História Young Avengers - interativa - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~Belle_All

Exibições 66
Palavras 2.824
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


boa leitura💜

Capítulo 5 - Just a challenge


Fanfic / Fanfiction Young Avengers - interativa - Capítulo 5 - Just a challenge

Training Area - 7h01 AM

— Quem quer ser o primeiro? — pergunta Nick. — Caleb?

— Não, obrigado. — o loiro se recusa.

— Você não foi o primeiro a usar os poderes sem ordem? Seria um ótimo você ser o primeiro. — diz Phil começando a se divertir.

— Ou você prefere ficar na detenção? — pergunta Ophelia.

— Aqui tem detenção? — pergunta Robert.

— Uma sala que neutraliza os poderes de todos vocês, sim, ela existe! Só não sei se podemos chama-la de sala de detenção. — Phil encara Ophelia.

— É exatamente essa sala que você vai ficar se não quiser ser o primeiro. — a loira sorri sínica pra Caleb, que da de ombros, mas aceita sem muito rodeio.

— Tá, que palhaçada eu vou tem que fazer? — pergunta cruzando os braços. Phil chama o resto do pessoal pra se afastar, e manda Caleb ir mais pro meio.

— Você só vai tem que se defender. — explica Nick.

— Resumindo, só tente sobreviver a isto. — Ophelia passa pelo garoto entrando dentro da cabine de operaçães. — Tá preparado? — pergunta pelo alto falando, que ecoa por toda área.

— Eu nasci preparado. — Caleb responde, e a loira sorri satisfeita.

Metralhadoras surgem e atiram contra Caleb, que rapidamente se protegeu com escudo. Dentro dele, o menino não demonstrava nenhum tipo de medo, Caleb jamais foi inseguro quando se tratava de usar seus poderes. Pelos menos os que ele já conhecia. Quando ele percebe que Ophelia não tem como intenção de parar com o ataque, ele resolve terminar. Sem tirar o campo de força, e faz ondas de choque saírem do mesmo, atingindo as armas e lhe destruindo.

— Satisfeitos? — Caleb se vira pra loira, ainda dentro da cabine.

— Quem disse que acabou? — pergunta sorrindo, disparando centenas de flechas em direção de Caleb. Que imediatamente se desviou de todas como uma agilidade impressionante.

— Ótimo. — diz Nick após o lançamento de flechas cesar. — Você foi ótimo, agora saia dai e espere junto com os outros.

— Quem é o próximo? — pergunta Phil.

E foi assim, um de cada vez. Leon, muito habilidoso com suas katanas, treinado por sua própria mãe dez de criança, se mostrou muito eficiente ao se defender de outro ninja. Alícia também se mostrou muito habilidosa no combate corpo a corpo, principalmente por sua capacidade de fazer seu oponente criar visões, pra lhe fortalecer durante a luta. Anthony, diferente da maioria, acabou num segundo com cinco homens armados apenas congelando todos eles. Catrina, no entanto, conseguiu assustar, não só seus colegas, assim como seus mentores, que ficaram completamente pasmos após a menina retirar o espirito de um soldado e depois coloca de volto no corpo. Nick aconselhou a menina não usar mais esse poder. Débora conseguiu manipular a mente de seus sete oponentes, fazendo os mesmo desmaiarem com seu poder de telepata. Dernie partiu primeiro pro combate corpo a corpo, mas não demorou muito a usar seus poderes e desmaiar os homens. Diamon, usando um talento herdado pelo pai, também preferiu o combate corpo a corpo e se saiu muito bem.

— Então é assim... — Felipe joga longe o corpo de um dos homens. — Que se luta.

— Muito bom. — Nick confessa. — Agora volte pro seu lugar.

— Acabamos de descobrir um babaca, só pelo jeito. — Samira comenta com Jess e Alícia, que concordam com ela.

— Isso se chama invejinha. — diz Scarlett. — Só porque ele é o filho de um Vingador.

— A Noelle também é filha de um Vingador, querida. — Jess ri. — E nem por isso ela se gaba.

— E nem poderia mesmo, o pai dela quase foi morto pelo próprio irmão. — ela ri.

— Isso não tem graça. — Noelle se mete na conversa.

— Então você é a filha do Thor? — ela analisa a morena. — Não é muito parecida com ele.

— Porque gosta de se meter na vida dos outros? — pergunta Samira.

— Se eu fosse você. — aponta pra Noelle. — Tomava cuidado, a filho do Loki tá por aqui.

— O que? — as três perguntam surpresa, e Scarlett lhe da a costas indo, partindo pro seu teste.

— Vocês acham que é verdade? — Noelle  se vira pras amigas. — Eles permitiriam a entrada de filha de um vilão?

