História You're the smile on my face - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Iruka Umino, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Karin, Kiba Inuzuka, Mebuki Haruno, Mikoto Uchiha, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Suigetsu Hozuki, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Colegial, Escolar, Naruto, Romance, Sasusaku
Visualizações 273
Palavras 2.676
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - Primeiro Beijo


Fanfic / Fanfiction You're the smile on my face - Capítulo 9 - Primeiro Beijo

No capítulo anterior...

 

Fiquei totalmente imóvel ele estava realmente me chamando para sair? Ou era só um sonho? Meu coração estava a mil e certamente eu deveria estar vermelha dos pés a cabeça.

Eu sabia que sair com ele estava totalmente fora de cogitação por que seria totalmente errado, e sim errado em relação de estar escondendo isso da minha melhor amiga. Por um lado eu não queria sair, talvez por medo eu sabia que sentia algo por ele, por menor que fosse eu sabia que havia um sentimento em mim se eles fugissem do meu controle e eu acabaria me magoando com ele, já que o Sasuke não é o tipo de garoto que quer algo sério com alguém, pelo contrário ele sai com várias garotas, mas eu não só iria magoar a mim mas também a Ino se ela descobrisse que ele tinha pedido para sair comigo, e que eu ainda por cima tinha aceitado, eu sei perfeitamente o que eu sinto em relação ao Sasuke e sei que esse sentimento não é tão fraco quanto e gostaria que fosse e ele pode ficar ainda maior se eu e ele, nos aproximarmos... Mas por outro lado havia uma parte de mim que desejava isso, desejava intensamente que eu me aproximasse dele, desejava ficar perto dele, sair com ele e me esquecer totalmente do que minha melhor amiga sente por ele, sem me sentir culpada por estar mentindo para ela. Afinal o Sasuke fazia eu me sentir bem.

– Então Sakura aceita? – Ele disse com o sorriso de canto, de sempre.

Escutar a razão ou meu coração?

 

​(...)

– E-eu aceito – Falei tímida e o vi dar um sorriso de canto – M-mas aonde nós vamos? – Perguntei curiosa.

– Hn – Foi tudo o que ele disse, o olhei e meus olhos suplicavam pela resposta da pergunta que eu havia feito, mas ele simplesmente desviou seus olhos dos meus e ignorou completamente minha pergunta – Vamos?

Assenti com a cabeça, e nós nos levantamos, eu fui andando atrás dele, indo em direção ao seu carro. Eu não sabia muito bem o que estava fazendo, eu só queria esquecer que minha melhor amiga era simplesmente louca pelo garoto que estava em minha frente. Eu não sei o que significa esse desejo, e nem sabia aonde iria chegar com esse sentimento, mas eu desejava ficar ao lado dele sem nenhuma dor na consciência, nem que fosse apenas por hoje, eu queria mais que qualquer coisa estar ao seu lado e continuar sentindo as sensações que eu sentia quando estava em sua presença.

Fomos o caminho todo em silêncio, ocasionalmente ele acabava me fitando o que me deixava totalmente corada sem jeito. Fico imaginando o que se passa em seus pensamentos, ele não possui muitas expressões faciais e seus olhos oníx são praticamente impossíveis de desvendar. Ele parou o carro e eu olhei para a janela curiosa, o lugar era muito lindo parecia um bosque, parecia estar ventando bastante lá, já que caia várias folhas verdes, das árvores enormes que haviam lá.

– Já chegamos?   Perguntei.

– Sim – Ele disse sem esboçar nenhuma expressão facial, e antes de sair do carro pegou algo que eu não consegui ver o que era.

Saí do carro também, observando atentamente o lugar lindo lugar que eu via em minha frente. Mas logo senti um vento frio se chocando contra minha pele, imediatamente olhei para o Sasuke, o vendo com uma camiseta também destampada, mas ao contrario de mim não parecia estar sentindo nenhum frio. Olhei para suas mãos, com curiosidade para saber o que ele havia pegado no carro, e ele segurava uma jaqueta preta em sua mão esquerda. Me amaldiçoei internamente, por não ter trago uma jaqueta.

– Venha – Ele disse andando, e eu apressei o passo para poder caminhar ao seu lado.

