História You won't ever be alone - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Grey's Anatomy
Tags Arizona, Callie, Calzona, Grey's Anatomy, Greysanatomy
Visualizações 236
Palavras 1.404
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Orange, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, voltei com mais um capítulo
Desculpa a imensa demora e os erros de português.

Capítulo 3 - Capítulo 3


Callie 

Paro em frente aquela portaria, fazia um tempo em que eu não vinha naquele hospital, estava com um misto de sentimento por estar ali, saudades e um certo medo eram os que mais prevaleceram. A medida que ia adentrando aquele local, onde viveu muitas coisas, era atacada por flashbacks. 

-Callie! Callie! - Escutou alguém a chamando e lhe tirando da suas memórias 

-Meredith, que saudade! - Falei a cumprimentando com um abraço 

-Também, faz muito tempo que você não aparece por aqui  

-Faz mesmo, as coisas e as pessoas estão tão diferentes, tudo muito mudado – Constato 

-Para nós, que não saímos daqui, a mudança foi meio que gradativamente, mas imagino que deva ser um choque para você 

-Sim, muito!  

-E o que devemos a honra de termos a deusa da Orto nos visitando? - Ela pergunta curiosa 

-Bom dia a todos! - Bailey chamou atenção de todos. - Eu queria comunicar a todos, que teremos uma "nova" integrante a nossa equipe – Ela falou fazendo "" com as mãos. - Aos novatos, aos que ainda não tiveram oportunidade de trabalhar com ela... Eu queria apresentar a vocês, a Dr Torres, que está de volta a nossa equipe como chefe da ortopedia. - Falou apontando para mim e eu vou para o lado dela... 

-TORRES! - Ouvi Alex grita em meios aos aplausos... 

-Gente, é com muita alegria estou aqui de volta, onde aprendi e cresci muito. É como voltar realmente ao seio familiar, como, finalmente, voltar para casa. Vejo alguns rostos novos, na realidade, muitos – Todos começam a rir e ela percebe uma loira chegar – Mas espero com o tempo conhecer a todos e ter oportunidades de trabalhar, ensinar e principalmente, aprender com todos.  

-Agora, voltem todos ao seus trabalhos! - Miranda ordenou  

Procurei com os olhos e notei uma roda de pessoas que eu conhecia muito bem, como senti falta de todos. Estavam Hunt, Kepner, Karev, Jakson, Meredith e Arizona. 

-Acho que temos motivos para comemorar – Falou Meredith animadamente 

-Joe hoje após o plantão - Alex continuou 

-Que saudade eu estou até do Joe – Comentei e todos começaram a rir – Por mim, tá ótimo! 

-Por mim também! - Arizona confirmou – Levo Sofia para sua casa Mer, elas ficam com os mais novos 

-Elas vão amar – a mulher responde ironicamente e todos voltam a rir. - Mas achei uma ótima ideia. 

-Então combinado – Hunt falou - É ótimo te ter de volta, mas tenho que ir – Ele falou me abraçando e saindo, logo seguida kepner e os restante foram me dando boas vindas e que nos encontraríamos mais tarde, até ficar só eu, Meredith e Arizona 

-Que bonito, chegando atrasada, né Dr. Robbin? - Perguntei  

-Culpa das suas filhas – Ela apontou para nós duas, ontem Zola foi dormir com ela e Sofia – Foram dormir foi tarde tagarelando. Elas não se contentam em só conversar entre elas mesmas, tem que me meter e me colocar uma saia justas 

-Eu achei maravilhoso, quando Zola falou que iria para o seu apartamento, ao invés do inverso - Grey falou aliviada e nós rimos -Enfim, vou indo visitar meus pacientes, daqui a pouco tenho uma cirurgia marcada. Seja bem vinda, Callie! O hospital é seu, literalmente – Falou se despedindo e rimos - Até mais tarde. 

-Eu vou indo também! - Ari falou também e me abraçou, eu me perco naquele perfume dela, até ela se afastar - Até mais tarde, Calliope – Eu já disse o quanto é excitante ouvi-la me chamar assim, é como se ela degustasse casa silaba do meu nome.  

-Até. - Sorri para ela – Enquanto isso vou ver se encontro alguma coisa na emergência. - Falo me encaminhando para o local. 

Uma coisa, que com certeza não havia mudado foi a emergência, continuava a mesma loucura de sempre. 

-Torres, mulher gravida, caiu e fraturou a tíbia. - Hunt a chamou assim que lhe viu – Chama a Robbins. 

Assim eu fiz e comecei a examina-la, precisava de um raio x. 

