História Your Smile -Rafael Lange (Cellbit) - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Felipe Z. "Felps", Madison Beer, Rafael "CellBit" Lange, TazerCraft
Personagens Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange
Tags Amizade, Cellbit, Drama, Lange, Langer, Madison Beer, Passado, Rafael Lange, Romance, Shipp, Suspense, Youtube, Youtuber
Exibições 75
Palavras 2.743
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey Darlings!
Eu tenho muita coisa para falar não é mesmo? Eu vou contar tudo nas notas finais Okay? Mas antes peço-vos desculpa pela imensa demora e também peço que NÃO desistam da YS!
*LEIAM AS NOTAS FINAIS!*

Capítulo 18 - Chloe Exposed


Fanfic / Fanfiction Your Smile -Rafael Lange (Cellbit) - Capítulo 18 - Chloe Exposed

É tão gostoso caminhar quando o Sol não está extremamente forte sobre o rosto mas quando está quente mas também não frio, é uma das melhores sensações, mas caminhar tranquilamente com uma pessoa que te faz bem em um dia tão bonito quanto o dia de hoje posso garantir que é melhor ainda. Uma das melhores sensações que já senti na vida foram as de quando eu estava com ele, juro que pode ser clichê, mas é! Aos meus 17 sentindo -infelizmente- o amor em meu coração, sentindo um sentimento tão inexplicável quanto o doce e singelo amor, posso garantir que se apaixonar é incrivelmente bom, mas quando isso tudo, esse paraíso acaba pode ter certeza que estás a beira de um precipício, se apaixonar é você abrir as portas para um mundo extremamente bonito mas tendo a garantia, tendo a maior das certezas que no fim desse paraíso vai haver um precipício, um precipício onde certamente vais cair. E foi exatamente lá que eu caí e senti a maior dor de todas, a dor de "quebrar a cara" com um amor. A dor de arrancar o amor que eu sentia pelo Cellbit veio junto com a dor da ingratidão, eu fiz de tudo por ele e recebi tudo o contrário, e hoje estou aqui, para ser mais clara... Sou trouxa. Eu sou o tipo de pessoa que acredita em que amores eternos não podem existir -exceto o de mãe- na minha opinião tudo um dia vai haver um fim, obviamente o amor também está incluso nessa ideia, por mais que eu acredite que nada é para sempre, eu sempre desejei ter um amor para a vida toda, ter alguém que eu possa garantir que vai estar comigo até o fim, ter alguém que um dia eu possa olhar e dizer "você realmente me aguentou por todo esse tempo.." provavelmente vou ter menos tempo do que eu gostaria de ter com o Lange. Como já diz em um dos meus livros favoritos "Não posso falar da nossa história de amor, então vou falar de matemática. Não sou formada em matemática, mas sei de uma coisa: existe uma quantidade infinita de números entre 0 e 1. Tem o 0,1 e o 0,12 e o 0,112 e uma infinidade de outros. Obviamente, existe um conjunto ainda maior entre o 0 e o 2, ou entre o 0 e o 1 milhão. Alguns infinitos são maiores que outros. Um escritor de quem costumávamos gostar nos ensinou isso. Há dias, muitos deles, em que fico zangada com o tamanho do meu conjunto ilimitado. Queria mais números do que provavelmente vou ter, e, queria mais números para essa nossa pequena relação do que os que provavelmente vou ter. Mas, você não imagina o tamanho da minha gratidão pelo nosso pequeno infinito. Eu não o trocaria por nada nesse mundo. Você me deu uma eternidade dentro dos nossos dias, e sou muito grata por isso." Muito bem editado por mim, na minha cabeça.
Nossa história subestima a minha ideia de vida, nós estamos juntos agora literalmente quebrando essa minha opinião de "fim" e recomeçando do zero tudo isso.
Por mais que eu tenha essa ideia de fim, eu acredito que tudo que acontece em nossas vidas tem um propósito, nada acontece simplesmente por acontecer, sempre vai haver um motivo, aquele exato motivo que você está a imaginar agora, ele aconteceu por algum motivo. Talvez tudo isso com o Cellbit tenha tido lá suas razões. Talvez até mesmo me mostrar que tudo pode recomeçar, um dia eu descobrirei o por que de a vida ter me dado isso, assim como um dia todo mundo vai descobrir as razões de certas coisas em sua vida.
Entramos no elevador para subir até o apartamento dele, ele apertou o número correspondente ao andar dele e eu arrumei meu cabelo enquanto me observava no espelho, espiei pelo canto do olho e percebi que ele me olhava com um meio sorriso. Seus olhos incrivelmente azuis, como o céu hoje, gosto de comparar o azul da íris dele com o azul do céu, são parecidos, mas os olhos dele continham um brilho tão especial. Ah, aqueles diamantes redondos que ele chama de olhos que me encantaram tanto quando eu era mais nova, e continuam me encantando assustadoramente até hoje, esses olhos que também chamou a atenção de Kayla, porque me chamam tanto a atenção?
As portas do elevador se abriram e nós dois saímos entrando em um corredor para entrar. Ele abriu a porta da casa dele revelando um apartamento arrumado demais -sintam a ironia-.