Fomos andando, e eu apenas observava o quão lindo era aquele lugar, eu com certeza nunca fui em um lugar tão bonito assim em toda minha vida. Continuei admirando o local, até que chegamos em um lago que me deixou de boquiaberta, esse lago tinha uma passarela e para minha surpresa, havia várias flores diferentes naquele lugar eram flores com pétalas rosas. Esse sem dúvida era o lugar mais lindo que havia naquele bosque, parei observando aquele lindo lugar e então ele pegou uma pétala rosa que estava caindo em sua mão e me mostrou, o olhei confusa.

– Quando nós nos esbarramos na escola, logo no mesmo dia eu vim nesse lugar – O olhei surpresa, então ele se lembrava que havíamos nos esbarrado, ou melhor ele se lembrava que havia sido eu? – E lembrei de você assim que vi essas flores de cerejeira.

O olhei confusa, por que aquelas flores haviam o feito lembrar de mim? Ele me olhou, e imediatamente respondeu o que eu queria, como se tivesse lido meu pensamento.

– Essas flores de cerejeira, tem a mesma cor que o seu cabelo – Ele disse, e eu senti minhas bochechas queimarem. Observei atentamente a flor rosa que estava em sua mão e lhe dei um sorriso.

– Realmente elas tem a mesma cor que meu cabelo – Concordei – Eu nunca havia visto flores assim – Confessei tímida, lhe dando um sorriso. 

Senti outro vento gelado se chocar com minha pele, mas dessa vez ele estava mais forte. Senti meus pelos se arrepiarem completamente.

– Hm, eu trouxe essa jaqueta caso você sentisse frio – Ele disse me entregando a jaqueta que continha o símbolo de seu clã, e eu a coloquei.

– Arigato Sasuke-Kun – Dei um sorriso a ele, que ainda continuou sério.

– Hn.

O que hn quer dizer? por que ele é tão monossílabo assim? Eu queria conversar muito com ele, eu gostava de ouvir sua voz rouca, ela fazia com que eu me sentisse realmente muito bem. Mas preferi ficar calada e observar aquele lindo lugar, como ele estava fazendo naquele momento. Não queria mostrar a ele que as vezes eu podia ser conversadeira demais já que ele era muito na dele.

Passou alguns minutos e ele continuava quieto, eu não conseguia mais me controlar eu precisava puxar assunto com ele, eu não aguento ficar quieta assim.

– Esse lugar é realmente muito bonito Sasuke-Kun, obrigada por ter me trazido aqui – Falei corada.

– Não precisa me agradecer por tudo, irritante – Ele disse dando um sorriso de canto, me deixando totalmente sem graça pelo modo que ele havia me chamado – Quer comer algo?

– Não ariga... – Parei de falar assim que lembrei do que ele havia me dito. Eu não queria que ele me achasse irritante, não de forma alguma – Quer dizer não.

– Certo, então vamos, que vou te levar para sua casa.

– Mas já? – Perguntei surpresa e triste ao mesmo tempo, eu estava gostando de ficar naquele lugar, ainda mais com o Sasuke lá.

– Sua mãe já deve estar preocupada com você, você saiu sem avisar nada – Ele disse arqueando a sobrancelha.

– E-eu sei, m-mas e-eu não quero ir para minha casa – confessei tímida.

– Hn... Então se você não quiser ir agora pelo menos mande uma mensagem a ela – Ele disse sério, ele tava parecendo o Neji mas que saco, por que todos me tratam como se eu fosse uma criancinha?

Peguei meu celular a enviando uma mensagem.

​"Mãe, eu estou com o Sasuke ele que está me ajudando a estudar. Não sei se irei chegar cedo em casa, eu estou em um bosque muito bonito, eu estou bem portando não se preocupe comigo. Assim que chegar te conto tudo, beijos."

– Pronto – Falei mordendo o lábio inferior.

Ele me olhou e logo foi andando, me coloquei ao seu lado e me pus a andar ao seu lado novamente. Aquela estava sendo uma tarde maravilhosa, eu e ele acabamos não trocando muitas palavras eu confesso que tive que me controlar bastante para ficar quieta, mas acabei conseguindo. E aquela foi a tarde mais maravilhosa que já tive em toda minha vida.

(...)

Já estavamos dentro do carro, ele estava me levando de volta a minha casa. O carro estava totalmente em silêncio, exceto por minha respiração que estava descontrolada. Me pergunto se sempre irei ficar nervosa, ao estar perto dele. O carro parou e eu olhei a janela.

