História Young, Wild and Free - Capítulo 42


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amizade, Romance, Traição
Visualizações 12
Palavras 3.858
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


boa leitura 💜

Capítulo 42 - Quarenta e dois


 

Logan narrando

Só vê-la por alguns minutos é uma tortura mas pelo menos agora sei que ela está bem, ou pelo menos aparenta, percebi a vermelhidão nos seus olhos e no seu rosto e saber que isso é tudo culpa minha me dá mais raiva ainda.

Eu até tentei pôr ela dentro do carro mas ela se recusou até a amiga irritante dela ligar enquanto estávamos no jardim da casa dela, isso foi a deixa para ela me deixar e voltar para dentro.

Se estão achando que vão tirá-la assim tão fácil, estão todos enganados.

Já está no meio do dia e eu estou sentado na mesa de uma cafeteria, Liam me pediu para encontrá-lo aqui, não entendi o porquê mas é melhor do que ficar dentro do carro olhando para o nada e escutando música.

Não dá muito tempo e ele empurra a porta de vidro com o braço, ele faz um sinal de que vai na fila e eu ignoro, logo depois ele aparece com um copo grande de café puro.

-Já decidiu o que vai dar para ela?- ele pergunta enquanto beberica o café.

-Como?- pergunto confuso.

-O que vai dar para a Megan- ele diz como se fosse óbvio.

-E porque eu daria alguma coisa?- ele ficou maluco?

-Ela não te falou?- balanço a cabeça e ele revira os olhos- Hoje é o aniversário dela.

-Quê?!- como ela me deixa passar um detalhe desses?!

-Ela devia estar com a cabeça cheia para lembrar que hoje é o dia dela. De qualquer forma é bom você caprichar no presente dela, nessa época ela sempre costuma ficar trancada dentro do quarto com uma garrafa de vodca que ela "rouba" lá na fraternidade, ainda mais agora que vocês dois estão nessa situação- ele diz com um suspiro no final.

-Ela não devia estar feliz por finalmente estar com vinte e um?- pergunto mais confuso ainda. 

Ela sempre me diz que queria completar essa idade logo para que pudesse entrar nos bares e boates sem ter que usar uma identidade falsa ou ter que trazer Liam junto para beber, o que eu acho uma puta perda de tempo mas decidi não opinar, gosto de ouvir ela falar mesmo que seja um assunto nada a ver.

-É que depois é o da mãe dela- ele me olha fixo e eu me remexo desconfortável na cadeira.

Agora ela provavelmente me mandaria uma mensagem como temos feito o dia todo mas essa seria uma mensagem ou uma ligação mais animada da parte dela, talvez isso explique o porque dela demorar para me responder e quando responde é simples e direta.

-Onde você vai?- Liam pergunta e eu nem lembro de ter levantado.

Não respondo e saio da cafeteria, ja sei o que vou dar para ela e espero que ela goste, não tenho muita coisa em mente assim de última hora.

***********

Estou há mais de meia hora ligando e mandando mensagens para ela que não me retorna de jeito nenhum, estou com receio de bater na porta e dar de cara com o pai dela mas ela não está me dando muita opção.

Aperto a campainha duas vezes seguidas e quem abre é justamente ela, seu rosto está avermelhado e ainda veste o mesmo pijama que estava usando de madrugada.

Ela abre um sorriso que vejo que não é sincero e me abraça, ela suspira contra a pele do meu pescoço e me puxa para dentro, olho em volta e ela fecha a porta.

-Ele não está e não vai voltar tão cedo, ele foi resolver alguma coisa com a empresa e disse que só volta a noite- ela fala se jogando no sofá.

-Por que não me falou que hoje é seu aniversário?- pergunto me sentando seu lado e ela me dá uma olhada rápida.

-Eu esqueci e além do mais não é tão importante assim- ela dá de ombros e liga a TV.

-É claro que é importante- falo e ela continua com os olhos focados na TV- Toma- estendo a pequena caixa de veludo e ela me olha confusa.

-O que é isso? Vai me pedir em casamento?- ela debocha e pega a caixinha.

-Abre logo- reviro os olhos. Por mais que eu a ame com todas as minhas forças, casamento está fora de questão, totalmente.

Megan abre a caixinha e seus olhos ganham um brilho quase instantâneo.

