História Your Smile - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Drama, Jikook, Namjin, Revelaçoes, Vhope, Yoonhi(shippe Da Fic)
Visualizações 14
Palavras 3.720
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura <3

Capítulo 5 - Be just perfect


Capítulo 5

“Seja perfeita por fora que nem uma boneca e assim os outros não te julgarão pelos defeitos que você tem e sim te amarão já que não irão ver quem você é realmente”

◄••❀••►

Estava vendo televisão enquanto morria de tédio no sofá já que não conseguia achar nem uma programação boa em meio a todos aqueles canais, por fim acabei me cansando e desliguei a televisão jogando o controle na mesinha e levantando-me, Wang tinha saído para o trabalho e eu estava completamente sozinha e sem nada para fazer.

Então decidi estudar um pouco o mapa da cidade já que não lembrava muito dos lugares, fui para meu quarto, chegando lá fechei a porta e me encaminhei para a mesinha do computador, assim que liguei me assustei soltando um grito ecoante coloquei a mão sobre a boca perplexa já sentindo meus olhos encherem-se de lágrimas. Afastei-me da mesinha sentindo meu corpo inteiro tremer e minha vista ficar embaçada por tantas lágrimas, continuei a encarar aquela foto de capa do meu computador ainda, sentindo as inúmeras lágrimas escorrerem por meu rosto descontroladamente.

Na foto estava eu quando tinha seis anos com minha mãe, como a foto não tinha pegado direito no tamanho do computador, apenas o que aparecia era o sorriso dela, seu tronco e seus braços envolvendo-me e por incrível que pareça eu lembrava muito bem daquele dia, menos de seu rosto, me aproximei do computador novamente e ainda tremula, fechando ele de uma vez sentindo a velocidade das lágrimas aumentarem e os soluços já ganharem liberdade, me afastei novamente tropeçando no tapete do quarto caindo perto da cama, coloquei a mão sobre a boca para tentar pelo menos abafar os altos soluços.

Encolhi-me encostando mais na cama sentindo muitas memórias que estavam trancadas há anos voltar tudo de uma vez só, como se fossem treze facadas em meu corpo cada uma mais profunda que a outra, eu queria fazer aquilo parar, mas não conseguia o que me fez começar a gritar e quase arrancar os poucos cabelos que tenho, por causa daquela dor psicológica. Continuei chorando cada vez mais, soluçando e gritando mandando aquilo parar, quando finalmente minha voz ficou falha abaixei o tom dos gritos já deitada no chão e me abraçando.

[...]

De tanto chorar acho que acabei dormindo no chão e ao acordar senti uma dor de cabeça forte olhei pela janela e já era fim de tarde, ou seja, Wang já estava perto de voltar, talvez tivesse sido ela que tenha mexido em meu computador e mudado minha foto de capa, mas se tiver sido ele vou querer saber como conseguiu aquela foto.

Levantei-me indo ao banheiro e lavando o rosto que estava com uma mistura de amaçado e de choro o que me deixava pior do que eu já era, peguei a toalha ao lado e passei em meu rosto devagar ao tira-la de meu rosto olho meu reflexo no pequeno espelho redondo a minha frente e solto um suspiro pesado de dor. — O passado nunca iria me deixar em paz, eu nunca iria conseguir esquece-lo e se algum dia eu tentasse isso iria acontecer às memórias iam dar um jeito de voltar, elas nunca iam embora e eu nunca iria conseguir esquece-las o único jeito era guardar tudo para mim, mostrar apenas o meu bem-estar físico, o emocional, não. Talvez eu conseguisse realmente sentir algo verdadeiro como, afeto por meus possíveis novos amigos e conhecer um “amor”, outrora não são certezas e se algum dia eu sentir algo assim, ficarei realmente feliz... O que nunca consegui ser de verdade até agora.

