História You're My Destiny - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Lover
Personagens Lee Joon-jae, Takuya
Tags Jooj Jae, Takujae, Takuya, The Lover, Yaoi
Visualizações 185
Palavras 1.712
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Não me joguem pedra

Postei e corri

Boa leitura🌸

Capítulo 21 - Nós


Fanfic / Fanfiction You're My Destiny - Capítulo 21 - Nós

Em toda minha vida acho que nunca senti meu coração doer tanto, como se algo estivesse o esmagando sem dó, nunca senti como se quisesse chorar há cada minuto que se passava, era como morrer lentamente da forma mais dolorosa possível. Não deveria tê-lo deixado, não deveria me separar dele, Jisung me disse que eu não deveria...Argh! Meu coração dói tanto!

-Takuya?- falou a voz feminina após eu apertar a campainha do apartamento.- Meu deus o que houve? Está chorando? Entre, vem cá.

-Po-posso ficar aqui por um tempo?

-Claro, mas o que aconteceu?

-Joon...Joon Jae...- falei entre soluços sentando no sofá escondendo meu rosto entre as mãos!

-Ele fez isso? Ele te machucou?

-N-não.

-Por Deus, o que foi então?

Eu não conseguia falar, as palavras de Sungji não saiam da minha mente, o ataque, a minha atitude de ter que deixa-lo, pensar que ele poderia ter morrido por minha causa, lembrar dos nossos momentos juntos, isso me impedia de falar porque machucava ainda mais, doía tanto..

Desabei de uma vez no colo de Jisoo, ela era minha melhor amiga, a amiga por quem ele morreu de ciúmes, ela afagou meus cabelos tentando passar conforto e tudo que eu fazia era chorar como uma criança sem doce repetindo várias vezes "Por que?"

Chorei até não aguentar mais, ela me trouxe um pouco de água e tentou me acalmar de várias maneiras até eu finalmente parar!

-Quer me contar o que houve?

-Meu coração dói, eu tive que deixar o Joon Jae, por causa de que ama-lo é errado, eu me convenci disso então...Por que eu quero tanto voltar correndo e abraça-lo?

-Porque você o ama, não se convenceu de nada disso e sim o deixou por impulso. Ele deve estar arrasado e se sentindo horrível..

-Quer parar de me deixar pior? Obrigado.

-Olha aqui, me desculpe, mas você foi um imbecil em fazer isso, poxa o Joon Jae te ama tanto e prometeu te proteger, o mínimo que devia fazer é ficar ao lado dele e o encher de amor enquanto isso se resolvia, já acionaram a polícia também, foi mancada deixa-lo.- disse cruzando os braçosç em sinal de raiva

-A polícia não vai fazer nada como sempre, por mais que ele tenha prometido me proteger, saiu com um olho roxo da casa dela e agora não sei o que pode acontecer, me sinto um lixo por ter o deixado, por ter me apaixonado por ele...

-Aí eu vou arrancar seus dentes com um alicate se continuar se torturando assim, querido vocês são lindos juntos, não tem que se culpar e aquela garota ainda vai ter o que merece. Por enquanto você fica aqui e eu ligo para o J--

-Não!- interrompeu- Não quero que ligue pra ele, não quero contato com ele, por favor.

-Ele vai ficar magoado.

-Sei disso, mas eu preciso por minha cabeça em ordem, por favor.

-Aigoo, tudo bem, eu vou sair e comprar alguma coisa pra comer porque estou com preguiça de cozinhar!- cerrei os olhos suspeitando dela, era bem capaz de ir para a casa do Joon Jae e dizer onde eu estava.- O que é? Eu não vou falar nada!!!

-Promete?

-Prometo. Se cuida ok? Qualquer coisa me liga.- disse dando um beijinho em minha testa que me deixou mais relaxado.

Jisoo virou minha melhor amiga desde que comecei a fazer o cursinho, ela sempre estava ali quando eu precisava. Eu sei que ter ido embora não vai adiantar em nada, vai machuca-lo, vai me machucar, mas isso pode sei lá, parar um pouco, para de nos machucar. Eu não posso ficar com ele sabendo que posso também morrer à qualquer instante, é loucura, as palavras daquela garota não saem da minha mente por mais que ele diga que sou suficiente, que não sou apenas um brinquedo, um teste, uma aventura...Pensar nela me machuca, no que eu sofri me machuca, pensar no Joon jae me machuca, pensar em nós e nas nossas lembranças me mata por dentro!

Uma mensagem chegou em meu celular, era ele, perguntando aonde eu estava, se estava bem, isso só me fez piorar; Optei por deitar e dormir sem dar resposta alguma, não demorei muito a dormir por estar cansado e com a mente pesada..

.

.

Levantei do sofá guiando para o banheiro, fechei a porta e me olhei no espelho um pouco acima da pia, eu estava um lixo, isso só fez com que todo o choro engasgado em minha garganta ao longo de três semanas tenha saído, as lágrimas teimosas desenhavam meu rosto lentamente, me olhei novamente vendo o quão ridículo meus fios agora pretos estavam, meu rosto estava cansado, Jisoo vivia tentando me animar e eu me sentia mais ridículo ainda por fazer todo o esforço dela descer por água abaixo! Eu havia dormido o dia todo, já estava de noite e provavelmente ela estava dormindo, abri a gaveta do gabinete com intenção de achar um sabonete novo porque o meu estava gasto, precisava de um banho urgente pra tirar essa minha aparência nojenta, mas ao invés de focar no sabonete eu fiquei em um saquinho que havia ali, o peguei abrindo o mesmo me deparando com duas lâminas, cogitei em pegar uma e toca-la devagar, sentei no chão do banheiro a encarando...Eu tinha tanta dor guardada em mim, tanta mágoa onde eu não tinha onde descontar, será que apenas um corte aliviaria um pouco? Será que doía muito?

