História You're My Favorite - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Gay, Romance
Exibições 14
Palavras 3.549
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Romance e Novela, Slash, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Hey! Aqui está mais um capítulo de Kian! Um flashback com muita informação sobre o começo do nosso casal ♡
Tenho que contar algo... esse é o último flashback! Pois é, e faltam apenas mais dois capítulos para o fim da história!!!
Postarei os dois últimos capítulos juntos (Assim como postei esse e o encontro de Connor e Dave), e ACHO que não irei demorar. Espero.
Sorry por erros que passaram despercebidos. Espero que gostem ♡

Capítulo 24 - O Beijo


4 ANOS ATRÁS

Uma coisa Ian havia colocado em sua mente: Eloise realmente não gostava que ele tivesse algum tipo de interação com Kyle. Com o tempo, ele aprendeu a ignorar pequenos comentários feitos por ela quando estava ao seu redor. Um novo ano havia começado na escola. Ian e Dave continuavam inseparáveis enquanto outras pessoas pareciam discutir por amizades ou criar novas.
Kyle conversava com Ian nas aulas de educação física, mas parecia se limitar a isso. Até mesmo Connor conversava mais com Ian, mesmo ele não gostando do garoto. Kyle não dava mínima para Eloise que vivia correndo atrás dele. Certa vez, ele até mesmo brigou com a garota na hora do intervalo, dizendo que ela precisava parar de lhe incomodar e que eles não eram amigos. A situação pareceu dar um jeito em seu comportamento e o grupo em que os dois costumavam andar juntos se separou.
No meio do ano, Kyle entrou para o jornal da escola, onde Ian também estava. Ele disse que precisava de outra coisa além do futebol. Lá, eles desenvolveram algo que depois de um tempo não conseguiam ficar sem. Uma amizade. Eles já haviam passado momentos conversando sobre coisas aleatórias, mas ao trabalharem juntos reviveram a memória de quando estavam no labirinto de cercas vivas, sob o gazebo enquanto chovia e falavam sobre suas vidas. Até mesmo Dave começou a conversar com Kyle e os três se davam muito bem.
Ian adorava a companhia de Kyle. Ele era engraçado, esforçado e tinha olhos bonitos, mas Ian não admitia isso para si mesmo.
Kyle também adorava a companhia de Ian. Ele era calmo e parecia saber um pouco sobre tudo. Ele não era como o resto da escola com quem ele fez amizade rapidamente ao chegar na cidade. Era como um descanso do que lhe incomodava, alguém que o acalmava.
Ian assistiu a todos os jogos de futebol que Kyle jogou durante o ano. Sempre torcia pelo o amigo, mesmo não gostando de futebol. Ele apenas sabia que seria algo bom de se fazer.
Kyle sempre fazia dupla com Ian na aula de artes. Não por Ian trabalhar bem, mas por aprender um pouco com ele e admirar as pequenas coisas que fazia.
Antes dessa amizade ganhar profundidade, Ian tinha medo de Tom, pai de Kyle. Mas depois de tanto visitar a casa de Kyle após a escola, Ian fez amizade com o homem e percebeu que ele era gentil e simpático como o filho. Tom vivia errando o nome de Ian e Kyle sempre o corrigia.
A mãe de Ian também adorava Kyle e achava ótimo seu filho ter mais de dois amigos na escola (Dave e Ben Swan).
No fim de outubro, durante a festa de Halloween que acontecia na escola, Connor resolveu pregar uma peça e trancou Ian e Kyle na pequena sala onde ficavam os produtos de limpeza perto do refeitório. Connor não tinha a intenção de deixá-los lá por muito tempo, mas se esqueceu de soltar os amigos quando encontrou seus colegas do time de futebol na festa.
A sala era muito pequena, tanto que só cabiam os dois e eles ficavam apertados enquanto sentados no chão. Nenhuma luz entrava no lugar e o cheiro de desinfetante era doce e enjoativo.

- Pare com isso – Kyle diz de repente no escuro.

Ian não sabia do que ele estava falando e espera alguns segundos até perguntar o que havia ocorrido.

- Do que está falando?

- Pare de morder os lábios.

- Como sabe que estou fazendo isso?

- Você sempre faz isso. É uma mania que reparei.

- Desculpe, faço isso quando fico nervoso – Ian confessa envergonhado e agradece por Kyle não poder ver suas bochechas vermelhas.

- Então você sempre fica nervoso perto de mim, porque não para de fazer isso.