Seriamente não iria fazer isso, não ia “fingir” ser alguém que não sou eu ia ser eu mesma, como Yoongi havia me dito só que, não tem como ser eu mesma, não com o meu belíssimo passado. Suspirei mais uma vez guardando a toalha e saindo do banheiro saí do quarto indo tomar algum remédio forte para dor de cabeça e iria fazer um agrado à minha nova mãe e assim depois de agrada-la ia começar meu interrogatório.

Preparei-lhe um delicioso Kimchi* acompanhado de Kimbap*, Chinki* e para a sobremesa fiz um grande e delicioso Bingsu*, Sim eu sabia cozinhar aprendi com as cozinheiras do orfanato já que eu sempre ajudei muito elas. Ao terminas de preparar tudo coloquei tudo bem ajeitado na mesa, cobri e fui para meu quarto tomar um banho para eu está “apropriada” na hora do jantar, cheguei ao quarto fechando a porta e indo pegar minha toalha estendida na cadeira da mesa do computador. Dei uma última olhada para a máquina lembrando-me da foto e daquele momento terrível que algum dia foi ótimo, para aquela pequena criança de seis anos.

Afastei-me com minha toalha me encaminhando para o banheiro, entrando e trancando a porta pendurei a toalha no pequeno prendedor que tinha preso na porta e entrei no Box tirando minhas roupas e colocando-as em cima da tampa do vaso, fechei o Box assim que terminei de me despir e liguei o chuveiro. A água estava morna, mas não era o suficiente desliguei o chuveiro e mudei para o mais quente possível, liguei novamente sentindo a água pelando em minha mão, o que era ótimo.

Entrei debaixo da água sem hesitar gostando de sentir a água quente caindo sobre meu corpo me fazendo relaxar e querer passar horas apenas sentindo aquela água quente caindo e aquecendo meu corpo gélido. Coloquei para fora um pouco de água que entrará em minha boca sem querer e passei as mãos por meus cabelos curtos, levantei meu rosto gostando de sentir a água esquentar o meu rosto, prendi minha respiração até onde pude e em seguida voltei a respirar saindo debaixo do chuveiro e indo passar o sabonete em meu corpo.

Ao terminar de me banhar saí do Box indo pegar minha toalha, peguei-a enxugando primeiro meu rosto e um pouco de meu corpo assim passando ela por meu corpo e me cobrindo, destranquei a porta do banheiro saindo de lá e chegando imediatamente em meu quarto, entrei, fechei a porta e as cortinas acendendo a luz. Fui ao guarda roupa olhando todas aquelas roupas todas coloridas parecia um arco-íris o que me causava enjoos. No entanto encarei as roupas por mais um instante. — Uma pessoa “normal” usaria essas roupas sem reclamar, uma pessoa “normal” também usaria maquiagem e ajeitaria os cabelos. Eh... Uma pessoa “Normal” com certeza faria algo assim.

Peguei um short jeans curto e de cintura alta e uma e uma blusa de meia com alças, suéter preto junto com uma bota preta que vinha até perto da minha panturrilha. Coloquei tudo combinando em cima da cama e fui atrás de um sutiã da mesma cor da blusa já que se colocasse um de outra cor ficaria bem mais visível. Achei um mais ou menos da mesma cor e joguei em cima da cama, peguei uma toalha pequena de rosto e passei a enxugar meus cabelos curtos ao terminar fiquei na frente do espelho ajeitando os cabelos com as mãos vendo o estado deles.

Em seguida passei a olhar meu físico, me afastei um pouco mais para ter visão total do meu corpo e tirei minha toalha, vendo a quão esquelética eu estava, vendo as marcas das brigas as quais me metia na prisão e os roxos recentes daquele pequeno episódio no banheiro da prisão, abaixei o olhar me envergonhando de ter aquele corpo eu teria que comer bastante para voltar ao meu peso ideal e correr para me manter nele, assim como uma pessoa normal faria. Não é? Sei que aqui presam muito esse tipo de corpo, mas meu estado não é um estado normal. Olhei para as roupas e em seguida olhei para meu reflexo ali e meu corpo, eu peguei a blusa e coloquei perto do meu corpo vendo e suspirei enfim passando a me vestir.

