História You're My Favorite - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Gay, Romance
Exibições 13
Palavras 3.962
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Romance e Novela, Slash, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Eu disse que o próximo não demoraria para sair uahsuahsu
Espero que gostem desse :D Tem um pouquinho de drama e bastante fofura.
Sorry por erros que passam despercebidos.

Capítulo 22 - O Casamento


Dave havia contado para Ian que Connor o beijou novamente e queria ver se algo daria certo entre os dois. Dave disse que sem pensar aceitou a proposta do garoto que o convidou para um encontro naquela noite.
Ian contou para Kyle, que ficou muito surpreso. Connor não havia falado com ele sobre isso.
No caminho para o Golden Hotel, onde Naomi se casaria, os dois conversaram sobre as coisas em comum entre Dave e Connor, e chegaram a um resultado: nada. Os amigos eram totalmente opostos e os namorados estavam inseguros com essa relação que os dois pensavam em começar, mas não cabia a eles decidir se queriam ou não, já tinham sua própria relação para cuidar.
O Sol estava se pondo quando os dois chegaram ao hotel e entregaram o carro para o manobrista. O brilho alaranjado do Sol chegava ao rosto de Kyle e deixava seus olhos azuis mais brilhantes. Ian sorri e então segura a mão do namorado que anda pela calçada e o guia até a porta do gigantesco edifício dourado.
Ao passarem pela porta, admiram o grande saguão do lugar. O chão era todo coberto por um carpete vermelho e alguns sofás se espalhavam pelo lugar. Pessoas andavam por lá com roupas formais ou comuns, se espalhavam pelo grande bar ou pela recepção.

- Precisamos ir até o vigésimo segundo andar – Ian diz arrumando sua gravata enquanto anda até o elevador – O casamento e a festa acontecerão lá.

- Seu pai não virá? – Kyle pergunta esticando sua mão para impedir que a porta do elevador fechasse.

- Acho que somente para a festa. Ele havia dito que tinha cirurgias marcadas para hoje

No elevador, escutaram uma mulher falando ao telefone sobre a banda contratada para tocar no casamento ao qual ela iria com seu marido. Os dois vestiam roupas formais assim como Kyle e Ian, e os namorados deduziram que eles iriam ao casamento de Naomi, logo que somente um evento aconteceria no edifício naquela noite. A banda era de jazz e isso logo animou Ian, pois ele amava Jazz e gostaria que sua mãe estivesse ali para participar do casamento com ele, mas a mulher daria uma festa em sua loja de produtos naturais, celebrando algum evento astrológico ou outro nome que Ian não se recordava.
Assim que a porta do elevador se abre, uma garota negra, alta, magra e de longos cachos negros observa as pessoas dentro dele e então foca sua visão em Ian.

- Você! – Ela puxa Ian para fora do elevador e Kyle o acompanha. – Por acaso seu nome é Ian?

- S-Sim... E você? – Ian olhava confuso para o namorado que balançava os ombros.

- Sou Mamé, irmã mais nova de Naomi – Ela solta a mão de Ian e então sorri para ele e o namorado. – Ela estava te esperando, disse que precisa conversar com o garoto pálido e de óculos que chegaria, por isso fiquei parada perto do elevador.

- Ah, entendi... – Ian então olha ao redor e vê aonde tinha chegado. Um enorme salão se estendia a sua frente, com cadeiras de madeira arrumadas em linha reta. Um tapete vermelho cortava o caminho por entre elas e levava até o altar onde os noivos diriam o famoso “sim”. Algumas pessoas já estavam sentadas e Ian pensava em como fariam a festa naquele lugar organizado. Mamé então estala os dedos defronte ao rosto de Ian e ele pisca antes de focar seu olhar na garota. – Aconteceu algo com Naomi?

- Olha, eu não sei não – Mamé põe a mão na cintura e faz uma careta enquanto fala, igual Naomi. – Faz dois anos que vi minha irmã e não faço ideia do que passa na cabeça daquela mulher. Vamos ver o que ela quer.

