História You're My Mission - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Aaron Taylor-Johnson, Amber Heard, Barbara Palvin, Chris Evans, Gal Gadot, Henry Cavill, Jason Momoa, Jensen Ackles, Little Mix, Mark Ruffalo, Megan Fox, Sebastian Stan, Tom Hiddleston
Personagens Aaron Taylor-Johnson, Amber Heard, Barbara Palvin, Chris Evans, Gal Gadot, Henry Cavill, Jensen Ackles, Leigh-Anne Pinnock, Mark Ruffalo, Megan Fox, Personagens Originais, Sebastian Stan, Tom Hiddleston
Tags Agentes, Cia, Policial, Secretos
Visualizações 13
Palavras 1.155
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi amores, mais um capítulo depois de um tempo sem! Espero que gostem! Boa Leitura!
Apareçam leitores fantasmas, meus fantasmas 😝😂😍

Capítulo 27 - Capítulo 26: O passado às vezes machuca ao lembrar.


Fanfic / Fanfiction You're My Mission - Capítulo 27 - Capítulo 26: O passado às vezes machuca ao lembrar.

Vicky 

Eu sei que todos aqui, que nós tivemos horríveis passados mas o meu me corrói por dentro, aquilo que eu nunca contei pra ninguém, o que eu passei o que ainda tem escondido, eu não aguento mais, posso até transparece felicidade mas meu interior ninguém vê a não ser eu mesma. 

- Cadê a Vicky? - pergunta Ayandra, ao ver Jensen descer de novo cabisbaixo. 

- Tá lá em cima! 

- Ela não vai descer? -digo e ele nega com a cabeça.

- Ela quer ficar sozinha, ela tá um caco alguma coisa tá acontecendo e ela não quer contar! -suspiro com os olhos marejados; - É ruim, é ruim ver ela assim, ajuda ela, vai lá! -seguro as mãos de Ayandra.

- Tá bom, olha... Não chora! Eu vou ajudar ela, tá? -ele balança a cabeça confirmando, e eu vou ao encontro de Vicky; - Vicky? -bato na porta e ninguém responde; - Shepperd? -bato novamente e entro.

- Eu quero ficar sozinha! -digo com a voz chorosa.

- Eu vim te ajudar, eu tô aqui pra te ajudar... -entro devagar no quarto e encontro ela se debaixo da água na banheira; - Vicky! -a puxo e seguro ela.

- Me deixa! -me bato tentando me soltar e voltar pra debaixo d'água.

- Olha pra mim! Olha pra mim! -seguro seu rosto; - Pra que isso? Porque isso? Você não é dessas, você não é assim! -a puxo pra fora.

- Me deixa! -digo aos prantos.

- O que aconteceu? O que foi? Se eu não souber, eu não vou poder te ajudar! -pego a toalha e jogo em cima cima; - Eu não entendo, eu não sei o que é... Victoria! 

- Há 7 anos, 7 anos.... Minha mãe foi morta... Há 7 anos, Austin Collins me moslestou, há 7 anos o mesmo me bateu... Há 7 anos eu venho sofrendo com as marcas que ficaram até hoje! -começo a chorar novamente. 

- Mas... -Vicky a interrompe. 

- Isso, Austin Collins, o seu pai! O seu "bom pai" como sua mãe dizia.... Eu tinha 16 anos, quando isso aconteceu, no mesmo dia, minha mãe morreu e eu.... fiquei sem chão. -digo aos prantos e ela me abraça.

- Vem, se vista! -pego umas roupas e coloco nela; - Eu vou lá em baixo, não se mexa! -saio do quarto, e vou até Jensen. 

- O que foi? 

- São 7 anos...

- Como assim? Ah...

- Ela tá mal... Fica com ela! Vai lá! 

- Obrigada Ayandra... -subo correndo e abraço Vicky; - Meus sentimentos amor... -a abraço forte.

- Minha mãe... -digo chorando.

- Você precisa colocar isso pra fora! Diz pra mim... -olho pra porta e vejo que todos estão parados; - Entrem...

- Noite pra vocês... - diz Evans.

- Pessoal, Vicky quer contar uma história... -diz ayandra.

- Não... -diz Vicky.

- Ela vai sim, ela quer desabafar com a gente! 