Ian não responde. O que Kyle disse fez algo ascender em seu peito. Ele realmente ficava nervoso perto de Kyle. Ele não sabia o porquê, mas ficava. Não era assim antes, ele tinha dificuldade em conversar com outras pessoas e Kyle era apenas mais uma delas. Mas de um tempo para cá, algo havia mudado com relação a Kyle. Ele não era mais uma pessoa que Ian tinha dificuldades para conversar, ele era alguém íntimo de Ian e seu nervosismo tinha outra causa.

- Está aí? – Kyle pergunta rindo e dando uma leve cotovelado em Ian.

- Connor não deveria ter voltado? Não aguento mais ficar aqui dentro.

- Uma hora ele vem – Kyle respira fundo. – E nós dois não estávamos gostando da festa mesmo.

- Sim, eu vim por que Dave está interessado em alguma garota um ano mais velha que ele.

- Ian? – Kyle parece ter se aproximado de Ian no escuro, pois o garoto escuta a voz muito perto de seu ouvido.

Sim... – Ian não se move. Sabia que estava em um lugar pequeno e não tinha ideia de para onde poderia ir. Essa proximidade invisível era algo que não o agradava.

- Posso fazer uma coisa? – A voz continua perto da orelha de Ian.

Ian move sua mão involuntariamente e acaba repousando-a sobre o joelho de Kyle.

- O que? – Ele estava muito nervoso e tentava controlar sua respiração.

- Nada demais...

Ian sente a mão de Kyle em seu queixo, tateando-o. Kyle parece procurar um ângulo no escuro. Então sua mão para na bochecha de Ian e seu polegar se move devagar por ela. Ian não respira, continua parado. No segundo seguinte, Ian sente a ponta do nariz de Kyle tocando o seu. Então Ian respira devagar. Kyle toca seus lábios nos de Ian e m beijo fraco é dado, mas seus lábios não se separam. Kyle inspira e expira enquanto continua mexendo seu polegar na bochecha de Ian. Ian repete o que Kyle havia feito, deixando o outro surpreso. Os dois se afastam devagar e Ian tira sua mão do joelho de Kyle.
O silencia continua no lugar escuro e Ian passa o indicador por seu lábio. Kyle coça sua nuca, se perguntando de onde tinha tirado coragem para fazer aquilo.
Quando Ian pensa em dizer algo, a maçaneta da porta da sala se mexe e a voz de Connor é ouvida do outro lado. O garoto abre a porta e se desculpa por ter esquecido de tirar os amigos de lá. Ian e Kyle estavam muito envergonhados para ficarem bravos com Connor.
Os dois não se falam pelo resto da festa, e no final, apenas acenam um para o outro.

*

*

Havia acontecido uma feira beneficente no meio de novembro na escola e Ian, Dave, Connor e Kyle haviam feito muitos bolinhos na casa de Ian para venderam na feira. Fizeram tantos bolinhos e até mesmo voltaram para a casa de Ian para comer os que sobraram.
Jodie, a mãe de Ian, ficara ainda mais feliz de ver mais um colega de seu filho em sua casa. Ele havia dito que não gostava de Connor, mas ela disse que seria bom conhece-lo melhor antes de dizer uma coisa dessas.
Os garotos passaram a tarde de sexta feira jogando video game na sala de Ian. O frio de fim de ano não havia chegado ainda, mas uma grande chuva havia aparecido. Por sorte, os garotos não iriam embora para casa neste dia. Passariam a noite na casa de Ian e apenas escutavam os fracos trovões enquanto jogavam.
Ian e Kyle não falaram sobre o beijo que tiveram no final de outubro. Apenas agiram como se nada tivesse acontecido. Kyle pensava muito sobre o beijo, e ao mesmo tempo que sua cabeça ficava confusa com o que sentia, algo dentro de seu coração crescia todo dia ao ver Ian.
Ian não pensava tanto no beijo. Pensava em como olharia todos os dias para Kyle na escola. Pensava no porquê do garoto ter feito aquilo enquanto estavam sozinhos. Pensava se o garoto sentia algo por ele ou apenas queria testar como era beijar um garoto.
Eles sentavam lado a lado no sofá e seus joelhos se tocavam, provocando arrepios.

- Ai! – Dave grita e coloca a mão sobre a testa.

- Me desculpe! – Connor diz e começa a rir. Havia jogado o controle do video game na testa de Dave. – Estava mirando em Kyle.

- Acho que não conseguiu – Ian diz rindo ao lado de Kyle.

