História You're my Lottery... - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Channie, Chanyeol, Exo, Hetero, K-pop, Park Chanyeol, Romance
Exibições 73
Palavras 4.543
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Capítulo dois, totalmente disponível!
Espero que gostem.
Boa leitura!

Capítulo 2 - "I'm not a shadow..."


Fanfic / Fanfiction You're my Lottery... - Capítulo 2 - "I'm not a shadow..."

Ela tinha sido contratada! Sky estava tão feliz, por andava pela empresa, junto com seus Superiores, onde seriam BaekHyun e MinSeok. A menor sorria tanto, mesmo que com seus lábios doendo de tanto sorrir, a mesma não parava de sorrir, ela não achava outra forma de expressar sua felicidade.

- Sr.Byun, em que local irei trabalhar?

A menor perguntou para seu Superior, ela estava tão animada que queria explorar cada lugar daquela empresa.

- Em minha sala.

Falou o maior para a mais nova, os dois iriam compartilhar a sala. A lógica de BaekHyun era que assim, eles se tornariam mais próximos e facilitaria o trabalho dos dois. Afinal, ela era sua assistente. Na cabeça de BaekHyun, sua assistente deveria sempre andar consigo.

Sky olhou confusa, em sua concepção, cada um teria sua própria sala. Ela tinha consciência em que a mesma era sua assistente, mas ela não via a necessidade de os dois dividirem a mesma sala. Para ela, os dois ficariam mais confortáveis e teriam privacidade, ela não entendeu a lógica de seu Superior.

- Vamos, eu irei te mostrar.

BaekHyun a puxou até a sala, deixando MinSeok para trás. Onde o mais velho pensou que seria melhor deixar eles á sós, assim foi embora. O maior a levou até a sua sala, agora a sala deles, onde a sala se localizava no outro lado do andar.

- Ela tem espaço suficiente para nós, ela só um pouco menor que a de ChanYeol. Mas é grande o bastante para nós.

Falava BaekHyun, o mesmo estava tão animado por ter a menor como assistente. BaekHyun já teve assistentes, mas as demitiu, já que elas não faziam seu trabalho e sim ficavam o paquerando, ele ficava desconfortável. Agora, seria diferente. Ao julgar a cara de Sky, ela não faria algo assim, ela parece uma garota esforçada no trabalho e não faria algo assim com o Superior. Eles seriam bons amigos!

Sky observava a animação do maior, a garota se sentia desconfortável a ficar tão próxima de um homem, afinal ela só ficou próxima de um homem sua vida inteira, seu pai. Mas não era o caso, agora ela trabalharia todo dia com um homem e ela precisa ser profissional. Mas seria difícil, já que é a primeira vez que a menor irá trabalhar longe dos pais.

Os dois passaram por uma espécie de cafeteria no andar, simples e diversificada, já que nela apresentava grande variação de lanches e doces, com acompanhamento de bebidas diferentes. E obviamente, apresentava café e de vários tipos. Os dois seguiram em frente, que mais a frente tinha uma sala. Onde ela parecia ter um tamanho de um apartamento, o lado externo dela era pintada de cinza, um cinza claro e bem discreto, e uma porta de madeira larga.

- É aqui!

Falou BaekHyun, os dois ficaram na frente da porta, onde nela apresentava uma placa com o nome do maior. O mesmo abriu a porta, dando a visão a Sky de sua sala.

Sky entrou na sala com cuidado e admirada, a sala era muito organizada, tirando a parte de vários papéis espalhados na mesa que tinha no fim da sala. Em torno da sala, tinha livros e pastas, no canto oposto da sala havia um pote enorme de doces, a sala tinha uma cor suave e confortante.

- É bem... Confortante.

A menor falou se aproximando da mesa do maior, observando os papéis espalhados nela. Ela soltou um riso curto e baixo, ela se lembrava de seu pai antes da mesma começar o ajudar, ele era desorganizado como seu Superior, mas assim que começou a ajuda-lo as coisas melhoraram...

BaekHyun riu da reação da mais nova ao elogiar a sala deles, afinal ele gostava de se sentir confortável e relaxado fora de casa.

