ele escolhia um filme para assistirmos. Desci para fazer um lanche para nós e minutos depois já estávamos prontos para assistir. Ele havia escolhido um de terror e eu quase chorei, pois era um saco assistir filmes assim com ele. Sempre sobrava para mim aguentar seus pulos e gritos, mas eu deixei.

O resto da noite foi bastante divertida e eu só conseguia pensar no quão grata eu estava por ter Harrison como meu amigo. Ele realmente estava me fazendo bem.

-Você tem que dar um nome a esse gato. -ele falou, pegando meu gatinho e colocando em cima da cama com a gente.

-Olha, eu ainda não decidi e com certeza não será Harrison. Eu estava pensando em Spencer.

-Eu ainda vou conseguir fazer você colocar o nome dele de Harrison.

-Pode tentar, mas não vai conseguir.

-Enfim, eu vou dormir aqui ou em um colchão?

-Por mim tanto faz, mas se você quiser eu posso pegar um colchão para você.

No final ele acabou dormindo na minha cama mesmo, mas respeitou meu espaço sabiamente. Até o gato dormiu conosco. Mamãe ainda passou para conferir se estávamos bem e pareceu não ligar para o fato de que Harrison ia dormir na minha cama. Então estava tudo bem.

Acordei mais cedo que Harrison e aproveitei isso para tomar logo um banho e descer para fazer o café, já que era cedo. Não demorei muito, pois vovó Anna apareceu e resolveu me ajudar. Alguns minutos depois subi para acordar Haz e fomos tomar café da manhã.

De início, vovó ficou um pouco chocada por vê-lo ali, mas logo depois se animou e ambos entraram numa conversa animada. Porém eu não estava prestando muita atenção, porque Tom estava mandando mensagens.

‘Queria te pedir desculpas por não ter dado devida atenção ontem.’

‘Está tudo bem Tom. Você estava com Elle, eu entendo.’

‘Não importa com quem eu estava, foi errado.’

‘Ok, mas eu não estou com raiva nem nada. Você não precisa se preocupar.’

Resolvi ignorá-lo pelo resto da manhã. Sim, eu estava com raiva, mas ele não precisava saber disso. Além do mais que minha raiva não era totalmente dele e sim da Elle. Com ele eu sou estava um pouco magoada, por não enxergar o que acontecia bem debaixo de seu nariz. Mas com Elle, eu realmente estava irritada. Falar de mim tudo bem, não me importava mais, porém falar do Harrison foi golpe baixo até para ela. Elle não tem direito de reclamar do Harrison, e foi isso que me deixou irritada.

-Você está pensativa. -Harrison falou, me olhando e arrumando sua posição na minha cama.

Já tínhamos voltado para o meu quarto, mas obvio que depois de ajudar vovó a arrumar as coisas lá embaixo. Harrison decidiu que ia ficar mais um pouco só para não me deixar “sozinha”, mas eu sabia que era porquê ele queria tentar arrancar algo de mim sobre ontem. E eu sabia que tudo isso era preocupação, então deixei.

-O que você está pensando?

-Nada importante, nem se preocupa.

-É sobre ontem, certo?

-Harrison...

-Você precisa falar com alguém sobre o que aconteceu, Ame.

Respirei fundo e decidi falar, mas antes implorei para que ele não comentasse nada com o Tom.

-Então, foi tudo aquilo que eu te disse ontem, mas ela foi meio rude e não entendeu a parte em que eu expliquei que não tinha nada com o Tom. Ela na verdade me acusou de estar tentando roubá-lo dela. Você precisava ver a cara dela, Haz. Ela estava completamente fora de si. Ela falava coisas sem lógica e nunca aceitava o que eu dizia.

-Isso foi o suficiente para te fazer ficar tão pensativa e preocupada assim?

-Sim.

-Ela te ameaçou, Amelie? Não tenha medo de me falar.