Vesti-me primeiro com as roupas íntimas e em seguida comecei com a blusa a ajustei em meu corpo e em seguida vesti o short jeans de cintura alta abotoando e subindo o zíper depois colocando o pequeno cinto preto e colocando. Antes de vestir o resto me olhei mais uma vez no espelho me espantando com a pequena diferença ali presente, o quanto meu corpo tinha ganhado pequenos volumes com apenas uma roupa colada. — Não que eu tenha ficado super “gostosa” eu apenas mudei um pouco mais, fiquei mais feminina. — Confesso que lá no fundo que gostei um pouco do resultado, peguei o casaco vestindo ele e o ajustando também em meu corpo.

Sentei-me na cama e calcei a bota, amarrei seus cadarços lhe dando um laço no final voltando a ficar em pé estranhando muito a altura e por não saber andar de salto quando tentei dar um paço me desequilibrei e cai apoiando a queda com as mãos. Falei bem mal daquelas botas mentalmente chamando-as de todos os nomes ruins existentes e tentei mais uma vez, levantei-me do chão apoiada na cama, ainda sem jeito e me segurando nas coisas dei um paço ficando a frente do espelho me olhando mais uma vez surpreendendo-me de mais com aquela forte mudança em mim. Aquilo era incrível... Será que eu iria ser assim se tivesse conseguido ficar com minha mãe se tivesse crescido com ela, será que seria vaidosa e seria como todas as outras moças que vejo?

Andei meio que cambaleando até perto do guarda roupa onde peguei um pente e passei por meus cabelos olhando para o pequeno e retangular espelho dentro do guarda roupa, peguei uma das inúmeras presilhas que tinham dentro de um baú ali e coloquei em meu cabelo, o resultado não ficou muito bom então, tive uma ideia, fui andando mais uma vez desengonçada até a mesinha do computador, peguei a tesoura de cortar papel ali em cima e voltei para perto do guarda roupa.

Puxei umas mexas de cabelo para frente do meu rosto e cortei dois dedos a cima do meu nariz, eu tentei ao máximo cortar reto e assim quando terminei ajeitei a franja cortando um pouco mais umas partes que não ficaram iguais pode ter ficado um desastre? Pode com toda certeza, mas eu gostei então se eu gostei o problema é meu. Olhei-me mais uma vez no espelho me perguntando se faltava mais alguma coisa e então me lembrei de o que era. Maquiagem.

Procurei pelo guarda-roupa e enfim achei um estojo com poucas maquiagens, acho que apenas tinha o necessário ali, o que era bom... Pelo menos eu e a filha da senhora Wang tínhamos algo em comum. Peguei um pouco de base e espalhei por meu rosto em seguida peguei a única e perfeita palheta de maquiagem e passei por meus olhos, o resultado não ficou muito bom então resolvi tirar tudo, depois peguei apenas o rímel e passei em meus olhos em seguida pegando o gloss incolor em passando por meus lábios.

Olhei-me no pequeno espelho e dei uma última ajeitada no cabelo úmido e na franja que já ganhava uma boa forma, fechei a porta me apoiando em seguida nela para andar, fui até a cama devagar, no entanto já me acostumando com aquela bota. Peguei meu celular coloquei no bolso do short e dei uma última olhada no espelho me surpreendendo com a mudança. —Eu teria que ser sempre assim, sempre perfeita por fora, apenas por fora. — Andei até a porta do meu quarto e enfim sai indo para as escadas e me segurando no corrimão para descer e não cair.

Assim que cheguei lá em baixo vi Wang chegando e sorri levemente quando ela me viu e se surpreendeu ao ver-me totalmente arrumada, percebi que o crepúsculo estava lindo lá fora e me espantei ao perceber o quanto demorei a me ajeitar, ela aproximou-se mais ainda sorrindo.