-Por favor, não ligue para o quão "arrumada". -Ele gesticula com as mãos.- está a casa, Pac e Mike não são tão fãs de limpeza e de arrumar a casa. -Ele diz me dando licença para entrar e em seguida fecha a porta.

Ele pediu licença e foi para o quarto dele trocar de roupa, sentei no sofá e peguei meu celular para "passar o tempo". Vai me dizer que nunca fizeste isso? Ficar horas e horas no Twitter sempre foi a melhor coisa do mundo.
Ele voltou, desta vez com uma roupa mais folgada e com as mangas da blusa curta. Levanto e deixo meu celular no sofá -correndo o risco de ele se perder no meio de uma pequena bagunça de almofadas, blusas e bichinhos de pelúcia, sim bichinhos de pelúcia, talvez alguns dos bichinhos fossem presentes de fãs, admito ter gostado de um elefante rosa.-

-Oi. -Digo e ele me guia até a cozinha por mais que eu já saiba o caminho da mesma.

-O que quer comer? -Ele se apóia na pia e me encara.

-Eu não sei, o que você quer comer? -Pergunto dando ênfase no 'você'.

-Eu também não sei. -Ele da um longo suspiro.

-Strogonoff? 

Eu amo com todas minhas forças strogonoff, e é a única coisa que me vem à cabeça para fazer. Quem é que não gosta de strogonoff?

-Pode ser. -Ele deu um meio sorriso. -Mas você sabe fazer? Eu não tenho uma mínima noção de como fazer. -Ele olhou para o chão.

-É claro que sei, só não participo do máster chef porque eu ia eliminar todo mundo. -jogo meus cabelos para trás.

-Se você se achar mais estraga. -Ele revira os olhos.

Algum tempo passou e nós conseguimos terminar o nosso strogonoff, ele havia ficado responsável por fazer o arroz, como qualquer um pode imaginar foi uma tremenda bagunça, a cozinha estava deplorável, havia arroz no chão, óleo também e alguns outros ingredientes jogados no chão ou na parede. Parecia que uma guerra tinha acontecido mas era só eu e o Cellbit tentando cozinhar.
Ao minimo o cheiro da comida parece bom, lavei alguns pratos para ajudar enquanto o Rafael arrumava a mesa e os pratos, colocamos nossa comida e fomos comer. Como eu acreditava, o que havíamos feito esta incrível, o arroz estava um pouco salgado demais mas nada que seja horrível de se comer.

-Você está de parabéns. -Ele disse enquanto ia pegar mais.

-Obrigado. -Sorri convencida.

-E o arroz?

-Está ótimo. -Ri sem graça, afinal estava muito salgado.

Arrumamos um pouco da bagunça enquanto ouvíamos música, ele colocou Baby do Justin Bieber e ainda cantou junto com a música, ele conseguiu desafinar mais vezes do que qualquer ser humano conseguiria com plena consciência. Após umas 17 músicas terminamos de arrumar a bagunça, por mais que eu achasse impossível terminar. Ao fim de toda essa bagunça, ele me levou até o quarto dele e eu me sentei na cama.

-Chloe? -Ele me chama quando senta na cadeira em frente ao computador.

-Sim? -respondo encarando o ecrã do celular.

-Eu preciso te falar uma coisa. -Ele rodou a cadeira para o lado que eu estava.

-Pode dizer. -O incentivo a falar.

-Basicamente... Semana que vem tem um evento no Rio de Janeiro. -Ele se girou na cadeira para um lado e para o outro.

-E o que tem? -Pergunto com um pingo de impaciência.

-Eu fui convidado para ir no evento.

-E isso é bom ou ruim? -Arqueio a sobrancelha.

-Podes deixar eu falar? -Faço que sim com a cabeça e reviro os olhos. -Eu vou, mas vou ficar apenas 3 dias. -Ele da uma pequena pausa como se estivesse pensando nas palavras certas. -Eu gostaria que você fosse comigo, sabe, posso levar alguém comigo e eu queria levar você. -Ele inclina a cabeça para o lado.

