História Young - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Aaron Taylor-Johnson, Chris Evans
Personagens Aaron Taylor-Johnson, Chris Evans, Personagens Originais
Visualizações 23
Palavras 2.417
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oooii amores, desculpem a demora pra postar... meu cel estragou, escrevia por ele, aí ficou complicado postar.
Paguei cel de mamis emprestado enquanto n arrumou outro pra n deixar vcs sem esses malucos 😍

Hj vamos de hot pra compensar 😊

Capítulo 33 - Capítulo 32


Vicky:

Jason tem andado estranho ultimamente, cabisbaixo, triste, abatido, tem até  emagrecido. Isso tem me deixado preocupada, principalmente agora que Nay e Aaron parecem estar prestes a se acertar, tenho medo que meu irmão  entre em uma depressão profunda por causa disso. Ele é muito sensível, só tem tamanho, qualquer coisa o deixa abalado.

- Hey. - Henry me abraçou por trás, me fazendo suspirar - No que está pensando? 

- No Jason. - o olhei de lado - Você não tem achado ele abatido? Magro, pálido?

- Agora que você disse. - franziu a testa analisando meu irmão  do outro lado do jardim - Ele está doente?

- Se amor for uma doença...

- Eu sempre achei que isso acabaria mal. - suspirou me virando para ele - Nay e Aaron se amam, sempre foi questão de tempo se acertarem.

- Eu sei. - suspirei envolvendo os braços em seu pescoço - Eu disse isso a ele. Mas ele é teimoso, não escuta.

- Quem pode culpa-lo? Não se manda no coração. Eu bem sei disso. - sorriu acariciando meu rosto

- Você anda tão romântico. - sorri o beijando 

- Você  e Esther, são minha inspiração pra me tornar um homem melhor a cada dia. - sorriu envolvendo os braços em minha cintura 

- Falando nela, preciso amamenta-la.

- Faça isso. - sorriu  - Depois deixe-a com a Karen um tempo. Vou estar no quarto te esperando. - piscou saindo

Karen ja havia trocado Esther e a estava ninando. Devo admitir que ela leva jeito com crianças, além de, até o momento, ter sido  muito respeitosa e não ter me dado motivos para me preocupar com sua conduta ou seu caráter. Tem sido muito profissional e discreta, não tenho do que reclamar.

- Karen, você pode faze-la dormir e leva-la para o quarto dentro de uma hora, ok? - disse-lhe assim que terminei de amamentar  a pequena  - Não deixe de bater na porta. - sorri a entregando Esther

- Sim senhora.- sorriu pegando a pequena - não precisa se preocupar com ela

- Como ela está? - Henry me olhou sorrindo

- Bem. - sorri o abraçando  - Mamou, e agora Karen está brincando com ela.

- Ótimo. - sorriu me jogando na cama - Agora é nossa vez de brincar. - Se jogou sobre mim, me beijando, entrelacei os dedos em seus cabelos  e ele deslizou as mãos por todo meu corpo me fazendo arfar, mordi seu lábio inferior e tirei sua camisa deslizando as mãos  por seu peitoral. Ele sorriu arrancando minha roupa  com pressa e distribuindo beijos por todo meu corpo, gemi baixo mordendo os lábios e agarrei seus cabelos enquanto sua língua quente dançava em minha intimidade me causando arrepios. Mordi os lábios tentando controlar os gemidos e ele agarrou meus quadris me fazendo rebolaar intensamente em sua boca enquanto ele sugava meu lábios e me estimulava com a língua .

Henry sorriu distribuindo chupões por todo meu corpo e tomou meus lábios em um beijo ardente, me penetrando com urgência, agarrei seus braços  movendo meus quadris no seu ritmo e gemendo alto. Ele apertou meus seios me fazendo arfar, arranhei suas costas e mordi seu lábio inferior o sugando com força, ele sorriu intensificando os movimentos ao máximo, nos levando ao ápice em sincronia.

