História My best memory - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Cauê "BaixaMemoria" Bueno, Felipe "Febatista" Batista, Felipe Z. "Felps", Gustavo Stockler (Nomegusta), Igor Cavalari (Igão Underground), João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Júlio Cocielo, Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Lukas Marques & Daniel Mologni (Você Sabia?), Malena "Malena0202" Nunes, Marco Tulio "AuthenticGames", Mauro Nakada, Natalia "Nah" Cardoso, Pedro Afonso "RezendeEvil" Posso, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, TazerCraft, Thiago Elias "Calango"
Personagens Alan Ferreira, Cauê Bueno, Daniel Mologni, Felipe "Febatista" Batista, Felps, Gustavo Stockler, Igor Cavalari, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Júlio Cocielo, Lucas "LubaTV", Lucas Olioti, Lukas Marques, Malena0202, Marco Tulio "AuthenticGames", Mauro Nakada, Mike, Nah Cardoso, Pac, Pedro Afonso Rezende Posso, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, Thiago Elias "Calango"
Tags Baixathentic, Cellps, Celltw, Guaxilango, Jvtista, L3ddy, Luniel, Malepok, Mitw, Nahkada, Pkxinim
Exibições 187
Palavras 1.842
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


(eu amo essa foto do mikaé s2)

as partes em ITÁLICO são o ponto de vista do Mike, okay?

boa leitura :)

Capítulo 3 - .the real story about what happen in the past


Fanfic / Fanfiction My best memory - Capítulo 3 - .the real story about what happen in the past

-POV Mike-

É, com certeza Pac e os amigos dele já devem ter tacado o pau em mim, mas eu estou aqui humildemente pra me apresentar e contar a verdadeira história sobre o que aconteceu no passado. Ou ao menos tentar explicar meu lado.

Meu nome é Mikhael Linnyker, eu tenho 18 anos e sou considerado o rei da escola, mesmo que não queira esse posto. Mas consegui ele graças ao meu grande feito, que foi calar a boca do Pedro - ou Rezende - que era o antigo "rei da escola". Felps e Batista, que eram meus amigos de verdade antes, grudaram-se a mim apenas pela fama. Esse ano estou tentando realmente me concentrar mais nos estudos, mas com a volta do Tarik acho que vai ser meio difícil...

Irei tentar explicar o meu passado agora...Pac e eu tínhamos 13 anos nessa época, e eu lembro como se tivesse acontecido ontem. Estávamos brincando como sempre, até que ela veio perguntar de nós...

Ketty: Ei, gente! - ela parecia envergonhada - Vocês vivem juntos o tempo todo, certo? - assentimos - Vocês...namoram?

Pac segurou na minha mão, inocentemente e a respondeu, convicto de suas palavras.

Pac: Somos apenas amigos, Ketty! - ele a respondeu, sorridente - Mike é meu melhor amigo no mundo todo!

Tudo bem, essas simples palavras que ele disse acabaram comigo de um jeito terrível. Eu nunca tinha assumido que era gay, ao contrário dele, que sempre tinha dado sinais disso, e estava pouco ligando pro que as pessoas iriam achar. Eu era hétero, e tinha cem por cento de certeza disso, mas naquele dia, meu estômago embrulhou, e algumas lágrimas quiseram sair. Mas me controlei, as deixando sair somente quando estava somente eu e meus fones de ouvido. Mas meu pai chegou em casa e foi direto ao meu quarto, ele sempre fazia isso.

Pai do Mike: Oi campeão...filho? Ei, o que aconteceu? - ele sentou ao meu lado, me dando um soquinho no ombro - Alguma garota te deu um fora?

Nenhuma pessoa ou palavra pode te proteger nesse momento. De contar a verdade pro seu querido pai homofóbico. De contar quem você realmente é. E eu tinha a absoluta certeza de que era isso mesmo que eu queria.

Mike: Pai, eu... - ele me interrompe, nervoso.

PM: Não se preocupe, filho, você vai encontrar outras garotas!

Mike: NÃO! - eu grito com todas as forças - Eu não quero garotas, pai! Eu quero o Pac! Ficar o tempo todo do lado dele, ficar com ele, pra sempre! E eu não ligo pro que você pensa! 

E foi nessa hora que todo o meu mundo se esvaiu pelas minhas mãos. Ele me interrompeu de novo com um tapa na cara, tirou meus fones e jogou meu celular pela janela, me acertando várias vezes, com chutes, socos e pontapés, e algumas palavras que ele proferia de ódio.

