História You're my Fallen Angel - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sussurro (Hush, Hush)
Personagens Detetive Basso, Nora Grey, Patch "Jev" Cipriano, Personagens Originais, Vee Sky
Tags Noratch
Exibições 124
Palavras 1.156
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá amoras, desculpa a demora para postar. É que meu TCC está chegando e eu estou sem tempo. Mas eu vou apresentar mês que vem e essa agonia vai passar.
Sem mais delongas, espero que gostem.
Beijinhos

Capítulo 3 - Promessa quebrada


Fanfic / Fanfiction You're my Fallen Angel - Capítulo 3 - Promessa quebrada

- Você quer que eu te deixe na sua casa? – Jett me perguntou assim que nos desenroscamos da floresta e dos meus medos. Ele não questionou e eu preferia daquela forma.

- Posso ir para a sua casa? – Perguntei olhando para ele, com nossos dedos ainda entrelaçados.

Jett pegou o celular e acendeu a tela, que marcava seis e meia da manhã.

- Vamos. – Ele apertou sua mão na minha e caminhamos até a sua casa. Quando ele colocou a mão na maçaneta, a porta se abriu e minha tia Nora deu um pulo com um gritinho, derrubando a xícara de café.

- Anjo, está tudo bem aí? – Ouvi a voz do meu tio Patch ecoar pela casa e passos apressados pela escada.

- Está tudo bem, baby. É só... – Ela fez uma pausa analisando nós dois e soltou um suspiro. – O Jett e a Kirsten.

- Desculpa, mãe. – Jett se agachou para pegar os cacos de vidro com as mãos nuas.

- Não, não, não! Você vai se cortar. – Nora falou, tirando as mãos dele de cima da porcelana quebrada. – Por que vocês dois não entram?

- Desculpa, mãe. Sério. – Jett estava nervoso, esfregando a nuca sem parar.

- Está tudo bem, filho. Vamos, vamos entrando. – Ela falou e eu sorri com um pedido de desculpas, entrando na casa.

- Onde você estava, filho? – Patch entrou na sala colocando uma camiseta. Os olhos estavam inchados pelo sono.

- Na clareira, não queria assustar vocês. Me desculpem. – Jett falou pela terceira vez e Patch sorriu.

- Está tudo bem, garotão. – Patch olhou para mim e sorriu. – Como você está, princesa?

- Estou bem, tio. – Eu falei com um sorriso fraco e completando com um sussurro. – Eu acho.

Jett me arrastou para o sofá e me sentou, retorcendo as mãos e sorriu.

- Anjo pode deixar, eu limpa a bagunça. – Patch falou para Nora, beijando sua testa. Olhando para os dois eu só conseguia enxergar amor.

- Eu posso limpar. – Eu falei, me levantando.

- Nada disso, venha tomar café. – Nora segurou minha mão, me arrastando até a cozinha. Jett e seu pai vieram atrás.

- Como está sua mãe? – Nora me perguntou, indo até a cafeteira colocando café para mim. – Quer creme?

- Por favor. – Respondi sorrindo. – Minha mãe está bem. Ela estava querendo falar com você, inclusive.

- Depois eu mando uma mensagem para ela. – Nora respondeu com uma piscadela.

Eu sorri, tomando meu café e olhei para a janela da cozinha. Eu sentia aquela sensação de estar sendo observada e meu coração gelou.

- Kirsten, você está bem? – Patch perguntou para mim e eu me engasguei com o café.

- Estou bem, desculpem. – Falei atrapalhada, pegando o guardanapo para limpar minha blusa.

- Na verdade não. – Jett falou e eu arregalei os olhos, olhando para ele. – Nós precisamos contar uma coisa.

- Jett... – Falei em tom de alerta.

- Não acredito. – Nora ficou branca como um papel e eu franzi a testa. Patch deu um sorrisinho e entrelaçou os dedos, olhando para mim e Jett.

- O que? – Eu perguntei, olhando para os dois.

- Bem, estou esperando as notícias. – Patch falou, olhando para Jett com uma risada presa.