*-*-*-*

Megan narrando

Fiquei no quarto o dia inteiro, saí apenas para comer e ir ao banheiro, até me surpreendi quando meu pai veio falar comigo nem que fosse para avisar que iria sair, ele mal olhava na minha cara e eu não entendi o porquê, afinal, quem está me proibindo de sair com Logan é ele e quem devia estar desse jeito seria eu mas não, depois do pequeno encontro com Logan hoje de madrugada me animou um pouco.

Um pouco.

E cá está ele, sentado na minha frente me olhando esperançoso enquanto passo o objeto pelos dedos. É uma pulseira. Uma pulseira com vários pingentes de várias coisas que eu gosto como, uma bola de futebol americano, um pequenino saco de pipocas que simboliza as várias noites de filmes e saídas ao cinema e o principal, que é o pingente maior, uma câmera fotográfica parecida com a minha.

-Isso... isso é...- mal consigo falar. Isso aqui deve ter custado uma fortuna.

-Eu posso trocar se você não gostar, além do mais isso...- levanto um dedo e ele para de falar.

-Eu amei mas não precisava ter se incomodado- estendo o objeto para que ele coloque no meu braço e assim faz.

-Liam me disse sobre... você sabe...- ele parece desconfortável.

-Minha mãe?- completo a frase e ele balança a cabeça. Eu devia imaginar, tem hora que esses dois parecem duas meninas fofocando sobre a vida alheia mas eu não acho ruim, caso contrário Logan nem saberia que hoje é meu aniversário e não estaria aqui agora- Tudo bem, amanhã vai fazer seis anos, não é como se eu já não estivesse acostumada- abro um sorriso fraco.

Mas a verdade é que eu nunca vou me acostumar com isso, minha mãe foi de longe a pessoa mais importante nesse mundo para mim e não tê-la andando pela casa reclamando da bagunça que eu e meu pai fazemos é uma tortura para mim, eu faria qualquer coisa para tê-la aqui de novo, nem que eu tivesse que abrir mão de várias coisas, sinto falta de uma figura feminina em casa, sinto falta dela e o buraco no meu peito nunca irá ser curado, posso receber todo o amor do mundo mas nunca ninguém vai preencher esse vazio.

Nem mesmo Logan por mais que eu o ame.

Logan abre a boca para falar mas desiste o que é bom pois tudo que eu menos quero agora é falar sobre isso.

-O que vai fazer hoje?- ele pergunta querendo mudar de assunto.

-Isso- faço um gesto apontando para as porcarias na mesa de centro e uma série qualquer que passa na TV.

Logan não fala mais nada, apenas tira as botas e me puxa para si, me aconchego nos seus braços e foco meu olhar na TV.

Ele começa passar as mãos pelo meu cabelo e meus olhos começam a pesar, quando estou quase pegando no sono, escuto a porta da frente abrir e me levanto num pulo, observo meu pai pendurar o casaco no cabideiro e tirar os sapatos e assim que seu olhar se volta para mim e Logan no meio da sala, seu semblante muda de cansaço para uma expressão na qual eu não consigo decidir entre raiva ou confusão.

-O... o que... o que você está fazendo aqui?- ele pergunta meio confuso eu diria.

-Eu estava sozinha aqui e...

-Perguntei a ele e não a você, nós dois conversamos mais tarde, vai lá pra cima- ele fala sem ao menos olhar na minha cara e eu fico mal. Muito mais do que já estou.

-Ei, ela não tem culpa alguma, eu que vim aqui- Logan fica na minha frente mas não consigo protestar, apenas ficar olhando para um ponto fixo no sofá onde estou em um conflito interno me obrigando a segurar as lágrimas.

-E porque está aqui? Eu não mandei você ficar longe dela?- meu pai dá um passo grande na nossa direção e Logan nem se move, apenas cruza os braços e balança a cabeça.

-E porque eu deveria? Eu já cansei dessa palhaçada de vocês, de um lado são meus pais e aqui você que na verdade achei que seria o único que me apoiaria no meio disso tudo mas só está complicando mais ainda- Logan bufa e passa as mãos pelos cabelos.

-Eu não quero nem saber se estou complicando ou não as coisas para vocês dois, estou tentando o meu melhor para protegê-la de...

-De quê?! Me fala! Acha mesmo que vão fazer alguma coisa com ela?! Meus pais não botam medo nem em uma formiga, quanto mais ela- Logan joga as mãos para o alto e eu continuo parada.