- Garotos – Jodie aparece na sala com sua roupa suja de tinta. – Poderiam ir para o quarto de Ian? Receberei visitas e usarei esta sala para recebe-las.

Os quatro concordam e partem para o quarto Ian. Três sacos de dormir já estavam no chão para que eles passassem a noite ali. Ian não havia contado para Dave sobre o beijo que recebera de Kyle, mas planejava conversar com o amigo sobre o que sentia por Kyle.

- Dave, me ajuda a trazer o vídeo game para o quarto? – Ian pergunta para o amigo que passava a mão pela testa.

- Eu posso ajudar – Kyle diz.

- Não precisa, obrigado, Dave pode vir – Ian sorri para o garoto e então sai do quarto com o amigo atrás de si.

Chegando na sala, podem ver Jodie recebendo visitas. Dave tira o video game da tomada enquanto Ian pega os controles.

- Hey, preciso contar algo – Ian cochicha perto do amigo. Ele o observa curioso, já sabia que era algo importante. – Você sabe que Kyle é alguém muito legal e que sempre nos divertimos juntos – Dave concorda com a cabeça. – Sabe que sempre que estou perto dele fico contente... você entendeu. Eu acho que estou gostando dele.

Dave pisca algumas vezes e Ian não consegue decifrar sua expressão.

- Oh! Você diz gostar “daquele” jeito? – Dave fica surpreso e levanta as sobrancelhas.

- Sim, desse jeito – Ian morde o lábio inferior e observa Dave ficar pensativo.

- Por que não me contou isso antes? – Ian balança os ombros. – Quer saber uma coisa que minha mãe me contou? – Ian confirma com a cabeça e leva o amigo até o sofá. – Ela disse que sempre pensou sobre o incêndio que matou Chuck, a mãe dele e meu tio. A mãe de Chuck havia falado com a minha sobre uma possível traição do meu tio... com um amigo do trabalho.

Ian fica surpreso com a notícia. Nunca souberam a causa do incêndio que matou Chuck e seus pais, e uma notícia dessas era algo que realmente deixava qualquer um pensativo.

- Ela acha que talvez a mãe de Chuck causou o incêndio para se vingar do marido – Dave percebe a cara de choque de Ian e põe a mão sobre seu ombro.

- E como isso tem ligação com o que eu lhe contei?

- Bom... essa é a única coisa que sei sobre um cara gostando de outro. Isso e aquela série...

- Você não foi de grande ajuda – Ian dá um fraco tapa na testa de Dave. – Minha história não acabou, nós também nos beijamos.

- Vocês se beijaram? – Dave diz isso um pouco alto e Ian coloca a mão em sua boca, fazendo com que os dois ficassem deitados sobre o sofá.

- Fale baixo!

Não adiantou dizer isso para Dave. Kyle havia aparecido na sala para ver o porquê da demora dos dois e acabou escutando a última parte. Kyle levanta sua mão e um fraco sorriso aparece em seu rosto. Ian também sorri envergonhado e então se levanta do sofá. O resto da noite foi algo embaraçoso para os dois que trocavam olhares enquanto jogavam video game.

*

*
Em dezembro, Kyle havia chamado Ian para um encontro. Não deixou explícito que era um encontro, mas essa era sua intenção. Um bilhete havia sido entregue para Dave no meio da aula de geografia e Kyle disse para Dave entrega-lo para Ian.
Depois que Kyle soube que Dave soube sobre o beijo, decidiu usar isso a seu favor. Havia conversado com Dave sobre seus sentimentos com relação a Ian e pediu que o garoto não falasse nada para o outro. Dave não se sentia muito bem com isso, sempre contava tudo para Ian, mas percebia que Kyle realmente sentia algo pelo amigo. Dave não aguentava mais ouvir Ian falando sobre Kyle e sobre seus olhos azuis. Quando um encontro foi marcado, Dave sentiu um grande alívio ao pensar que os dois poderiam resolver logo o “problema” e deixa-lo fora disso.
Ian e Kyle estavam ainda mais próximos após o beijo. Não falavam sobre isso, mas sabiam que aconteceu e secretamente desejavam outro.
Ian também havia contado sobre isso para sua mãe, alguém que ele confiava e sabia que ficaria ao seu lado. Jodie não ficara surpresa e apoiou o filho, torcendo secretamente pelos dois.

Era uma tarde de sábado quando Ian foi até o cinema do shopping e encontrou Kyle o esperando na entrada do lugar.

- Oi – Kyle sorri e pensa se deve ou não abraçar o garoto. Acaba não fazendo nada. – Você demorou um pouco...

