História You're My Special Affair – Camren - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Justin Bieber, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais, Zara Larsson, Zayn Malik
Tags Amor, Carros
Exibições 941
Palavras 3.294
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Policial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Heeeeeeeey, mais um capítulo pra vocês. Dessa vez nem demorei tanto, né? Espero que gostem, leiam as notas finais. Hora da leitura, my dear.

Capítulo 28 - We are not friends.


Fanfic / Fanfiction You're My Special Affair – Camren - Capítulo 28 - We are not friends.

                        POV CAMILA

Os primeiros raios de sol adentravam em meu quarto através das frestas da persiana, refletindo nas costas nuas da mulher deitada ao meu lado.

Anotação: Lauren Jauregui não tem nenhum pouco de uma coisa chamada pudor.

                      Flash Back On

- Agora que estamos só nós duas, você pode me dizer o que foi tudo isso? — perguntei, batendo a porta do carro e colocando o cinto de segurança.

- Certo, um carro bateu acidentalmente em uma árvore após se envolver em um racha. A polícia chegou no local após ter recebido uma denúncia anônima de moradores alegando ter carros em alta velocidade próximo ao lago. — Lauren disse debochadamente, enquanto ligava o carro.

- Quer parar de falar como uma repórter? Deus, eu odeio o seu cinismo. — eu disse, revirando os olhos.

- Você acha que eu teria futuro nessa profissão? Eu particularmente acho que..

- Lauren, você quer calar a boca? — exclamei, encarando-a.

- Jesus Cristo, Camila. Você está de TPM? — perguntou, engatando a ré e apoiando o braço no banco do carro para poder ter visão do que havia atrás do automóvel.

- Não, Lauren. Por que você está sendo mais idiota do que geralmente é?

- Eu não estou sendo idiota. — disse, voltando a posição normal e acelerando o carro — Por que você acha que eu estou sendo idiota?

- Por que você está agindo como uma. — eu disse, fazendo uma expressão de óbvio — Eu deveria ter ido com Zayn, pelo menos ele conversa comigo.

No mesmo instante Lauren parou o carro, me fazendo ir um pouco para frente, sendo segurada pelo cinto.

- Certo — disse, se inclinando sob as minhas pernas e abrindo a porta do carro — Vamos esperar aqui então.

- Isso é sério? — perguntei, encarando-a — Lauren Jauregui, se eu sair desse carro agora, eu não entro nele nunca mais.

- Você não faz questão de ir com ele, por que não vai?

- Tudo bem, Lauren.

Eu estava prestes a tirar a porra do cinto de segurança e sair daquele carro quando Lauren em um movimento rápido destravou seu cinto e se inclinou para tomar os meus lábios em um beijo possessivo. No início eu tive um susto, mas logo depois tratei de retribuir. Eu sentia posse em cada movimento que ela fazia em meus lábios, era quase devastador. O beijo foi finalizado com uma mordida em meus lábios quando a falta de ar se fez presente.

- Eu irei te levar em casa como eu disse que levaria, okay? okay — disse, fechando a porta do carro e colocando seu cinto de segurança.

Eu nada falei, apenas observei Lauren ligar o som do carro em um volume baixo e se concentrar na estrada.

- Por que você é tão fechada? — perguntei, quebrando o silêncio que reinava dentro daquele carro, a não ser pela música baixa que tocava.

- Certo, temos longos minutos até a sua casa. Sobre o que você quer saber? — perguntou, olhando para mim e depois olhando novamente para a estrada.

- Quero saber o que foi isso tudo, sobre você.. — eu disse, enquanto olhava as árvores através da janela.

- E o que te faz pensar que eu irei falar sobre mim? — perguntou, com um pequeno sorriso.

- Nossa como eu queria bater a sua cabeça contra esse volante. — resmunguei, revirando os olhos.

- O que disse? — perguntou com o cenho franzido.

- Que a beleza dessa floresta à noite é estonteante. — menti, forçando um sorriso. — Vamos Lauren, me conte.

