História Your Sweet Effect - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camren, Fic, Fifth Harmony
Exibições 10
Palavras 1.940
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Ficção, Musical (Songfic)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá,sei que fui muito mal no ultimo capitulo,e acho que nesse não será muito diferente,espero que me perdoem,quero de fato fazer algo legal.

Enjoy!

Capítulo 7 - What happened?


"O cérebro é o órgão mais misterioso do corpo humano. Ele aprende. Muda. Adapta-se. Ele nos diz o que vemos. O que escutamos. E nos deixa sentir o amor... Acho que abriga nossa alma. Mas não importa quanta pesquisa façamos... Ninguém pode dizer como a delicada massa cinzenta na nossa cabeça trabalha. E quando é machucado...Quando o cérebro humano está traumatizado... Bem... É aí que ele fica ainda mais misterioso." 





 

Camila Cabello. (On)




 

-......Eu entenderei se não quiser mais falar comigo ou não querer algo a mais,eu só quero ver teus olhos novamente,quero ver teu sorriso e ouvir a sua bela voz.. -As palavras já faltavam por tamanha dor na alma. -Eu só quero que você acorde...

-Minha cabeça doí.. -Camila disse baixinho.

 

  Meu corpo estava dolorido assim como minha cabeça,eu não sabia ao certo por que,ao olhar para o lado eu vi aquela garota,algo em mim me dizia que eu sabia quem ela era,mas minha cabeça estava uma total bagunça,vi enfermeiras entrar no quarto seguidas de um medico,dai tive a certeza que estava em um hospital,não que eu tivesse duvida depois de observar o quarto. O olhar daquela garota sobre mim era estranho,ela tinha um olhar triste e feliz ao mesmo tempo,seus olhos são tão lindos,agora pude ver direito quando ela limpou os mesmos.

-Mi hija! -Olhei para porta e vi minha mãe e meu pai.

-Mama! Papa! -Falei com a voz um pouco baixa.

-É tão bom ver seus olhos novamente. -Meu pai falou e forcei sorriso.

-Onde está minha irmã? -Perguntei.

-Ela foi para sua casa com Ally. -Frangi o cenho ao ouvir meu pai.

-Minha casa? Ally? -Fiquei um tanto confusa. -E mama,quem é aquela garota ali no canto?

-Aquela é a Lauren. -Percebi a confusão no olhar dela. -Não se lembra? Ela é sua amiga e companheira de banda.

-Amiga? Companheira de banda? -Me senti muito confusa com aquilo. -O que está havendo? O que aconteceu comigo Doutor? Por que estou aqui?

-Você sofreu um acidente de carro senhorita Cabello. -Ele falou e fiquei perplexa. -Você esteve em coma durante duas semanas e meia.

-Acidente? Coma?  -Não estava entendendo mais nada.

-Por que ela não lembra? -Pela primeira vez a garota se pronunciou,ela tem uma voz tão doce.

-Pelo o que pude ver,ela teve uma perda de memória recente. -O medico falou. -Ela perdeu a memória dos últimos anos,analisando o caso. Irei pedir alguns exames.

-Isso tudo é confuso,não estou entendendo. -Falei tentando levantar mais senti dor. -Alt!

-Não se esforce,você não esta 100%. -Foi a vez do meu pai falar.

 

  Eu estou totalmente confusa,só isso que posso dizer,como assim acidente? Coma? Banda? Irei amar se alguém me explicar,mas ninguém estava me explicando,apenas diziam: Fique calma. Descanse. Você ainda não está bem. Isso definitivamente é chato,não saber o que de fato aconteceu,é ainda mais chato. Só queria minha casa,meu quartinho e meus amigos de pelúcia,nada mais.




 

"Depois de um trauma, seu corpo fica muito vulnerável. O tempo de reação é importante. Então, de repente, está cercado de pessoas – médicos, enfermeiros, especialistas, técnicos. Cirurgia é um trabalho em equipe. Todos empurrando para a linha de chegada. Colocando-lhe de volta ao jogo novamente. Mas a cirurgia é um trauma em si. E assim que acaba, a verdadeira cura começa. Chamamos isto de recuperação. Recuperação não é um trabalho em equipe. É uma corrida a distância solitária. É longa, exaustiva. E bastante solitária."








 

Lauren Jauregui (On)

 

  "Todos ouvimos o mesmo. É uma das coisas que aprendemos nas aulas de ciências. "Adapte-se ou morra". Mas adaptar-se não é fácil. Tem que brigar com a concorrência, defender-se dos ataques, e, algumas vezes, você tem que matar. Você faz o necessário para sobreviver. "





 

Quando ouvi a voz de Camila,meu coração começou a bater tão rápido,e me senti tão feliz por ver os olhos dela novamente,por ouvir a sua linda voz,só queria beija-la e dizer que nunca a deixaria,mais pessoas entraram no quarto e fui para um canto quando os pais dela chegaram.

