História YOU'RE MY CRAZY - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Batman, Esquadrão Suicida
Personagens Bruce Wayne (Batman), Coringa (Jack Napier), Harleen Frances Quinzel / Harley Quinn (Arlequina), Oswald Chesterfield Cobblepot (Pinguim), Pamela Lillian Isley
Tags Harley Quinn & The Joker
Exibições 27
Palavras 815
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Harem, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


demorei dois dias mas ta aqui o novo capitulo <3

Capítulo 4 - The Machine Gun


POV: HARLEEN

Acordo sem saber que horas são, olho para meu relógio que mostra que são três horas da madrugada. Levanto-me e vou diretamente para minha cozinha, abro minha geladeira e vejo algo muito assustador: uma garrafa de vinho e uma faca ensanguentada. Ando pela casa procurando a pessoa que pode ter colocado aquilo ali, percebo que não há nada na casa, volto para a cozinha e confiro a garrafa de vinho. Vejo não há nenhuma alteração e eu a abro bebo uma pequena enquanto faço planos para a noite. Não sou de sair muito, mas é sempre bom para dar um tempo de coisas como trabalho, resolvo voltar para a cama e adormeço rapidamente.

POV: JOKER

Contando com hoje falta somente um dia para a minha fuga, mas não sei ainda o que faço com aquela Dra, essa idiota pode ser útil para mim. Hoje farei um pedido para ela, vou manipula-la para ela fazer isso para mim e isso será perfeito. Essa idiota fará o que eu mandar, HAHAHA! Mulheres são idiotas e frágeis, só servem para foder e fazerem as coisas. Mal posso esperar minha consulta com a Dra Quinzel amnha, HAHAHAHA.

NARRADOR ON

Harleen acorda com uma leve dor na cabeça graças à taça de vinho. Ela se levanta e olha seu relógio, são sete horas, Harleen vê que falta muito tempo para ir trabalhar em Arkham. A psiquiatra faz um lanche e resolve pensar no que fazer com a informação que coringa lhe deu.

1 HORA DEPOIS

Já arrumada Harleen chama o taxi e chega a Arkham em pouco tempo, sua consulta com Ivy é bem simples e Harleen acaba se apegando a Ivy como uma amiga bem próxima. Ao chegar à sala do coringa a loira sente um arrepio inevitável ao ver aquele homem deitado naquela simples cama do asilo.

- Levante senhor Napier, esta na hora da sua consulta. -  ele se levanta e pega a psiquiatra pelo o pescoço.

- Hoje a consulta será comigo deitado, e lembre o que eu falei sobre me chamar de senhor Napier? Pois bem. -  o homem dá um tapa no rosto de Harleen que fica vermelho e inesperadamente ele a beija, causando diferentes sentimentos na Dra que retribui o beijo sem hesitar mas coringa para o beijo e olha a psiquiatra  abre o seu sorriso.

- Gostou do presente, minha doce psiquiatra?- ele a olha nos olhos fixamente e Harleen abre uma expressão assustada e se afasta.

- Como você fez isso?

- eu tenho meus truques Dra, alias você deveria estar me ajudando e não retribuindo meus beijos, HAHAHA!

- Me desculpe.. - Harleen pega seus arquivos e começa seu trabalho.

- Então senhor coringa, você tem família viva?

- Não Dra, matei todos e eu estou quase te incluindo na minha pequena lista da morte. - diz coringa com a maior sinceridade possível, a psiquiatra abre a boca para falar algo mas coringa coloca o dedo na boca da psiquiatra que espera alguma reação do homem.

- Linda Dra Harleen, preciso que traga uma metralhadora pra mim. - a psiquiatra se espanta com o pedido.

- Como trarei isso aqui?

- Garanto que consegue esconder nesse seu corpo maravilhoso, estará na sua casa assim que você chegar. - uns dos guardas dá toques na porta alertando que a consulta acabou, coringa e Harleen se levantam. Coringa se aproxima de Harleen e a puxa para perto de si.

-Espero que você não erre comigo, minha doce Harleen. -  Harleen sai rapidamente daquele lugar e vai diretamente para a sala do diretor mas quando a psiquiatra chega na porta da sala,ela ouve a voz do coringa na sua mente: “você não vai querer fazer isso, minha doce Harleen. Se fizer, vai morrer por isso”. Ela sai rapidamente de Arkham e decide ir pra casa. Chegando à sua casa, Harleen vai diretamente para o banheiro tomar um banho para relaxar. No banho a psiquiatra pensa em seu paciente e sua mão automaticamente começa a deslizar por seu corpo molhado, levando Harleen à loucura. Após o seu ápice, ela se sente envergonhada e vai ate seu quarto ainda nua e vê a metralhadora em sua cama. Harleen tinha planos para a noite, mas aquilo atrapalhava tudo, como ela iria levar aquilo tudo para Arkham e ela se lembra de que como é psiquiatra lá ela não é revistada e nem suas coisas. A psiquiatra resolve ir com uma roupa em que ela possa esconder, ela separa um vestido e um casaco e torce para que o clima seja frio em Gotham amanha. Harleen resolve pedir uma pizza e ver filme para relaxar e ela escolhe 50 tons de cinza que a faz lembrar-se do seu amado paciente, controlador, possessivo e aparenta ser sádico. No final do filme Harleen adormece pensando em coringa e as coisas começam a mudar nos sentimentos dela.

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...