- Me desculpe, meu vizinho precisava de ajuda com algumas coisas em sua casa e eu o ajudei – Ian também pensava se devia ou não abraçar o outro garoto. Acabou desistindo.

- Certo, achei que tivesse desistido – Kyle entrega o ingresso de Ian e indica o caminho para a sala de cinema. –

Os dois conseguem um lugar no fundo da sala do cinema. Poucas pessoas estavam na sala e conversas baixas eram ouvidas.

- Esqueci de perguntar, você quer pipoca? – Kyle diz e se prepara para se levantar da cadeira.

- Não precisa, obrigado.

Kyle concorda com a cabeça e senta-se ao lado do garoto. Uma música ambiente tocava e as conversas eram ouvidas enquanto outras pessoas estravam na sala. Os dois não sabiam o que dizer. Kyle havia pensando no encontro, mas não no que fazer quando estivesse nele. Ian também não fazia ideia do que fazer, esperava que Kyle iniciasse alguma conversa.
Ian não avisou Kyle, mas já havia visto aquele filme, então quando os trailers começaram, ele resolveu fazer algo. A mão de Kyle descansava em sua perna e ele ficou surpreso ao sentir algo gelado sobre ela. Quando olhou, viu que era a mão de Ian. Eles entrelaçaram seus dedos e Ian continuou olhando para a tela.
A mão de Ian era realmente gelada e Kyle a segurou como se precisasse esquenta-la.
Durante o filme, eles continuaram de mãos dadas. Não prestavam muita atenção no que acontecia na tela do cinema. Aproveitavam o momento pensando em coisas que gostariam de dizer um para o outro.

- Ian – Kyle diz e atrai a atenção do garoto.

Kyle leva a mão à bochecha de Ian, como havia feito na primeira vez em que se beijaram. Seu polegar se move devagar contra a pele do garoto que é hipnotizado pelos olhos azuis que brilhavam com a luz da tela de cinema. Kyle aproxima seu rosto do de Ian e mais uma vez deposita um suave beijo nos lábios de Ian. O beijo é recíproco e dura por alguns segundos enquanto o barulho do filme desaparece ao redor. Eram apenas eles e nada mais.
Quando se separam, se olham e demoram alguns segundos para perceberem o que aconteceu.

- Eu gosto tanto de você, Ian – Kyle sussurra as palavras perto do rosto do outro. – Ficar perto de você é uma das minhas coisas favoritas.

- Também gosto de você, Kyle – Ian se inclina e beija Kyle rapidamente. – Você é uma das minhas coisas favoritas.

Kyle sorri ao escutar isso. Suas mãos já estavam suadas, mas não se soltavam. Kyle deita sua cabeça no ombro de Ian durante o resto do filme. Ele se sentia bem ao estar tão próximo de Ian, e sua felicidade era imensa em saber que o que sentia era recíproco.

O encontro continuou em uma sorveteria, onde Kyle conseguiu derrubar sorvete de menta em sua camiseta e suja-la de verde. Ian conseguia ser desastrado, mas Kyle estava nervoso, então conseguia ser ainda mais que Ian.
Kyle acompanhou Ian até sua casa enquanto um vento gelado ia contra seus rostos. A despedida foi feita com um abraço em frente à casa de Ian, e com a promessa de um telefonema horas depois.

*

*

3 ANOS ATRÁS

Um novo ano havia chegado. Ian havia feito seus 15 anos e Kyle seus 16. Ian havia recebido outra festa surpresa em sua casa na véspera de natal e Kyle foi um dos organizadores. Foi diferente da do ano passado, quando o garoto apenas apareceu na porta de Ian e o entregou um chaveiro.
Em janeiro, Kyle fez aniversário, e diferente do ano passado, ele apenas comemorou com seu pai, sua irmã, Connor e Ian. Eram as pessoas importantes em sua vida e as que sempre queria por perto.
Os garotos não haviam deixado claro entre eles que estavam namorando. Apenas gostavam de ficar juntos durante as férias. Fugiam para o parque da cidade e sentavam-se em seu banco no círculo de cerca viva. Mesmo com o frio, eles gostavam de dividir um lugar tão especial para eles, e um abraço resolvia os pequenos arrepios que o vento causava.

- Quer namorar comigo? – Kyle pergunta durante uma das tardes de janeiro quando Ian está deitado sobre o banco e tem a cabeça em suas pernas.