- Você é tão insistente — Lauren disse, revirando os olhos e sorrindo — Certo, eu não compareci no dia do resultado porque eu disputei um racha com Austin nesse mesmo lugar e ele fez com que eu fosse presa.

- Eu vou fingir que não ouvi a parte de você ter sido presa. — eu disse, olhando-a indignada — Eu só não entendo porque você só reagiu agora.

- Eu descobri hoje à noite, por uma coincidência. Eu encontrei o celular dele que continha as mensagens anônimas que ele trocou comigo.

- Então quer dizer que você foi até uma estrada afastada da cidade se encontrar com um anônimo para disputarem um racha?

- Afirmativo.

- Sinceramente, eu não sei quem é o mais burro dos dois. Austin que deixou as mensagens no celular e ainda se descuidou com o aparelho, ou você que se envolveu com alguém que não se identificou.

- Okay, mother. — disse, revirando os olhos.

O silêncio voltou a reinar no carro. Eu já havia desistido de tentar saber sobre Lauren. Apenas apoiei minha cabeça no vidro do carro e fechei os olhos.

- Eu comecei a correr em rachas aos dezessete, já fui presa duas vezes e todas as vezes foi o meu tio Ian que me tirou sem que meus pais soubessem. Eu já fiz quase tudo que você possa imaginar e eu odeio chocolate, minha sobremesa favorita é arroz com leite. Minha melhor amiga é Lucy, conheci ela aos dezoito em uma balada em Londres. Meu melhor amigo é Zayn, conheci ele aos três anos quando meu pai me levou ao parque. Aos nove anos minha família e eu nos mudamos de New York para Miami, aos onze Paris, aos quartoze Berlim, aos dezessete Londres e agora aos vinte de volta à NY. Minha vida nem sempre foi baseada em agitação, tudo começou após o fim traumático do meu primeiro e único relacionamento. Passei a confiar apenas em Zayn, Lucy,  Ally, e, agora confio em você. Caso contrário não estaria falando essas coisas. O que eu mais gosto em mim fisicamente são os meus olhos. Eu sei pilotar helicópteros, iates, carros, motos e jet-ski. Sei tocar violão, guitarra, baixo e bateria, aprendi tudo com o meu tio Ian. Quando eu era criança eu colocava os braços dentro da camiseta e dizia as pessoas que eu os tinha perdido, eu dormia com todos os meus ursinhos de pelúcia para nenhum ficar ofendido, mas, o meu preferido era a Nala, e eu guardo até hoje. Eu esperava atrás das portas para assustar as pessoas, mas saia sempre, porque elas demoravam ou porque eu tinha que fazer xixi. Eu fingia estar dormindo no sofá para meu pai me carregar para a cama. Eu costumava achar que a lua seguia o carro e olhava para aquelas gotas de água na janela como se fosse uma corrida. Eu tinha medo de hamster, mas meu tio Ian comprou um para mim e eu perdi o medo do pobre animal. Eu também tive um cachorro, porém, ele quebrou o vaso suíço preferido da minha mãe, avaliado em dezessete mil dólares e ela se desfez do coitado do cachorro. Minha mãe se chama Clara e meu pai se chama Michael. Tenho dois irmãos, Chris e Taylor. Minha banda favorita é The 1975 e eu amo Lana Del Rey. Nunca precisei estudar para tirar notas boas, porém, meu comportamento nunca foi dos melhores. Gosto de experimentar coisas novas, viajar, testar meus limites e de sentir a adrenalina em meu corpo. Não gosto de gente burra, que força intimidade nas primeiras conversas, de repetir a mesma coisa várias vezes ou ter que responder perguntar óbvias até pra uma porta. Sou facilmente conquistada pela boca. Tenho mania de corrigir os outros e ficar puta quando sou corrigida. Sou bastante sarcástica e ironizo tudo, o tempo todo. Ao contrário de você não sou uma pessoa família. Acho que é isso, ah, eu nem sempre sou tão fria, as vezes eu lembro que possuo um coração.

