História You're My Home - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren, Romance, Trolly, Vercy
Exibições 133
Palavras 2.706
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


FELIZ DIA DAS CRIANÇAS!!!! hahahahaha
Vim apenas deixar o presente de vcs!!!
Desculpem novamente a demora, mas espero que vcs gostem do capítulo!!!

Capítulo 7 - Organizando o Baile


Fanfic / Fanfiction You're My Home - Capítulo 7 - Organizando o Baile

Camila’s POV

 

Na quarta-feira após a palestra, a senhorita Kordei deu uma notícia para a nossa turma: nós iríamos começar a organizar o baile de outono, e ela e a senhorita Jauregui iriam nos ajudar a fazer isso.

É uma tradição da nossa escola que os alunos do último ano organizem um baile no início do ano como preparação para o baile de formatura. Nos anos anteriores tudo isso era auxiliado pela diretora Moralez, mas este ano ela delegou essa função à nossas professoras. Só espero que dê tudo certo.

A senhorita Kordei nos avisou que haveria uma reunião na sexta após a aula para decidirmos algumas coisas e que era para pensarmos em possíveis temas para o evento.

Assim, na sexta-feira, ao invés de irmos para casa nos reunimos aos demais formandos no auditório para discutirmos o evento.

Quando chegamos as duas professoras já estavam lá, assim como alguns colegas. Eu, Shawn, Troy e Ally nos sentamos em uma fileira de cadeiras mais ou menos no meio do pequeno auditório.

Em cima do tablado as duas professoras começaram a falar:

- Bom dia. – Disse a senhorita Kordei. – Na reunião de hoje nós iremos tomar as primeiras decisões a respeito do baile.

- E a primeira pergunta que temos a fazer é... – disse a senhorita Jauregui. – Vocês pensaram no tema?

Após alguns minutos de silêncio um menino de cabelos negros falou:

- Olímpiadas.

Ele usava um casaco das equipes esportivas da escola, por isso não me surpreendi. Nossas professoras o ignoraram.

- Grey’s Anatomy. – Ariana, que estava sentada algumas fileiras a nossa frente, falou e ainda se deu ao trabalho de se virar para me lançar um sorrisinho debochado.

Novamente a proposta foi ignorada. Nós continuamos nessa discussão por mais alguns minutos, até que Shawn falou:

- Podemos fazer com um filme, sei lá.

- James Bond. – Ally falou. – A decoração pode ser feita a partir do filme Casino Royale e com alguns elementos dos filmes.

Depois de todos terem concordado com este tema a senhorita Jauregui falou:

- Agora nós vamos dividir vocês em grupos para a realização das tarefas. A senhorita Kordei ficará responsável pelos grupos de: alimentação, divulgação e venda de convites. Eu vou atender dos grupos responsáveis pela decoração, pela música e pela iluminação.

Eu e Ally acabamos no grupo de decoração e Shawn e Troy na iluminação. Ariana, ainda bem, ficara responsável pela divulgação e não se meteria no nosso trabalho.

Nós conversávamos entre nós quando a senhorita Jauregui se aproximou:

- Pessoal, na semana que vêm eu vou querer conversar com cada grupo em particular para organizarmos melhor o trabalho. Na segunda, eu irei conversar com a equipe de decoração, na terça com a equipe de iluminação e na quarta com a equipe de música. Eu vou esperar vocês na minha sala após o horário do fim da aula. Tudo bem?

Nós concordamos e ela nos dispensou.

Quando nós saímos os meninos foram para o treino, para o qual já estavam atrasados e eu e Ally seguimos para o estacionamento. Estávamos próximas do carro da minha amiga quando uma voz me chamou:

- Camila! Camila! – Eu virei para trás e vi Lauren correndo para nos alcançar com alguns livros em mãos. Quando ela se aproximou, explicou: - Eu estava quase me esquecendo. Meu pai mandou esses livros para você. Ele acredita que você vai achar as leituras interessantes.

Eu fiquei olhando espantada para sua mão, que me estendia os livros:

- Para mim? – Perguntei.

- Sim. – Ela respondeu. – Ele gostou mesmo de você. – Ela começou a sussurrar como se me contasse um segredo: - Eu acredito que ele esteja tentando ser uma espécie de padrinho para você.

- Sério? – Eu continuava surpresa.