Mamé segura novamente a mão de Ian e começa a caminhar rapidamente. Ian fala para o namorado o aguardar ali e pede para que achasse um lugar para eles.
O garoto é levado até uma pequena porta no canto do salão e um negro idoso está sentado em uma cadeira ao seu lado.

- Com licença, pai – Diz Mamé – Preciso levar esse aqui para Naomi.

O senhor faz um sinal de positivo com a mão e Ian corresponde sorrindo. A porta é aberta e Ian pode ver Naomi sentada em uma grande poltrona enquanto uma mulher aponta um ventilador para seu rosto. Naomi usava seu vestido grande e branco e tinha o cabelo afro preso em um coque na cabeça. Ela segurava uma garrafa de água em sua mão.

- Olha você aí! – Naomi se levanta da cadeira e abraça Ian com toda sua força. – Estou muito nervosa! – Ela sacode os ombros de Ian que tentava entender a situação.

- Calma, o que houve? – Ele leva Naomi de volta à poltrona e cumprimenta a mulher que segurava o ventilador, apresentada como Ava, a irmã mais velha de Naomi. – O noivo fugiu?

- Ele não é louco de fazer isso – Ela revira os olhos com o que o garoto disse e bebe mais um pouco de água. – Você é uma das poucas pessoas que fiz amizade na cidade e precisava de você aqui comigo.

Depois do acidente de Ian, ele e Naomi costumavam se ver nas horas vagas da mulher. Ela era uma ótima companhia e Ian adorava escutar as novidades de sua vida. O garoto achou natural ela o querer por perto quando ficasse nervosa.

- Você está linda e tenho certeza de que seu futuro marido também. Estão prontos para isso. – Ian se ajoelha em sua frente e segura suas mãos. – Você já me contou o quanto o ama e eu consigo ver que isso é a mais pura verdade quando vejo um brilho em seus olhos. Vejo o mesmo brilho nos olhos de Kyle...

- Gente, esse garoto é profundo – Diz Ava que agora segurava o ventilador em sua direção.

- Olhe só, você tem 20 minutos para parar de drama e ficar rica – Mamé diz enquanto coloca champanhe em uma taça.

- Obrigada, Ian – Naomi aperta as bochechas do garoto e então se levanta da poltrona.

- Sempre aqui – Ian a abraça e então se vira para sair do quarto. – Ah, e obrigado pela hospedagem dessa noite.

- Keith está pagando – Naomi diz piscando um olho e fazendo um gesto exagerado com a mão.

Ian ri e sai da pequena sala. Passa ao lado do pai das mulheres com as quais passou os minutos anteriores e sorri para ele.

- Agora imagine como foi difícil cria-las – Ele passa a mão pela testa e suspira.

Ian agora volta a ficar na frente do elevador de onde saiu e caminha pelo tapete vermelho que leva até o altar. Procura Kyle no meio das pessoas que chegaram e lotaram o espaço. Ao ver o namorado, ele passa pelas pessoas e logo está ao seu lado.

- Eu sou um imã de dramas, só pode – Ian encosta a cabeça no ombro de Kyle e logo conta o que aconteceu.

