História You were made for me - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Demi Lovato, Fifth Harmony, Miley Cyrus, Nick Jonas
Personagens Camila Cabello, Dallas Lovato, Demi Lovato, Lauren Jauregui, Miley Cyrus, Nick Jonas
Tags Camren, Demi Lovato, Diley, Dileyg!p, Miley Cyrus, Nick Jonas
Visualizações 365
Palavras 3.890
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Luta, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente, como vocês estão?
Então esse capitulo era para ter saído ontem, mas como aqui na minha cidade foi feriado e também aniversário do meu pai acabou que eu sai e nem deu para postar, mas vamos ao capitulo! Espero que gostem e me perdoem os erros <3

PS: Até as notas finais!

Capítulo 35 - Chapter Thirty Five


Point of View Demetria Lovato

Depois que Miley saiu eu fiquei na sala esperando Lauren chegar o que não demorou muito.

- Pronta para mexer esses dedos? – Foi a primeira coisa que a morena disse quando chegou na sala acompanhada de minha mãe.

- É vamos lá. – Falei sem muita animação, mas sem ser em tom de desistência.

- Nós vamos conseguir Demi e em três meses você estará dando seus passos sozinha. – Ela piscou para mim. – Só confie em você e em mim.

- Eu confio. – Pisquei de volta e a morena sorriu.

Lauren novamente preparou seu colchonete no chão da sala e me carregou até o mesmo passando a repetir todos os exercícios que ela tinha feito de manhã. A única coisa que tinha de diferente agora era que a minha mãe estava junto com nós observando cada movimento que eu fazia.

Se eu estava incomodada com ela nos olhando? Um pouco, mas não pelo fato de que eu não a queria ali e sim por que eu não queria que ela criasse esperança e depois se decepcionasse caso eu não conseguisse fazer o que Laur me pedia.

Lauren estava exercitando meus dedos e ao contrário dos exercícios de manhã agora ela estava colocando muita mais intensidade tanto é que eu podia sentir uma leve dor, mas estava me segurando para não reclamar.

- Eu sei que está doendo. – Laur disse me encarando nos olhos enquanto prosseguia exercitando os meus dedos. – E isso é bom.

- Como pode ser bom se eu estou sentindo dor? – Perguntei rabugenta e ela riu.

- Pelo simples fato que você está sentindo. – Ela disse convencida e eu revirei os olhos. – Se está doendo é porque seus músculos estão correspondendo bem aos meus exercícios.

- Aguente firme querida. – Minha mãe me incentivou com um grande sorriso e eu acabei por sorrir para ela sem mostrar os dentes.

Eu sabia desde o começo que seria um processo doloroso e que devido as minhas exigências ia ser muito mais doloroso já que ela estava diminuindo quatro meses no meu processo.

Então se eu quisesse ter um bom resultado em três meses eu teria que aguentar todas as dores e me manter firme até eu alcançar o meu objetivo.

- Ela é forte Dianna, ela vai aguentar não é tampinha? – Lauren me zoou fazendo minha mãe rir.

- A falou a super alta nossa. – Eu dei a língua para ela. – Se toca que você nem é tão alta assim.

- Maior que você eu sou. – Piscou convencida e eu lhe dei o dedo do meio. – Então vai ser uma boa menina e aguentar a pressão e as dores?

- Eu entrei nessa com um propósito e não vai ser sua pressão e as dores que vão me parar. – Falei decidida.

- Essa é a minha garota. – Ela falou orgulhosa.

Laur continuou por cerca de mais três horas e meia apenas exercitando os meus dedos e a cada minuto que passava eu sentia minhas dores maiores, mas não ousava reclamar apenas focava meus pensamentos em voltar a andar deixando a dor de lado.

Ela fez o último movimento em meus dedos e então deixou minhas pernas esticadas sobre o colchonete e meus pés junto um do outro.

- Feche os olhos Demi. – Lauren falou com a voz suave e assim eu o fiz. – Agora eu quero que você se imagine mexendo os dedos pode fazer isso para mim?

- Sim.

Como ela pediu eu passei a imaginar como era mexer os dedos e um pequeno sorriso surgiu em meus lábios quando eu lembrei daquela pequena sensação.