- Sério. – Ela respondeu. – Não faz o feitio dele ajudar alguém dessa maneira se não acredita muito na capacidade dessa pessoa.

Ela sorriu para mim, e, como estava se tornando habitual entre nós eu devolvi o gesto sorrindo também.

- Sendo assim eu fico feliz em aceitar. – Eu respondi por fim.

- Eu espero que você goste mesmo dos livros. – Eu peguei os livros que ela me entregou, e ela continuou os encarando de um jeito estranho. – Não sei como alguém consegue ler isso. – Ela comentou por fim.

- Aposto que é uma leitura incrível.

- Tenho certeza que sim. – Ela me disse e me lançou um olhar cético. Por alguns instantes eu me perdi na profundidade verde dos seus olhos. Fui resgatada quando ela desviou o olhar do meu: - Bom, tenham um bom final de semana meninas. Até segunda.

- Até segunda. – Eu e Ally falamos juntas.

A professora se afastou e eu me virei para continuar caminhando, mas dei de cara com a minha melhor amiga me encarando.

- Camila? – Ela perguntou e eu a olhei confusa. – O que houve com o senhorita Cabello?

Eu continuei a andar e ela me acompanhou. Logo chegamos ao seu carro:

- Você sabe o que eu penso sobre essas formalidades. E a Lauren parece pensar como eu, já que na sexta ela falou que fora da escola não precisamos disso.

- O estacionamento já é considerado fora da escola? – Ally perguntou, agora dividindo a atenção entre a conversa e o trânsito.

Eu pensei um pouco.

- Na presa de me chamar ela deve ter esquecido de onde estava.

- Eu pude perceber. Aliás, vocês duas esqueceram de muitas coisas.- Ally falou. – A minha presença, por exemplo.

- Como assim? – Eu perguntei.

- Talvez você ainda não tenha percebido. Mas um dia vai perceber. – Ela falou de forma misteriosa. – Só vou te pedir para tomar cuidado.

- Sobre o que, exatamente, você está falando?

- Nada. – Ela respondeu, e então mudou de assunto. – Nós vamos ter que comprar vestidos para o baile, se formos manter a ideia do Casino.

- Ally, eu nem tenho um par, acha que estou preocupada com o vestido? Uma coisa de cada vez.

Ela riu.

- De qualquer forma nós temos que ver isso logo. Vamos precisar de vestidos longos.

Eu bufei:

- Você já me imaginou em um vestido longo? Eu não vou conseguir dar nem um passo sem tropeçar e cair.

- Nós temos tempo para treinar. – Ally me consolou.

- Treinar muito. – Eu falei e acabamos rindo.

 

 

Na segunda-feira nós voltamos para a escola para iniciarmos os preparativos do baile. Mas não apenas isso, havia também as matérias que devíamos aprender, e os professores começavam a cobrar os primeiros trabalhos.

Ao final da aula de Literatura a senhorita Jauregui avisou que a partir da semana seguinte nós trabalharíamos com outro estilo literário presente no século XIX: o terror. Não foi uma surpresa quando ela falou:

- É um dos meus estilos preferidos, e nós vamos trabalhar com duas obras clássicas. Primeiramente, com Frankenstein, de Mary Shelley, que vocês devem começar a ler para semana que vêm. E depois nós vamos ler Drácula, de Bram Stoker.

Alguns alunos riram e ela nos encarou quase sorrindo também.

- A filha falando sobre o pai. – Shawn sussurrou atrás de mim, e Troy concordou, segurando o riso.

Eu não sei se a professora chegou a ouvir o comentário, mas ela olhou na nossa direção e finalmente sorriu de verdade, quando disse:

- Acho bom vocês lerem esse com atenção. – Avisou. – Não só porque vamos falar muito sobre ele, mas também porque vocês vão me entregar um resumo sobre o livro e responder algumas perguntas sobre ele. Vai ser o nosso primeiro trabalho e deverá ser entregue daqui três semanas.

Antes de nos dispensar ela lembrou:

- Espero os alunos do grupo de decoração aqui na sala após a aula. Podem sair.

Nós seguimos para a próxima aula, com Ally falando sobre algumas ideias para o baile que havia tido durante o fim de semana. Ela estava super animada, e era impossível não se contagiar com isso, mesmo que estivesse um pouco preocupada com o trabalho que teríamos.