Eu abri os olhos ao terminar de ouvir aquilo, agora nós já estávamos no trânsito paradas em um sinal fechado. Eu tentei raciocinar tudo e olhei para ela que observava o trânsito lá fora.

- Você já foi presa não uma, mas, duas vezes, Lauren? — perguntei, me acomodando melhor no banco.

- Você está brincando comigo, não está? — perguntou indignada.

- Sabe, eu gosto de você Jauregui.

- Sabe que eu também gosto de você, Cabello? Você é até legalzinha quando não está sendo chata.

- O jeito que você demonstra carinho precisa ser estudado. — revirei os olhos e sorri.

- Muitíssimo engraçado, Cabello. — disse, sorrindo.

                       Flash Back Off

Como Lauren veio me deixar em casa ontem à noite, ela acabou dormindo aqui. Eu nem preciso contar o que fizemos, não é? Eu já estava me acostumando com isso e eu nem sei se deveria.

Saí dos meus pensamentos e me surpreendi ao notar que Lauren já havia acordado e estava olhando para mim.

- Por que está me olhando assim? — perguntei, levando minha mão até as mechas de cabelos que caiam em seu rosto.

- Eu não sei — disse calmamente, fechando os olhos demoradamente e abrindo novamente — Que horas são?

Me inclinei na cama para alcançar o celular que estava na bancada e voltei para a posição anterior.

- Seis e quarenta. — eu disse, ouvindo Lauren resmungar em desaprovação.

- Eu preciso ir para casa tomar um banho e trocar de roupa — disse, se sentando na cama e deixando o lençol cair em seu colo. Eu permaneci deitada observando atentamente a casa marca das minhas unhas em suas costas. Incrível como Lauren fica facilmente marcada devido a sua pele branca. Ela se levantou e caminhou de costas para mim enquanto vestia apenas a sua calcinha. O restante de suas roupas estavam em cima da minha poltrona, ela começou a vestir todas até não restar nenhuma peça ali. — Você quer que eu passe aqui para te levar? — perguntou, caminhando até mim e depositando um beijo em minha testa.

- Não tem medo das piadas de Dinah? — perguntei, fechando os olhos ao sentir o contato dos seus lábios em minha pele.

- Não, é apenas uma carona de amigas. — disse, sorrindo e depositando um beijo no meu pescoço.

- É isso que somos? — perguntei.

- Acho que sim. — disse, depositando outro beijo — Eu irei passar aqui, tá bom?

- Tá bom.

- Nos vemos daqui a pouco. — disse, se levantando e caminhando até a porta — Que eu não esbarre com o seu pai no corredor, amém.

Eu sorri e neguei com a cabeça. Me espreguiçei na cama, bagunçando ainda mais os lençóis. Respirei fundo e tomei coragem para ir até o banheiro fazer a minha higiene matinal. Após isso, vesti a roupa e desci para tomar o café da manhã.

- Bom dia, hija — minha mãe disse, colocando o café em sua xícara — Dormiu bem?

- Bom dia, mama — eu disse, depositando um beijo em sua bochecha — Dormi sim, e você?

- Seu pai anda roncando demais, santo cristo. — disse, tomando um pouco do seu café — Como foi a festa?

- Foi legal, mas você sabe que eu não gosto muito dessas coisas. — disse, dando de ombros e pegando um biscoito.

- Lauren te trouxe para casa, não foi?

- Foi — respondi quase em um sussurro.

- Engraçado, não vi ela indo embora ontem à noite.. — disse, sorrindo para mim.

- Mama, Lauren e eu somos apenas amigas. Okay? — perguntei, colocando o achocolatado em meu copo.

- Já que você diz, seu pai e eu não vamos insistir. Ela é uma moça tão educada, não é? Gosto dela. — minha mãe disse, passando manteiga no pão.

“Educada quando está com vocês.” — pensei.

- Eu também gosto dela. — disse, dando de ombros e bebendo meu achocolatado, recebendo um olhar malicioso da minha mãe — Como amiga, mama.

- Certo, certo. — disse, levantando as mãos em rendição — Eu irei acordar Sofi.

