História Your smile - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Debrah, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Professor Faraize, Rosalya, Senhora Shermansky, Violette
Tags Acidente, Ambre, Armin, Debrah, Docete, Lysandre, Memória, Morte, Nathaniel
Exibições 11
Palavras 1.645
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Desculpe a demora, but estou com a criatividade em -15% e não sabia como separar os caps
Boa leitura

Capítulo 8 - VIII


Narrado por: Amane Misa.
           Lysandre estava sentado no sofá, assistindo um filme com sua namorada, mas quando me viu chorando veio até mim. O abracei, despejando todas as minhas tristezas naquele abraço. Ele me arrastou até o sofá, onde sentamos, ainda abraçados. Victoria, sem saber o que estava acontecendo, vai buscar um copo d'água para mim.  Quando pego o copo percebo que estou tremendo, mas já não tenho certeza se é de raiva ou medo.
               - Quer conversar? - Lys pergunta, passando a mão por meus cabelos, eu mexo a cabeça levemente, concordando.
               - Vou indo, então... - Victoria pega sua bolsa e dá um selinho em Lys - Não precisa se desculpar, nos vemos amanhã. - ela sorri e sai.
          Lysandre desliga a TV e coloca o controle na mesinha de centro, depois me olha, enquanto eu me acalmo.
               - Eu sou uma idiota mesmo... - ri de mim mesma, secando meu rosto.
               - O que você fez para ser considerada idiota? - Lys perguntou, me olhando.
                - Eu me apaixonei por um babaca. - senti meus olhos marejarem, mas segurei, juntando minhas mãos, apertando-as. Lys suspirou e pegou minhas mãos, fazendo movimentos circulares, tentando me acalmar.
                 - O que Nathaniel fez? - ele perguntou, bravo.
                 - Ele estava... - suspirei pesadamente - Estava beijando a Debrah. - Apertei sua mão com força, fincando minhas unhas em seu pulso.
                 - Como é que é?! - ele perguntou, realmente bravo, sem se importar com minhas unhas cravadas em sua pele.
                 - Isso mesmo que você ouviu. - falei sussurrando. Ao soltar sua mão, vi que estava marcada bem fundo, passei os dedos pelos "cortes", tentando me distrair.
                 - Ele beijou ela na sua frente? - ele perguntou, soltando o ar que segurava.
                 - Acho que esse não era o plano, mas fazer o que? - olhei para seu rosto - Por que alguém se importaria com alguém como eu? - levantei, caminhando lentamente até a cozinha.
                 - Pare de autodepreciar-se, por favor. - ele me seguiu - Preste atenção. - ele me virou para si - Você é uma mulher que gosta de ajudar os outros, que sempre vê o melhor nos outros, mas nunca olha para si mesma. Céus, Nathaniel só pode ser muito burro em te trocar por aquela mulher vulgar! - ele colocou a mão em meu ombro - Você vai achar alguém melhor que ele, pode apostar.
                - Eu não quero achar ninguém, Lys. - suspirei, me servindo do suco que estava atrás de mim - Nath sempre foi a pessoa que esteve comigo... E agora eu tomo essa bomba. - tomei um gole, enquanto Lysandre negava com a cabeça.
                 - Já vi que você não vai mudar de ideia... - ele suspirou, roubando o copo de mim e dando um longo gole - Quer um último conselho? - assenti, colocando o copo na pia - Vá clarear sua mente em outra cidade. Sua cabeça deve estar cheia de pensamentos em relação a isso tudo que vem acontecendo... Conhecer novos amigos, amigas, talvez algo mais - ele sorriu maliciosamente - Falo sério. - ele foi para fora da cozinha, mas voltou, com um dedo erguido - Só mais uma coisa, termine de vez com Nathaniel se é isso que quer. Avise também que, independentemente do fim da história, ele não deve aparecer na minha frente se não quiser ficar sem os dentes. - ele sorriu, depois saiu da cozinha.
                                       ☆
          Fiquei pensando muito no que Lysandre me disse, tanto na viagem quanto na conversa que teria com Nathaniel. De tanto pensar deitada na cama, acabei adormecendo.
           Estava andando pela escola, todos me encaravam e cochichavam, outros riam e apontavam na minha direção. Olhei para minhas roupas e tudo estava no devido lugar. A saia não estava curta demais, a camiseta não estava manchada, não tinha nada de errado.
                - Tenho jornais! - gritou Peggy, entregando jornais para cada pessoa que passava - Amane! O que acha de ser capa do jornal da escola? - ela pergunta, me entregando um exemplar.

