História You're Not My Mother - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Beemo "BMO", Cake, Finn, Fionna, Hudson Abadder, Jake, Lady Íris, Marceline, Marshall Lee, Personagens Originais, Princesa Jujuba, Principe Chiclete, Príncipe de Fogo, Rainha Gelada, Rei Gelado
Tags Acidente, Bubbline
Visualizações 50
Palavras 1.125
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


PARA , PARA , PARA!!! PARA AI ! Abaixa a arma e vamos conversar, migo. Deixa eu falar, depois tu me mata.

Tá...eu só não atualizei por que fiz 14zão (UHUULLL) e virei babá dos mais novos da escola ( a porra de uma oficina que os oitavos e terceiros anos vão ter que fazer atividades com os sextos e sétimos anos , aff ) e sim, a depressão não tá colaborando só me colocando pra baixo . Então NÃO ME MATEM.

Btw , ignorem os erros okay? Corrigo depois

Capítulo 3 - Ele


Fanfic / Fanfiction You're Not My Mother - Capítulo 3 - Ele

~■POV'S BONNIBEL ON■~

UMA SEMANA DEPOIS...

-Mãe? - Chama Louise e aperto um botão no controle em minha mão, pausando o jogo.

-Oi ?

-Cadê a sua putinha ? - Ao ouvir suas palavras, tudo o que fiz foi revirar os olhos por trás das lentes do óculos- Vai , responde ! revirar os olhos não adianta porra nenh...

-Ela foi visitar os pais dela , Louise! - A encarei- E ela não é a minha "putinha" , ela é minha namorada. Respeite-a !

-Não sou obrigada a respeitar a Abadeer - Deu de ombros e se virou- Ela roubou o lugar da mamãe mesmo . - pegou seu casaco pendurado no corrimão da escada e tornou a me chamar. - Vou sair , okay ?

-Para onde caralhos você vai ?!

-Eu vou ir ver o Max . Algum problema , mãe?

-Não- Despausei o jogo e voltei minha atenção para a TV - Mas você sabe que eu não vou com a cara desse muleque.

-Foda-se o que você pensa dele. - Bateu a porta e saiu

-Sem educação...

                               ***

- Como estão as coisas por ai , querida? - Questionou Hudson , pai de Marceline , através da tela do notebook. - Hum , não gosto nadinha dessa cara . O que houve, querida?

-Bom...As coisas ainda permanecem do mesmo jeito. O senhor sabe , Louise continua a odiar Marceline com todas as forças.

-O que minha filha fez pra ela?

-Eu não faço a mínima idéia... - Admito , dando de ombros .

-Marcynha odeia ela também?

-Não...por incrível que pareça, ela gosta da Lou , só odeia as atitudes dela. - Suspirei - Falando em Abadeer , ela tá bem ?

-Está no cinema com a L... - Sua fala é cortada por uma mulher pulando em seu colo e apoiando o rosto nas mãos, em frente ao monitor.

A minha menina mulher...

-Tô no cinema não, tô aqui , papi ! - Fala a mesma acenando com a mão,

como uma criança para mim - Oi amor - Aproxima o rosto da tela , e literalmente a beija. - Tudo bem?

-E eu ? Não ganho beijo? - Indagou o homem de cabelos grisalhos , fazendo um bico com os lábios .

-Own , tá ciúmes , velho? - Abraçou o pescoço do mesmo , depositando um beijo em sua bochecha , deitando sua cabeça em seu ombro logo em segudia

- Às vezes eu acho que você tem nove anos, e não vinte e dois , filha.

-Concordo , é uma criancinha - Sussurro bebericando um gole de meu suco , evitando rir do rosto de indignação de minha namorada. - O que foi , meu amor?

-"Concordo , é uma criancinha" - Afinou a voz, na tentativa falha de imitar a minha. - Na hora que você tá me fu...

-Como é que é, Marceline?!

-Er...Na hora que ela... - Riu de nervoso , encarando o pai que mantinha um semblante duvidoso- Que ela...Que a gente tá brincando de quem grita mais alto , pai. Só isso , uma brincadeira inocente.

-Acho bom...