Permaneci sentada tomando o meu café da manhã quando notei o meu celular vibrando em cima da mesa.

Zayn Malik [07h08]: Hey, Camila. Desculpe ter dado em cima de você ontem, eu estava um pouco alterado.

Camila Cabello [07h09]: Sem problemas, agora eu tenho que ir. Nos vemos na aula?

Zayn Malik [07h10]: Nos vemos na aula, até mais.

Guardei o celular no bolso da calça e fui até o meu quarto pegar a minha mochila. Enquanto Lauren não chegava aproveitei o tempo para estudar, sendo interrompida por uma buzina. Caminhei até a janela do meu quarto, vendo o carro de Shawn lá em baixo. Como fui esquecer dele? Desci as escadas e caminhei até o seu carro, onde me inclinei na porta.

- Não vai entrar? — perguntou, franzindo o cenho.

- Eu vou com uma amiga hoje, desculpa ter esquecido de te avisar.

- Ah, então até mais. — sorriu e partiu com o carro.

Shawn é um rapaz legal, eu até namoraria com ele se gostasse do que ele tem. Porém, nem tudo sai como queremos. Eu estava tão entretida observando o carro dele sumir que nem notei o carro de Lauren estacionado. Fiz um sinal com a mão para que ela esperasse e fui buscar a minha mochila.

- Podemos ir. — eu disse, fechando a porta e colocando minha mochila no banco de trás. Lauren acentiu com a cabeça e partiu com o carro — Aconteceu alguma coisa?

- O de sempre, nada com que se preocupar — disse, sorrindo e fazendo um breve carinho em minha bochecha com o polegar.

Durante o caminho até Columbia fomos falando sobre coisas aleatórias, como o início dos jogos, a atendente da lanchonete do Campus que quer o corpo nu de Lauren e por aí vai..

Quando ela estacionou o carro, automaticamente recebemos os olhares de Dinah e Troye que acabará de chegar.

- O rapaz da carona está tão parecido com Lauren, você não acha Troye? — Dinah perguntou, dando um pequeno empurrão em Troye.

- Você quer parar, Dinah? — perguntei, revirando os olhos.

- Eu quero saber onde a senhorita foi parar ontem à noite. — disse, semicerrando os olhos para mim.

- Isso é assunto para a outra hora, vamos para a aula? — perguntei, pegando a minha mochila e caminhando ao lado de Lauren.

                      POV LAUREN

A aula já havia acabado e eu estava encerrando a chamada com Lucy. Contei a ela sobre o troco que Austin levou, porém, minha melhor amiga me lembrou do motivo pelo qual tudo começou.

Ele tinha algo que eu queria.

Peguei minha mochila do chão do corredor e guardei o celular no bolso da calça. Caminhei no meio das pessoas até chegar na quadra onde eu avistei Camila tocando e cantando enquanto Zayn, Troye, Justin e Zara observavam. Eu me aproximei devagar e a voz doce de Camila inundou os meus ouvidos.

“We're not, no we're not friends, nor have we ever been. We just try to keep those secrets in a lie. And if they find out, will it all go wrong? And heaven knows, no one wants it to.”

(Não somos, nós não somos amigos, e nunca fomos. Nós só tentamos manter esse segredo em uma mentira. E se eles descobrirem, será que vai dar tudo errado? E só Deus sabe, ninguém quer que isso aconteça.)

“So I could take the back road. But your eyes'll lead me straight back home. And if you know me, like I know you, you should love me, you should know.”

(Então eu poderia escolher um caminho mais fácil. Mas os seus olhos me guiam direto para casa. E se você me conhece, como eu te conheço, você deveria me amar, deveria saber.)

“Friends just sleep in another bed. And friends don't treat me like you do. Well, I know that there's a limit to everything,  but my friends won't love me like you. No, my friends won't love me like you.”

(Amigos dormem em camas separadas. E amigos não me tratam como você me trata. Bem, eu sei que há um limite para tudo, mas meus amigos não me amam como você. Não, meus amigos não me amam como você.)