- Era o objetivo, espero que tenha gostado, pois será aqui que ira trabalhar daqui para frente.

O maior se aproximou de Sky, observando os movimentos que a menor fazia olhando os papéis que o mesmo esqueceu-se de arrumar nessa manhã.

- Desculpe pela pequena bagunça, é difícil ser organizado sendo braço direito de Channie.

O mais velho se explicou, pois pensava que a garota poderia o achar um “porco” pela bagunça que apresentava sua mesa.

- Não, tudo bem... É normal. Channie?

Quem diabos era Channie? A garota se perguntava, afinal não tinha escutado nenhum tal de “Channie” na empresa. O mais velho riu da menor, será que ela não sabia quem BaekHyun se referia?

- Channie é o ChanYeol, ou seja, o Herdeiro da Empresa. O chamo assim por que somos amigos e gosto de chama-lo assim.

BaekHyun gostava muito de seu amigo, mas ele queria que o maior fosse mais flexível no trabalho, já que o mesmo é um pouco rígido. BaekHyun acha estranho que seu amigo se comporte assim, já que ele é acostumado de ver o maior sendo brincalhão e alegre.

- Oh... Entendo. Sr. Byun, em que horário terei que estar aqui amanhã?

A pequena perguntou animada para seu Superior, o maior sentiu sua animação e sorriu.

- Em um horário de 06h30 da manhã. É horário essencial.

O maior para Sky, a mesma assentiu e olhou a hora no celular. Tinha ficado 40 minutos dentro daquela empresa, o motorista poderia ter ido embora.

- Oh, droga. Sr.Byun, tenho que ir. Até amanhã.

Sky correu até a porta da sala ao tocar na maçaneta, a porta foi aberta por outra pessoa. Aparentava uma pessoa séria, sua aparência era calada e rígida, mas era algo totalmente contrário do que realmente Tao era. Tao sempre foi uma “pequena criança” e com um enorme coração. O maior iria procurar o mais velho para seus treinos diários, já que o mesmo era ajudante de BaekHyun no Hapkido.

- BaekHyun está na hora de seu treino.

O maior falou para o mais velho, mas ao perceber uma pequena garota presente na sala, ficou com curiosidade, afinal ele sabia que BaekHyun não fazia isso. Ficou um pouco a menor, a mesma percebeu o olhar do maior sobre ela e ficou um pouco confusa e envergonhada.

- Oh, Tao. Quase ia me esquecendo, vamos!

O mais velho foi caminhando ao maior sorrindo, com aquele seu famoso sorriso retangular, parecia ser forçado, mas era verdadeiro, sempre foi. Ao caminhar até a porta, ainda percebeu a presença da mais nova na sala.

- Oh, Skylette. Quer que eu te acompanhe até lá fora?

- Sim, obrigada, Sr.Byun.

Assim os três caminharam até o elevador, mas os mais velhos iam conversando sobre o Hapkido. A menor preferiu ficar calada, já que não queria se intrometer no assunto. Afinal, era assunto pessoal de seu Superior. Ao chegar ao elevador, BaekHyun apertou o botão do elevador.

- Então BaekHyun, quem é essa moça?

Perguntou Tao em tom de sussurro, já que ele não queria que a menor escutasse. Seria constrangedor. BaekHyun olhou para o mais novo e sorriu fraco por causa de sua curiosidade.

- É minha nova assistente.

Falou o mais velho, afinal era a verdade. BaekHyun estava visivelmente feliz por ter uma assistente, já que ele precisava muito de uma ajuda para se organizar.

O mais novo concordou com a cabeça e começou a fitar a menor, sem que ela percebesse, pois ela estava com sua atenção totalmente voltada ao celular. Assim o elevador chegou. Os três entraram nele e o elevador foi direcionado ao salão da empresa.

- Então Skylette, soube que você é filha de Carter Madson. Isto é incrível!