Os dois começam uma discussão tensa e minha cabeça parece querer explodir, eu queria que hoje fosse um dia normal, só queria poder ficar sentada nesse sofá vendo qualquer porcaria aleatória na TV mas parece que as coisas pioraram muito mais desde que Logan apareceu, às vezes eu me pergunto porque diabos inventei de puxar assunto com ele naquela maldita fraternidade, as coisas não estariam assim se eu tivesse ficado na minha, eu provavelmente estaria em algum lugar bêbada o que é de longe a melhor opção no momento.

-Chega- grito e os dois imediatamente se calam.

-Megan vai...- meu pai começa e eu levanto um dedo.

-Não, não vou a lugar nenhum, eu realmente não sei o que diabos enfiaram na sua cabeça para estar sendo desse jeito- me viro para ele- Eu cansei de escutar você falando que quer me proteger e blá blá blá, acha que eu não sei me virar sozinha?! Acha que eu não sei me cuidar?! Foi assim por muito tempo, pai e não vai mudar tão cedo, essa briga toda de ambos os lados está me esgotando mais do que é possível, você sequer me deu um "parabéns" hoje- sinto as lágrimas escorrendo na minha bochecha e meu pai desvia o olhar- Sabe como eu me sinto? Aliás, sabe como estou me sentindo agora? Triste, acabada e principalmente traída da sua parte- ele me olha novamente- Era você quem vivia dizendo que estava feliz por mim por finalmente ter encontrado alguém que me faça realmente feliz mas não é o que parece e quer saber? Você conseguiu- Logan me olha confuso- Você quer que eu fique longe dele, eu fico, se isso for fazer você feliz, estou disposta a largar tudo- balanço a cabeça e subo as escadas mas sinto uma mão segurando meu pulso, olho para trás já sabendo exatamente quem me segura.

-Vai mesmo fazer isso?! Vai simplesmente me deixar por uma coisa boba dessas que você sabe muito bem que podemos resolver?!- o desespero na voz de Logan me parte o coração mas eu não tenho muita escolha.

-Se nós pudéssemos resolver isso já estava feito, Logan, não aguento mais essa briga dos dois lados, está me afetando mais do que você imagina e se ficar longe de você for acabar com isso tudo, eu fico, por mais que me machuque- evito olhar em seu rosto porque sei que se fazer isso vou acabar desistindo e isso causaria ainda mais conflito e não é disso que preciso agora.

-Não, não, não, você não vai me largar desse jeito como se eu fosse um zé ninguém só por causa de uma bobeira dessas- o desespero parece mais claro em sua voz e ele me abraça, sinto as lágrimas virem com mais intensidade e meu coração se despedaça mais ainda se é que isso é possível.

-Me solta, por favor- peço num sussurro contra seu peito e fecho meus olhos sentindo seu perfume misturado com loção pós barba.

Contra a minha vontade levo minhas mãos ao seu peito e o empurro, ele protesta por um instante mas ainda assim dá um passo para trás na escadaria, por cima de seu ombro meu pai nos observa com uma expressão neutra no rosto e por um momento tinha me esquecido que não estávamos sozinhos ali, aliás, é sempre assim, quando estou com Logan esqueço de tudo, queria que ele pudesse ficar ali comigo o resto do dia, não, para sempre, essa é a grande verdade, estou mais do que apaixonada por ele e preciso do seu apoio agora mais do que nunca mas com esse conflito todo entre nossos pais, não dá.

Muitas vezes eu disse para Logan que não me importava com o fato dos pais dele me detestarem sem um motivo, de fato não ligo para o que as pessoas acham de mim, não estou nem aí para o que elas acham que eu faço ou deixo de fazer mas a verdade por trás disso é que eu me importo sim, não com as outras pessoas e sim com os pais dele, pensar que eles não me acharam o suficiente para o filho deles me deixa mal, sei que não sou grande coisa e tenho mais problemas que o normal, sei que não sou o tipo de garota que se leva para conhecer os pais num jantar com o namorado e tudo mais mas eu tento, aliás, tentei melhorar mas parece que de uns tempos pra cá só venho piorando e piorando e chega uma hora em que não dá mais para aguentar tanto peso sozinha, Logan veio para me ajudar com isso porém parece só ter piorado a situação, eu o amo e nunca vou negar isso mas querendo ou não precisamos admitir que nossa relação não está na melhor fase e não vai melhorar tão cedo e se continuar desse jeito só vai piorar, vamos sair os dois machucados mais do que já estamos e não quero prolongar mais as coisas, sinto que estraguei mais ainda o relacionamento difícil dele com a família e agora que decidi me afastar dele, talvez eles peguem menos no pé dele e o deixe escolher o próprio rumo.