Não muito depois, todos os lugares vazios são ocupados, mas logo as pessoas ficam em pé quando a marcha nupcial começa, anunciando a entrada da noiva. Naomi estava realmente bonita e no altar seu noivo a esperava. Keith era negro, alto e careca. Parecia um jogador de basquete que Ian via na televisão.
Enquanto passa os olhos pela multidão que enchia o salão, Ian encontra Elliot o observando e sorrindo para ele. Ian acena para o pai com um sorriso sincero. Já se acostumara com Elliot e isso era ótimo, ainda tinham muito o que colocar em dia, mas sabia que teriam muito tempo pela frente.
A cerimonia demorou um pouco e a troca de alianças lembrou Ian do momento que teve com Kyle mais cedo em seu quarto. Os dois estavam muito emocionados e felizes pela amiga.
A mão de Keith estava sentada na primeira fileira e era visível em seu rosto que ela não gostava de nada que estava acontecendo. Uma mulher ao lado de Ian chorava tanto que ele a perguntou se estava tudo bem. As irmãs de Naomi dançaram animadas no altar quando ouviram a irmã dizer “Sim”, as três eram quase a mesma pessoa de tão animadas.
Depois, os noivos receberam os parabéns dos convidados que formaram uma fila no canto do salão enquanto algumas pessoas organizavam o centro para que houvesse espaço para a festa. Um gigantesco espaço foi deixado no meio e muitas mesas foram colocadas em volta. O lugar era muito bonito. Enormes vitrais existiam em um dos lados do salão dourado. Rosas vermelhas se agrupavam pelo lugar, dando mais vida e elegância para ele. As cores dos vestidos das muitas convidadas também participavam da decoração.
Os namorados dividiram uma mesa com uma senhora idosa que logo começou a falar que já havia namorado um homossexual quando era mais nova. Ela disse que sempre havia desconfiado dele, e quando teve certeza, o ajudou a sair do armário. Além dessas histórias, ela contou várias outras que capturou a atenção dos dois por vários minutos. Elliot também se juntou a mesa após conversar com amigos médicos que se espalhavam pelo local.

- Não dançarão? – Pergunta Elliot minutos depois que o meio do salão se enche de convidados.

Kyle olha para Ian e então dá sua mão para o garoto que aceita. Os dois se levantam e então ficam entre as pessoas. Uma pequena orquestra tocava enquanto todos dançavam lentamente. Os noivos estavam no meio do salão e todos os observavam enquanto ficavam presos aos seus próprios passos. Ian sentia a mão de Kyle em suas costas enquanto tinha seus olhos presos no dele. Por um momento eram só eles e a voz da mulher que cantava ópera. Eram só eles em um vazio não tão vazio pois se preenchiam de um jeito que só os dois sabiam como era.
Ian sabia o que a mulher cantava, uma das vantagens de ter uma mãe eclética. Kyle não conhecia, mas via a alegria nos olhos de Ian que aproveitava o momento.
Depois a pequena orquestra vai embora e a banda de jazz aguardada pela mulher com a qual Ian pegou o elevador começa a tocar. Eles apenas escutam a música, não consegue ver os músicos. Todos dançam a música animadamente pelo salão. Kyle erra alguns passos que Ian lhe ensinara tempos atrás e risadas são dadas enquanto se cansam. Até mesmo Elliot dança animado com a senhora com a qual dividiram a mesa.
Certa hora, pétalas de rosas se espalhas entre os convidados. Ninguém soube muito bem o que houve, mas então Naomi revela que havia jogado seu buquê quando ninguém olhava.
Depois de tanto dançar, os dois resolvem voltar para sua mesa e descansar um pouco.

- Pegarei um pouco de champanhe para nós – Kyle diz com um sorri bobo no rosto. Seu cabelo não estava mais penteado para trás e algumas mechas caíam bagunçadas por sua testa. Havia tirado seu paletó e o colocado sobre as costas de sua cadeira. Sua gravata estava frouxa em seu pescoço. – Não vá embora para o quarto sem mim.

Ian concorda e então Kyle se afasta. Ian pega uma pétala de rosa que estava caída no chão e brinca com ela em seus dedos. Ao sentir uma mão em seu ombro, ele se vira achando que Kyle havia voltado com o champanhe. Ele desejou mil vezes que tivesse sido isso.
O sorriso que Ian tinha em seu rosto foi embora ao ver outro sorriso que ele esperava não ver nunca mais. Mark, o garoto que Ian conhecera ao visitar uma cachoeira com seus amigos há meses atrás, estava atrás dele. Durante a viagem, Ian também foi beijado por Mark, e isso rendeu alguns problemas.
O garoto vestia uma roupa social como a dos outros convidados e segurava uma taça de champanhe em uma das mãos.