PM: O que sua mãe iria pensar! Um filho viado! - ele faz uma pausa - Nós vamos embora daqui, e você vai dizer pro Pacanhan que ele é uma má influência pra você, e que é inadmissível ser amigo de uma bichinha!

Eu só queria morrer. Acho que seria mais fácil do que passar por isso. Do que me afastar de Tarik. Eu não queria isso. Se Deus, ou qualquer coisa que esteja lá em cima quisesse me levar agora, eu iria de bom grado. Seria bom olhar e proteger meu amado lá de cima. Meu pai - que agora não merecia este título agora - começou a arrumar minhas coisas em uma grande mochila, e me empurrou até a casa de Pac, se escondendo atrás de uma árvore e me lançando um olhar doloroso. Se seus olhos fossem espingardas, eu já estaria a sete palmos do chão agora.

E foi isso que aconteceu. Eu nunca quis machucar Tarik, e quando eu estava no carro, eu pensei muito sobre sentimentos e essas coisas. Deixar ele foi a coisa mais difícil e dolorosa que eu fiz. E foi assim que eu me tornei frio, e tive que me fingir de "100% hétero" na frente das pessoas e esquecer meu amor pelo Pacanhan, por ordem do meu pai. Ah, se minha mãe estivesse aqui...eu sinto tanto a falta dela. Dos seus abraços, de seus carinhos, e de como ela me consolava quando eu me machucava muito feio. E se ela estivesse aqui, não me odiaria, como disse o homem que está no sofá, vendo televisão. Ela me apoiaria, e me diria pra ser feliz.
Me desculpa, mãe, mas...eu não sou.

-POV Pac-

[18:30, mesmo dia]

Certo, é hora de acabar com isso. Com esse ódio que eu acho que sinto por Mikhael. Se eu for estudar com ele novamente, acho que é melhor nos darmos bem, certo? Consegui o endereço dele com T3ddy, que parecia saber muito sobre ele, acho que até já foram amigos um dia. Deixei Cell fazendo o lanche com a promessa de que iria voltar logo, e fui andando até a casa dele rapidamente, porquê a chuva ameaçava cair. Cheguei lá, hesitando se devia ou não bater na porta, quando ouço gritos raivosos lá de cima.

???: O que você disse, desgraçado?! - não sabia quem era, mas com certeza estava super puto.

Mike: Você ouviu! Eu vou morar sozinho nesta merda, e é melhor do que viver com você, está me ouvindo?

Ouço passos enfurecidos e de repente um Mike com olhos inchados e vermelhos, lábio inferior cortado e uma mochila na costa aparece na minha frente, assustado. Eu não entendi muito bem o que ele fez, mas no momento seguinte ele me abraçou forte, colocando sua cabeça na curva do meu pescoço, e senti suas lágrimas molhando minha blusa.

Pac: M-Mike? O que aconteceu? Porquê está assim? - todo o meu ódio parecia ter ido embora de repente - Ei, me fala.

Mike: Aqui não é bom pra conversar. Podemos ir pra o-outro lugar?

Pac: Claro, acho que podemos ir lá pra casa... - suspiro - Temos que conversar de qualquer jeito. Vem, vamos.

Fomos o trajeto todo em silêncio, mas no meio do caminho, acho que sem perceber, ele segurou minha mão. Eu tentei ignorar aquilo, mas antes que eu pudesse falar alguma coisa, ele dá um sorriso largo ao ver minha casa.

Mike: Caramba... - ele some com o sorriso e larga minha mão - Faz um tempo que eu não venho aqui.

Não lhe digo nada apenas entro, tirando meus sapatos, e lhe dou espaço pra entrar. Nesse momento, achei que o Cellbinho iria voar no pescoço dele com aquela pequena colher a qual estava mexendo seu precioso café.

Cell: O que esse idiota está fazendo aqui? - ele estava praticamente em cima de Mike, que se encolheu - Não me diga que você foi trouxa de aceitar as desculpas dele, Pacanhan.

Pac: Para com isso, Lange. Eu só vim conversar com ele. - bufo - Civilizadamente.

Cell: Tudo bem. - ele revira os olhos - Eu vou estar aqui de qualquer jeito pra colar os seus caquinhos, como sempre. Eu vou dar uma volta, até mais.