Começou BaekHyun puxando conversa, tudo que ele mais queria era que ela fosse sua amiga, afinal o mesmo amava fazer novos amigos. Sky sorriu fraco para ele, mas na verdade ela estava triste e se sentia inútil por causa de seus pais, eles são tão famosos que ela só parece uma sombra de sua popularidade. Ela não quer isso! Ela quer ser alguém que seja vista por ela mesma não por causa de seus pais... Mas nesta nova empresa, talvez ela nunca irá alcançar este objetivo. Ao chegar ao salão, os três saíram do elevador, BaekHyun e Tao foram cumprimentar JunMyeon e Sky foi até a porta desaminada.

Ao sair do prédio, ainda viu o motorista na frente do prédio a esperando. Ela deu um sorriso fraco ao homem, assim entrou no táxi.

- Desculpe pela demora, darei o dobro o que disse. Por favor, me leva ao hotel Villa Cha.

Assim o motorista assentiu e foi até onde a menor indicou. Sky parecia arrasada mesmo tendo conseguido o dinheiro, ela sabia... Ela sabia que só tinha contratado a mesma por causa de seus pais. Ela se recusava acreditar, mas era puramente a verdade. Ela sentia uma sombra... Uma sombra que nunca seria vista por quem realmente ela é.

- Senhorita, chegamos.

O motorista falou para Sky, assim fazendo a mesma sorrir fraco. Ela procurou 400 won e entregou ao homem. A mais nova desceu do automóvel e pegou suas malas, depois adentrou o hotel. Dirigiu-se a recepção, a recepcionista sorriu para a menor.

- Boa tarde, senhorita. Irá reservar?

Perguntou a recepcionista, sempre simpática e carismática. Assim como todos os outros recepcionistas.

- Sim, gostaria de reservar um quarto por duas semanas.

A menor respondeu, ela demonstrou paciente. Mas ela só queria subir e se desabar sem que ninguém a visse.

- Claro... Pronto! A senhorita pode subir, seu quarto fica no décimo terceiro andar.

A recepcionista entregou um cartão para Sky, onde neste cartão tinha um número, 596. Assim a mesma sorriu fraco e foi até o elevador. Apertou o botão do elevador e permaneceu na frente do elevador, o esperando.

Sky sempre sofreu situações parecidas, ela era como todas as garotas que tinham pais ricos e famosos, porém ela não queria conseguir as coisas assim, não queria ser uma sombra. Ela sempre foi tratada como uma “princesa”, sempre bem vestida, com uma boa alimentação e sempre educada. Mas tinham coisas que seus pais não sabiam que a mesma fazia, ela sempre se escondia. O máximo que podia, ela se escondia.

O som do elevador fez com que Sky acordasse de seus pensamentos, nos quais eram depressivos e decepcionantes. A mesma entrou no elevador e clicou no botão do décimo terceiro andar. Assim o elevador se dirigiu até lá e a garota voltou aos seus pensamentos.

- Por que tenho que ser baseada por eles?

Era uma pergunta que sempre nunca teve resposta, esta pergunta era sempre questionada por todos esses anos.

- Por que sou tão inútil?

A mesma rangeu os dentes e fechou os olhos e lágrimas teimosas começaram a sair de seus grandes olhos curiosos. A mesma começou a se debater no elevador enquanto chorava contra sua vontade, mas a mágoa era tanta e foi guardada por muito tempo e veio desgovernada.  Ela colocou suas mãos no rosto, o cobrindo por completo. Com suas costas encostadas na parede, foi escorregando até se encontrar com o chão, assim ela começou a chorar encolhida.

Quando a mesma estava triste e estava prestes a chorar, ela consegue controlar-se. Mas desta vez, foi muito difícil já que ela guardou isso por muito tempo. A mesma começou a engolir o choro ao perceber que estava perto do andar que iria se hospedar, se se levantou e limpou as lágrimas e fez a melhor cara de “Estou bem” que conseguiu fazer. Ao abrir as portas, ela saiu disparada para seu quarto.

Ao chegar de frente a sua porta, pegou seu cartão e colocou na frente da fechadura da porta, assim a porta se abriu. Assim ela entrou, na verdade, a mesma jogou suas malas dentro do quarto e fechou a porta. Ao fechar a porta, ela fez o mesmo que tinha acabado de fazer no elevador. Sentou-se no chão e começou a chorar novamente.