-Safado. - Sussurrou , fazendo-o arregalar os olhos.

Não consegui prender o riso , e acabei me engasgando com o suco de uva em minha boca, cuspindo metade no chão , começando a tossir em seguida .

-Amor , você tá bem ? - Perguntou em meio à risadas. - Caralho, sua camiseta tá toda manchada agora. - Bateu a mão na própria testa , respirando fundo.

-E dai , filha ?

-E dai que não vai ser quem vai lavar isso ai .

-Quanto dr...quanto drama - Falo , tentando parar de tossir e rir ao mesmo tempo.

-Você que vai lavar , então diga isso à você. - Piscou em minha direção- E ai ? Onde está minha fã número 1?

-Louise?

-A mesma.

-Saiu pra ver o merdinha .

-Maxwell ?

-Uhum... - Marcy bufa e revira os olhos. - Que foi?

-Odeio esse carinha tanto quanto você , Bonn.

- Ele é tão...tão idiota . Como ela consegue gostar dele? - Questionou

-Do mesmo jeito que você gosta dessa velha aqui - Uma voz irritantemente conhecida por mim fala em deboche atrás de mim , acompanhada por uma risada . Maxwell e Louise. -E ai , puta.

-Ah , e ai . - Responde Marcy , mostrando o dedo do meio para o garoto.

- Ô puta , já deu o rabo hoje ?

-Não sou cachorra pra ter rabo , Max . - Revirou os olhos - Mas tenho uma coisinha que nenhuma mulher vai te dar , então okay.

-Você está discutindo com um garoto de quinze anos, filha.

-Quem é esse velho ? - Questionou Louise , que se agarrava à Maxwell.

- Seu avô

-Ele não é meu avô.

-Por que eu não sou seu avô , pequena?

-Por que até aonde eu sei , você não é pai da minha mãe.

-E você não tem duas mães?

-Uma morreu e a outra só quer saber dessa branquela ai .

-Louise...Quieta. -Rosnei.

-Com licença , eu acho que ouvi minha mãe me chamar. Depois eu falo com você, tá Bonnie ? Tchau...e tchau, Louise .

-Eu não ganho tchau? - Gritou, Max erguendo os braços em dúvida.

-Eu te odeio, garoto.

Dito aquilo, minha namorada levantou do colo do pai e se dirigiu à cozinha de sua casa.

~■POV'S MARCELINE ON■~

-Pra que toda essa comida, mama? - Pergunto, ajudando-a à levar as travessas até a mesa de jantar.

-Temos visitas , não se lembra?

-Eu lembro que o tio Simon vem aqui com a Cherry e a Íris. Mais alguém vai vir?

Termino de arrumar as travessas sob a mesa e encaro minha mãe que tinha um sorriso largo no rosto .

-Tem uma pessoinha te esperando lá fora, filha.

-Quem é?

-Por que você não vai lá e descobre , querida ? - Puxou o lápis que prendia o coque de meu cabelo e o balançou , arrumando-o - Melhor assim , essa pessoa gosta assim.

-Eu conheço?

-Melhor que ninguém. Agora vai lá.

Assinto com a cabeça, e passo a mãos em meu vestido , secando as mesmas que suavam frio .

Ando até a porta e mentalmente conto até três, antes de abrí-la .

Saio da casa e fecho a porta atrás de mim , olhando ao redor, procurando pela tal pessoa.

Caminho alguns metros afrente até algumas pedras que haviam ali , perto de um pequeno rio.

Avisto uma pessoa vindo em minha direção, e engulo em seco com medo de quem poderia ser.

-Marcy?

Sinto um arrepio percorrer meu corpo com aquela tão conhecida e amada voz.

Não é possível...

-Marcy? É você?

Não consigo ter outra reação além de correr até ele e o abraçar com toda a minha força.

Ele não morreu

Era ele, ali na minha frente...


Notas Finais


Mais um motivo para deixarem o menino aqui vivo , tem fic nova vindo ( Sim , é Apaixonada Pela Inimiga) e daqui uns dias eu posto ela. Joguei na rodinha meiixmo.

Enfim , vejo vocês no próximo capítulo? Bjuuuuusssss e tchau!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...