Ele saiu, batendo a porta e resmungando coisas inteligíveis, que não me importei em prestar atenção. Mikhael ainda permanecia de pé e encolhido, como se tivesse travado.

Pac: Pode sentar. - o encaro, mas ele não fez menção de o fazer - Ou ficar em pé mesmo, tanto faz.

Ele se resolve se sentar, abraçado a mochila, e profere algumas palavras inaudíveis, mordendo o zíper da bolsa.

Pac: O que aconteceu, Mikhael? - sento ao seu lado, e entrego um copo d'água a ele - Tipo, pra você ter chorado, e agora putaquepariu tá saindo muito sangue da sua bochecha!

Corro lá pra cima, tentando lembrar aonde Rafael enfiou a maldita caixinha de primeiros socorros. Achei a pequena coisinha vermelha no alto da estante do quarto, e estava quase alcançando quando o menino mais alto que eu a alcança primeiro, e vejo ele descer com a caixa em mãos. Desci a escada lentamente, ouvindo pequenos gemidos de dor vindos da sala, e pude concluir que talvez Mikhael possa até ter sentimentos. Não. Balancei a cabeça negativamente e terminei de descer a escada, vendo que ele já tinha terminado fazer um curativo.

Mike: A minha vida é uma merda completa, Tarik. - ele solta, fungando - Eu não aguento mais.

Pac: Primeiro me fala o que aconteceu... - respiro fundo - Aí eu vejo se posso te ajudar, ok?

Mike: Meu pai aconteceu. Foi isso. Ele me impede de ser feliz, de ser quem eu sou. De fazer qualquer coisa na minha vida. E foi ele quem me afastou de você. Me desculpe, eu só...

Tudo bem, por essa eu não esperava. Cada minuto em silêncio ali era cada momento de tortura para mim. Como pude ser tão burro a ponto de pensar que Mike seria rude comigo como foi naquele dia?

Pac: Mike...eu não fazia ideia. - a voz saía meio embargada pelas lágrimas que estavam chegando.

Mike: Eu falei pra ele, no dia que eu... - apenas assenti, indicando que me lembrava perfeitamente - Falei tudo o que sentia, que era homossexual, expressei toda a minha raiva nesse dia...Ele me bateu e me xingou, me afastou de você. E hoje, ao te ver de novo, eu saberia que não conseguiria viver junto àquele homem desprezível que está naquela casa.

Pac: Isso é...muita coisa pra processar. - chego mais perto dele - E eu achando que você seria capaz de se afastar de mim por vontade própria.

Mike: Eu nunca faria isso, Tarik. - ele se levanta, estendendo o mindinho pra mim - Amigos?

Pac: Primeiramente, é Pac. - dou um sorriso enorme - Segundamente: Amigos pra sempre, se lembra, Mikaé?

Apertamos nossos mindinhos com força e nos abraçamos em seguida. Mas eu não saberia o que vinha a seguir, não tinha planos e nem ideia de como seria minha vida. Mas isso não importava. Éramos amigos de novo e era isso que importava, pelo menos no momento.

Pac: Mas...aonde você vai morar agora?

Mike: Não sei, embaixo da ponte talvez. - ele dá um sorriso de canto - Não pensei nisso na hora...Eu só pensava em sair de lá.

Pac: Nada disso. - puxo ele pra sentar de novo - Você vai morar aqui, e eu vou falar com Lange sobre isso. Quer ver um filme?

Mike: Pode ser O Resgate do Soldado Ryan? - ele começa a me empurrar seguidamente - Por favor, por favor...

Pac: Pode, vou ver se acho aqui - reviro os olhos, ajoelhando na gaveta de filmes, mas me viro pra ele de novo - Seu filme favorito, quando éramos crianças, era Rei Leão.

Ele começa a rir e coçar a nunca, concordando com a cabeça e ficando corado. De repente ele dá um sorriso e meu coração começou a bater mais forte. WOW, o que foi isso? Não posso ter esse tipo de sentimento...não agora que estamos bem de novo. Melhor ignorar essas borboletas no estômago antes que elas virem elefantes voadores.

Obrigado ao Cara aí de cima, por trazer esse bendito menino de volta à minha vida...


Notas Finais


mitw? mitw

agora que eles vão morar juntos é que a treta começa e.e

enfim, favoritem e comentem se gostaram, indiquem pros amiguíneos e (como sempre) um beijo pra quem quiser

faloow <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...