Seu choro era abafado e baixo, parecia que seu choro era superficial. Mas por dentro, era como um Tsunami, totalmente descontrolada e bagunçada. Ela não parava de chorar, tudo que ela mais queria, era parar de ser tão inútil, ao ver dos outros ela é “perfeita” por ser filha dos Madson’s, a família mais rica e famosa do mundo.

Ela não era nada perfeita, ela era um tanto sensível ao se tratar de seus pais. Ninguém sabia que a mesma quando era afetada e ficava tão perturbada, ela tinha uma forma uma única de se “aliviar”. A automutilação...

Alguns podem pensar que é besteira... Mas não é, é um problema sério! Independente do motivo, não leve como brincadeira. Este é uns dos motivos em que ninguém sabe que Sky faz isto, tem medo de ser julgada por fazer algo tão pouco...

- Faça esta dor parar, por favor...

A mesma sussurrava para si mesma, mas a dor só piorava. Parecia um enorme peso em suas costas e sua cabeça que nunca iria sair. A menor se levantou com dificuldade e procurou algo cortante pelo quarto, onde não teve resultado. A mesma avistou uma jarra d’água em cima da mesa no quarto, caminhou até e lá e pegou a jarra.

- Talvez isto resolva. Só vou fazer parar...

Assim a mesma jogou a jarra no chão a quebrando em pequenos e grandes pedaços, onde eles se espalharam pelo chão do quarto. O barulho fino e alto do vidro quebrando se espalhou pelo quarto formando um eco. A mesma se abaixou para pegar um caco de vidro do tamanho da palma de sua mão, ao pegar se sentou no chão e puxou as mangas longas do vestido que usava. Posicionou o caco de vidro em seu pulso esquerdo e começou a cortá-lo em sentido horizontal.

Sky pressionava os lábios um contra o outro para segurar o gemido de dor, afinal ela não queria fazer nenhum tipo de barulho, mas a jarra quebrada foi uma exceção. Ela fez um corte superficial no pulso, não muito fundo, mas parecia ser fundo pela quantidade de sangue que saia. Após acabar de ter feito o corte, ela soltou o caco e fitou seu corte, observando sua dor sendo transferida para seu pulso.

- Isto é o bastante?

A mesma se perguntava, aquele corte resolveu alguma coisa? Em todos esses anos, eles nunca resolviam. Eram só uma forma de se “aliviar”...

- Graças á vocês, isto se tornou algo “normal” para mim...

Sky se lembrava de sua adolescência, a época do começo de seus cortes. Sky tinha amigas, aquelas que sempre confiou e que nunca duvidou. Mas agora elas são águas passadas... Era o que a menor queria acreditar.

A amizade de Sky era “perfeita” aos seus olhos que estavam cegos, mas um dia eles se tornaram bem abertos. Ela descobriu que suas “amigas” só estavam perto de Sky por causa da fama e do dinheiro. E como elas chegaram a uma conclusão assim?

Foram subordinadas pelos pais de Sky. Exatamente. Ela nunca teve amigas de verdade, apenas cúmplices que nem sentiam amizade de verdade. Era tudo mentira! Elas só queriam o dinheiro que recebia pelo pai de Sky e a fama que recebiam por serem amigas da filha do casal mais rico do mundo. Isso partiu o coração de Sky em pedaços e ela não consegue mais confiar em alguém, ela só queria ter alguém que gostasse da mesma por quem ela era e não pela influência que ela tinha.

Ela também já se apaixonou e foi quarto pior erro de sua vida. O primeiro erro foi ter nascido e o segundo foi ter continuado a viver e o terceiro foi ter confiado em alguém.

Seu “primeiro amor” foi um empregado que trabalhava em sua casa, ele trabalhava lá temporariamente já que era menor de idade. Pois o mesmo só tinha 17 anos e Sky tinha 16, e assim foi o “primeiro contato” que a mesma teve com um garoto. Mas ela foi enganada novamente por causa do interesse e do dinheiro, o garoto sabia que ela era a filha do casal. E tinha consciência que ela era frágil por ser criada com tanto zelo, assim “abusou” da menina, iludindo a mesma. Mas fazia isto pelo dinheiro que roubava da mesma, já que ele mentia dizendo que precisava por “motivos sérios” e a mesma inocente dava o dinheiro.