E cá estámos de volta para casa.

Pensei, respirando fundo.

– Sasuke-Kun? – Falei chamando sua atenção – Essa foi a melhor tarde que já tive.

Eu logicamente esperei uma resposta fofa, como por exemplo:

"Essa também foi a melhor tarde que eu já tive"

Mas ele simplesmente nem me respondeu, o que me deixou bem decepcionada.

– Então... Então... Tchau Sasuke-Kun – Respondi saindo do carro com certa pressa, mas então ele abriu a sua porta rapidamente andando de pressa e vindo em minha direção.

Fiquei estática apenas o observando, tentando entender o que ele estava fazendo.

– Sasuke-Kun? O que você está... – Ele me interrompeu.

– Me desculpa Sakura, mas eu...– Ele parou de falar e olhou diretamente para os meus lábios, e se aproximando. Senti meu coração bater mais forte.

– O-o-que? C-como? – Perguntei gaguejando nervosa.

Ele não respondeu, deu um sorriso de canto, e ainda olhando pra minha boca foi se aproximando mais de mim, ele colocou a mão no meu rosto fazendo um leve carinho, assim que senti sua mão quente em mim me arrepiei e involuntariamente fechei meus olhos. Eu estava sentindo sua respiração ficar cada vez mais próxima a mim o que me fez estremecer. Eu sabia o que isso significava, ele iria me beijar. Nesse momento eu estava travando uma batalha em minha mente, uma batalha sobre se é certo ou errado beija-lo, eu sabia que aquilo era errado. Mas eu queria, eu desejava intensamente que isso acontecesse.

Finalmente senti seus lábios macios se encontrando levemente com os meus, os selando durante alguns segundos. Até que ele abriu um pouco sua boca, o que me fez entrar em desespero e o empurrar mas ele não se moveu continuou exatamente no mesmo lugar, como se meu empurrão não tivesse sido nada. Ele apenas separou um pouco seus lábios dos meus.

–  O que foi? – Ele perguntou, com o semblante confuso.

– É q-que eu n-não sei fazer i-isso – Falei com gaguejando, sentindo meu rosto queimar.

Vi o mesmo me dar um sorriso mostrando seus perfeitos dentes brancos, e enfileirados. O que me fez derreter por dentro.

– Não se preocupe com isso, eu te ensino – Ele disse se aproximando de mim novamente.                                                                                                                                               

Arregalei meus olhos ao ver ele se aproximar de mim. E senti nossos lábios se tocando novamente. Mas dessa vez ele segurou firme em minha cintura com as duas mãos deixando nossos corpos totalmente colados, ele me deu um selinho longo, o que me fez ficar relaxada, involuntariamente coloquei uma de minhas mãos em sua nuca e a outra em seus cabelos macios fazendo um leve carinho no mesmo. Ele abriu um pouco a boca e me pediu passagem com sua língua fazendo-me sentir um leve gosto de menta que havia em sua boca, e eu apenas cedi. Nossas liguas fizeram um movimento calmo e suave, desci minha mão que estava em sua nuca para o seu braço, fazendo-o dar um curto suspiro durante nosso beijo. Eu poderia ficar daquele jeito para sempre, o que eu sentia naquele momento não havia explicação, era mágico. Até que começou a  faltar ar e nós tivemos que nos separar.

Maldita falta de ar.

Eu estava ofegante, minhas mãos tremiam muito e minhas pernas estavam bambas, o vi me olhando e senti meu rosto queimando na hora. Desviei meu olhar do dele olhando para baixo, eu estava muito tímida. Assim que olhei para baixo percebi que ainda estava com sua jaqueta.

– Sasuke-Kun arigato por ter me emprestado sua jaqueta, ela me ajudou bastante – Falei dando um sorriso a ele.

– Pode ficar com ela, e me devolver depois... Acho que você já tem que ir.

– Sim, Sasuke-Kun – Falei dando outro sorriso, eu estava muito feliz.

Ele veio até mim rapidamente e me roubou um selinho bem rápido.

– Até amanhã, Sakura.

– Até Sasuke-Kun.