We're not friends, we could be anything If we tried to keep those secrets safe. No one will find out if it all went wrong, they'll never know what we've been through.”

(Não somos amigos, nós poderíamos ser qualquer coisa se tentássemos manter esses segredos a salvo. Ninguém descobriria se tudo desse errado, eles jamais saberão de nada do que passamos.)

“But then again, if we're not friends Someone else might love you too. And then again, if we're not friends There'd be nothing I could do.”

(Mas então, nós não somos amigos. Pode ser que outra pessoa também te ame, e aí então, se não somos amigos, não há nada que eu possa fazer.)

“And that's why friends should sleep in other beds. And friends shouldn't kiss me like you do.”

(E é por isso que amigos devem dormir em camas separadas. E amigos não deveriam me beijar como você me beija.)

Camila terminou de cantar e abriu os olhos, olhando diretamente para mim. Eu poderia jurar que suas bochechas estavam coradas por perceber que eu tinha a ouvido cantar. Eu pisquei para ela e me aproximei batendo palmas.

- Eu ainda irei ver você nos palcos como uma cantora profissional, anota aí. — eu disse, sentando ao lado de Zayn.

- É o que eu digo todos os dias. — Troye disse, sorrindo para Camila.

- Primeiramente Fora Temer. — Dinah surgiu do nada, jogando a mochila na arquibancada e juntando-se a nós.

- Segundamente, quem é Temer? — Justin perguntou, franzindo o cenho.

- Meu Deus, eu sou a única aqui com influências internacionais? E não, você não conta Jauregui. — Dinah disse, apontando para mim antes que eu pudesse falar algo.

- Estou com fome, o que acham de almorçamos todos juntos? — Zayn perguntou, se levantando.

- Eu acho ótimo, só preciso devolver o violão na sala de instrumentos.

- Eu vou com você, tenho assuntos pendentes com Mr. Yan. — menti, levantando da arquibancada. — Encontramos vocês no estacionamento

Camila e eu descemos as arquibancadas, recebendo olhares de Dinah. E quer saber? Eu particularmente não ligava mais para isso.

- Você não tem nenhum assunto pendente com Mr. Yan — Camila disse, abrindo a porta e ligando o interruptor de luz.

- Eu também não vejo ninguém aqui. — eu disse, me aproximando da morena e depositando um beijo em sua nuca.

- Lauren, aqui não. — disse, se inclinando para colocar o violão ao lado da parede, virando-se para mim em seguida. — Você é algum tipo de ninfomaníaca?

- Primeiro psicopata, agora ninfomaníaca. Tem certeza que não sou mais nada? — perguntei, depositando beijos em seu pescoço, ouvindo-a suspirar.

- Estão todos esperando por nós no estacionamento, senhorita hetero. — disse, dando uma leve mordida no meu lábio.

- Você tem razão, senhorita indireta. — eu disse, piscando para ela e abrindo a porta da sala. — Senhorita.. — estendi o braço para a saída.

                                (...)

- Eu não acredito que você fez isso, Justin. — Camila disse, cobrindo o rosto.

- Vocês nunca foram no banheiro dos meninos quando o de vocês estão cheios? — Justin perguntou, como se estivesse falando a coisa mais normal do mundo.

- Que? Claro que não! — Dinah disse, comendo suas batatas fritas — Se bem que, Camila você lembra quando..

O celular de Zayn começou a tocar, interrompendo seja lá o que Dinah fosse falar.

- Alô? Mãe? Como assim? Certo, tchau.

- O que aconteceu? — perguntei, levando o copo até a boca e colocando novamente na mesa.

- Nós temos quatro horas para limpar todo o meu quintal. — Zayn disse, levando e colocando as mãos na cabeça — Os meus pais estão voltando para casa.


Notas Finais


PRIMEIRAMENTE: NÃO ESQUECAM DE COMENTAR OS CAPÍTULOS.

SEGUNDAMENTE: O trailler de You're My Special Affair estará disponível no próximo capítulo. (AEEEEEEEEEEE)

Nos vemos no próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...