História Your Hot Body - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Percy Jackson & os Olimpianos
Tags Percabeth, Pjo
Exibições 53
Palavras 1.374
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hiiiiie!
I'm back!
Sim, este capítulo está meio monótono, mas eu precisava adiantar a história da Olivia, por que estou preparando uma reviravolta nos próximos capítulos.... Muahahahahaha
Enjoy <3

Capítulo 24 - Where's Olivia?


24. Where’s Olivia?

Annabeth Narrando.

Quando ele indaga aquelas palavras, eu não consigo me mexer. Fico imóvel e muito provável que toda a cor do meu rosto se esvaiu. Ele continha me encarando com aqueles olhos cor de mel. Meu tesão, minha vontade, meu desejo saíram. Eu simplesmente não acredito. Nós nem nos conhecemos direito.

De alguma forma, eu me decepciono. Eu queria que Percy me fala-se estas palavras para mim. Me julgo por isso, e consigo falar finalmente algo:

- O que é isso, John? Algum engano? Casar? – ele solta meus braços. Me sinto mais relaxado, mas tensa.

- Sério, Annabeth. Eu quero que você case comigo. Eu preciso, na verdade. – eu tento compreender aquelas palavras, mas meu cérebro literalmente deu ‘tilt. 

- Você não pode estar falando sério, John. Precisa casar comigo? É no mínimo uma coisa perversa e estranha. Você não me conhece, eu não te conheço... Temos uma relação unicamente profissional. 

- Profissional? Não foi o que eu vi com este beijo nosso. – me deixa ainda mais envergonhada. Tento desconversar e vou em direção a sala, com muita vergonha, mais do que o normal. 

- Acho que acabou por aqui, John. Eu te acompanho até a porta. – vou em direção a mesma. Tento não olhar para ele, mas é extremamente difícil.

- Por favor, Annabeth. Eu preciso! – ele passa por uma nesga da porta. Me olha de cima a baixo, mas com um olhar de suplicia. 
 
- Eu estou confusa... Boa noite, John. – fecho a porta abruptamente. Arrasto as minhas portas pela porta, caindo no chão sentada.

Eu continuo chocada. Eu acabo de beijar o cara e ele me pede em casamento. E logo depois da maior discussão que eu já tive. Ouço alguns passo vindo da escada. 

A porta se abre machucando minhas costas, e vejo que é Olivia. Me levanto rapidamente. Ela está chorando e tentando secar suas lágrimas rapidamente. Porém, eu percebo antes e pergunto, preocupada:

- Liv? O que aconteceu?

- Ai Annie...

 ANTES DOS ACONTECIMENTOS ATUAIS

Final do Ano.

Olivia Narrando

Depois de sair da casa dos meus pais, decido que estou extremamente entediada. Não tem nada pra fazer, nenhuma balada, nem ninguém para ir comigo. Esta um tédio. Estou andando com uma taça de champanhe, tentando ter alguma ideia boa, porém não tenho sucesso.

Até que me vem a idéia uma balada que deveria ser perto e agitada, e me lembro de Annie, que também como eu deve estar extremamente entediada. Vou no apartamento dela.

*

Na boate, conseguimos entrar de graça, afinal eu tinha conseguido, pois um amigo meu da faculdade estava lá. Annie vai direto para o bar, mas eu decido dançar um pouco antes. Uma música dançante está tocando e eu me deixo levar. É inebriante.

Tento rebolar o máximo que consigo, quero me divertir, ficar leve. Algumas pessoas também dançam. Sinto alguns olhares em mim, o que não é ruim. Sempre gostei de atenção, e não é agora que estou bêbada que não vou aproveitar

Um corpo cola ao meu. É gostoso, não paro de me mexer. Deposita um beijo em meu pescoço e eu derreto. Viro e vejo um garoto de cabelo platinado, que chama minha atenção positivamente. Seus olhos são escuros, o que me transmite algo sedutor. Usa uma camisa bonita, mas no momento não importo. Ele me beija, me excitando.

Passa suas mãos pelo meu corpo, apertando as partes mais carnudas, como minha coxa. Depois minhas mãos eu seu peitoral. É gostoso, isso eu sei. Ele vai me fazendo andar, até eu sentir algo duro atrás de mim. É a parede. Ele me pressiona, enquanto nossos corpos entram em uma inevitável sincronia.

Viro o jogo, e o levo para um corredor que ali tinha. Escuro, perfeito para fazer o que eu tinha em mente. Prenso ele na parede e vou passando a mão em seu corpo, descendo. Vejo uma carteirinha igual a que eu uso na faculdade, por coincidência, ele também estuda na Manhattan College. 