- Não é mesmo uma grande coincidência? – Diz ele levantando uma sobrancelha e mantendo o largo sorriso em seu rosto.

Ian o encara por alguns segundos, chocado. Mark então puxa a cadeira ao lado de Ian e se senta.

- Por que essa cara? – Mark solta uma risada e coloca sua taça de champanhe sobre a mesa. Checa a roupa de Ian com os olhos e então passa a mão pelo cabelo curto. – O que está fazendo aqui?

- O que você está fazendo aqui? – Ian olha ao redor para ter certeza de que Kyle não estava por perto. Não seria nada bom se os dois se encontrassem.

- Trabalhando – Mark toma um gole do champanhe e se aproxima um pouco mais de Ian. – Toco na banda de jazz – Ele levanta o dedo indicador e a música toca enquanto ele sorri. – É incrível como você encontra coisas inesperadas quando dá um tempo para descansar.

Ian não gostava do jeito que Mark falava. Assim que se conheceram meses atrás, Ian percebera que Mark era do tipo invasivo e seu interesse não demorou muito para ser revelado. Ian se levanta da cadeira e procura Kyle novamente pela multidão, mas vê apenas Naomi dançando animada em seu vestido branco.

- Você precisa sair daqui – Ian diz e Mark revira os olhos. – Não faça essa cara. Kyle está aqui e tenho certeza de que não quer que ele te encontre. E eu também não quero.

- Tudo por causa daquilo? – Mark se levanta da cadeira e fica em pé ao lado de Ian. Mais próximo do que o garoto esperava. – Achei que pudéssemos conversar.

- Não temos nada o que conversar – Ian ri incrédulo e começa a tirar seu paletó. – Por favor, Mark.

O garoto olha fixamente para Ian e então balança os ombros com um sorriso no rosto. Se afasta de Ian sem dizer nada e some no meio das pessoas.
Ian suspira e coloca seu paletó nas costas de sua cadeira. Levanta as mangas de sua camisa e passa a mão pelo cabelo bagunçado de sempre. Assim que senta em sua cadeira, Kyle se aproxima segurando duas taças de champanhe. Ian disfarça o desconforto anterior e sorri para o namorado.

- Conseguiu champanhe? – Kyle diz indicando a taça preenchida até a metade sobre a mesa.

- Ah sim – Ian mente e pega taça sobre a mesa. Bebe todo o champanhe e olha para Kyle que o fitava surpreso. – Elliot deixou aqui.

- Entendi... – Kyle senta-se em sua cadeira e entrega a outra taça para Ian.

Ian reza para que Mark não apareça mais e algo aconteça. Logo o bolo é servido e os garotos se lembram de quando provaram sabores no quarto de hospital de Ian. Kyle suja seu rosto de bolo e Ian ri ao limpar. Elliot se junta aos dois e se desculpa mais uma vez pelo o que Ella havia feito com Kyle.
Não demora muito para Elliot ir embora da festa, ele precisava trabalhar e realmente participou do evento para não desapontar Naomi.
Kyle havia chamando Ian para dançar mais um pouco de Jazz, mas o garoto negou para que Kyle não visse que Mark era um dos integrantes da banda. Quando a banda terminou seu trabalho e outras músicas começaram a tocar, Ian resolve dançar para terminar sua noite no casamento.
Quando os dois estão cansados e um pouco suados, resolvem que é hora de ir para o quarto onde ficariam hospedados graças ao noivo de Naomi. Outros convidados também ficariam hospedados no mesmo andar que eles, e alguns já pegavam suas chaves na recepção do primeiro andar.

Os dois sobem novamente pelo elevador e param no vigésimo nono andar. O enorme corredor levava aos quartos e eles logo acharam o deles.
Kyle estava muito animado para entrar em um dos quartos do Golden, e rapidamente abre a porta, puxando Ian para dentro do amplo espaço.
Uma enorme cama com grossos cobertores exista no centro do quarto. O chão é coberto por um tapete azul escuro e uma grande cômoda de madeira escura existia no canto do quarto. Uma sacada existida em outra lateral do quarto, ela dava visão para todo o centro que se juntava ao céu escuro, compartilhando pequenos pontos brilhantes de estrelas e janelas de lojas.