- Pelo seu sorriso creio que você está imaginando. – Eu sabia que Lauren estava sorrindo só pela forma que ela falou. – Continuei assim e agora me diga qual é a sensação de mexer os dedos Demi?

- É uma sensação ótima. – Eu suspirei. – É como se eu tivesse o controle deles de novo.

- Certo, agora imagine que você os dobrou. – Sua voz disse serena. – Sem pressa apenas imagine isso, deixe com que seu cérebro trabalhe, deixe ele mandar o comando para o seu corpo.

Eu soltei um longo suspiro e voltei a encher meus pulmões com um novo ar então relaxei e deixei meu cérebro trabalhar. Como Lauren pediu eu passei a imaginar eu dobrando os dedos, sem pressa e muito menos pressão eu apenas me deixei ir.

O silencio estava gritante na sala tanto é que eu podia ouvir a respiração de Lauren e minha mãe, mas o mesmo foi quebrado quando eu escutei um soluço como se fosse de choro e o mesmo vinha de minha mãe.

- Laur o que está acontecendo? – Eu perguntei ainda de olhos fechados.

- Abra os olhos e veja você mesma. – Era nítido que a voz dela estava emocionada.

Sem esperar outra ordem de Lauren eu abri meus olhos e os mesmos grudaram em minha mãe que estava sentada no sofá de frente para nós. A mesma chorava, mas estava com um grande sorriso no rosto.

Meus olhos pararam em Lauren e a mesma sorria de lado então os olhos da morena caíram sobre minhas pernas parando exatamente sobre meus pés e eu segui aquele olhar brilhoso e foi inevitável não deixar que as lágrimas viessem.

- N-não pode ser. – Eu disse com a voz embargada.

- Sim pode. – Lauren disse animada. – Eles estão dobrados.

Eu olhava os dedos dos meus pés dobrados sem acreditar naquilo, eles não estavam totalmente dobrados apenas as pontinhas, mas aquilo era muito para mim.

Dentro de mim era como se uma festa de carnaval acontecesse, eu sentia meu corpo extasiado diante do que via. Sei que para muitos aquilo não era nada, mas para mim era como já estar andando de volta.

- Volte eles ao normal. – Laur falou.

- Eu não consigo. – Eu falei depressa. – É como se eles estivessem travados assim.

- Você consegue sim apenas trabalhe nisso, vamos lá você fez o mais difícil. – A morena me incentivou.

Realmente era como se os meus dedos tivessem travados naquela posição, era quase como se eu tivesse tido uma cãibra e eles tivessem travados e se eu tentasse os voltar no lugar sentiria muita dor.

Respirei novamente e então me concentrei deixando que o resto fluísse e como Lauren pediu eu voltei com os dedos ao normal.

- Meu Deus eu não sei nem o que falar. – Mamãe disse chorando e saiu do sofá se jogando sobre mim enquanto chorava horrores.

- Mãe você está me sufocando. – Falei rindo entre o abraço que ela me dava.

- Querida eu estou tão orgulhosa de você. – Ela falava animada. – Deus isso é maravilhoso.

- Sua filha realmente é um caso raro. – Laur falou orgulhosa. – Sabe é difícil um paciente conseguir mexer a pontinha do dedo logo no primeiro dia, isso só mostra o quanto você está bem e o quanto você pode conseguir o que quer.

- Obrigada Laur, obrigada por tudo que está fazendo e vai fazer por mim. – Eu disse chorando, mas era de felicidade.

- Me agradece agora né, mas tenho certeza que durante esses três meses você ainda vai me xingar muito. – Disse divertida nos fazendo rir. – Agora vamos continuar com o exercício eu quero ver você os mexer novamente.

- Uma vez não basta? – Eu falei fazendo careta devido que eu já estava exausta por tudo o que tínhamos feito.

- Não eu quero mais então vamos lá sem moleza.

- Ai eu vou pegar o celular para filmar isso. – Minha mãe disse animada e saiu correndo da sala fazendo Lauren rir.

- Você tem a coisa mais importante no mundo para voltar a andar Demi. – Minha amiga disse me encarando.