Sebs:

Eva era uma garota encantadora, doce, divertida, era bom estar em sua companhia, era leve, sem crise, sem pressão, eu poderia investir nela, levar esse lance a distância, se eu não morasse, literalmente, do outro lado do mundo. Por hora, decidi apenas seguir o Conselho de Aaron e tocar minha vida, como Jana está fazendo, bebendo tudo o que tem direito e pegando qualquer ser vivo que aparece em sua frente.

- Você vai mesmo continuar olhando pra ela? - Eva sorriu me beijando, era inevitável, Jana não parecia estar bem, dançando feito louca e cambaleando pelos cantos

- Me desculpe. - suspirei a olhando - Ele não parece bem.

- Ela está bêbada. - riu me olhando e suspirou ao me ver franzir o cenho - Ok, vai la. Leva ela para o quarto, cuida dela. É o que você quer.

- Antes de qualquer coisa, nós somos, fomos amigos. Eu me preocupo com ela.

- Tudo bem, não tem problema, você está certo. É bonito ver o seu cuidado com ela. - sorriu - Bom, você sabe onde é o meu quarto. - piscou se afastando 

Jana estava realmente muito bêbada, dançando sensualmente na pista, cheia de homens em volta, a comendo com os olhos. Quando me viu me aproximar, sorriu mordendo os lábios e começou a se esfregar no primeiro cara que viu pela frente, o beijando em seguida. Típico dela, essas ceninhas de provocação baratas, cheias de caras e bocas.

- Vamos. - a puxei delicadamente, assim que ela se escorou no balcão - Você precisa dormir um pouco. 

- Desde quando você manda em mim? - Ela disse se desprendendo da minha mão e se levantando,  lutando para manter o equilíbrio 

- Não estou mandando em você. Só estou te dando um conselho de amigo. - suspirei a segurando, antes que ela caísse 

- Nós somos amigos? - se virou me encarando

- Não somos? - a olhei sorrindo, ela sorriu mordendo os lábios  e passou o braço por meu pescoço, envolvi meus braços  em sua cintura e a levei para a casa

- Você não perde tempo, hein. Agarrando a priminha dos meninos. - me encarou sentada no sofá 

- Estou vivo, afinal. - ri a olhando enquanto arrumava o colchão na sala - Nay e Aaron provavelmente vão dormir juntos, vamos ter que dividir esse aqui.

- Por mim tudo bem. - deu de ombros - Já fizemos isso antes.

- Já, mas...

- Já está tão preso à loira sem sal assim? Que tem medo de mim? - sorriu engatinhando até o colchão - Eu não mordo. Só se você pedir. - mordeu os lábios me encarando

- Eu sei que não. - suspirei sentindo a proximidade de nossos corpos, era incrível como seu perfume ainda me hipnotizava 

- Então... - sussurou acariciando minha nuca - Qual o problema em dormirmos juntos?

- Problema algum. - deslizei as mãos por suas costas, as depositando em sua cintura - Eu achei que poderia ser um problema pra você  

- Pra mim, de forma alguma. - agarrou meu pescoço, me beijando intensamente

- Você é tão inconstante. - sussurrei entre o beijo, segurando sua nuca

- Achei que você ja estivesse acostumado. - sorriu me deitando no colchão  e se colocando por cima de mim, em seguida desamarrando as alças de seu vestido, sorri mordendo os lábios e ela agarrou minhas mãos as colocando sobre seus seios, os apertei com força, a fazendo arfar e a puxei para um beijo intenso, ela mordeu os lábios se livrando de seu vestido e começou a desabotoar minha camisa, distribuindo beijos pelo meu peitoral, me fazendo gemer baixo, agarrei seus cabelos a olhando enquanto ela arrancava minhas calças e abocanhava meu membro e me olhava sorrindo, soltei um gemido fraco e puxei com força seus cabelos a fazendo intensificar seus movimentos, ela era tão Boa nisso, me fazia delirar de prazer. Me sentei e a puxei para perto, a penetrando com dois dados, a fazendo arfar, ela soltou um gemido abafado e continuou seu trabalho enquanto eu a estimulava, sorriu mordendo  os lábios e se encaixou lentamente em meu membro, me fazendo tema alto, segurou minhas mãos em seus seios, rebolando e em seguida sugou meus lábios e começou  a quicar com força, arranhando minhas costas.