Logan segura minha mão quando me viro de costas e seu toque é como choque sobre minha pele, ele me puxa fazendo com que eu vire novamente para ele, seus olhos perderam o brilho que tanto amo e seu rosto está numa expressão abatida.

-Megan, por favor...- e então subitamente Logan cai de joelhos ainda na escada e abraça minhas pernas.

Não faço ideia de como agir, isso não é uma cena que se vê todo dia; Logan de joelhos e abraçando minhas pernas enquanto eu tento e falho miseravelmente em segurar as lágrimas mas parece que elas estão vindo a tona agora, meu pai ainda continua parado com as mãos no bolso da calça mexendo nos olhando e quando percebe que estou o encarando ele desvia o olhar e foca nos pés.

Automaticamente levo minha mãos aos cabelos de Logan e o afasto de mim, seguro seu rosto entre minhas mãos e subo as escadas correndo, se eu passar mais um segundo vendo seu rosto abatido, desisto de tudo e sumo com ele do mapa.

Bato minha porta e passo a chave, como era de se esperar, as batidas no outro lado começam e ouço a voz desesperada de Logan chamando meu nome, estou reunindo todas as minhas forças para ignorá-lo porque sei que isso é o melhor para nós nesse momento e quando essa tempestade passar, espero que a calmaria nos ajude a retomar mas caso contrário eu vou ter me conformar.

Deslizo minhas costas pela madeira da porta e sento no chão, abraço minhas pernas e abaixo a cabeça.

Isso vai ser mais difícil do que eu pensava.

*************

Três semanas. Três semanas contadas certinhas. Três semanas que não troco uma palavra com Logan, não sei como ele está, se se meteu em alguma briga o que é bem provável, não sei de nada. Isso está me deixando louca, nunca me senti assim e devo dizer que não é muito bom.

Na primeira semana Logan ficou insistindo em mandar mensagens e fazer ligações, as quais eu ignorei todas, foi difícil, difícil me desligar dele assim do nada e cada vez que ele me ligava e a nossa foto aparecia no visor do telefone, a dor no meu peito aumentava e eu chorava mais do que é possível, foi aí que eu decidi mudar de número por mais que me machuque só de pensar no desespero dele quando tentar me ligar e a voz robótica avisar que o número foi trocado.

Nesse tempo eu não troquei uma palavra com meu pai e foi difícil andar pela casa e dar de cara com ele e nem dar um "oi" decente um ao outro, muitas vezes sentada no chão do meu quarto eu cogitei a ideia de me mudar dali, viver a minha vida e deixar meu pai livre de problemas mas achei não era a hora para isso, querendo ou não ele ainda é meu pai e sei como ele se sentiria se eu simplesmente sumisse.

E cá estou eu sentada num banco no aeroporto esperando meu voo ser anunciado pelo alto-falante, não estava aguentando o clima lá em casa e em lugar nenhum então comprei uma passagem para Vegas, um lugar que sempre gostei e da última vez que fui me fez bem então espero que dessa vez não seja diferente.

Fico observando o movimento do lugar com os fones no ouvido escutando minhas músicas favoritas até que vejo um ser alto e loiro meio perdido, aperto meus olhos e me inclino para frente, ele olha o papel em suas mãos e dá uma olhada em volta coçando a nuca, me levanto e vou caminhando até ele com a minha mala nos ombros e quando chego mais perto me sinto aliviada ao ver que não estava enganada, tiro os fones do ouvido e cutuco as costas de Stephan, ele se vira rapidamente, sorrio e ele faz o mesmo quando se abaixa um pouco para beijar minha bochecha.

-Perdido?- pergunto ajeitando minha mala no ombro, estou começando a achar que coloquei coisa demais aqui dentro.

-Muito, tenho que chegar no portão vinte- ele diz olhando para o papel e depois dá uma olhada em volta novamente.

-O que faz aqui?- pergunto o que é bem óbvio mas é porque coincidentemente é o meu portão também, às vezes fico com medo dessas coincidências enormes que rolam entre nós, sempre estamos nos esbarrando nos lugares e sinceramente desconfio que ele esteja me seguindo por aí o que me dá mais medo.