Assim essas foram às decepções de Sky que envolveram seus pais durante toda sua vida e esses foram os motivos de começar a se mutilar. Ninguém sabe e nunca saberá!

Tudo que Sky queria era viver livremente sem interferência de seus pais e ser amada por quem ela é. Mas este seu desejo, estava muito longe de seu alcance.

- Por que eu tenho que ser tão fraca?

Sky se perguntava e suas lágrimas voltavam a transbordar em seu rosto pequeno e frágil. Sky aparentava ser durona e nada frágil, mas por dentro ela era como porcelana. Se tocasse em seu ponto fraco, ela se despedaçava não importa quando e onde ela se encontrava. Ela simplesmente se despedaça...

A mesma parou de chorar ao escutar seu celular tocando, o toque da música Heathens de Twenty One Pilots. Ela engatinhou até a bolsa, onde estava em cima da cama, e tirou dentro dela o seu celular. Quem ligava era a última pessoa que ela queria falar, seu pai. Ela respirou fundo e atendeu.

- Bom tarde, minha filha. Conseguiu o emprego?

O homem foi direto ao ponto que mais o interessava afinal ele não queria sua filha solta por aí sem sua supervisão. Ele observava a enorme vista que tinha em seu escritório, onde podia ver o litoral de Vancouver.

- Bom tarde, pai. Sim, consegui e quero morar aqui por causa do emprego.

A menina tentou deixar sua voz a melhores de todas, para parecer que tudo estava normal. E assim, ela foi direta com seu pedido, mas ela estava insegura com a resposta do pai.

- Pois bem... Quanto acha que precisa?

Para a surpresa da garota, o pai havia concordado com o pedido. Ela estava meio chocada pela reação inesperada do pai.

- Bem... Ainda não sei. Acho que tenho o suficiente ainda, quando começar a faltar, eu ligo. Irei alugar um apartamento, posso me virar.

A menina falou simplista, o homem do outro lado da linha concordava com a cabeça. Ele queria gritar com a mesma dizendo para voltar agora para o Canadá. Mas seria lá que ela encontraria seu noivo, na qual ela nem sabia que ele existia. O famoso casamento arranjado por causa dos negócios.

- Muito bem... Qualquer coisa me avise. Tenha uma boa noite, minha filha. Adeus...

Assim o homem desligou e segurou o celular com o punho fechado, com irritação. Sua grande fonte de renda iria trabalhar em outro lugar e lucrar lá, mas seu lado paterno queria sua pequena princesa ao seu lado.

Sky iria ser educada e responder seu pai, mas ele desligou. E fez o grande favor para Sky, ela iria morar sozinha! Longe dos pais, para ela era um sonho. Mas ela tinha consciência que teria que se virar e trabalhar muito para conseguir seu próprio dinheiro.

Ela se deitou na cama e suspirou aliviada, ela voltou sua atenção ao seu pulso esquerdo e via o sangue escorrendo. Ela tocou o sangue com o dedo indicador direito e espalhou o sangue pelo pulso. Assim ela se levantou e foi até o banheiro, lavou seu pulso e fez um curativo para não deixar a ferida exposta. Ao acabar a mesma voltou e viu a sujeira que tinha feito os cacos de vidro espalhados pelo chão do quarto.

- Mesmo ter feito isto... E ter conseguido ficar aqui. Eu não me sinto feliz...

Sky olhou pro seu pulso esquerdo enfaixado e suspirou. Sua ferida só ficava mais profunda conforme o tempo era como pedaços de vidro quebrado que penetrava aquela ferida, deixando ela cada vez mais profunda.

O peso que ela tinha em sua cabeça estava começando a voltar novamente, ela gritou frustrada. A mesma pegou seu celular e o cartão do cartão do quarto e foi embora. Ela decidiu dar uma volta por Seul para esfriar a cabeça, assim ela começou a andar pelas calçadas, sozinha e distraída. Ela avistou duas figuras familiares, uma alta e uma não tão alta, mas maior que a mesma. ChanYeol e BaekHyun estavam voltando de um jantar que eles tinham acabado de ter um jantar entre amigos, os dois estavam voltando sozinhos por que ainda iriam sair mais.