Kyle não deu motivos para tal pergunta. Os dois pareciam se conectar com o silêncio e compartilhar tantos sentimentos que simples palavras não conseguiriam.
Obviamente Ian concordou. Era Kyle, a pessoa que o trazia alegria e o fazia sentir tão bem. Era a pessoa que quando longe, fazia seu coração doer e quando perto, nunca preenchia o espaço em seu peito que clamava por Kyle. Os dois sabiam que se completavam e que precisavam ficar juntos. Precisavam um do outro mais do que qualquer coisa, e sabiam que isso continuaria com eles para sempre. Não disseram um para o outro, mas sabiam.

*

*

- Você já contou para ele, poxa. O pior já passou – Ian acalmava Kyle pelo telefone.

- Eu sei, mas ele foi tão compreensível e isso me surpreendeu. Estava esperando raiva ou... eu não sei – Kyle estava deitado em sua cama e admirava o teto.

- Contou sobre o jantar de hoje?

- Sim, ele concordou em ir enquanto eu recuperava minha coragem.

Mais cedo, na escola, Ian havia convencido Kyle a contar para o pai dele que os dois estavam namorando quando chegasse em casa. Demorou muito tempo, mas Ian conseguiu e o namorado fez o que prometeu.
Tom não reagiu do jeito que Kyle esperava. O garoto achava que seu pai ficaria furioso ao saber que seu filho é gay e que já namorava um garoto, mas o homem foi totalmente compreensível e até mesmo concordou em jantar na casa de Ian no mesmo dia.

Jodie havia preparado um jantar não muito comum em sua casa. Havia assado alguns tipos de carne para Tom. Sabia através de Kyle que o homem adorava isso, e não o obrigaria a comer pratos vegetarianos.

- Oh, estou tão feliz por vocês dois! – Jodie dizia levando pratos a mesa.

- Eu sei, você disse isso cinco vezes hoje – Ian diz arrumando talheres perto dos pratos.

Não demora muito para a campainha tocar. Tom chega com Kyle e Katherine. Tom cumprimenta Ian com um abraço apertado e diz estar muito feliz com a notícia.

- Liam – Kyle o corrige dizendo que é Ian enquanto parte para a cozinha ajudar Jodie – Desculpe. Então, Ian. Minha esposa vivia falando que se algo acontecesse e ela não pudesse ver seus filhos crescerem, ela gostaria que eu fizesse deles as pessoas mais felizes desse mundo, mas que eu também poderia receber ajuda de outras pessoas. Não sei se é cedo para falar, torço muito por vocês... enfim. Você é uma das pessoas que fazem Kyle feliz e eu percebo isso quando vejo vocês dois juntos. Não posso negar a felicidade do meu filho – Tom põe a mão sobre o ombro de Ian e sorri. – E sua mãe também está muito feliz com isso, então...

Os garotos haviam tirado um peso de seus ombros. Haviam resolvido sobre seu relacionamento com as pessoas que mais importavam em suas vidas. O jantar saiu como o planejado. Jodie e Tom se conheceram ainda mais e falaram de quando seus filhos eram pequenos. Até mesmo o modo como Ian e Kyle se conheceram apareceu na conversa.
No fim da noite, todos estavam tão à vontade que pareciam fazer aquilo sempre que podiam, e era o que aconteceria dali para frente. Sempre que pudessem, se reuniriam para aproveitar a alegria de ficarem juntos.

*

*

- Ian – Kyle diz deitado sobre o banco do parque com a cabeça sobre as pernas do namorado.

Ian foca seu olhar nos lábios de Kyle, que começam a se mover quando novas palavras saem de sua boca.

- Me promete uma coisa? Uma coisa muito importante? – Kyle fala isso com um rosto sério.

- Sim, eu acho...

- Promete que sempre estará comigo? Mesmo nas situações mais difíceis? – Kyle segura a mão de Ian sobre seu peito.

- Eu prometo – Ian diz e sorri.

- Você jura? – Kyle insiste e aperta a mão de Ian com pouca força.

- Eu juro, Kyle.

Ian se inclina para um beijo e Kyle o recebe. Era um de milhares que ainda viriam. E eles estavam dispostos a receber todos.


Notas Finais


Gostaram? Se sim, não me matem por ser o último flashback uahsuahsuh
Juro que tentarei agilizar no fim da história e postar os dois últimos capítulos. Na verdade é apenas um, o outro é uma surpresa...
Lembrando que pretendo começar outra história para ficar no lugar de Kian!!
Espero que tenham gostado e peço que aguardem o final ♡
XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...