O ânimo da minha amiga durou até o fim das aulas, e quando nos encontramos para retornar à sala de Literatura, ela praticamente me arrastou para lá de forma apressada.

Quando entramos na sala, percebemos que a professora havia arrumado as carteiras em formato de círculo. Não havia mais nenhum lugar para nos sentarmos juntas, então, enquanto Ally se dirigia para uma das carteiras vazias, eu me sentei no primeiro lugar vago que encontrei. Demorei alguns segundos para perceber que havia me sentado ao lado da senhorita Jauregui, ela sorriu para mim me cumprimentando e depois se virou para a sala.

- Bom dia, pessoal. Nós temos muitas coisas para discutir. – Falou. – Não se preocupem porque nós teremos mais reuniões como essa no decorrer das próximas semanas. Hoje eu só quero ouvir as ideias de vocês e discutir o que poderemos fazer. Alguém pensou sobre isso durante o fim de semana?

Não foi surpresa para mim ver que Ally foi a primeira a levantar a mão.

- Senhorita Brooke. – A professora autorizou que ela falasse.

- Eu estava pensando que nós poderíamos decorar o ginásio como o Casino Royale, as mesas poderiam ser réplicas de mesas de pôquer, e poderíamos colocar outros tipos de jogos em outras áreas. Talvez montar um pequenos estúdio de fotos com algumas paisagens que aparecem no filme... – Ela continuou mostrando suas ideias, falando sem parar.

A senhorita Jauregui se inclinou para falar perto do meu ouvido:

- Ela é sempre assim? – Perguntou.

Eu ri um pouco, mas Ally estava tão absorta em seus planos que nem percebeu:

- Só quando está muito animada. – Respondi.

A senhorita Jauregui também sorriu de forma divertida.

- Isso vai ser útil para mim. – Ela sorriu do jeito de quem iria aprontar alguma coisa. Não sei porque, mas meu coração acelerou um pouco. Então ela continuou: - Eu tive uma ideia.

Ela esperou que Ally terminasse de falar para tomar a palavra.

- Eu adorei suas ideias senhorita Brooke. E tenho certeza que posso contar com sua ajuda para algumas coisas. – A professora falou. – Como a senhorita tem uma visão melhor para a montagem no local, eu vou deixar a senhorita e a senhorita Cabello responsáveis pela pesquisa dos preços dos materiais e pelas compras dos mesmos. Não se preocupem. É óbvio que eu irei ajudá-las.

Eu olhei para Ally quase querendo matá-la, mas sabia que não havia jeito, eu teria que me envolver de alguma maneira, e pelo menos eu iria trabalhar com a minha amiga, o que tornava as coisas um pouco mais tranquilas.

Nós duas concordamos com a cabeça e a professora continuou a reunião, ouvindo as ideias dos demais alunos.

Quando ia encerrar os trabalhos ela se dirigiu novamente a mim e a Ally.

- Pesquisem os materiais que iremos utilizar, façam uma lista, e depois nós iremos juntas comprar o que for necessário.

Novamente eu e Ally concordamos e saímos da sala.

 

 

As duas semanas seguintes foram uma correria total. Eu e Ally saíamos a tarde e percorríamos diversas lojas para encontrar o local onde a compra sairia mais barata, participávamos das reuniões com o restante das pessoas do nosso grupo, saímos para procurar nossos vestidos e eu comecei a minha série de treinos sobre como andar de vestido longo e salto alto ao mesmo tempo sem beijar o chão, e ainda tínhamos as tarefas e trabalhos de escola para realizar.

Foi um choque para mim quando Troy e Shawn disseram que o primeiro jogo de basquete da temporada seria no próximo sábado, ou seja, daqui dois dias. Para mim esse jogo ainda estava a séculos de distância.

O jogo seria no nosso ginásio, e a escola toda, inclusive os professores estariam presentes. Era uma característica nossa incentivar os nossos jogadores quando as partidas aconteciam aqui, e eu não perderia o jogo por nada. Precisava apoiar meus amigos.

No sábado, eu e Ally chegamos cedo ao ginásio para escolher bons lugares, mas parece que várias pessoas tiveram a mesma ideia, já que o local já estava bem cheio.

As cores azul e prata da nossa escola dominavam o local, e a torcida de verde e branco da outra escola era minoria. Estavam acanhados até para gritar. Mas eu sabia que isso duraria apenas até o jogo começar. Logo eles estariam animados e cantando suas musiquinhas para provocar.