- Que seria? – Perguntei curiosa.

- O apoio da sua família, veja o quanto eles te amam, o quanto eles vibram com você a cada degrau que você sobe então minha amiga se apegue a isso porque todos aqui querem ver você vencer essa guerra.

- Eu vou me apegar. – Eu disse emocionada. – Por eles eu vou vencer.

- Sim você vai. – Ela deu um aperto na minha perna.

- Voltei agora pode começar. – Mamãe falava animada.

Então novamente nos começamos o processo, Lauren fazia os exercícios e logo em seguida me fazia mexer os dedos. Tinha horas que eu conseguia tinhas horas que não, mas eu não me deixava abalar apenas ia seguindo todas as instruções da boa fisioterapeuta que Lauren era.

Já era sete horas da noite quando Lauren deu a sessão de hoje por encerrada e eu quase a beijei por isso por que eu estava muito exausta, era como se eu tivesse tomado uma surra.

- Laur fica para jantar com a gente? – Minha mãe perguntou enquanto entregava um copo de suco para a minha amiga.

- Agradeço, mas hoje meus sogros vão jantar em casa.

- Jantar com os sogros boa sorte. – Eu disse rindo.

- Os pais da Camz são tranquilos e a gente se dá bem. – Laur disse sorrindo deixando claro que o que dizia era verdade.

- Menos mal ninguém merece se dar mal com os sogros. – Falei.

- No começo o Alejandro não ia com a minha cara, mas eu o conquistei com o meu charme.

- Disso eu não duvido. – Minha mãe falou rápido e creio eu que aquilo era para ficar apenas em seus pensamentos já que a mesma estava muito corada. – É eu vou olhar a panela que deixei no fogo, boa noite Laur e ótimo trabalho. - Minha mãe nem esperou Lauren responder e saiu apressada nos fazendo rir.

- Parece que minha mãe também caiu no seu charme coisa chata. - Falei ainda rindo.

- Quem é que não cai? – Falou convencida enquanto jogava os cabelos para o lado.

- Céus você anda tendo muito contato com a Miley está tão convencida quanto ela. – Fiz careta.

- Por falar nela imagina o quanto ela vai surta quando sua mãe mostrar o vídeo. – Minha amiga falou bem animada.

- Estou louca por isso. – Sorri de lado.

- Me conta depois.

- Pode deixar.

- Bom Demi eu tenho que ir ou a Camz me mata, parabéns por hoje e eu sei que nós vamos chegar longe. – Ela veio até mim e beijou minha testa.

- Obrigada Laur eu não conseguiria sem você. – Disse realmente grata.

- O mérito é todo seu. – Sorriu de lado. – A gente se vê amanhã.

- Até amanhã Laur.

Então eu a acompanhei até a porta e a esperei sair com o carro para voltar para dentro de casa.

- Ela já foi? – Minha mãe perguntou entrando na sala enquanto secava as mãos em um guardanapo.

- Sim sua crush já foi. – Eu falei rindo e ela ficou me encarando séria.

- Ela não é minha crush. – Se defendeu.

- Papai não vai gostar nada de saber disso. – Continuei zoando.

- Menina para de me encher o saco e vai tomar banho logo que daqui a pouco seu pai e sua irmã chegam e eu já vou servir o jantar. – Ela disse séria e me bateu com o guardanapo.

- Aí mãe. – Resmunguei.

- Vai logo Demetria.

- Estou indo. – Rolei os olhos e fui em direção ao elevador.

Quando eu cheguei no meu quarto fui direto ao banheiro porque eu realmente precisava tomar banho. Eu precisava muito relaxar o meu corpo.

Cerca de quase uma hora depois eu saí do banheiro já vestida e com os cabelos molhados e não me importei em secar.

Fui para o elevador e quando cheguei na sala foi impossível não abrir um grande sorriso quando meus olhos pararam sobre as duas criaturas que eu já amava tanto.

Point of View Miley Cyrus

Quando o elevador se abriu tanto eu quanto Lorenzo olhamos em direção do mesmo foi quase que automático e foi impossível eu não sorrir para a morena que tanto mexia comigo. Até Lorenzo se agitou no meu colo.