- Manhattan College, uh? – digo, enquanto desabotoo sua calça para fazer sexo oral. Porém, quando vou chupa-lo, algo sobe em mim e eu vomito. 
  

*

Na faculdade, eu tento desesperadamente descobrir o nome daquele menino. É tentador, e eu preciso pedir desculpa por..., enfim. Procuro por salas, tento falar com estudantes, tudo. Ele não parecia ser muito velho, apenas um pouco. Quando paro uma menina, ela me da uma luz:

- Uuh, um menino com cabelo platinado? Tem poucos aqui. Mas que estava em uma festa ontem...numa balada...? – ela repete todas as informações que eu tinha a dado. Pensa um pouco e me da uma resposta. – Deve ser o Dylan Horn. Ele está no penúltimo ano de Engenharia Civil. Você vai encontrá-lo no terceiro andar. Provavelmente por lá. 

- Sim, obrigada! – saio pulando, quase, e nem me noto da falta de Annabeth. Percy eu entendo, afinal, ele ainda não havia chegado de Jersey City.

Vou até o terceiro andar com um pouco de receio. O que falar quando encontrar ele? Simplesmente dizer “desculpa” e ir embora? Tantas decisões a tomar, e tantos micos. Eu vejo um cabelo claro no fim do corredor e vou em sua direção. Chego e fico envergonhada. 

- Uh, Dylan? – pergunto. Ele me olha, e esconde um sorriso. Percebo isso, e me envergonho ainda mais. É horrível.

- Sim?...Você é a garota da balada, certo? – indaga, enquanto vejo seus amigos o esperarem um pouco a frente de uma enorme sala. 

- Sim e eu...- gaguejo na hora de peje desculpa.

- Olha se você quer me pedir desculpas por ter vomitado no meu pau, ou só conversar, nos encontramos no Shopping daqui a 1 hora, por que estou fazendo um trabalho agora. Até mais. – finaliza e adentra a tal sala. 

Isso foi um encontro? Me pergunto. Mas se foi, eu claramente não quero desistir. 

*

Tempos depois do encontro – que foi muito agradável, apesar de eu só ter conseguido pedir desculpas – aconteceu algo terrível. Eu comecei a gostar dele. Cada vez mais. Ainda mais quando Percy ia pedir Annie em casamento

Ele me chamava para estudar, apesar de estudarmos coisas completamente diferentes. Nós conversávamos, íamos comer fora, ele já foi no Kathleen’s me ver.

Só que nunca nos beijamos, nem nos tocamos, nem nos consideramos namorados. Éramos apenas amigos, e isso me machucava extremamente. Doía. Doía muito.

Mas eu decidi acabar com isso. Fui a casa dele, um pouco mais a noite depois da faculdade – onde eu não vi o Percy – e um mordomo me atendeu. Perguntei por ele e o mesmo me direcionou até o quarto de Dylan. 

Bati na porta e adentrei. O quarto era incrivelmente adulto. Esperava muitos pôsteres, mulheres peladas, comida estragada. Mas o quarto era um cinza, havia uma cama de casal, uma estante, uma enorme escrivaninha que continha um notebook, no qual ele estava navegando.

- Liv? – diz, e me recebe com um abraço. Seu pescoço continha um perfume gostoso. “Ai que menino delicioso”, penso. – O que veio fazer aqui?

- Bom, Dylan, eu não gosto de demorar, e muito provavelmente seus pais estão pra chegar, então eu vou falar logo. – tomo uma dose de coragem, que retiro de mim mesma. 

- Pode falar...
 

- Eu gos... – não termino de falar e ele me interrompe, para quebrar meu coração em pequenos pedaços. 

- Você poderia me fazer um favor...sabe aquela sua amiga...Annabeth? Você poderia me conseguir um encontro com ela? Mesmo ela namorando? Tenho muita vontade de pegar ela...

Eu fico sem reação. Meu coração quebra e é despedaçado por Dylan, sem dó. Tento não chorar, mas algo sobe para a cabeça e as lágrimas começam a cair.

- Liv, por que está chorando? – questiona. Me irrito, indo em direção a porta. 

- Vocês homens são todos iguais! Por que eu pensei que fosse diferente desta vez? – indago, descendo as escadas, querendo ir para casa 

ACONTECIMENTOS ATUAIS

- E foi isso...- digo, ainda chorando. Annie me abraça.

- Liv... Eu não sei o que dizer. Me desculpe? – olho para ela, não sei o que dizer

- Eu vou deitar, tomar uma banho, dormir. Tentar esquecer que eu sou um fracasso de mulher e os homens te desejam mais do que eu.

Me levanto, vou para o meu quarto e fecho a porta.

 

 


Notas Finais


Kisses!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...