— Você está linda, Sun... — Ela sorriu mexendo um pouco em minha franja e em seguida segurando em meus ombros, parecendo um pouco emocionada.

—Obrigada, Eu preparei o jantar, fiz Kimchi, Kimbap, Chinki e de sobremesa fiz Bingsu, eu espero que goste. — Me soltei dela indo para sala sorrindo ainda levemente e ouvi ela me chamar, olhei-a e ela me olhava com um semblante meio tristonho e de culpa. — Você está bem Wang?

—N-Não é nada, só obrigado por ter feito o jantar e por tentar se adaptar rápido... Fico feliz por isso.

Ela sorriu e retribui, ela avisou que iria tomar banho e trocar de roupa e então fiquei esperando ela, sentei-me no sofá e inclinei a cabeça para trás pensando. — Ela não parecia saber sobre a foto, não podia ter sido ela, mas quem mais teria? — Suspirei mais uma vez pegando meu celular e olhando a hora, o desbloqueei e então peguei o numero de Yoongi ligando para ele.

[Chamada]

— Yoongi?

— Diga moça...

—Aquela sua proposta de sair sempre que eu precisar... Ainda está de pé?

—Sempre que você precisar, aconteceu alguma coisa?

— Não, não foi nada de mais, só preciso pensar e...

— E...?

—E preciso de um amigo...

— Só dizer à hora que eu passo ai, e não se esquece do capacete.

— Okay, pode ser... Hum... Oito horas?

—Pode, oito horas passo ai.

—Obrigada...

—Não precisa agradecer. Até Sun-Hi.

—Até.

[Chamada Off]

Desliguei o celular sorrindo de leve, gostando muito de ter ele para contar, por mais que na primeira vez quis mata-lo.  Fiquei esperando Wang e então quando ela finalmente desceu fomos comer, comemos em silencio e eu não consegui me pronunciar depois comemos a sobremesa e mais uma vez não consegui perguntar a ela sobre a foto.

Ao terminarmos de comer ajudei-a a lavar a louça ela lavava e eu enxugava guardando tudo em seu devido lugar, assim que terminamos corri para o quarto indo escovar meus dentes e passar o gloss novamente para esperar Yoongi.

Até que mudar não estava sendo tão ruim, estava sendo bom Wang gostou do resultado e acho que Yoongi irá gostar também. Peguei o capacete e desci novamente para a sala, sentei-me no sofá e fiquei esperando a hora de yoongi chegar enquanto mexia em meu celular ainda eram 6PM ia demorar bastante já que eu não tinha nada para fazer, no entanto Wang sentou-se do meu lado para conversar tentando ter um pouco mais de proximidade com sua “nova filha”.

 

◄••❀••►

 

Já era quase 8:30PM e nada dele eu sinceramente estava pensando que ele não ia vir estava bem sem jeito e por parecer uma idiota esperando ele lá sentada na sala atenta a todo tipo de barulho na rua ou na garagem da casa a frente. Quando finalmente ele me manda uma mensagem me mandando sair, me levanto avisando a Wang e pegando o capacete indo até a porta.


Ela me avisa que vai deixar a porta destrancada caso eu volte tarde e confirmo saindo, assim que saio vejo-o na garagem de casa me esperando, me aproximo andando com cuidado para não cair com a bota e percebo seu olhar sobre mim o que me fez corar.

— porque está me olhando... — Ele riu sem graça passando a mão por seus fios negros e pegando seu capacete.

—Você está bonita... Mais do que já era, claro. —Ri por ele se atrapalhar e olhei-o sorrindo.

E logo ele subiu na moto e a ligou me mandando subir, coloquei meu capacete em seguida subindo na moto, ele perguntou se eu estava pronta e fiz que sim abraçando seu corpo e ele logo deu partida, indo bem rápido, perguntei para onde íamos e ele disse apenas que era uma surpresa.