- Amor. – Demi disse quando se aproximou de nós.

- Oi Dems. – Eu lhe dei um selinho.

- Oi meu príncipe. – Ela disse com a voz fininha e Lorenzo já se jogou no colo dela.

- E eu não recebo um oi? – Meu sogro disse sério do outro sofá o que me fez dar um risinho.

- Oi papai. – Ela foi até ele com Lorenzo no colo e meu sogro a beijou no rosto.

- A bom pensei que já ia me trocar por essa loira aí. – Fez careta para mim.

- Não pai. – Ela negou rindo. – A Miley nem é tudo isso.

- Aí essa doeu. – Me fiz de ofendida.

- Estou brincando amor. – Ela sorriu entre os dentes e meu sogro rolou os olhos.

- Tanta melação. – Dallas disse quando chegou na sala.

- Dalls. – Demi disse animada assim que viu ela. – Como foi com os meus alunos?

- Eles me amaram falaram até que não é para você voltar. – Minha cunhada disse convencida.

- Duvido muito. – Demi negou com a cabeça rindo.

- Espera aí a Dallas sabe dar aula de pianos? – Me fiz de chocada só para zoar a mesma. – Nossa essa eu tenho que pagar para ver.

- Cala a boca coisa idiota. – Dallas me mostrou o dedo do meio.

- Ei temos criança aqui. – Eu falei séria.

- Você não conta. – Minha cunhada me zoou e eu lhe dei a língua.

- Crianças. – Demi disse. – Até você é mais cabeça que essas duas juntas não é meu amor?

Como se tivesse entendendo o que Demi dizia Lorenzo soltou um gritinho fazendo tanto ela quanto Eddie darem risada e Dallas e eu ficarmos com cara de bestas.

- O jantar está pronto venham. – Dianna apareceu na sala.

- Mas a Demi nem nos contou como foi hoje. – Eddie disse.

- É verdade mãe. – Minha cunhada concordou.

- Venham jantar que eu tenho uma surpresa e depois a Demi conta como foi hoje, agora venham logo. – Disse séria e se virou para ir para a cozinha.

- Depois que elas casam ficam mandonas então pense bem se quer casar Miley. – Ele piscou o olho para mim.

- Eu escutei isso Eddie! – Minha sogra falou brava e ele arregalou os olhos fazendo a gente rir.

Todos nos ajeitamos na mesa e então minha sogra liberou o jantar e pelos Deuses ela tinha feito lasanha uma das minhas comidas preferidas. E que mamãe não me ouça, mas a lasanha da minha sogra era uma das melhores que já comi senão a melhor.

O jantar transcorreu tranquilo para falar a verdade eles ficaram o tempo todo perguntando como estava indo o meu treino e eu só reclamei o quanto Fred estava tirando o meu couro o que fazia todos rirem.

Quando o jantar terminou nós fomos para a sala onde minha sogra serviu um café para nós e então Demi começou a contar como tinha sido sua primeira sessão de fisioterapia. Confesso que eu senti uma dorzinha no peito quando ela começou a falar que sentiu dores e que era tudo muito intenso.

Mas eu sabia que tudo aquilo era necessário e que no final de tudo a minha garota ia vencer esse obstáculo que lhe foi imposto.

- Mas então qual é a surpresa? – Dallas perguntou depois que Demi terminou de contar como tinha sido sua sessão.

Dianna e Demi trocaram breve olhares e logo as duas estavam sorrindo deixando claro que a surpresa era uma coisa muita boa.

Minha sogra se levantou e foi até a estante e pegou seu celular logo voltando para perto de nós enquanto mexia no aparelho.

- Estão preparados? – Ela perguntou ansiosa.

- Mãe não vai nos mostrar pornô né? – Só podia ser Dallas para fazer esse tipo de pergunta.

- Olha bem para a minha cara Dallas Lovato. – Minha sogra falou séria e minha cunhada olhou. – Acha que eu sou você é?

- Aí eu só estava brincando não precisava ofender também. – Fez um bico enorme e nós rimos.