- Olhe só esse banheiro! – Kyle grita começa a tirar sua roupa para um banho. – Venha!

Ian ri e começa a fazer o mesmo. Joga sua camisa social branca no chão e logo entra no banheiro. Kyle deixa água encher a banheira e joga muitos produtos que encontrou dentro da água. Uma espuma azulada começa a se formar e até mesmo sai da banheira enquanto os dois riem dentro dela.

- O melhor é que não precisaremos arrumar isso depois – Ian diz enquanto brinca com o cabelo molhado de Kyle.

Depois que tomam banho, vestem roupões pretos e se deitam sobre a cama. Ligam a televisão e o único som do quarto deixa Ian sonolento. Kyle segura sua mão e passa o indicador sobre o ponto brilhante de sua aliança enquanto mexe em seu cabelo molhado. O celular de Ian toca no bolso de sua calça que está no chão e Kyle se levanta para atender. Naomi ligara para avisar que Kyle havia esquecido seu paletó no salão e que ela estava com ele em seu quarto.

- Já volto, vou buscar meu paletó no quarto de Naomi.

Ian coça os olhos sonolentos e concorda com a cabeça. Kyle veste novamente sua camisa branca e calça preta. Sai descalço do quarto e Ian se senta sobre a cama.
Um fraco vento entrava pela porta que levava a sacada, então Ian se levanta e caminha para fechá-la, mas não é isso o que faz. Ele apoia os cotovelos no parapeito da sacada e recebe o vento no rosto. Escuta as buzinas que vinham da rua e risadas que vinham de um andar acima do seu. Ele passa uns dois minutos apenas aproveitando isso e pensando em como estava feliz por Naomi, e surpreso por ter visto Mark onde menos esperava.
Batidas na porta chamam a atenção de Ian e ele anda até ela para ver quem é. Quando segura a maçaneta, escuta algo se chocar contra a porta e então um palavrão. Ian se afasta devagar da porta, um pouco assustado. Então escuta sons abafados de algo batendo nas paredes do corredor. Ele segura a maçaneta novamente e então abre a porta.
A primeira coisa que vê é o paletó de Ian jogado no chão do corredor. Ian coloca a cabeça para fora do quarto e olha para um lado do corredor, procurando pelo namorado. Quando olha para o outro lado, vê a porta do elevador aberta, com Kyle e Mark em seu interior. Kyle segura Mark contra a parede do elevador e lhe dá um soco no rosto que faz o garoto cair no chão. Ian começa a correr pelo corredor, mas quando se aproxima do elevador, a porta se fecha.

- Droga! Droga! Droga! – Ian diz batendo na porta fechada.

Ele vê que o elevador vai para o térreo e volta correndo para seu quarto, fechando a porta atrás de si. Tira seu roupão e veste novamente sua roupa que estava jogada sobre o chão. Isso tinha que acontecer, pensa ele.
Logo Ian está correndo pela escada de emergência, tentando chegar no térreo o mais rápido que podia.

*

A confusão terminou de um jeito que ninguém esperava. Ian havia chegado no saguão do hotel quando a briga havia acabado. Seguranças seguravam Kyle e Mark que ainda insistiam em continuar a briga. O nariz de Kyle sangrava e sua camisa branca estava suja, seu lábio inferior também tinha um corte no lado direito. Mark tinha um pequeno corte na testa e xingava Kyle enquanto respirava rapidamente. Um homem apareceu e logo resolveu o problema existente no lugar.
Resultado: Nenhum dos dois poderiam mais ficar no hotel por aquela noite.
Mark foi embora com pessoas da sua banda sem olhar para trás. Ian voltou ao quarto para buscar os pertences que havia deixado para trás antes de procurar por Kyle.
Os dois saíram do hotel e entregaram uma senha ao manobrista para que ele pegasse o carro de Tom.
Kyle limpava o sangue de seu nariz na manga de sua camisa branca com uma mão, e passou o outro braço pelo pescoço de Ian enquanto esperava seu carro na calçada do hotel.