-A faculdade entrou em recesso então decidi tirar uns dias para mim, meus miolos parecem que vão explodir a qualquer momento de tanto ficar com a cara nos livros- ele diz e passa as mãos pelos cabelos caídos na testa- Eu encontrei com o seu pai hoje mais cedo e ele disse que você iria viajar também- vamos caminhando até onde eu estava sentada e eu largo minha mala no chão e ele faz o mesmo.

-Vegas, preciso de uns dias para mim também, tem tanta coisa acontecendo que parece que vou enlouquecer- forço um sorriso.

-Vegas? Que ótimo, parece que não vou ficar sozinho por lá- seu sorriso se alarga e por um segundo me perco nele, Stephan querendo ou não é um cara bonito e o seu sorriso é sem dúvidas uma das melhores qualidades dele- Você deve estar achando que estou te perseguindo, não é?- ele fala me tirando dos meus pensamentos- Se isso te deixar tranquila, eu reservei a passagem tem quase uma semana- ele ri mas sei que deve estar tão desconfortável quanto eu.

É bom saber que não vou ficar sozinha, quero dizer, eu até gostaria mas em um lugar como Vegas não tem como ficar sozinho. Ficamos conversando por um tempo até que nosso voo é anunciado no alto-falante, coloco minha mala no ombro e dou um suspiro por estar tão pesada e Stephan se oferece para levar, eu recuso prontamente e continuo andando até o portão, uma mulher checa nossos passaportes e passamos pelo extenso corredor até chegar no avião, por sorte a passagem que comprei era com o assento na janela, era quase a última, caso contrário teria ficado no corredor, Stephan se senta na poltrona da frente e na janela também, ele me ajuda a colocar a mala no suporte acima de nossas cabeças e eu o agradeço.

Me ajeito no meu banco e encosto a cabeça no mesmo até sentir meu telefone tocar no bolso, o número é restrito e eu hesito antes de atender mas assim faço.

-Alô?- falo e escuto um ruído do outro lado.

-Megan? Caralho, até que enfim- eu paraliso ao ouvir essa voz-  Onde você está? Eu preciso te ver- Logan diz e meu telefone escorrega das mãos caindo no meu colo. Como foi que ele descobriu meu novo número?! Saio do transe e pego o celular novamente- Megan?! O que está acontecendo?!- Logan quase grita do outro lado.

-Como me ligou?! Digo, como conseguiu meu número?!- pergunto alto demais e Stephan me dá uma olhadinha, abro um sorriso indicando que está tudo bem e ele balança a cabeça.

-Isso não importa, sabe a quanto tempo estou atrás de você?! Porque mudou de número?!- meu coração se aperta ainda mais ao ouvir seu desespero do outro lado da linha- Estou indo aí na sua casa agora- ouço mais ruídos no fundo.

-Não, Logan, eu não...

-Não interessa, estou aí em quinze minutos- ele me interrompe.

-Mas eu não...

-Não quero nem saber se seu pai vai me encher o saco, estou chegando e...

-Estou num avião- grito para que ele possa parar de me interromper e ganho vários olhares voltados para mim, peço desculpas e me afundo no banco e tento cobrir o rosto com uma mão.

-Como assim?! Para onde você está indo?!- ele fala agora mais baixo.

-Prefiro não falar, olha só, preciso desligar- ele grita meu nome antes mesmo de eu desligar a chamada.

-Vai mesmo me deixar no escuro desse jeito? De mãos atadas?- ele fala indignado e eu suspiro.

-Desculpa, Logan- é a última coisa que falo antes de desligar a chamada.

Eu estava começando a me animar com essa viagem mas foi só ouvir a voz dele que parece que foi tudo em vão, minha visão embaça e eu cubro o rosto com as mãos na tentativa de conter as lágrimas.

-Está tudo bem?- ouço a voz de Stephan e logo sinto seu toque sobre minhas mãos.

-Sim- tento parecer convincente mas sei que falhei miseravelmente.

-Tem certeza? Posso não ser uma garota mas sou um bom ouvinte- ele diz e eu levanto a cabeça me deparando com um sorrisinho de lado dele.

Balanço a cabeça e seco meu rosto, ficamos conversando pela fresta da poltrona até que uma garota ruiva se senta ao lado de Stephan e meio que rouba a atenção dele, de certa forma agradeço por isso e coloco meus fones de ouvido.


Notas Finais


mil desculpas pela demora, sei que não está muito bom, na verdade ficou uma bosta mas espero ter recompensado a demora, vou tentar agilizar ao máximo as postagens, até o próximo 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...