Pisco repetitivamente os olhos tentando entender, ele vai para um evento e quer me levar junto, de tantos amigos e amigas que ele tem, ele quer ME levar, okay, complicado para mim que sou uma iludida de primeira categoria, eu realmente adoraria ir, mas tenho a faculdade, não posso simplesmente ir para o evento e deixar ela, sem contar meu emprego, provavelmente meu chefe não iria deixar-me ir.

-Em quais dias você vai?

-Quinta, sexta e sábado. -Ele diz com esperança na voz.

-Olha, eu adoraria ir, sério eu com todas minhas forças amaria ir, mas eu acabei de iniciar minha faculdade e tem o meu emprego que não me deixaria ir. -Suspiro. -Me desculpa.

-Nao, não... Não tem problemas, eu sou um idiota, você tem suas obrigações. -Ele balança a cabeça e cobriu seu rosto com as mãos, ele provavelmente está com vergonha.

-Você não é um idiota, só as vezes, uma dessas vezes foi quando você resolveu jogar água em mim, tipo hoje.

-Isso não foi uma atitude idiota, foi uma atitude pensada e genial.

-Morre. -Dou um tapa em minha testa enquanto ria. -Você realmente vai?

-Vou. -Ele dá um sorriso triste.

-Ainda bem, sempre quis uma folga de você e desses snaps idiotas que me manda. -Digo ironicamente.

-Nao é só porque vou estar em outro estado que vou parar de tirar snaps, pelo contrário, apenas vou gravar mais snaps. -Ele me manda beijos no ar.

-Preciso te bloquear lá, como faz? -Abro meu Snapchat e começo a mexer em todas opções.

-Mas você nem sonhe com isso. -Ele puxa o celular da minha mão e começa a rir.

-E você me devolve meu celular se não você vai ser só um sonho porque vais morrer. -Puxo de volta meu celular.

-Que agressiva, nem parece que chora quando escuta i hate you I love you. -Arregalo os olhos quando ele diz isso.

Ninguém sabe disso a não ser a Ally, mas ela vai me pagar tão caro por isso... Mas I hate you I love you realmente me faz chorar, tem uma letra incrível, por mais que me faz lembrar de coisas que eu não quero, lembrar de histórias tristes e afins.

-Como você sabe? -Pergunto gaguejando.

-Um snap me contou. -Ele rodou a cadeira.

-Ally?

-Nao. -Ele riu e começou a tossir, no meio da tosse disse um sim descaradamente.

-Alguém vai morrer. -Digo ríspida e cubro meu rosto com as mãos.

Ficamos conversando por alguns instantes quando um silêncio surgiu por nós, eu não sabia o que dizer e ele muito menos, para disfarçar comecei a usar o Twitter, Ally tweetava sobre a série que ela assistia, o Twitter estava extremamente calmo, nada de diferente como sempre.

"@BeLanger começou a seguir você." (N/A- como já sabem hihi, mais um @ Aleatório)

É engraçado ver uma fã do Rafael me seguir, eu ainda sou uma inscrita do canal e admito que gosto de o assistir. O mais estranho de se pensar é que outras fãs dariam toda Nutella e açaí do mundo para estar onde eu estou agora, eu deveria aproveitar mais esses momentos, não aproveitar porque ele é alguém muito conhecido mas aproveitar porque estou tendo momentos legais com ele, se for para um dia ele errar comigo novamente, tudo bem! Sim, tudo bem! Eu sei que isso parece pensamento de alguém trouxa -coisa que eu obviamente sou- Mas porque não aproveitar das chances que a vida está me dando? Bom e os gritos não são apenas no canal, pessoalmente os gritos aumentam em 80%  em uma escala de gritos, se juntar os gritos de uma escola com alunos desesperados e um show da One Direction com fãs disputando para ver quem grita mais alto, com certeza o Cellbit ganha. Abro o canal dele no YouTube e coloco no vídeo de agar.io e aumentei o volume, aperto o play e a reação dele ao ouvir a introdução dele foi hilária, ele olhou para mim com uma expressão de surpresa com "????"

-Você assiste os meus vídeos?

-Sim, por que você acha que eu fui no evento?

-Nao sei Chloe, existem várias coisas para se fazer lá.

-Para minha infelicidade eu faço parte dessa nomenclatura sem sentido na qual você diz. -Fiz piada com a crise dele no Twitter sim, quero muito saber o que ele tem a dizer com isso.

-Hahahahahaha muito engraçada você Chloe. -Ele forjou uma risada, e definitivamente foi a risada mais falsa que eu já vi na vida! E revirou os olhos.

-Essa risada foi mais falsa que nota de 3 reais.