- Ok... -suspiro até me recompor e começo a contar; - Uma mulher, um homem e um menino de 3 anos, moravam de favor na casa de um cara bem sucedido, ele e a mulher precisavam de uma empregada então essa mulher se pôs a frente do cargo e assim conseguiu um cantinho pra dormir. Ela trabalhava direto, o homem não vinha pra casa, pois passava a noite tentando arrumar dinheiro pra família dele, ela.. ela engravidou mas o menino, ele ficou muito doente, e eles não tinham recurso nenhum pra levar ele no hospital mas a esposa do cara que cedeu a casa sabia o que era que aquele menino tinha, ele tinha meningite. Já era tarde demais quando a dona da casa começou o tratamento com a mãe do menino e infelizmente ele faleceu. Depois de nove meses nasceu uma menininha, que nasceu quase no mesmo dia que a herdeira daquilo tudo. Eles passaram necessidade até os dez anos dessa menina que ia com o pai arrumar dinheiro, seu pai numa noite foi assaltado e acabou levando um tiro e na mesma noite ele faleceu mas essa menina... -começo a chorar; - Tinha sua mãe, mas sua mãe também não estava tão bem por conta da batalha do dia-a-dia. Então a menina trabalhava e cuidava da sua mãe, anos se passaram e ela e a mãe aguentaram muita coisa, o chefe da mãe dela, abusava dessa mulher quando a esposa não estava em casa, a filha desse cara era mimada, abusava e adorava menosprezar a menina e sua mãe, mas infelizmente a dona da casa faleceu e então só sobraram as pessoas quem ela menos gostava... Aos 16 anos dessa menina, uma briga aconteceu e o dono da casa bateu em muitas coisas em suas costas, fazendo as costas dessa menina ficarem marcadas pra toda a sua vida.. -me viro de costas aos prantos e mostro as marcas; - Mas eu não me deixei perder por aquilo, eu sabia que ia vencer na vida nem que seja só uma vez, uma pequena vez... -seco as lágrimas; - Na mesma noite em que eu apanhei, eu fui abusava por esse cara, minha mãe também, a filha dela depois disso, brigou com a minha mãe e a empurrou de portão a fora, fazendo com que ela perdesse o equilíbrio e caísse sem tempo de levantar, por causa da idade, eu corri mas já era tarde demais... -volto a chorar; - Vinha um carro em alta velocidade e passou por cima da minha mãe, enquanto a filha desse cara via tudo pela sacada do quarto dela, o cara do carro fugiu, eu... Eu estava sozinha, o que eu ia fazer? Eu não tinha dinheiro, eu não tinha família, eu não tinha nada. Sem ajuda de ninguém, joguei o corpo da minha mãe num rio, que tinha duas ruas depois, eu era molestada todo dia por um prato de comida, uma água... Eu tinha 16 anos, passei mais 2 anos por isso, eu apanhava, levava tapa na cara, cuspe, humilhação por causa de um prato de comida, eu dormia no porão. Quando eu fiz 18, eu arrumei um trabalho e lá eu fiz amigos que me deram de tudo.... E o pai da Alicia, é o Ruffalo que trouxe pra CIA, sabendo de tudo o que eu tinha passado e ainda estava passando... 7 anos atrás, a menina sofria demais hoje... Hoje ela tá aqui, dando a cara a tapa, se abrindo com a família dela pela primeira vez, depois de 7 anos.... -Jensen me abraça e logo depois todos nós nos abraçamos.

-Sentimos muito né gente? -Pergunta Aline todos respondem que sim.

- Vicky, eu sinto mais ainda, sinto muito mesmo... Me perdoa? -pergunta Ayandra, que já chorava

- Sim, eu te perdoo! -a abraço. 

- Porque? -pergunta Aaron.

- Porque a menina mimada e o pai dela, sou eu! -diz Ayandra, que faz todos ficarem de boca aberta; - Mas eu mudei, eu cresci, eu amadureci! Hoje somos amigas, o perdão existe! Mas o passado.... -Vicky a interrompe. 

- O passado às vezes machuca ao lembrar! -ela diz. 





Notas Finais


Então é isso, capítulo bem triste né, sinto tanto pela Vicky, pela Ayandra também.... Digam o que acharam e até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...