-Oi, sou Rodrigues -  Uma moça que eu ainda não conhecia – Eu sou interna do hospital e me escalaram para ficar com você. 

-Okay. Sou Dr Torres – Falei e lhe dei um sorriso a cumprimentando  

-Oi – Arizona chegou com seu sorriso de covinha e começa a ver o estado da paciente – Pelo que eu estou vendo, a gestação não foi afetada pela queda, mas vou entrar com você, caso aconteça alguma coisa. 

-Rodrigues, quero um raio x da perna direita, arruma uma so e você vem comigo. - A instrui e ela saiu com a paciente 

-Ela estava quase babando por você - Falou com um tom, ao que me parece, forçadamente natural.  

-Você está vendo coisa demais – a retruquei 

-Eu sei quando uma mulher baba por você, Callie. 

-Nem vou discutir... Ela é muito nova – Faço uma careta – Fora isso, até que é bonita. - Recebo um olha da Arizona, que eu  não sei decifrar, junto com um silêncio. 

 

Já na SO, Callie resolveu, para melhor reabilitação da mulher, ainda mais considerando o quadro da gravidez, colocar placa. 

-Já sabe a area que quer seguir, Rodrigues? - Perguntou Callie, sem suportar mais aquele silencio 

-Ainda não sei ao certo, tenho minha preferência, mas nada ainda fechado. - A menina respondeu 

-Modéstia a parte, Ortopedia é a melhor. - Falei em tom de brincadeira e ela riu.  

-Já tinha feito algumas coisas com a Wilson – a menina começou -  mas está com a famosa Dr. Torres é uma experiencia maravilhosa. - Nessa hora como um imã meus olhos se direcionaram a Arizona, e a vejo revirando os olhos. Não sei o porquê, mas gostei de ver aquela reação na mulher. 

-Eu famosa? - soltei um rizada sem graça - Vamos ver outras cirurgias futuramente, já que estou de volta. 

-Seria um prazer. - Está bem, o tom teve um pouco de malicia. 

Era melhor eu ter escutado a loira, mas no fim, para quem a um tempo não tinha nada, até que foi bom para o meu ego. Teria que dar um jeito, o mais rápido possível de acabar com qualquer pensamento, além do profissional, que ela tenha criado. 

-"Seria um prazer" - Arizona falou ao saímos da so e entramos na sala dos atendentes.  

-Só ai, eu vi ela estava entendendo outra coisa - Respondi – Vou dar um jeito dela entender que não vai ter nada. 

-Ah... jura? Só quando ela basicamente se esfregou em você? Por que o que eu falei antes não serviu para abri os seus olhos? Acho bom, nesse hospital, agora, temos regras. 

-Que ironico, logo onde basicamente todo o conselho se casou, namorou ou teve um rolo? Quantas vezes você mesma transou nesses quartos? Isso eu posso dizer com conhecimento de causa... 

-Ah... Agora, eu sou igual a um flerte seu qualquer? 

-Eu não disse isso? Você ouviu eu lhe comparando a um flerte que serviu para inflar meu ego? Eu disse que essa regra vindo do conselho era irônico, onde todos, TODOS, inclusive, Catherine Avery... - Fui falando e me aproximando dela por extinto, a medida que eu me aproximava, ela dava passos para trás, até encostar na parede e eu quase colar nossos corpos – Quer saber? Eu acho essa nossa discursão sem motivo, porque se eu me lembro bem, eu sou solteira e deixei de lhe dever satisfação a um tempo. O que você quer afinal? 

A essa altura, nem eu e nem ela, pensávamos direito. Ela alternava o olhar entre o meu olho e minha boca, estava com a boca entre aberta, nossos corpos já exalavam calor. Eu estava com saudades daquela boca na minha, daquele beijo, não queria dar o primeiro passo e depois ela fugir, pacientemente, a esperei. Comecei a roçar nossos narizes um no outro. 

-Não quero ela dando em cima de você - Ela confessou em um sussurro, que só deu para ouvi por conta da nossa aproximação. 

Ela colocou a mão na minha nuca me puxando, juntando nossos lábios, já que ela tinha dado a iniciativa, eu quis aprofundar, coloquei os meus braços em volta da cintura dela, nos aproximando ainda mais e pedindo passagem com minha língua. Aquele beijo foi aprofundando, nossas línguas travaram uma batalha por domínio. Era um beijo duro, era como se ela quisesse mostrar posse, e ela realmente tinha, ela me possuía mesmo sem saber. 

-Dr. Tor...res - Ouvi Rodrigues me chamar, adentrando a sala de uma vez, por um impulso nos afastamos – Ai, meu Deus, desculpa. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...