História Your smile is also my dream. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7, TWICE
Personagens BamBam, Dahyun, Jackson, JB, JR, Jungyeon, Mark, Personagens Originais, V, Youngjae, Yugyeom
Tags Bts, Dahyun, Got7, Jackson, Jackson Wang, Taehyung, Twice
Exibições 126
Palavras 1.508
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Esporte, Festa, Fluffy, Hentai, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oláaaa gente, bom essa será minha segunda fic né
E como sempre, num primeiro capítulo, a insegurança me assola, então ficarei à espera das reações de vocês enquanto à fic!
Outro fato importante, é que a personagem principal terá a aparência da Dahyun do Twice, mas a personalidade será um pouquinho diferente, por isso até mudei o nome :3
E acho que é isso...
Boa leitura!

Capítulo 1 - One


Fanfic / Fanfiction Your smile is also my dream. - Capítulo 1 - One

 

APRIL POV's

Após horas e horas no avião, finalmente ele havia pousado, e eu já estava em um carro mandado pela empresa que me contratou, a JYP Entertainment. Pelo que me disseram, por enquanto, eu ficaria num hotel perto da empresa.

Eram 11hs da manhã quando o carro parou em frente à um enorme hotel. Falei com a recepção que me atendeu gentilmente, pois a empresa já havia feito minha reserva. Depois, um moço que trabalha no hotel me ajudou com as minhas malas, que não eram muitas e eu até tinha força para carregá-las sozinha, porém, o que eu não tinha, era coordenação motora mesmo, já que sou muito desastrada para que conseguisse realizar tal objetivo de levá-las até o quarto sem que ocorresse algum tipo de "acidente".

O quarto era realmente lindo e luxuoso, com decoração clássica que se combinava à um certo modernismo. A cama era de casal e parecia deveras atrativa para alguém que havia passado tantas horas dormindo sentada em um avião. Me joguei na mesma, largando minhas duas malas ali pelos lados. Fiz bico em reprovação ao lembrar que eu não poderia ficar ali por muito tempo, afinal, às 13hs eu teria que estar na JYP, sendo que um carro me buscaria às 12:45, por conta de eu não saber de nada na Coreia.

Mas por outro lado, eu estava muito ansiosa, afinal, eu era uma brasileira selecionada pela JYP, para fazer o que mais amo, cantar e compor. E eu com certeza daria tudo de mim nesse tempo como trainee, para poder antecipar o máximo possível, o meu debut. Queria que o meu rap realmente cumprisse uma missão em cada música.

Já eram 12hs quando resolvi deixar os meus devaneios e preguiça de lado e levantar pra tomar um banho. Liguei a água da banheira, e tomei meu banho, tentando não me deixar levar pelo conforto do momento, saindo da mesma. Me sequei e me enrolei na toalha, sentei na cama e trouxe minha mala para perto — como era chato procurar as roupas quando estão guardadas em uma mala —. Acabei por fim, escolhendo uma camisa azul bebê, com uma saia preta plissada de cintura alta. Vesti-me e coloquei um coturno preto, penteei meu cabelo e seguei o mesmo.

Passei um batom lilás, dando uma última olhada em minha aparência no espelho, sorri confiante para mim mesma, e peguei meu celular já saindo do quarto.

(...)

O caminho durou cerca de 10 min de carro, isso porque o motorista foi na maior calma possível, desconfiei até que ele queria mesmo era me mostrar a cidade de Seul, pois se ele admitisse que era mesmo isso, eu até o abraçaria, já que estava adorando poder tentar decorar o caminho, e ver todas aquelas pessoas na rua, imaginando o que cada uma estaria fazendo à segundos atrás, ou conversando naquele momento, embora eu nem podia ouvi-los.

Saí do carro, e subi até o andar indicado pela recepcionista, esperei cerca de 5 minutos, e logo pediram para eu entrar na sala do presidente.

— April, que prazer te conhecer! — o homem que deveria ter seus 40 e poucos anos, me saudava calorosamente.

— Magina senhor Park, o prazer é absolutamente meu! — me reverenciei o cumprimentando com um largo sorriso, afinal, eu estava muito feliz.

— Mas a senhorita é realmente linda, e o seu coreano, parece impecável! — ele ri. 

— Muito obrigada — agradeço sorridente, embora estivesse levemente envergonhada — mas acredite, o senhor só acha isso porque mal conversamos ainda.

— Será? Então não seja por isso, teremos que descobrir agora, pois teremos que conversar muito antes que assine o seu contrato — ainda sorrindo, sentou-se em sua cadeira. — Sente-se, por favor.

— Obrigada — sentei-me, olhando perdida a demasiada quantidade de papéis em cima da mesa.

— Bom, vamos começar...

E esse foi o começo de uma longa conversa para que não restasse nenhuma dúvida antes que eu assinasse o contrato.

(...)

Quando terminamos a conversa e assinei o contrato, já eram 14:30, e particularmente, eu estava morta de fome. Decidi então procurar por algum restaurante ou lanchonete, na verdade, eu deveria ter pedido alguma sugestão para o senhor Park, mas acabei esquecendo.