Então ele entrou em seu carro, mas o carro continuou parado logo entendi. Ele estava esperando que eu entrasse em minha casa, e assim fiz. Cheguei em casa, e fui direto para meu quarto já que não havia sinais de minha mãe, Fechei a porta e me encostei na mesma deslizando até o chão.

O que você fez Sakura?

A culpa pelo que eu havia feito estava começando a me corroer, senti um nó em minha garganta, ao tocar nos brincos que a Ino havia me dado. Eu o beijei com um presente, de quem realmente queria estar com ele, e não era de agora e sim de anos, e anos.

​​– Filha, está ai? – Minha mãe disse do outro lado da porta, e eu levantei rapidamente abrindo a porta.

– Estou sim –  Falei com a voz embargada, e ela entrou em meu quarto.

– Então como foi lá? – Minha mãe disse me olhando curiosa.

– A-ah f-foi normal sabe – Falei dando um sorriso amarelo, e engolindo as lágrimas que estavam prestes a vir há alguns minutos trás.

– Sabe filha eu o achei muito bonito.

– C-como assim o achou muito bonito? hoje de tarde quando ele veio me ajudar você não estava aqui – Falei confusa.

– É... Mais, sabe...É que...

– Mãe, você não estava me vigiando enquanto eu estava com ele, estava? – Falei arqueando a sobrancelha.

– Desculpa filha, eu não resisti. E você também não deve reclamar, eu nem fiquei os olhando por muito tempo.

– MÃE – Gritei a repreendendo.

– Eu sou só uma mãe preocupada com a sua filha.

– Eu não acredito nisso – Sussurei a mim mesma.

– Aonde vocês foram? – Ela disse me olhando curiosa.

– Mãe...

– Você me disse por mensagem que iria me contar tudo, agora conte – Ela disse, me fazendo bufar.

– Nós fomos em um bosque – Eu a olhei, e a vi ficando surpresa e ela me esperando que eu prosseguisse, me fazendo franzir o cenho – Nem vem, que eu não sei o nome daquele bosque!

– Me conte como era o bosque – Ela disse me olhando diferente.

– Ah, não sei explicar bem mas ele tinha um riacho e umas flores de cerejeiras lindas – Falei suspirando, lembrando do que o Sasuke havia me dito. A olhei novamente e a vi ficar mais surpresa que antes – Era lindo, e por incrível que pareça não havia praticamente ninguém.

– Sakura... Se eu não me engano esse bosque foi o mesmo que o Kisashi me levou em nosso primeiro encontro. – Ela disse quase em um sussurro, me fazendo ficar muito surpresa.

Caramba, confesso que por essa eu não esperava.

– O seu primeiro encontro com o papai? – Perguntei em um sussuro, sentindo um nó em minha garganta.

– Sim querida,o lugar que você me descreveu parece ser exatamente o mesmo do nosso primeiro encontro – Ela disse me dando um sorriso – Sabe, eu acho que você e o Sasuke formam um lindo casal filha.

Ela disse me fazendo sentir uma dor em meu peito... Eu e o Sasuke jamais iriamos ser um casal, ele provavelmente nunca iria quer nada comigo, há tantas garotas lindas atrás dele...e mesmo que ele quisesse algo sério isso nunca daria certo, Ino não aceitaria e tenho quase certeza que Neji também não é isso seria um verdadeiro inferno, mesmo que a Ino fosse minha amiga se ela soubesse não engoliria saber que sua melhor amiga havia ficado com o seu "amor", e ela estava certa eu estava sendo suja com a nossa amizade. Eu não sabia por que o Sasuke havia me pedido para sair, e por que havia me beijado. Ele poderia ter quem e quantas ele quisesse afinal, ele era o Sasuke Uchiha o capitão do time de basquete, o cara mais bonito... e eu bom eu sabia que se eu continuasse o desejando da forma que eu estava, essa historia não iria parar em um lugar nada bom.

Mais eu simplesmente não conseguia o evitar quando estava ao seu lado, o que sinto por ele é diferente de tudo que eu já senti, ele me faz sentir viva, com ele o meu tempo passa rápido é um sentimento vivo, quente, livre e intenso, que é  impossível sequer tentar descrever... Ino agora eu entendo o por que você é apaixonada por ele.


Notas Finais


eaí gente o que acharam do "encontro deles"? hahha, espero que tenham gostado... até o próximo capitulo Kisses amores 😚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...