Ao ver seus Superiores, Sky tentou se esconder, mas ela não tinha onde se esconder, ela estava no meio da calçada e ao seu lado uma lanchonete. Por que não entrar no estabelecimento e ficar lá até eles irem embora?

Ela entrou rapidamente na lanchonete e percebeu o ambiente confortável que era o estabelecimento. Ela se sentou em uma mesa perto da vitrine e começou a fitar o cardápio. Mal sabia ela que esta lanchonete era a favorita de ChanYeol e sempre que tinha tempo lanchava por lá.

- Oh, Channie. Vamos entrar e comer um pouco.

BaekHyun falou animado como sempre, toda vez que estava com seus amigos, ele sempre ficava mais alegre que o normal. ChanYeol concordou com o mais velho e eles entraram, eles ficaram procurando uma mesa e Mi-Cha, a garçonete de lá e amiga dos meninos, já os reconheceu e foi até eles.

- Channie e Baekkie! Como vão vocês?

A garota se aproximou com um belo sorriso no rosto, ela era apaixonada por ChanYeol faz alguns anos. Ela preferia contar no momento certo, mas este momento nunca surgiu. ChanYeol sorriu gentilmente para Mi-Cha e BaekHyun fez o mesmo, mas BaekHyun gostava de abraçar, assim abraçou a garota.

- Estamos bem, Mi-Cha. E você?

Perguntou ChanYeol, educadamente como sempre. Quando ele saia do ambiente de trabalho, ele podia se sentir livre e ser ele mesmo.

- Estou bem, Channie.

Ela sorriu docemente para ChanYeol, ela se sentia tão confortável ao lado dele. BaekHyun fez bico para os dois, se sentindo excluído.

- Como vocês são malvados, me excluindo.

BaekHyun cruzou os braços e encheu as bochechas de ar, parecendo uma criança emburrada. Os dois riram do mesmo, sendo infantil como sempre.

- Mi-Cha, quero a mesa de sempre.

ChanYeol falou normalmente mas com gentileza, afinal a mesa que ele sentava era confortante para ele.

- Vou leva-los até lá...

Mi-Cha fez um sinal para os mais velhos a seguissem, assim eles fizeram. Ao chegar à mesa, eles avistaram Sky sentada na mesa, distraída olhando para a calçada e a movimentação de Seul.

- Moça, licença.

Mi-Cha chamou a atenção de Sky, assim fazendo a mesma acordar de seu transe. E ela olhou para a garçonete e percebeu seus dois Superiores atrás da garçonete, assim ela levou um susto. Mas eles não tinham percebido a presença da menor.

- Me desculpe. Quer que eu saia?

Perguntou Sky, pegando suas coisas para se levantar e ir embora.

- Sim, moça. A mesa é deles.

Mi-Cha apontou para ChanYeol e BaekHyun, onde eles voltaram sua atenção totalmente para a mesa, finalmente percebendo a presença de Sky ali. BaekHyun sorriu largamente.

- Skylette! É tão bom te ver aqui.

BaekHyun se aproximou da garota e sorriu para ela e Sky sorriu sem graça de volta. Mi-Cha ficou meio sem entender, ela nunca tinha visto aquela garota na vida e não sabia a forma em que BaekHyun a conheceu.

- A-Ah, Sr.Byun. Pensei que só te veria amanhã...

Sky respondeu nervosa, pois estava na frente do Herdeiro da empresa e não parecia nada feliz. A menor engoliu o seco e decidiu ir embora.

- Tenho que ir Sr.Byun. A mesa é de vocês...

Ela atravessou BaekHyun e Mi-Cha e ficou de frente ChanYeol, novamente ela engoliu o seco.

- Adeus, Sr.Park.

Para sua surpresa uma pessoa segurou seu pulso para que ela não fosse embora, seria BaekHyun.