Balancei a cabeça negando meus pensamentos, mas voltei a encarar o objeto entre meus dedos, parecia tão tentador fazer apenas um corte, apenas um pra me aliviar; Olhei para meu joelho e decidi testar ali mesmo, passei a lâmina lentamente sobre a pele sensível, como esperado resmunguei de dor ao sentir a ardência e ver o sangue subir, fiquei uns cinco segundos refletindo até esticar meu braço fitando meu pulso, as teimosas lágrimas desceram novamente mais forte, passei o objeto sobre a pele do pulso em posição horizontal, doía, doía muito, ardia como o inferno, o sangue não demorou muito a subir e assim fiz vários outros cortes sobre minha coxa e braço! Eu queria arrancar meu coração de tão apertado e sôfrego que ele se encontrava, joguei a lâmina em um canto qualquer abraçando meus joelhos e chorando a ponto de soluçar baixinho..

-Takuya?- chamou atrás da porta.- Está tudo bem, querido?

-Es-Está.- tentei não mostrar que etsava chorando

-Tem certeza? Está chorando?

-Não, i-isso vai pa-passar não se preocupe.

-Não fique assim, por favor, isso é tortura, vá vê-lo.

-Está tu-tudo bem, eu só preciso de tempo!

-Deixe-me entrar.

-Nã-não. Volte a dormir, já vou pro...Pro quarto!- falei entre um suspiro cansado

-Tudo bem, só não se torture mais, eu quero o seu bem e se isolar assim está te fazendo mal, tome algo antes de dormir e se acalme ok? Estou aqui pra você caso queira conversar..Boa noite, anjinho!

Anjinho...Eu gostava de pensar que ele era meu anjo, queria me igualar e fazer com que ele pensasse o mesmo. Eu queria ser o anjo dele, ser a pessoa que o protegeria, que estaria ali pra ele e no final acabei me afastando, acabei bagunçando a vida dele. Eu sou péssimo!

Fui para o quarto após guardar as lâminas em seu devido lugar para que ela não desconfiasse, deitei de lado me remoendo e resmungando pela ardência dos cortes, olhei o celular e ali estavam elas, as várias mensagens não respondidas em semanas.

: Onde você está? Por favor, me diga, estou preocupado.

: Takuya, me diga se ao menos está bem.

: Não quero imaginar que voltou para o Japão assim, diga que está por perto, diga que vai voltar, me responde, eu estou um lixo sem você aqui, volta pra casa, pra nossa casa...

: Me desculpe, eu juro que tento, mas sem ti aqui me sinto vazio, sem teu cheiro por perto, sem sua voz doce me chamando, isso me machuca intensamente porque eu ainda te quero, eu amo você, diga que esse não é o nosso fim, eu não vou aceitar te ter longe de mim, eu amo você como jamais amei outra pessoa, Takuya você é a paleta de cores que deu vida ao meu mundo cinza, eu te peço...Por favor, volta pra casa, deixa eu te amar, isso vai se resolver amor, eu prometo.

: E mesmo depois de três semanas eu continuo aqui amando você intensamente, acho que pra você o "nós" acabou, me desculpe por te amar.

E essa foi sua última mensagem.

Eu conseguia ser pior que tudo, eu o amo tanto, eu o quero tanto e agora mais do que nunca, eu sinto falta de seu toque, do seu beijo quente, de tudo, mas não posso voltar. Não agora.

Chorei novamente aquela noite e senti meu celular vibrar, esqueci de sair do app de mensagens e ele me viu online, ele apelou me ligar, não, não me ligue, eu não quero ouvir sua voz, eu não quero sentir sua falta.

-O que quer?- atendi indo contra minha vontade, menti pra mim mesmo porque tudo que eu mais queria era ouvir sua voz

*Volta pra casa.

Sua voz estava rouca e mais grossa.

-Não.

*Por quanto tempo vai me torturar assim?

-Você acha que está sendo fácil pra mim, eu estou péssimo.

*Então volta..

-Eu não posso, eu não quero, não devo. Me desculpa por tudo.- desabei

*Está chorando?

-N- não.

*Aonde está? Me diga. Eu quero te ver, por favor, eu não aguento mais sentir sua falta.

-Por que você tem que dificultar tudo? Me perdoe, eu não tenho condições de te ver, eu estou na Coréia ainda...Aish. Joon Jae me desculpe por tudo isso!

*Quem está dificultando não sou eu. Por tantos anos eu nunca me apaixonei fortemente assim, pense o que quiser, eu vou te achar e é bom estar ao menos saudável e melhor que eu, eu quero muito socar a sua cara por ter me deixado, eu te odeio por isso, mas ainda te amo exageradamente por ser tudo pra mim, por me fazer melhor...Eu disse que vai ficar tudo bem, por que não confia em mim? Precisou me deixar pra que? Agora ela não está brava por nós e sim pelo que fiz em sua mão, não adiantou nada ter ido, eu não posso fazer nada se não quer voltar, pensando bem, é mais seguro ficar longe. Só marque um dia pra nos vermos, sinto sua falta e apenas quero olhar pra você. 

-Joon Ja..- ouvi o famoso "tutu" do celular ao encerrar a ligação e o vibrar da mensagem.

: Eu ainda não desisti de nós.



Notas Finais


~correndo~

Um beijo, um queijo, um lenço e até o próximo capítulo...💗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...