- Suponho que ele havia batido na porta antes de vocês começarem a brigar – Ian diz inseguro quanto ao humor de Kyle. Mas como ele tinha o braço ao seu redor, achou que não deveria estar bravo.

- Sim – Kyle olha para o namorado e sorri. – O reconheci imediatamente. Não sei se reparou antes dele ir embora, mas ele usava sua camisa aberta. Acho que tentaria algo com você... de novo – Ian olha para o namorado e morde o lábio. – É, eu vi vocês conversando no casamento. E sim, eu vi você o ignorando. Elliot também estava comigo pegando champanhe, então eu sabia que a taça sobre a mesa não era dele.

- Eu não falei nada para você, não queria que nada daquilo voltasse e atrapalhasse nossa noite – Ian passa o polegar pelo corte no lábio de Kyle que fecha os olhos. – Parece que não adiantou muito.

Os dois riem e então se abraçam. O manobrista chega com o carro e logo os dois estão dentro.

- Minha mãe não vai acreditar nessa história – Ian diz enquanto observa as lojas do centro passando pela janela. – Pena que não pôde aproveitar o hotel como queria.

- Tudo bem – Kyle segura a mão gelada de Ian enquanto deixa a outra sobre o volante. – Pelo menos bati nele como deveria ter feito da outra vez.

Kyle muda o caminho que Ian esperava que ele faria e o namorado o olha curioso.

- Para onde estamos indo?

- Ao labirinto – Kyle aperta a mão de Ian e então a leva novamente para o volante. – Faz tempo que visitamos nosso lugar.

- Sim, mas já passa da meia-noite – Ian diz chegando a hora em seu celular.

Kyle o ignora e continua dirigindo. E em menos de cinco minutos estão no parque que tanto gostam. Kyle guia Ian pelos caminhos de cercas vivas e os dois chegam ao círculo onde somente um banco branco existia. Kyle se senta em um canto do banco e Ian se deita com a cabeça em suas coxas.

- Finalmente estou morando ao seu lado – Kyle diz mexendo no cabelo de Ian. – Esperei tanto por isso.

- Acho que agora sim enjoo de você – Ian sorri para o namorado que fingia surpresa. – Agora vivemos quase juntos.

- Um dia viveremos juntos de verdade – Kyle olha para o céu estrelado sobre eles após dizer isso. – Sim, eu prestei atenção quando falou sobre casamento.

Ian ri baixo e segura a mão de Kyle sobre seu peito.

- Eu só não falei sobre isso com você... acho muito cedo para esse tipo de assunto, mas não quer dizer que não seja uma das coisas que mais quero em minha vida.

Ian não sabia como responder aquilo. Apenas recebeu o beijo que Kyle lhe deu em seguida e sentiu suas bochechas ficarem avermelhadas sem saber o motivo.
Os dois conversaram sobre algumas coisas enquanto estavam ali. Uma delas foi o encontro que Dave e Connor teriam esta noite e sobre como os dois queria ver como isso estava indo.
Passaram o caminho de casa se decidindo se dormiriam na casa de Ian ou de Kyle. Não que isso importasse tanto agora, os dois estavam tão felizes por morarem tão próximos, que não ligavam para essa questão.
Certo ponto da noite havia sido complicado e trouxe como resultado um nariz sangrando, mas seu fim foi algo calmo como os dois queriam. Não no hotel onde ficariam, mas com mãos dadas e risadas bobas que se estenderam por um tempo até que dormissem.


Notas Finais


E então?? Gostaram? Sim, revivi Mark para trazer uma pequena intriga. Mas juro que ele não aparece mais uahsuhasuh
Os outros personagens não apareceram, mas Kian compensou. Ou não? auahsuhah
Espero que tenham gostado, mesmo ♡
XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...