— Acho que sim, e eu creio que ela não é a única filha de vilão aqui então. — diz Sami. — O tal de Leon é filho da Elektra, ela já foi uma vilã.

— Mas não é mais, até onde eu sei. — comenta Alícia.

— Ela foi treinada pra ser uma assassina. — diz Jess. — Mas depois que se casou com o Demolidor, as coisas melhoraram.

— Não sei se fico preocupada, ou tranquila. — Noelle observa o menino de longe.

— Não vamos ficar falando de coisas que não sabemos. — afirma Sami. Mas a filha de Thor fica ainda mais preocupada. E se a sua 'prima' tentasse algo contra ela, ou talvez ela seja diferente do seu pai. Talvez.

— Oi. — uma morena de olhos azuis aparece do seu lado lhe surpreendendo. — Você é a filha de Thor então?

— É. — Noelle respondeu confusa. Kára continua lhe encarando surpresa, ela sempre imaginou sua prima sendo uma loira alta, de olhos profundamente azuis como os do seu tio, mas Noelle não havia puxado seu pai, e sim sua mãe. Ela era morena, cabelos castanhos escuros e olhos num tom azul quase verde. — Como se chama?

— Kára. — elas se cumprimentam. — Estive te procurando por muito tempo.

— Ah é? — Noelle ainda estava muito confusa, quando Nick lhe chama pra sua vez. — Eu tenho que ir.

Kára observou a prima se afastando. Ela ainda não sabia direito como lhe contar a verdade, a última coisa que ela queria é que sua prima ficasse com medo ou imaginasse que ela está aqui só pra praticar o mal, assim como seu pai fez há anos atrás. Ela sabia que ainda iria tem que enfrentar muito preconceito por causa do seu pai.

— Será que vai demorar muito pra chegar a minha vez? — Alec - de longe - o mais ansioso.

— Ainda não foi todo mundo, relaxa. — responde Anthony.

— Quero mostrar o que eu sei fazer. — diz Alec e Anthony segura o riso.

— Você tá querendo se gabar, garanto. — ele ri.

— Não é nada disso. — Alec nega, mas também ri.

— Imagine se fosse. — Diamon entrou na conversa.

— Vocês nem me conhecem direito e...

— E já estamos sabendo muita coisa sobre você? — completa Alec. — É, estamos sim.

— Não é assim também. — Anthony ri.

— Animado meninos? — Enma chega ao lado do primo, Diamon.

— Eu já fui. — Anthony deu de ombros. — Só falto o Alec mesmo.

— Vocês foram ótimos. — diz a ruiva sorrindo, tentando ser legal. — Você também vai se sair bem Alexander.

— Obrigado pelo voto de confiança. — Alec sorri de volta e Enma sai andando.

— Nada de paquerar minha prima. — Diamon se vira pro amigo, que ri.

— Ela é uma ruivinha muita linda. — Alec confessa e Anthony concorda. — Mas relaxa, não vou fazer nada com ela.

— Nada que ela não queira. — diz Anthony e os três riem.

— Tá, mas é serio, não faça nada. — Diamon afirma.

— Tudo bem cara, relaxa ai. — Alec ri.

— Alexander Worthington? — chamou Nick.

— Agora sim! — Alec vai em direção ao centro. — Estou pronto.

— Quando quiser. — Nick olha pra Ophelia, que sem pensar duas vezes resolver ser um pouco mais malvada com o garoto, que estava super animado pela sua vez, lança jatos e foto contra ele. Alec não pensa muito e abre suas grandes asas e voa pelo ar, deixando seus mentores amigos admirados com tamanha grandeza de seu par de asas. Era magnifico pros outros dos outros. Ophelia não se comove o lança flechas em direção do garoto, que imediatamente se defende, e logo lança em direção a cabine de comando espinhos gigantes de gelo.

— Ei, ficou louco? — Ophelia grita com raiva, vendo o menino pousar.

— Pensei que podia atacar. — diz simples, e olha pra Nick. — E como eu fui?

— Foi ótimo, dispensado. — respondeu Nick sem muito rodeio. Alec sai satisfeito, não por seu teste, mas por ter conseguido tirar Ophelia do sério. Algo lhe diz que ela não é uma boa pessoa, e não quer o bem nem seu, e muito menos de seus colegas.