A virei fazendo-a deitar e a penetrei com força, a fazendo soltar um grito e agarrar meus cabelos, seus gemidos desesperados me faziam aumentar a intensidade dos movimntos até faze-la desmanchar em um orgamos e alcançar o meu algumas estocadas depois.

Nay:

Era inevitável ficar totalmente envolvida e imersa nos braços de Aaron, eu ja havia cansado de tentar resistir ou fugir, só me entregar completamente a ele, a cada toque seu, a cada beijo, queria estar mais presa em seus braços, e nunca sair.

- Você não tem juízo nenhum! - ele sorriu beijando meu pescoço e me deitando calmamente  na margem 

- Não. - sussurrei agarrando seus braços  - Nem você. Por isso nos damos tão bem.

- Melhor impossível. - tomou meus lábios em um beijo feroz, me penetrando lenta e tortuosamente, me fazendo gemer baixinho, agarrei seus cabelos movendo os quadris imensamente e ele sorriu segurando minha cintura - Calma. - Ele riu, saindo lentamente, me fazendo protestar - Vamos nos divertir primeiro. - disse deslizando os lábios por meu pescoço até meus seios os abocanhando e os apertando com força e desejo 

- Você gosta de me torturar. - sussurrei entre gemidos e ele sorriu deslizando os lábios, frios pela água que nos banhava, ate minha intimidade e a sugando com força - Aaron! - gemi alto agarrando seus braços e ele arfou e sorriu, fazendo sua língua dançar dentro de mim, me penetrando o mais fundo que podia 

- Eu amo você, sabia? - Aaron sussurrou em meus ouvidos e deslizou as mãos por meu corpo, enquanto a água quente da ducha limpava nossos corpos cheios de areia, depois de nos amarmos loucamente na praia - Por que nós não...

- Eu não quero acabar feito o Sebs e a Jana Aaron. Nós nos damos tão bem, não vamos estragar isso. - sussurrei mordendo seu lábio inferior e ele suspirou me beijando, eu também o amava, mas não estava certa se era o momento de dizer isso a ele, ele era inconstante, imprevisível, poderia mudar de ideia a qualquer instante

- Então, diz que vai ser só minha! Não importa o nome que a gente de pra isso. - sussurou me suspendendo em meus braços e me penetrando novamente 

- Só sua. - gemi baixo o fazendo sorrir - E você, só meu? - arranhei sua nuca e mordisquei seu queixo o fazendo arfar

- Só seu. - suspirou agarrando meus quadris me fazendo gemer alto, entrelacei os dedos em seus cabelos, o beijando intensamente, ele segurou minha nuca, me estocando com força, me fazendo gritar de prazer - Vamos lá para dentro, antes que alguém nos veja. - riu me levando para a sala, me deitou no sofá, a colocando sobre mim, me estocando rápida e intensamente, mordi os lábios tentando controlar os gemidos, que saíam abafados e ele me encarou sorrindo - Shhhh. - colocou a mão em meus lábios e me encarou curioso

- Awn. Sebastian. - ouvimos gemidos altos e incessantes - Vai Sebastian! Me fode! Ahhwn, Sebs! - cada vez mais altos e constantes 

- Wow. - ele sussurrou rindo

- É a Jana? - ri apertando os olhos, tentanso enchergar no escuro

- Com base em meses de experiência, ouvindo esses barulhos. É ela sim. - riu me beijando novamente - Deixa eles. - deslizou os lábios até meus seios, os abocanhando - Onde estávamos? - riu retomando as estocadas intensas, me fazendo gemer alto, arranhando suas costas, envolvi as pernas em seus quadris rebolando loucamente e gritando seu nome a cada estocada violenta que ele me dava

- Com licença... - a voz ofegante se Sebastian nos chamou a atenção - Estamos no meio de um lance aqui.