- Mostra logo querida eu estou curioso. – Eddie disse meio desesperado e eu ri, mas parei assim que ele me encarou.

- Vou mostrar cheguem mais perto. – Dianna disse e assim nós fizemos.

Quando pude ver a tela do celular vi que o mesmo estava em um vídeo o que me deixou bem curiosa para saber que vídeo era aquele. Então minha sogra deu play e quando o vídeo começou a rodar eu senti meu mundo parar.

Lágrimas já desciam por meus olhos, mas eram lágrimas de felicidade, eu não sabia dizer o que estava sentindo ao ver minha namorada mexendo os dedos.

Eu poderia morrer agora que morreria feliz e muito orgulhosa por ver o que a minha garota tinha conseguido depois de tanto esforço.

- Deus Dems. – Eu disse chorosa. – Isso é demais.

- EU SABIA QUE VOCÊ IA CONSEGUIR CARALHO. – Dallas gritou.

- Dallas! – Dianna a reprendeu.

- Qual é mãe eu estou feliz. – Ela disse animada.

- Querida eu estou tão orgulhoso de você. – Meu sogro disse entre lágrimas e se aproximou da minha namorada a abraçando.

Lorenzo que estava no meio não reclamou apenas se deixou abraçar junto e até mesmo soltou uns gritinhos como se soubesse que aquele momento era para ser comemorado.

- Meu amor eu estou tão feliz por você. – Eu me aproximei dela assim que Eddie se afastou. – Sério eu estou muito feliz.

- Obrigada amor. – Ela falou envergonhada e eu não me aguentei e acabei por beija-la.

- Esse é dos meus. – Meu sogro disse quando Lorenzo enfiou as mãos entre nossos lábios como sempre fazia.

- Papai! – Demi o reprendeu enquanto revirava os olhos e Eddie dava de ombros.

- Nós temos que sair comemorar. – Dallas disse pulando do sofá.

- Hoje não Dalls eu estou muito cansada. – Demi disse.

- Qual é Demi isso tem que ser comemorado. – Minha cunhada insistiu. – Eu e o Nick já íamos na choperia do Stan agora podemos ir juntos.

- Eu até gostaria de ir, mas eu realmente preciso descansar.

- Poxa. – Fez um bico enorme.

- A gente vai final de semana Dalls. – Eu falei para a minha cunhada e ela deu de ombros.

- Tudo bem então eu vou nessa. – Dallas foi até a Demi e beijou a testa dela. – Eu estou muito orgulhosa de você minha pequena garotinha.

- Dallas. – Demi estava muito vermelha o que me fez rir.

- O que é? Eu sempre te chamei assim. – Deu de ombros.

- Quando eu realmente era uma garotinha. – Minha namorada reprendeu a irmã.

- Você sempre vai ser uma garotinha para nós não é papai?

- Com certeza. – Eddie disse sério e Demi bufou.

- Agora eu tenho que ir, tchau gente.

- Não chegue tarde. – Dianna disse.

- Eu vou dormi no Nick e de lá vou trabalhar. – Ela falou já na porta.

- Vocês realmente roubaram as minhas filhas não é mesmo? – Eddie me olhou com os olhos semicerrados.

- N-não. – Eu gaguejei o que fez todos rirem e eu ficar envergonhada.

- Para de encher o saco dela homem. – Dianna lhe deu um tapa.

- Não posso perder o costume. – Deu de ombros.  - O papo está bom, mas eu vou subir tomar banho e descansar, vamos querida?

- Claro vamos sim. – Os dois se levantaram do sofá.

- Tenham juízo e boa noite. – Meu sogro falou.

- Boa noite. – Demi e eu respondemos juntas.

- Miley caso for dormir aqui eu já coloquei algumas coisas de higiene para você no criado mudo da Demi. – Minha sogra falou enquanto beijava Demi no rosto e depois veio até mim.

- Como assim dormir aqui? – Meu sogro se apressou a dizer.

- Só vamos logo Eddie. – Dianna o saiu puxando deixando Demi e eu rindo.

- Então vocês vão dormir aqui? – Minha namorada perguntou com um grande sorriso.

- Não sei, você quer que a gente durma aqui? – Me aproximei dela.