Assim que chegamos e ele me mandou descer, assim fiz já tirando o capacete e esperando ele estacionar, olhei ao redor. Uma balada, sorri olhando ele que já vinha em minha direção sorrindo.

—Uma balada? Eu nunca fui a uma. — Ele sorriu me puxando para entrar enquanto eu resistia um pouco.

—Vai a uma agora, entra! — Ele me puxou já sorrindo me fazendo entrar a força. — Sabia que as baladas são uma das melhores formas de fazer amigos?

Fiquei surpresa com os detalhes ignorando totalmente o que ele disse e andei com ele até próximo de um bar ele pediu dois refrigerantes para a gente já que não podíamos beber ainda, fiquei sentada em um dos bancos do bar enquanto ele insistia em querer dançar comigo, o que me fazia rir mais ainda, eu não sabia dançar e não estava muito a fim de passar vergonha na frente de uma multidão de jovens e adultos.

— Yoongi, eu não sei dançar... — Ele se aproximou de mim sorrindo e segurou em minha mão.

— Eu te ensino! —Ele me puxou com força me fazendo soltar o copo de refrigerante no chão e ir de encontro ao ele, o que me fez ficar morrendo de vergonha por seu ato escondendo o rosto em peitoral.

— Você é louco. — Ele riu mais se afastando e me olhando.

Assim ele segurou em minha cintura colando um pouco mais nossos corpos e se movimentando devagar, tentei acompanhar ele, mas não estava dando muito certo. O que fez rir mais e me fazer corar.

—Se solta...

Disse baixo perto de meu ouvido me arrepiando, como eu faria isso? Olhei para os lados tentando tirar algum exemplo, então do nada ele me fez girar e eu quase cai por ainda não esta acostumada com as botas, mas ele me segurou sorrindo, ri envergonhada, fazendo como ele disse e tentando me soltar, o que não estava dando muito certo, mas ele não estava reclamando acho que isso é sinal de coisa boa, não é?

Continuei me esforçando para dançar direito e com aquelas botas e até que consegui, mas não aguentei mais e disse ele que ia me sentar, ele implorou para que eu ficasse mais um pouco, mas eu não quis e fui me sentar novamente no banquinho do bar apenas o vendo dançar. Pedi mais um refrigerante já que ele tinha feito o meu cair no chão e fiquei apenas curtindo a música até que senti um braço em volta de meu pescoço, olhei para o lado vendo um ser de cabelos castanhos escuros parecia um pouco mais jovem que eu, uns 16 suponho.

— Olá garota bonita, que eu ainda não conheço, mas pretendo conhecer... Está a fim de dançar? — Esse rapaz é bem idiota, eu adoraria meter-lhe o tapa para deixar meus quatro dedos em seu rosto.

—Não obrigada... Eu quero ficar em meu lugar apenas vendo os outros dançar. — Ele colocou a mão em minha coxa apertando, apenas queria saber o que tinha para apertar ali, mas não falei nada apenas levante-me e lhe meti o soco que é melhor que um tapa.

— Sua vadia! — Ele gritou colocando a mão na boca e olhando em seguida vendo um pouco de sangue sair dali.

— Olha se você não está satisfeito com esse soco e quer um olho roxo eu também estou disposta a dar garoto que eu não conheço e não estou nem um pouco a fim de conhecer e muito menos a fim de dançar, garotinho mimado, bebezinho.

Ele me olhou com ódio e assim que levantou a mão para me bater vi Yoongi chegar por trás e segurar seu pulso por mais que eu já estivesse pronta para me defender. O garoto olhou Yoongi irritado e tentou se soltar, mas ele segurava o seu pulso com força.

— Se manca Jungkook... Essa não vai cair na sua lábia idiota. Agora levanta a mão para ela de novo, para você ver como eu te quebro.