O próximo foi Gabriel, que também não teve muito trabalho, por conta dos dons herdados de seus pais. Jess, usou sua capacidade de Telepatia, para saber os próximos golpes dos seus adversários, assim os derrotando facilmente. Kára foi a que mais deixou seus colegas curiosos, Scarlet era uma das poucas pessoas que sabia sobre sua herança genética. A menina criou ilusões de sua própria forma pra confundir seus adversários e assim vencendo a batalha facilmente. Louise também se mostrou muito habilidosa, ela tinha o costume de nunca precisar de ajuda de ninguém, - assim como seu pai - mostrou tamanho talento em batalhas corpo a corpo, utilizando suas garras. Assim como Mike, um quase parente, filho da X-23. Já Ophelia se precipitou ao tentar usar fogo pra atacar Michael, o menino que controla o elemento fogo, se mostrou muito rápido e habilidoso. Algumas meninas até o aplaudiram. Max foi outro que foi muito bem, foi um dos testes mais rápidos do dia, Nick enxergava tamanho talento no menino, assim como em Robert. Ele achava que o loiro tinha a capacidade de ser líder de um dos grupos que pretendia montar.

— Ok Tommy, você foi muito bem. — afirmou Phil. Tommy basicamente não teve esforça alguns, o menino não queria fazer aquele teste, por isso usou apenas um dos seus poderes, atravessar coisas.

— Obrigado. — ele passou por seus mentores.

— Eu intendo que você não queria fazer esse teste. — diz Nick. — Mas uma hora vai tem que usar todos os seus poderes.

— Eu sei. — o menino da de ombros e saiu.

— Agora é você Samira. — chamou Phil.

A morena de olhos claros logo ficou em posição. Pra ela aquilo não era grande coisa, e um pouco desnecessário, já que ela tinha absoluta certeza que seus superiores sabiam muito bem a sua capacidade em combate. Ophelia percebeu tamanha tranquilidade da parte da adolescente e resolveu pegar pesado. O chão, que até agora parecia completamente 'normal' pra todos, começou a romper. Samira encarou a loira de dentro da cabine, e logo pequenos jatos de foto começaram a surgir de baixo dos seus pés. A morena, despreparada, não pensou duas vezes sair fora dali, mas infelizmente foi surpreendida por alguma coisa lançada na sua direção. Samira foi lançada longe, batendo forte com a cabeça no chão.

Nick e Phil imediatamente chamaram os paramédicos e ordenaram os alunos a voltarem pros seus dormitórios, dizendo para os que os não conseguiram fazer o teste hoje, poderiam realiza-los amanha no mesmo horário. Samira foi levada pra enfermaria, felizmente ela não teve nenhum dano físico, apenas estava desacordada. Ela ficaria bem, mas Ophelia acabou de criar uma inimiga muito poderosa.

Women's Dorms - 12h01 PM

— Estou preocupada. — confessou Angeline. — Aquela mulher pegou muito pesado com a Samira.

— Concordo. — disse Jess. — Essa mulher é bem estranha.

— Pensei que esse teste fossem pra eles nos verem em ação. — diz Noelle. — E não tentar nos matar.

— Pra mim pareceu que ela teve realmente tentando se livrar da gente. — confessou Alícia, que até agora estava em silencio se segurando pra não roer suas unhas. Coisa que ela faz quando fica nervosa.

— Devemos ir lá ver como ela está. — afirma Angeline, quando alguém bate na porta do seu quarto. Era Débora.

— Desculpe incomoda-las. — Angeline deu espaço pra menina entrar. — Eu só vim pergunta se vocês sabem de noticia sobre a Samira.

— Estávamos indo saber agora mesmo. — Noelle se levanta.

— A srt. cobra de olhos azuis, mas conhecida como srt. Sarkissian, pegou passado com ela. — diz Débora, fazendo os meninas rirem.

— Estávamos falando disse agora mesmo.

— Vamos procurar alguém pra pergunta sobre então? — perguntou Alícia. — Juntas?

Não muito longe dali, Nick e Phil tentavam organizar e separar as futuras equipes e escolher quem serão seus lideres. O objetivo disse tudo, era pra prepara-los. Como trabalhar em equipe, como liderar, e como lidar com seus oponentes, que nas horas de necessidade, também serão parte da sua equipe. Phil teria o complicado trabalho de separar de forma que não prejudique a outra equipe. Misturando alunos com habilidades de corpo a corpo, e com os que possuem poderes, fazendo todos trabalharem juntos a favor de si mesmos. Com a ajuda de Nick, e mais alguns mentores que estavam pra chegar, todos esses adolescentes teriam aulas praticas e teóricas. De melhoramento no combate corpo a corpo, montar armas e criar estrategias, a como lidar com adversarios aprimorados.

Courtyard - 15h54 PM

— Acha que aquela menina vai ficar bem? — Michael pergunta ao se sentar numa das mesas, junto com Robert, Anthony e Alec.

— Acho que vai, não aconteceu nada de mais com ela. — Alec deu de ombros.

— Ouvi falar que ela tá bem. — Diernie entrou na conversa, se juntando a eles na mesa, assim como Leon. — Parece que só ficou desacordada.

— Aquela loira é maluca, ela tava tentando matar a gente. — diz Robert.