- Você sabe que sim. – Ela mordeu meu lábio inferior já que eu estava roçando nossos lábios.

- Então vamos subir.

Nós fomos para o elevador e o Lorenzo ia fazendo uma festa como se estivesse se divertindo por estar ali.

Entramos no quarto de Demi e ela me deu o Lorenzo enquanto ia para o banheiro escovar os dentes. Enquanto isso eu deitei o meu filho em sua cama e liguei a televisão do quarto dela colocando em um desenho qualquer para Lorenzo se distrair.

- Se quiser tomar banho pode ir. – Demi chamou minha atenção quando saiu do banheiro e parou ao lado da cama.

- Eu já tomei antes de vir só quero escovar os dentes.

- Acho que a minha mãe deixou uma escova de dentes para você entre os produtos de higiene dá uma olhada no criado mudo. – Ela falava enquanto se ajeitava na cama ao lado do Lorenzo.

- Vou olhar.

Eu fui até o criado mudo e quando abri a gaveta vi que realmente tinha uma escova de dente ali entre outras coisas, mas fiquei muito vermelha quando vi melhor o que tinha.

- O que foi? – Demi perguntou.

- Acho que sua mãe não quer ser vovó. – Eu falei sem jeito.

- Por que? – Perguntou confusa.

Então eu tirei de dentro do criado mudo uma tira de camisinhas, no mínimo devia ter umas dez ali. Quando Demetria viu ela ficou mais corada do que eu.

- Não acredito que a minha mãe fez isso. – Falou sem jeito.

- É o jeito dela de mostrar que se preocupa com a gente amor. – Eu acabei por rir.

Na realidade eu não estava com vergonha pelo fato da camisinha estar ali e sim por que eu sabia que foi minha sogra que colocou ali o que era muito constrangedor.

- Minha mãe não tem jeito. – Ela disse ainda envergonhada.

- Podemos usar uma delas para ela ver que estamos a obedecendo. – Falei maliciosa.

- Miley! – Ela me reprendeu.

- Qual é amor? – Eu falei rindo.

- O Lorenzo está aqui.

- Prometo ser rápida. – Eu insisti, mas era mais na zoeira até por que eu sabia que não iria dar para fazer nada com o Lorenzo ali.

- Idiota. – Jogou um travesseiro em mim e eu apenas ri.

Fui para o banheiro e escovei meus dentes rapidinho e logo voltei para a cama me deitando ao lado de Demi e a abraçando pela cintura já que Lorenzo estava sobre o peito dela.

- Ele dormiu. – Eu falei baixinho para não acordar o mesmo.

- Eu percebi. – Ela falou sorrindo.

- Ele adora você é incrível. – Eu fiz um carinho no cabelo dele.

- Eu também adoro ele. – Disse derretida.

- E mãe dele? – Perguntei com um sorriso maroto nos lábios.

- Hm talvez. – Ela disse rindo.

- Talvez é? – Me aproximei dela e coloquei o cabelo dela que estava em seu rosto atrás da orelha.

- Sim talvez. – Ela sussurrou devido aos nossos lábios estarem colados.

Então eu a beijei com cautela para não acordar o Lorenzo. E por Deuses eu senti tanta a falta desses lábios durante o dia. Demetria já era o meu vício.

- Boa noite Dems. – Eu disse quando separamos o beijo.

- Boa noite meu amor.

Colocamos Lorenzo então no meio da gente e deixamos que nossas mãos se entrelaçassem por cima do pequeno corpinho de meu filho e ali nos deixamos levar por mais uma noite de sono bem dormida diante das pessoas que amávamos.


Notas Finais


E no primeiro dia Demi teve um grande avanço o que pode não ser muita coisa na visão de muitos, mas para ela é como se conquistasse aquilo que tanto deseja, isso só mostra o quanto o corpo, a mente e a força de vontade estão fortes diante a situação que está vivendo por isso nunca desistam no primeiro empecilho que lhe for imposto persista e siga firme que no final o resultado pode ser surpreendente <3

Me sigam no twitter que eu sigo todos de volta: @lm_parrilla

Até mais meus amores <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...