 

"Mama,quem é aquela garota ali no canto?"

 

Nunca me senti tão mal como naquele momento,ela não lembrava de mim,ela não lembrava dos últimos anos,para ela é como se não tivesse acontecido,certo? Agora eu fico com aquelas palavras na cabeça e me pergunto: Como vou lidar com isso? - A única coisa que eu precisava era conversar com alguém,então sai do quarto,ninguém notaria a minha ausência,peguei meu celular e liguei para Dinah.

-DJ? -Falei com a voz baixa quando percebi que havia atendido.

-Lolo? Aconteceu alguma coisa? -Seu tom de voz ficou preocupado. -Camila está bem?

-Ela acordou.. -Ouvi um pequeno gritinho na outra linha e vozes.

-Ela acordou? Esta bem? -Ela perguntou eufórica. -Esta no viva voz,Mani e Ally estão aqui.

-Ela...onde está Sofia? -Perguntei.

-Está dormindo.. -Ouvi a voz de ally. -O que aconteceu Lauren?

-Ela...ela não lembra de mim.. -Falei com a voz falha. -Ela não lembra de nenhuma de nós..

-O que..? -A linha ficou muda por um tempo. -Como assim?

-Ela perdeu a memória.. -Engoli o seco e ouvi fungadas do outro lado da linha. -O medico falou que ela perdeu a memória recente..

-Ela não sabe quem somos? -Ouvi a voz falha de Normani.

-Pelo o que parece não.. -Suspirei. -Só dos pais e da irmã..

-Como você está se sentindo? -Dinah perguntou.

-Eu...não sei.. -Parei no meio do corredor.

-Vai vim para casa? -Ouvi Ally.

-Eu..não posso.. -Limpei as lágrimas. -Mesmo que ela não lembre,eu não posso deixa ela aqui..

-Nós vamos para o hospital.. -Normani disse.

-Não. -Respirei fundo. -Durmam ai hoje com Sofia,amanhã vocês podem vir..

-Amanhã bem cedo. -Dinah disse.

-Okay,eu preciso desligar. -Engoli o choro e desliguei.




 

  "Adapte-se ou morra". Não importa quantas vezes tenha ouvido isso, a lição não fica mais fácil. O problema é... Somos humanos. Queremos mais que apenas sobreviver. Queremos amor. Queremos sucesso. Então, lutamos muito para conseguir essas coisas. E todo o resto... É como morte." 








 

Ally Brooke. (On)


 

"Elas te atingem do nada. Quando coisas ruins acontecem, é de repente, sem aviso. Raramente conseguimos ver a catástrofe se aproximando. Não importa o quanto nos preparemos bem para ela".

 

  Ver Camila naquele estado,me deixava tão mal,e uma parte minha dizia que eu havia falhado,pois tenho esse lado super protetor,não por ser a mais velha,eu sempre fui assim e agora me sinto tão mal,por não poder fazer nada.


 

-Com licença.. -Enfim falei ao entrar no quarto.

-Oi? -Camila falou. -Você é enfermeira?

-Não sou enfermeira,digamos que sou sua amiga. -Falei. -No que posso ajudar?

-Você é mais baixa que eu. -Ela rio e eu também. -Minhas costas estão doendo.

-Deixa eu ajeitar aqui. -Arrumo o travesseiro em suas costas e me sento na poltrona.

-Obrigada... -Ela quis saber meu nome.

-Allyson Brooke. -Falei. -Mas pode me chamar de Ally.

-Okay ally,sou a Camila. -Ela sorrio fracamente e olhou para janela. -Miami tem chovido muito,né?

-Miami? -Franzi o cenho e me lembrei. -Bom,lá tá ensolarado.

-Lá? -Ela me olhou confusa.

-Estamos em Los Angeles. -Falei baixo.

-LA? O que eu faço em LA? -Percebi sua confusão.

  Comecei a explicar algumas coisas para ela,mas a mesma se sentiu confusa e pediu que eu fizesse uma pausa,e eu fiz,não iria continuar,pois poderia afetar alguma coisa,botei uma musica nossa para que ela pudesse lembrar de algo,mais ela não lembrou,apenas disse "Vocês tem alguém com a mesma voz que a minha",se doeu lá no fundo? Claro que doeu. Todos estavam sofrendo com a perda de memória da Camila,assim como ver o seu jeito cansado e confuso com sua própria vida,a mídia ainda estava por fora de tudo,o que era o melhor.