Eu tinha acabado de sair do elevador, quando notei um grupo de 7 garotos, onde 6 deles estavam se despedindo do moreno que sobrara. Eu ia passar reto, mas achei melhor criar coragem e perguntar pro garoto parado se ele sabia de alguma lanchonete legal, afinal, pela lógica, ele deveria ser algum trainee daqui, e mais do que isso, é um morador da cidade, o que já ganha disparado sobre os meus conhecimentos do lugar.

— Com licença, você poderia me dar uma informação? — toquei em seu ombro, pois ele estava virado pro outro lado.

— O que?! — ele virou rapidamente, e parecia bravo.

— D-esculpa... — senti minhas bochechas queimarem, abaixei minha cabeça e me virei pra continuar andando. 

Eu estava extremamente sem graça, por dois motivos: um, o moço era muito lindo; dois, eu mal cheguei e já estava sendo inconveniente.

— Magina, eu que peço desculpas! — senti o moço segurar em meu pulso, e me virei em reflexo. — Eu não queria ter sido grosso com você... — ele parou por um instante, como se olhasse pra algum lado qualquer e se lembrasse de algo — é... eu só estou em um dia ruim — passou a própria mão em sua nuca, terminando por sorrir levemente.

— É... o problema foi eu, que mal cheguei e já estou sendo tão inconveniente... — sorri meio sem graça.

— Relaxa — melhorou seu sorriso — bom, em que posso ajudá-la?

— A-ah sim, é que eu cheguei hoje na Coréia, e não sei onde fica nada, e no momento, estou morrendo de fome, mas não queria ficar o resto do dia trancafiada no Hotel... será que você teria alguma lanchonete, ou restaurante pra me indicar? 

— Estrangeira? — ele parecia surpreso. — Bom, posso fazer mais que isso, pois já estava mesmo pensando em ir à um restaurante chinês que têm aqui perto, e assim, eu aproveitaria para me desculpar direito com você — ele sorriu amigavelmente, e seu olhar parecia passar certa expectativa.

— Tem certeza? — na verdade, eu estava surpresa, pois eu conhecia muitas pessoas que quando não estão em um dia bom, preferem se isolar em um canto qualquer — Quer dizer, eu adoraria, só perguntei mesmo, porque você não parecia estar em um dia muito bom... — tentei me explicar, pois eu não queria que ele se ofendesse pela minha hesitação.

— É... mas deixemos esse assunto de lado, e prometo lhe recompensar com boa comida, pela má primeira impressão que lhe passei? — ele sorria, com o olhar de expectativa novamente sobre mim.

— Se isso animar o seu dia, porque não?! — sorri animada, embora levemente receosa.

— Assim que se fala! — e começou a dar alguns passos em direção à saída. — Aliás, desculpe por eu ainda não ter me apresentado, sou Jackson Wang, na real eu sou chinês, mas estou como trainee aqui há um certo tempo — ele parou por um momento me olhando — e você? Disse que é estrangeira também, correto?

— Ah sim, desculpe, meu nome é Kim April e eu sou brasileira, filha de mãe coreana, e pai brasileiro, filho de pais igualmente coreanos — expliquei enquanto andávamos lado-a-lado pelas ruas.

— Aah, entendo — ele parecia surpreso — nunca imaginaria que não era de algum país asiático — ele disse.

— É, sempre escuto isso, mesmo no Brasil onde as raças são tão misturadas.

— Imagino — até que ele para em frente à um restaurante. — Enfim, chegamos — ele abre a porta do estabelecimento para mim, que agradeço.

Nos sentamos, e fizemos nossos pedidos, Jackson havia me deixado cheia de expectativas enquanto ao sabor, pois as minhas tripas pareciam lutar em minha barriga, enquanto ele descrevia cada prato.
 

Após uma espera de 10 min, que mais pareciam uma hora para mim, as comidas chegaram. E de fato, o gosto era maravilhoso, diria até que indescritível, pois à cada momento minha fome diminuía mais a ansiedade pela nova "garfada" parecia nunca diminuir. Mas mesmo assim, logo que acabou  conteúdo do prato, pude me sentir satisfeita.

— Nossa, realmente essa foi a melhor comida chinesa que já comi na vida, e olha que eu nunca fui tãaao fã, mas este é um forte concorrente ao meu prato favorito! — tentei expressar em palavras todo aquele sentimento.

— Não disse?! — ele riu, mas deixava claro como estava convencido.

— Sim — sorri, inevitavelmente admitindo os fatos.

(...)

Conversamos por mais uns 40 minutos, ele insistiu em pagar a conta como um pedido de desculpas pela grosseria de mais cedo, mas por fim, chegou a hora de nos despedirmos.

— Bom, agora infelizmente eu tenho que ir, porque combinei umas coisas com os outros garotos, mas a gente se esbarra pela empresa! — Deu um leve aceno e seguiu por seu caminho.

Eu já parecia mais adaptada com o caminho, afinal, era uma avenida! E pelo que entendi, era a mesma do meu hotel, então segui sozinha até o mesmo. Cuidando logo de tomar um banho quando entrei no quarto, e me vesti de forma confortável, para antecipar minha noite caindo na cama, pois eu estava morta de cansaço, e amanhã, o dia seria longo!
 


Notas Finais


E aí geeente, o que acharam? Se interessaram pra que eu continue ela? :3
Espero encontrá-los novamente em um novo capítulo... Beijos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...