Nós seguimos para a nossa área do ginásio e nos sentamos em um lugar perto da senhorita Kordei, que estava sozinha, mas parecia estar esperando por mais pessoas. Logo nós descobrimos quem era.

A senhorita Jauregui se aproximou dela, acompanhada de uma mulher de cabelos longos em tom castanho claro e olhos de tom que variava entre o castanho e o verde. Era uma moça muito bonita e quando elas se aproximaram eu pude ouvir a senhorita Kordei falar animada:

- Keana, que bom que veio! – Elas se abraçaram.

- A tempos eu não assisto um jogo de basquete. Achei que poderia ser legal. – A moça, Keana, respondeu.

A senhorita Jauregui percorria os olhos pelo ginásio e logo seus olhos encontraram os meus. Ela sorriu e disse:

- Boa noite, meninas.

Eu e Ally respondemos e ela se virou para frente para poder conversar com suas amigas.

Eu não entendi o porque de eu ter reparado nisso, ou o porque do pequeno gesto ter feito meu coração apertar por um momento, mas foi o que eu senti quando vi minha professora colocar a mão ao redor da cintura daquela bela mulher de cabelos castanhos.

Será que elas namoravam?

Bom, se namoravam ou não, não era da minha conta, então eu desviei meu olhar e meus pensamentos para a quadra e comecei a gritar junto com os outros quando os meninos entraram no local e começaram o seu aquecimento.

Não demorou para que o jogo começasse e então a gritaria enlouquecida tomou conta do ginásio. Como eu previ a torcida adversária logo se empolgou e começou a cantar seus gritos de guerra, principalmente quando o time começou a sair na frente no placar.

Nós não deixamos por menos, e começamos a empurrar o nosso time para que este pudesse virar o jogo, o que aconteceu quase na metade no segundo quarto.

De tempos em tempos eu olhava para as pessoas a minha frente. Lauren e sua acompanhante pareciam bastante animadas com a partida e comemoravam a cada ponto junto com a senhorita Kordei. Aquilo continuava me incomodando de uma maneira que eu não conseguia explicar, então eu tentava desviar o olhar, mas de alguma maneira sempre voltava a observá-las.

No fim do jogo o placar foi apertado, e conseguimos uma vitória suada, mas extremamente comemorada. 70 a 68. O ginásio quase veio abaixo quando o apito do juiz soou encerrando a partida. E isso que era apenas o primeiro jogo, imagina nos demais.

Troy foi eleito o melhor jogador da partida e Ally não poderia estar mais feliz. Nós nos abraçamos e depois comemoramos com as pessoas que estavam próximas a nós.

Na saída, enquanto eu ia para o carro, Ally deu a volta no ginásio para perguntar aos meninos onde seria a festa de comemoração. Os meninos gostavam de sair para comemorar suas vitórias e eu e Ally sempre acabávamos acompanhando.

Eu estava no meio do estacionamento quando encontrei o carro de Lauren. Ela estava dentro dele junto com a tal Keana, e as duas se beijavam.

Meu peito apertou novamente, e inconscientemente eu parei no meio do caminho.

Então elas namoravam mesmo.

Elas se separaram e eu continuei apressadamente o meu caminho, para que elas não me vissem observando. Afinal, eu não tinha nada a ver com a vida pessoal da minha professora.

Entrei no carro de Ally e me perdi em pensamentos, tanto que levei um susto quando a baixinha entrou no carro e bateu a porta.

- Eles vão nos encontrar naquela pizzaria perto do shopping. – Eu ainda estava meio incomodada com a cena que havia visto, então apenas concordei com Ally, que me olhou preocupada: - Está tudo bem, Mila? Você não está com uma cara muito boa.

- Está sim, Ally. Vamos comemorar com os meninos.

Encerrei o assunto e seguimos para a pizzaria. Eu passei a noite toda tentando esquecer aquele beijo, e aproveitar a noite com os meus amigos, mas de alguma forma ele sempre voltava aos meus pensamentos.


Notas Finais


E aí??
Camila incomodada com a presença da Keana, Ally percebendo coisas que as duas lesadas ainda não perceberam, e ainda tem o tal Baile!!! Vamos só ver no que vai dar!!!
Espero que tenham gostado!!! E desculpa de novo pela demora!!!!
Bjão


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...