 

"Damos o nosso melhor mas às vezes não é o suficiente. Atamos o cinto  de segurança, colocamos o capacete, andamos por caminhos iluminados.  Tentamos ficar seguros. Tentamos tanto nos proteger, mas não faz a menor  diferença, porque quando coisas ruins acontecem, elas vêm do nada.  Coisas ruins vêm de repente, sem avisos, mas nos esquecemos que, às  vezes, é assim que as coisas boas acontecem também."







 

Algumas semanas mais tarde.




 

Camila Cabello (On)

 

Eu não gosto de hospital,nunca fui muito fã,e essas semanas que se passaram,estavam indo devagar demais - sim eu contei - quase gritei um "Graças a Deus" quando o médico entrou no quarto,mas me contive,e com ajuda da minha irmã ajeitava minha bolsa.

-Já posso ir para casa né? Pegar um avião e ir? -Disse animada.

-Bom.. -Ele começou a falar e parei o que estava fazendo.

-Não gosto desse tom.. -Suspirei.

-Mi hija! -Ouvi minha mãe e a olhei. -O Doutor Petterson acha que é melhor você ficar onde morava,e continuar sua rotina,claro que não todas,para ver se ajuda na sua recuperação.

-Como assim? -Franzi o cenho.

-Você não vai para Miami. -Meu pai falou. -Você vai ficar na sua casa,as meninas irão ajudar você,eu e sua mãe precisamos voltar ao trabalho e Sofia também precisa voltar a escola.

-Eu também preciso voltar à escola. -Falei dando de ombros.

-Você deixou de estudar tem alguns anos,meu amor. -Minha mãe veio até mim e botou as mãos no meu rosto. -Vai ficar tudo bem!

-Confia na Mama,Kaki! -Sofia falou. -Sua casa é bem grandona,e seu quarto também.

-Okay... -Suspiro. -Quando vamos?

-Agora.. -O médico entregou o papel paga meu pai. -Não esqueça de tomar os remédios nas horas certas,se alimentar adequadamente,e nada de esforços brutos!

Era tudo tão confuso,eu não iria para minha casa,na verdade eu ia,mas para a casa que todos diziam ser minha,minha mente estava trabalhando tão rápido que não conseguia entender nada,e nem focar nas imagens que passavam na minha cabeça.

Já dentro do carro,fiquei observando as coisas que passavam,encostei a cabeça na janela do carro e senti alguém pegar minha mão e olhei para o lado e sorri ao ver minha irmã.

-Tá tudo bem? -Ela perguntou.

-Só cansaço.. -Sorri fracamente e senti o carro parar,e desci do mesmo,depois de todo mundo,fechei a porta e olhei ao redor.

-Onde estamos? -Perguntei.

-Na sua casa e das meninas. -Meu pai disse tirando minhas coisas do porta mala.

-O que? -Arregalei os olhos. -Tá de brincadeira né?

-Eu disse que era grandona. -Sofia disse subindo os batentes e indo até a porta.

-Vocês ganharam ela de alguns patrocinadores. -Sinu disse.

-Isso tá muito confuso. -Segui eles até dentro da casa e olhei ao redor. -Uau!
 

"O período de sua recuperação é determinado pela extensão de seus ferimentos. E nem sempre é um sucesso. Não importa como trabalhamos nisso. Algumas feridas podem nunca sarar completamente. Pode ter que se ajustar à uma nova forma de vida. As coisas podem mudar radicalmente para que voltem a ser o que eram. Pode até não reconhecer a si mesmo. Como se nem tivesse se recuperado. Você é uma pessoa completamente nova. Com uma vida completamente nova."


 

-Bem Vinda... -Olhei na direção e vi a garota do hospital.

-Ally não é? -Perguntei.

-Sim,essas são Lauren,Dinah e Normani. -Ela apontou cada uma.

-Prazer,sou Camila. -Sorri envergonhada.

-Venha,vou te levar ao seu quarto.. -Dinah disse.

 

Olhei para meus pais e eles concordaram com a cabeça e segui ela,junto com as outras meninas,vi meu nome na porta e abri a mesma quando falaram que eu podia,entrei no mesmo e olhei ao redor,era um quarto muito bonito e grande,fui até uma parede onde tinha algumas fotos e fiquei olhando e massageio minhas temporas.

-Ta tudo bem Camz..Camila? -Lauren perguntou.

-É.. -olhei na direção. -Tudo bem,só estou cansada.

-Você quer jantar? -Normani perguntou.

-Estou sem fome,obrigada.. -Sorri fracamente e andei devagar até a cama e me sentei.

-Descanse,mais tarde trazemos algo pra você e seus remédios.. -Ally disse.

-Obrigada.. -Falei baixo.







 

"Quando algo começa, você geralmente não tem ideia de como vai terminar."

 


Notas Finais


Eu amo vocês ta? Não me matem! <3

Xoxo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...