- Oh... – Mordi o lábio e senti o sangue correr pelo meu rosto.

- Pai, para de baboseira. Não é o que vocês estão pensando. – Jett falou sério, franzindo o cenho.

- E o que estamos pensando? – Nora perguntou, segurando a mão de Patch com um sorriso nervoso.

- Não estamos namorando. – Eu falei rápido, atropelando as palavras.

- Oh, claro que não estão. – Nora riu, mas eu pude ver que era sorriso de alívio.

- Bem, eu nunca disse que achava isso. – Patch deu de ombros e eu semicerrei os olhos quando vi o pequeno desapontamento dele.

- Vocês são uns palhaços. – Eu falei, menos tensa e soltei uma gargalhada.

- Kirsten viu novamente. – Jett falou, soltando a caneca na mesa e cruzou os braços.

Minha gargalhada cessou tão rápido quanto começara.

- Jett... não precisava contar. – Eu falei em um sussurro entredentes.

Nora sentou-se ereta e se inclinou sobre a mesa.

- Viu... a mesma coisa que você disse ter visto quando você era menor?

- Sim, eu acho. Não sei o que eu vi. Ou o que eu acho que vi. – Eu falei, nervosa. – De verdade, vocês não precisam se preocupar.

- Ele prometeu, Patch. – Nora falou, olhando para o pai de Jett com os olhos cheios de lágrimas. Ela se levantou, mas Patch segurou-a pelo braço.

- Agora não. – Ele falou tenso.

- Quem prometeu? – Jett perguntou com o cenho franzido.

- Ninguém. – Nora respondeu rápido demais.

- Uma hora eles vão ter que saber. – Patch falou respirando fundo.

- Alguém pelo amor de Deus fala o que está acontecendo? – Eu perguntei me levantando. – Vocês sabem de alguma coisa e eu pensei que esse tempo todo estava louca. Por favor.

- Kirsten, querida, não é nada que você e Jett tenham que se preocupar. Só por favor, não vão mais àquela clareira. Sabe lá Deus que animais tem por ali. – Nora falou, forçando um sorriso e torcendo as mãos.

- Mentira. – Jett falou se levantando. – Malditas mentiras. Qual é, vocês vão mesmo fazer isso? Nessa altura do campeonato vocês vão querer bancar a família normal? O inferno que vão. Somos anjos, ou vocês esqueceram?

- Jett. – Patch falou, com o rosto fechado.

- Não pai, você vai me perdoar, mas vocês sabem de alguma coisa. A Kirsten viu algo quando ela tinha três anos. Vocês sabem que ela viu. E agora o que quer que seja está de volta. – Jett falou com a voz trêmula. – Eu só... não quero que nossa família de machuque.

Os olhos de Nora se encheram de lágrimas e Patch se levantou para abraçá-la. Eu engoli em seco e olhei para Jett.

- Bom dia família Cipriano! – A porta se abriu com minha mãe e meu pai entrando.

- Merda. – Falei baixinho, soltando o elástico do meu cabelo e refazendo.

- Filha, o que você está fazendo aqui? – Minha mãe perguntou e o seu olhar correu até o sofá que estava minhas flechas e para Nora que ainda estava chorando. – Oh meu Deus, o que vocês aprontaram dessa vez?

Minha mãe correu do jeito escandaloso que só ela sabia fazer para abraçar a melhor amiga dela.

Corri as mãos pelos meus cabelos e Jett pousou a mão no meu ombro.

- O que está acontecendo? – Meu pai perguntou, caminhando até mim e beijando minha testa. – Você está bem, baby?

- Estou, pai. E Trevor? – Perguntei.

- Ele ficou dormindo. – Ele respondeu, beijando minha testa novamente.

- Deixou Trevor sozinho? – Jett perguntou, distraído.

Meu pai olhou para ele com um ar de interrogação e olhou para todos na cozinha.

- Ok, o que está acontecendo?

Nora fungou, passando a mão no rosto e olhou para meus pais com uma expressão de dor.

- A promessa. Ela foi quebrada.


Notas Finais


Até o próximo. Beijinhos s2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...