- Ah, por favor. Fique conosco, não terá nenhum problema.

ChanYeol olhou em forma de reprovação para BaekHyun e o mesmo olhou para ChanYeol de forma de reprovação por causa desta atitude infantil. O maior suspirou e deixou passar.

- Acho que o Sr. Park não se sente confortável comigo aqui...

Completou Sky com seu argumento, ela queria embora, ela não queria se intrometer e incomodar seus Superiores.

- Nada a ver. Eu insisto, fique.

Ela não tinha escolha, deveria ficar. Ela sentou ao lado de BaekHyun, envergonhada por estar sendo invasiva. BaekHyun estava alegre demais e estava muito elétrico e começou a fazer gracinhas na mesa. Fazendo Sky rir e esquecer-se de seus problemas.

Já ChanYeol, estava se sentindo desconfortável com uma funcionária no meio de sua saída com BaekHyun. Mas ele começou a ver que ela não ia fazer nada, ela só estava lá por causa da coincidência. Mi-Cha estava meio perdida, ela era melhor amiga dos dois por doze anos e ela não sabia quem era aquela garota e se sentia meio incomodada pela atenção que ela recebia de BaekHyun, por que só BaekHyun te dava muita atenção.

- Sr.Byun, estou ansiosa para trabalhar com você amanhã.

Falou Sky interrompendo as brincadeiras de BaekHyun, o mais velho sorriu largamente. Sky sorriu para o mais velho, um sorriso gentil e sincero. Sky acabou olhando para ChanYeol, onde o mesmo foi pego a fitando.

- Então, Senhorita Madson. Soube que será a assistente de BaekHyun, espero que faça um bom trabalho e organize bem o trabalho dele.

ChanYeol falou com tom de superior, mas na cabeça de ChanYeol, ele falava como um conselho para a nova funcionária. E não como seu Chefe de dar medo...

- Sim, Sr.Park.

- Mi-Cha, por favor, traga o de sempre.

ChanYeol pediu para Mi-Cha trazer o que eles sempre pedem, ou seja, um sanduíche natural e um milk-shake de creme. Só que agora ele pediu para os três presentes na mesa.

- Então, Skylette. Vai ficar por aqui mesmo?

BaekHyun perguntou para mais nova, ele se virou para ela e sua atenção se tornou toda para ela. ChanYeol decidiu prestar atenção.

- Oh sim, ficarei aqui por causa do trabalho.

Sky respondeu simplista, com um sorriso simples. BaekHyun sorriu e ChanYeol decidiu olhar para as ruas de Seul. Mi-Cha trazia os lanches e deixou sobre a mesa.

- Aqui está.

Ela falou sorrindo para ChanYeol e o mesmo assentiu e agradeceu e começou a comer. Sky observou que tinha mais dois conjuntos ali e ficou na dúvida. BaekHyun se aproximou e pegou o dele.

- Pega o seu, Skylette.

Falou BaekHyun, dando uma mordida em seu sanduíche. Sky olhou para o mais velho e suspirou.

- Eu não posso aceitar Sr. Byun.

Sky falou e encarou seu superior, o mesmo a encarou também, depois sorriu.

- Não tem problema, aceite.

A mesma pegou o sanduíche receosa, ao pegar o sanduíche as mangas de seu vestido abaixaram, mostrando seus pulsos e deixando exposto seu curativo. Naquele curativo, ainda mostrava uma mancha de sangue exposta nele. ChanYeol olhou em direção a Sky e algo chamou sua atenção, o curativo com a macha de sangue. O maior parou de comer e segurou o pulso da mais nova. Sky olhou assustada para o maior e BaekHyun viu o estranho comportamento.

- Channie, o que pensa que está fazendo?

BaekHyun perguntou curioso e meio receoso por causa do estranho comportamento de ChanYeol, o maior ignorou BaekHyun e fitou a menor.

- O que aconteceu com você, Skylette? 


Notas Finais


Obrigada por ler...
Se gostou da fanfic, continue a ler e favorite.
Se tem críticas ou quer falar comigo, comente, eu respondo.
Espero que tenham gostado.
Até a próxima.
Kissus doces *-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...