- Nós também. - Aaron  se virou rindo e me puxou para nosso colchão, no outro canto da sala - Tenham uma ótima  e proveitosa noite, e façam o barulho  que quiserem. - sorriu  voltando a me beixar  e rir dos gemidos agudos e enriquecidos  de Jana

- Se concentra em mim. - me sentei sobre ele, me encaixando em seu membro e rebolando intensamente  enquanto arranhava seu peitoral

- Não vejo mais ninguém! - agarrou meus quadris me fazendo quicar com força, mordi os lábios  gemendo seu nome e ele agarrou meus cabelos, me estocando com ferocidade, tomou meus lábios  em um beijo ardente e eu agarrei seus ombros quicando com toda a força que tinha meu corpo até me desmanchar em um orgamos esplêndido, gritando seu nome. Ele sorriu apertando minhas coxas e me estocou com pressa e violência até se derramar dentro de mim, mordendo meu ombro - Eu te amo, garota. - sussurrou  deitando a cabeça em meu peito

Hems:

Lelli estava radiante, tão linda como nunca esteve, seu sorriso iluminava todo o salão. Eu mal podia esperar para ficar a sós com ela, e termos nossa noite de núpcias. Já estava tudo preparado, as velas, champanhe, rosas, tudo o que ela gosta e tem direito. Saímos a francesa durante a festa e fomos para o quarto, eu estava nervoso como um adolecente virgem.

- Relaxa, meu amor. - ela sorriu acariciando meu rosto - Já fizemos isso tantas vezes.

- Mas é nossa primeira vez como marido e mulher, quero que seja perfeito. 

- Vai ser. - me beijou docemente - Só de estarmos juntos ja é perfeito. 

Ela tinha o dom de me acalmar, com uma palavra, um sorriso, um toque. Bastava olhar em seus olhos e eu sentia  o peso do mundo sair de minhas costas. A peguei nos braços e a levei para a cama, nos livrando de nossas roupas no percurso, ela mordeu os lábios sorrindo percorrendo as unhas por meu peitoral, me causando arrepios. Abocanhei seus seios a fazendo arfar, ela gemeu baixo agarrando meus cabelos enquanto eu a estimulava com meus dedos, era magnífico ve-la tremer de prazer em minhas mãos, percorri meus lábios por todo seu corpo, lhe causando arrepios, enquanto ela arranhava minha costas. A penetrei com urgência, sentindo meu membro enrigecer em suas paredes apertadas, ela agarrou os lençóis  gemendo enquanto eu a estocava com força, apertei seus seios os abocanhando com desejo, ela cravou as unhas em minhas costas, agarrei seus cabelos, distribuindo chupões por seu pescoço  e seios e mordendo seu queixo, a fazendo arfar. Lelli rebolava intensamente, acompanhando meus movimentos, me arrancando gemidos roucos, suas unhas arranhavam minhas costas e ela sussurrava meu nome entre gemidos. A estoquei intensamente com toda a minha força até chegarmos juntos ao ápice 

- E então? - sorriu me olhando, ofegante - Foi como imaginava?

- Muito melhor. - a beijei e ajeitei seus cabelos - Com fome? - me levantei pegando a bandeja de frutas no criado

- Faminta. - sorriu se sentando 

- Hm. - sorri colocando um morango com chocolate em sua boca - Então se alimente. Porque ja quero um segundo round.

-  Meu Deus. - suspirou me beijando - Preciso mesmo me alimentar. - sorriu colcando outro morango na boca, mordi os lábios e a beijei, mordendo metade, nos servi de champanhe, peguei a tigela de morangos e a puxei para um banho e banheira, nossa noite perfeita estava apenas começando 




Notas Finais


Woooww... q essas festas rendem NÉ non...
Jana e Sebs, Nay e Aaron, ql casal se acerta primeiro hein?...
E essa noite de núpcias dos pombinhos 😍❤
No próximo tem Lay ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...