-Basicamente. Ela só falou que se eu contasse algo para o Tom não ia ser legal para mim. Mas ela não vai fazer nada, não se preocupe. Eu só não sei como chegar perto do Tom sabendo que se ela achar que eu estou tentando algo com ele, provavelmente ela vai acabar comigo.

-Você não tem que ter medo de falar com seu MELHOR AMIGO. Ela tem que aprender a controlar esse ciúmes doentio e o Tom precisa enxergar isso. Mas por enquanto relaxe e continue sendo você mesma, não deixe de falar com ele nem nada. Apenas continue o de sempre e tudo vai se resolver.

-Obrigada Haz. Você é um anjo. -falei, lhe abraçando e dei um beijo em sua bochecha. Ele sorriu e revirou os olhos.

-Agora eu preciso ir antes que minha mãe me mate.

Ele me deu um beijo na testa e saiu do quarto. Decidi passar o resto do dia resolvendo as coisas do curso com a minha vó. Verificamos meus horários e até saímos para comprar uns materiais que seriam necessários, porém minha cabeça estava longe e ela já havia percebido. Entretanto, me deixou quieta e só tentava me distrair.

-Você deveria ligar para Nikki, ela pode te dar várias dicas sobre o curso. E até mesmo chamar o Harry para juntos tirarem algumas fotos. -ela falou, sorrindo enquanto tomávamos sorvete e eu apenas acenei com a cabeça, concordando.

HAZ OSTERFIELD POV.

Cheguei em casa já pensando em como contar tudo para o Tom. Eu sei que prometi a Amelie que não iria fazer nada, mas eu não poderia deixar do jeito que está. Dessa vez Elle passou de limite e eu não aguento mais ficar na minha. Ainda mais quando meu melhor amigo está se perdendo por causa dela. E seu ciúmes lhe cegando.

Tom pode negar o quanto quiser, mas eu o conheço o suficiente para saber quando está com ciúmes. E no momento o ciúmes dele por Amelie está forte. Eu sei o quanto ele gosta dela e o quanto ele gosta de Elle, e eu posso afirmar que é bastante diferente. Ele não gosta mais de Elle, nunca gostou na verdade. Não o suficiente para serem namorados, a questão é que ele se acostumou e não enxerga as coisas que ela faz. E infelizmente eu preciso me meter e abrir os olhos dele.

Falei com meus pais, explicando o motivo de eu ter dormido na casa da Amelie e eles entenderam de boa, mas acharam que estávamos tendo alguma coisa. Apenas ignorei, porque minha mãe nós conhece bem. Corri para o meu quarto e fui me arrumar para ir à casa de Tom.

‘Dude, estou indo aí. Precisamos conversar.’

‘Vai almoçar aqui?’

‘Não.’

Almocei rápido e já corri até a casa de Tom. Eu estava um pouco nervoso, porque não queria falar besteira e também não queria que ele me entendesse errado. Só queria tentar abrir os olhos dele. Não irei contar tudo que Amelie me disse, só vou lhe contar um resumo do que aconteceu ou até mesmo lhe pedir para conversar com Elle. Não sei direito, só vou falar o que sair.

-Oi Haz, Tom está lá em cima. -Harry falou, ao abrir a porta.

Apertei sua mão, falei com todos que estavam na sala e subi até o quarto do Tom. Bati antes de entrar e ele estava largado na cama com o telefone na mão. Assim que me viu largou o celular e veio me abraçar.

-Então...

-Precisamos conversar sobre Elle. 


Notas Finais


Gente, minha amiga começou uma Fic do Loki e eu estou lhe ajudando com algumas coisinhas. Seria muito legal se vocês pudessem ler, ela escreve muito bem. Está aqui o link: https://spiritfanfics.com/historia/threadbare-9840669
Talvez em breve teremos uma Fic do Harrison em minha conta, mas será uma Short Fic. Já estou até preparando a história direitinho.
Deixem suas críticas. Até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...