Ele soltou o braço do garoto que quase caiu no chão e saiu acompanhado de mais dois rapazes, um até olhou feio para Yoongi por conta do que ele fez ao outro, olhei ele e suspirei rindo baixo. Ele perguntou se eu queria ir embora e disse que sim, sinceramente eu não estava mais aguentando aquele lugar, muito quente e a música doía em meus ouvidos me causando muita dor de cabeça.

Saímos daquele local e ele logo pegou a moto me entregando meu capacete e colocando o dele, tirou a moto do local que ela estava estacionada e me mandou subir, subi já abraçando ele que deu partida. Ele me levou para um parque próximo e assim que chegamos desci, tirando meu capacete e esperei ele estacionar a moto, enquanto ele estacionava a moto procurei um banco para me sentar, achei e logo me sentei já não aguentando mais aquelas botas.

Vi ele se aproximar e sentar-se a meu lado, o olhei e então ficamos conversando um pouco sobre os garotos, ele disse que eles estudavam na escola que eu iria entrar e alguns outros detalhes, disse que o mais novo era Jeon Jungkook e os outros dois mais velhos, ou seja, da nossa idade era Park Jimin e Kim Taehyung, ele contou-me que eles não eram pessoas ruins apenas pessoas populares de mais e que pensavam que podiam ter tudo.

Eu havia entendido e coloquei em minha cabeça que nunca mais iria aproximar-me daqueles três, ficamos conversando mais um pouco mais e então enquanto apenas olhávamos para o céu, tomei coragem e sentei-me de lado olhando-o.

— Yoongi... Posso te confiar um segredo... — Ele me olhou surpreso e fez que sim se ajeitando e também ficando de lado me olhando nos olhos.

—Pode me contar quantos segredos quiser, guardá-los-ei sempre para mim e tentarei ao máximo te ajudar... Pode contar comigo para tudo Sun-Hi.

Ele segurou em minhas mãos apertando-as com um pouco de força fazendo-me sentir mais segura, olhei para suas mãos que seguravam e aqueciam as minhas e em seguida para seus olhos, vendo sinceridade neles. Engoli em seco e sentindo meu coração mais uma vez pulsar forte e um frio percorrer minha espinha, eu nunca havia contado nada para ninguém, ele séria a primeira pessoa a quem contaria tudo. E estava com medo — Também que não queria enche-lo com problemas, mas ele me dava segurança e tinha tanta sinceridade no olhar que, eu sentia que podia confiar. — Não sei se estarei fazendo algo certo ou errado virando amiga de Min Yoongi, no entanto é por esse caminho que quero seguir, com ele sei que poderei ser eu mesma por mais que para os outros eu não possa ser, então sim... É esse caminho que quero o caminho o qual Min Yoongi está nele, sendo meu amigo e me ajudando em tudo que puder.


Notas Finais


*Kimchi = é um dos mais conhecidos pratos coreanos. Ele é feito de acelga, repolho, rabanete ou nabo em uma conserva apimentada e é servido com quase todas as refeições coreanas.

*Kimbap =é a versão do sushi japonês da Coreia. É feito de arroz, normalmente recheado com espinafre, rabanete em conserva, bolo de peixe, e omelete cortado. Existem restaurantes especializados, mas também são vendidos em lojas de conveniência, como na universidade onde eu estudei e são igualmente deliciosos!

*Chinki = (frango frito) é meu segundo prato favorito da Coreia (o primeiro é Bimbimbap). Frito na hora e temperado com alho e soja ou molhos de pimenta, é também muito famoso pela combinação ChiMaek que é composta por frango frito e cerveja, um dos lanchinhos de happy hour favoritos dos coreanos.

*Bingsu = é uma ótima maneira de vencer o calor do verão. Seria equivalente à um sorvete, mas na verdade, são coberturas variadas como matcha (óleo de castanhas), mochi (doce feito de arroz) e pasta de feijão vermelho dispostos em uma “cama de gelo” de leite raspado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...