— Acho que é o trabalho dela. — comenta Alec.

— Tentar matar todo mundo nos treinos? — Mike se juntos a eles.

— É só a gente mostrar que é mais forte do que ela pensa. — Anthony da de ombros.

— E será que o Fury já escolher as equipes? — pergunta Leon. — tô ansioso pra saber e começar logo com os treinos.

— Espero que tenha bastante meninas na minha equipe. — Michael faz os outros rirem, menos Robert

— Nossa, você não se cansa disso? — o loiro revira os olhos. 

— E você não cansa de ser o chato? — Michael provoca. Robert nem liga mais, o amigo sempre faz isso.

— Vocês tão afim de sair? Sei lá, não deu tempo de ver como é lá fora. — propôs Leon.

— Eu topo. — respondeu Mike.

— E ai? — Alec e Anthony se encaram.

— E a gente pode sair? — pergunta Alec.

— O Fury disse que não vão nos privar de ter uma vida de adolescente normal. — Leon riu. — Nós podemos sair então.

— Ah então vamos. — diz Dernie.

— Ai Angeline! — Michael chama a prima, que passava apresada perto da sua mesa.

— O que você quer? — a loira pergunta impaciente.

— Só queria saber se sua amiga tá bem.

— Ah ela tá melhor sim. — ela responde e continua seu caminho até a mesa, onde se encontram suas amigas.

— E então? — Noelle logo pergunta curiosa e preocupada.

— Ela tá bem. — responde Angeline e o resto respira aliviado. — Ela foi pro quarto dela tomar um banho, depois vem pra cá.

— Que bom que ela tá bem. — Débora sorri honesta. — Mudando totalmente de assunto, que historia é essa que filhos de vilões podem entrar aqui também.

— Também ouvimos falar disso. — diz Jess. — A Scarlet disse que a filha do Loki tá atrás da Noelle.

— E vocês sabem quem é ela?

— Não faço ideia. — confessa Noelle.

Não muito longe dali, Felipe conversava animadamente com Scarlet. Os dois descobriram que tinham muito mais em comum do que esperavam. A loira curtiu conversa com Felipe, e estava disposta a conhece-lo melhor, assim como o próprio Felipe, que se encantou com os intensos olhos azuis da menina. Numa outra mesa ali perto, Louise, Zara, Catrina e Enma conversavam sobre o ocorrido mais cedo.

— Mesmo assim, acho que ela não é confiável. — afirmou Louise. — Ela quase matou a menina.

— Não exagera! Foi só um incidente, nada de mais. — diz Enma.

— Queria ver se fosse uma de nós aqui. — Catrina comenta sem tirar os olhos do lado de fora. O céu estava agora nublado, e ela torcia pra que chovesse. Ela adorava dias chuvosos e nublados, adora sentir o cheiro de terra molhada. — Acho que pensariam bem diferente.

— O fato é que a menina já está bem. — afirma Louise. — Ainda bem.

— Quero só ver quando começar o treino de verdade. — diz Zara. — E espero que me saia bem amanha no meu teste.

— Relaxa, você é ótima. — Catrina sorriu pra amiga, que corou um pouco. Mas o sorriso de Catrina logo desaparece ao notar o morena de olhos azuis passar ao seu lado com seus amigos. Mike vê, mas não liga muito. Seus colegas reparam na sua mudança de expressão repentina e logo questionam.

— Você conhece aquele menino? — Louise pergunta.

— Não. — Catrina de da ombros.

— Você tava encarando ele de modo estranho hoje mais cedo. — lembra Enma. — Ou você apenas não foi com a cara dele?

— Não quero falar disso, me desculpem. — a menina simplesmente se levanta e vai em direção ao banheiro.

— Você sabe, não sabe? — Enma olha pra Zara, que arregala levemente os olhos. — O que ela tem com aquele menino?

— Acho melhor vocês saberem por ela, é uma coisa muito pessoal. — Zara explica e elas intendem.

— Ouvi o retardado do meu primo comentar com alguém que vai chegar mais gente aqui. — Enma conta arqueando a sobrancelha.

— Mais ainda? — Louise pergunta surpresa.

— Pois é, parece que dois meninos, e uma menina. — explica. — O Diamon não quis me contar muito.

— Ai você leu a mente dele? — Zara ri.

— Não, estou impedida de ler a mente das pessoas. — Enma da de ombros, ainda um pouco decepcionada com essa regra ridícula.

— Mas nós vamos acabar descobrindo de qualquer jeito. — diz Louise.

— E confesso que agora eu fiquei mais curiosa ainda. — confessa a ruiva.


Notas Finais


espero que tenham gostado💜 desculpem qualquer erro e até segunda que vem💜

TRAILER: https://www.youtube.com/watch?v=ja_RSFY0s_w


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...