-E isso que você disse foi mais sem noção do que as pessoas que confundem mas e mais.

-Xinga mas não ofende. -Cruzo os braços e faço bico.

-Que kawai. -Ele aperta minhas bochechas e da alguns gritos histéricos.

-Não. -Dou um tapa na mão dele. -Não aperta minha bochecha porque fica vermelho. -Coloco a mão sobre minhas bochechas que estavam quentes.

Ele começou a rir e rodou a cadeira para olhar seu computador, deu uma risada horrível e com essa risada já ficou explícito que ele vai querer aprontar comigo. Ele deu espaço para que eu consiga olhar a tela do computador e vi que ele havia aberto o jogo Play With Me, raios lá vem para cima de mim.

-Quero ver você jogar. -Ele levantou da cadeira.

-O que eu ganho com isso? -Arqueio a sobrancelha.

-Um abraço e um beijo. -Ele sorriu.

-Se for de Harry styles eu aceito, se for seu nem jogo.

-Nossa. -Ele virou para trás e andou lentamente até a porta.

-Não. -Berrei, provavelmente mais alto que ele e me agarrei nas costas dele. -Desculpa. -Comecei a rir.

-Meus vizinhos vão colocar um processo enorme na minha garganta Chloe.

-Vou jogar logo, sou muito corajosa. Apaga essa luz aí. -Me sentei na cadeira e encarei a tela do computador com receio.

Ele apagou a luz e sentou atrás de mim, dei play no jogo e comecei a procurar as velas, algumas vezes eu tomava uns sustos pequenos de dar um pulinho da cadeira, mas nada de gritos. O Rafael por Incrível que pareça estava quieto.
Falta apenas uma vela para mim acabar essa porcaria, quando passou um vulto na tela do computador e o Rafael deu um grito agudo no meu ouvido que me fez gritar e pular da cadeira. Ao olhar na cara dessa pamonha humana, ele estava gravando um snap do meu susto. O que isso significa? Meu rostinho extremamente lindo exposto, se vierem fãs loucas igual detetives atrás de mim eu piro, corrigindo, se vierem fangirls atrás de mim minha vida vai pelo buraco.
Vi ele enviar o snap e eu ainda com as mãos no rosto nervosa com o susto, meu coração batia descontroladamente e a respiração ofegante. Dei tapas seguidos nele e até mesmo alguns socos nos braços dele que não devem ter surtido algum mínimo efeito, empurrei ele pelo peitoral em direção da cama, para minha surpresa com um movimento ágil ele segurou minhas mãos me puxando com ele para a cama, senti um impacto enorme do meu corpo cair sobre o dele.
Fechei meus olhos com força e senti a respiração dele no meu rosto, se é que pode ser possível, minha respiração ficou ainda mais ofegante, meu coração já deveria ter pulado pela boca a séculos, abri os olhos lentamente e vi suas íris azuis me olhando, ele tinha um semblante que não poderia ser decifrado, humideci meus lábios e fechei novamente os olhos.

Sentindo-me usada
Mas eu ainda estou sentindo sua falta
E eu não consigo
Ver o final disto
Só quero sentir seu beijo
Contra os meus lábios

E agora todo esse tempo
Está passando
Mas eu não consigo dizer-lhe por que
Me dói cada vez que eu vejo você
E percebo o quanto eu preciso de você

Eu te odeio, eu te amo
Eu odeio que eu te ame
Não quero, mas não consigo colocar
Mais ninguém acima de você

I hate you I love you - Gnash feat Olivia O'brien


Notas Finais


LEIAM AQUI!
Bom, a causa de eu ter ficado cerca de 2 meses sem atualizar a Your Smile foi pela razão de que eu estava com bloqueio criativo, "Poxa, mas esse bloqueio durou meses?" Sim, foi o pior bloqueio que eu já tive até hoje! Eu escrevia, escrevia mas nada nunca estava bom. Eu descobri que minha criatividade vem na escola, sim, justamente lá! Eu não consigo escrever muito em casa, as vezes consigo, mas a maioria das vezes que escrevo é lá na escola e lá me vem 90% da criatividade, e eu estava de férias e agora voltei.
"As atualizações da YS vão voltar a ser frequentes?"sim, vão voltar! Acho que era só isso que eu havia para dizer hihi, mas então miguxas, eu fui na BGS e foi incrível, alguma de vcs foram?
Enfim, se gostaram do capítulo já sabem o que fazer né :') sem contar que se quiserem deixar suas opiniões aqui nos comentários eu sempre vou estar lendo e respondendo vocês.
Espero que tenham gostado.
Amo-vos imenso. Xx Cams


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...