 Acordei em sobressalto, eu estava toda molhada de suor, ofegando. A porta do quarto estava fechada, mas eu ouvia vozes masculinas do lado de fora.
             Minha cabeça latejava a cada grito que davam. Levantei e fui lavar meu rosto na pia da suíte. Coloquei um casaco fino, pois estava esfriando e saí do quarto.
             Fui até a sala, onde Nathaniel, Castiel e Lysandre discutiam acirradamente.
                     - O que vocês estão fazendo aqui?! -gritei, para ser ouvida, todos me encararam.
                     - Esse seu namoradinho estava agarrando minha namorada! - Castiel gritou, olhando com raiva para Nathaniel.
                     - Bem que você merecia um soco nesse seu nariz pontudo. - falei para Nathaniel, mas virei para Castiel - Você não vai encostar um dedo nele, por mais que ele mereça, ainda tem chance de sua namoradinha vagabunda ser a que agarrou. - ele arqueou as sobrancelhas, incrédulo, levantando a mão, vindo na minha direção.
             Segurei sua mão e dei uma joelhada em sua coxa, quase lá naquele lugar. Ele me empurrou com força, mas foi impedido por Lysandre, que foi me ajudar. Castiel resmungava de dor, passando a mão por sua coxa, tentando fazer doer menos.
               - Fora daqui, Castiel! - gritei, apontando para a porta.
            Lysandre foi para fora com ele, me deixando sozinha com Nathaniel. O loiro se aproximou.
                - Não se aproxime de mim. - disse, friamente e Nath se afastou. Sentei no sofá, fazendo sinal para ele começar a se explicar.
                - Sei que não vai adiantar falar "não era o que você está pensando", porque era. - ele suspirou, sentando do meu lado, sem se importar com meu pedido.
                - Você está admitindo que fez porque quis? - perguntei, tentando disfarçar a voz embargada com um pigarreio.
                 - Sim... - ele virou-se para mim - Amane, eu realmente fiquei com vontade de beijar Debrah, não pensando que poderia te perder ou quase levar uns socos. - ele respirou fundo, com os olhos cheios d'água.
                 - Você espera que com sua sinceridade eu vá lhe desculpar? - ele assentiu, engolindo em seco - Nathaniel, você tem ideia do quanto doeu ver a pessoa que eu mais me sinto segura beijando a que arruinou minha vida? - uma lágrima solitária escorreu por minha bochecha.
                  - Desculpe, Nê... - ele fechou os olhos com força, tentando parar as lágrimas - Não era para você ter visto! Estaríamos de bem agora. - ele murmurou, ficando irritado.
                   - Ah, claro. - levantei, passando as costas da mão em meu rosto - Aí eu seria corna e nem saberia. Ficaria sabendo por terceiros! - bati palmas - Ótima ideia! - ri, sarcasticamente.
                    - Amane... - ele suspirou - Eu sei que você me ama e não quer me perder, você sente o mesmo que sinto por você. - ele suspirou e soltou a melhor frase: - Você não vive sem mim.
                Explodi em gargalhadas, mesmo não tendo graça, queria ver ele ficar confuso e consegui.
                     - Você é muito idiota mesmo. Ai, ai! - respirei fundo, tentando parar de rir - Nath, querido, você não é minha mãe, nem nada mais importante para mim. Sim, ainda gosto de você, pois é isso que as pessoas devem sentir quando namoram, mas "não viver sem você" é demais para mim. - ele levantou, me prensando na parede - Dá para me soltar?
                     - Me dê um beijo de despedida. - ele disse, me fazendo rir mais.
                     - Isso não é um livro, nem novela Nathaniel! - o empurrei - Saia daqui antes que eu chame Lysandre para te dar um bom soco nesse seu nariz idiota. - abri a porta, me deparando com Armin, com a mão levantada para bater na porta - Armin! Chegou na hora certa. - sorri.
                     - Hora certa pra quê? - o loiro pergunta. Puxo Armin para dentro de casa.
                     - Hora certa para parar de dar-lhe satisfações da minha vida. Fora daqui, agora! -o empurrei para fora, batendo a porta com força. 

  Irritada, atiro um vaso na parede, fazendo Armin dar um salto. Berrei, chorei, abracei o moreno e me acalmei.
                 - Está melhor? - Armin perguntou passando as mãos pelas minhas costa. Eu estava com a cara enfiada numa almofada, mordendo-a.
                 - Desculpe... - suspirei, tentando encará-lo, sentindo meu rosto quente - Você não deveria ter ficado aqui e visto... - apontei para a sala - Isso tudo que eu fiz.
                 - Tudo bem. - ele sorriu, de leve. Segurou minha mão, fazendo-me encarar seu rosto - Quer um conselho? - assenti, respirando fundo - Acredite em mim, um dia você vai encontrar alguém que te ame até a ponta do último fio de seu cabelo.
               Sorri e lhe dei um beijo na bochecha, sorrindo de leve. Armin, mesmo que tivesse me beijado, era uma pessoa com boas intenções, então me deixei ser abrangida por seus braços. Pudia sentir seu coração bater rapidamente e seu cheiro acolhedor.
                Ficamos assistindo seriados da TV durante muito tempo. Armin teve de ir embora uma hora depois, pois já estava anoitecendo. Acabei adormecendo no sofá, com apenas uma pequena coberta.
                Meu sonho era a repetição da cena com Debrah e Nathaniel, mas ela engolia ele, o que me fez acordar na madrugada, gritando, com o rosto molhado de lágrimas. Lysandre correu para me acudir, sentando no sofá comigo.
                     - Desculpa por ter te acordado... - falei depois de um tempo, meu coração ainda batia rapidamente.
                     - Você não acordou... - ele suspirou e encarou o teto - Tenho sonhado com sua mãe.
                     - E o que acontece? -o encarei, com as sobrancelhas arqueadas.
                     - Ela está sempre cuidando das flores do nosso jardim, mas sempre que me aproximo dela, eu acordo... - ele me dá boa noite e volta para seu quarto.
             Fiquei pensando em uma vida que eu poderia ter em outra cidade.


Notas Finais


Deixem sua opinião aí ^₩^


Galerinha da Fuzarka que se irrita fácil, eu vou demorar SIM pra postar, pois, como falei antes, minha criatividade tá em -15%...
Whatever
Bye bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...