História Youth Gone Wild - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dolan Twins, Finn & Jack Harries, Grant Gustin, One Direction
Exibições 16
Palavras 2.668
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Self Inserction, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Heeeeey sweeties!
Segundo capítulo da aventura de nossos quatro jovens. Não tenho muito a dizer dessa vez auhsuahus
É isso.

Enjoy it.

Capítulo 2 - Grosso e Grant


Fanfic / Fanfiction Youth Gone Wild - Capítulo 2 - Grosso e Grant

A primeira noite na nova casa teve efeitos diferentes nos quatro jovens. Lana mal conseguia manter os olhos fechados tamanha excitação com o ambiente ao redor, estava fascinada em como parecia um lugar mágico. Gabriel não conseguia parar de pensar e planejar o que poderia fazer dali para frente, todas as oportunidades que tinham. Demorou a dormir, assim como aconteceu com Luigi que repassava tudo que já havia acontecido e parecia estar nas nuvens com todo novo universo que agora habitavam. Alexia não demorou tanto a dormir quanto os outros, pois tinha algumas noites para repor.

Por conta disso a loira foi a primeira a acordar. Demorou um tempo para entender que não estava na sua casa, no Brasil. Depois que a ficha caiu a garota se sentou um pouco mais rápido do que previa, causando uma pequena tontura. Depois de se habituar e enfim fazer sua higiene, seus passos rumaram a cozinha.

Os armários não estavam cheios, Charles havia indicado os melhores locais para que pudessem abastecer a cozinha, portanto o que havia ali para se alimentar eram pacotes de biscoitos, algumas guloseimas, frutas, café e algumas caixas de chá.

Optou por primeiro passar café, enquanto a água esquentava vasculhou os armários vendo onde ficavam as panelas e pratos. Tanto os armários quanto as gavetas já continham os utensílios necessários para tudo que precisassem preparar. Depois de vasculhar tudo que conseguiu, a água já estava fervendo e ela pode começar a passar o café.

- Bom dia, Lexy! - A voz da outra garota soou atrás de si.

- Bom dia! - Saudou. Terminou de virar a água no coador e depositou a chaleira sobre o fogão antes de se virar para onde Lana estava. - Como foi sua primeira noite?

- Ôh, demorei a pregar os olhos, mas consegui dormir bem. - Chacoalhou os ombros sorrindo. - E a sua?

- Eu na verdade deitei e dormi. - Riu. - Esses dias tava tão ansiosa pra vir que não dormi bem, hoje compensei.

- Olha que ótimo. - Acompanhou a outra nas risadas. - Ei, eu tava com vontade de dar uma volta, a gente não viu muito bem tudo ontem por que tava escuro.

- Também to louca para isso. Imagina se encontramos alguma celebridade?

- Ai! Nem me fala! Meu deus, só de pensar chega a dar uns negócio. - A morena pôs a mão sobre o peito com os olhos meio estreitos. A loira começou a rir, tentando abafar a risada com a mão. Já havia escutado sobre esse tipo de fala que a garota tinha um pequeno vicio, mas pessoalmente era simplesmente melhor.

- Certo! Ai... - Respirou fundo ainda se recuperando do ataque de risos. - Vamos fazer assim, pegamos café e um pacote de bolacha e vamos dar uma volta. - Saltitou até os armários e começou a procurar algo que havia visto na primeira vez que abriu tudo. - Aqui. Olha o que achei quando tava vendo os armários hoje. - Ergueu copos térmicos nas mãos. Eram copos que se assemelhavam aos copos do Starbucks, porém de um material mais resistente, obviamente térmico, e a tampa tinha um pequeno bocal para que o dono pudesse tomar sem derramar.

- Ai que de mais! - Arregalou os olhos animada. - Ok, vou pegar as bolachas!

- Ok! - Enquanto a morena pegava o pacote no armário, tratou de preparar os copos com café. Não demorou muito e as duas já haviam feito o que tinham que fazer, deixaram na geladeira um bilhete aos meninos dizendo que estariam dando uma volta pelo condomínio e que estavam com o celular caso precisassem entrar em contato.

Desceram pelo elevador até o térreo, de lá seguiram em direção aos prédios de trás, entraram no prédio do meio e subiram até o primeiro andar, de lá enfim puderam chegar ao local que planejavam.

Já sabiam mais ou menos como era o condomínio, haviam dado uma breve volta na noite anterior, a trilha tinha piso de madeira e em uma das laterais um corrimão, nele haviam pequenas lâmpadas de brilho morno que davam um ar aconchegante ao local. Subiram o primeiro lance de escadas e pararam para decidir para que lado ir.

Em frente havia mais um lance de escada, este as levariam a área da piscina, a quadra principal de esportes e a duas churrasqueiras grandes com mesas grandes de madeira, do outro lado da piscina tinha vestiários com placas na porta indicando onde era o vestiário feminino e masculino. Lucas havia dito na noite anterior que os banheiros tinham identificação por gênero, mas caso alguém não se identificasse com seu sexo biológico era somente contatar a central responsável pelo condomínio que eles fariam um passe para essa pessoa, assim se alguém reclamasse ao ver a pessoa naquele banheiro, bastava somente mostrar o passe indicando que estava no local certo. Nathan também disse que tentou conseguir um passe desses para espionar as garotas, mas pelo visto eles pediam uma pequena reunião para garantir que era algo sério e não mais um espertinho.

Se as duas virassem para a direita, iriam parar no parquinho, e um pouco depois dele havia uma pequena queda d'água natural, ela era cercada por pedras que batiam mais ou menos na cintura dos condôminos e também tinha algumas luzes, o que tornava tudo mais bonito. Se fossem para a esquerda elas seguiriam a trilha principal, andariam por um pedaço e chegariam a uma bifurcação, logo a esquerda tinha uma casa na árvore, na parte de baixo tinha alguns bancos e se subissem veriam sofás, bancos e um pequeno fogareiro.

Se ao invés de ir para a casa na árvore escolhessem seguir a trilha, iriam andar por um caminho longo onde veriam mais da floresta que cercava tudo, no final teria uma churrasqueira bem reclusa de tudo, com bancos e mesas. Um pouco antes da churrasqueira a trilha dava uma curva e seguia na direção que vinha, mas dessa vez ela subia na direção da área da piscina, no fim, estando tudo interligado.

As garotas depois de muito pensar resolveram ir para a casa na árvore, ainda tomavam o café e o pacote de bolachas já estava aberto e quase na metade.

- Eles com certeza vão brigar com a gente por não termos esperado eles acordarem. - Lana comentou, mas seu tom não era temeroso e sim divertido.

- Com certeza! - Garantiu rindo. - Mas tudo bem, é só fazer carinha de cãozinho que caiu da mudança.

- Ôh, menina, você é ardilosa. - Gargalhou. Colocou a mão novamente no pacote para tirar mais uma bolacha, sorriu ao ver o rosto desenhado no doce. - Olha, essa é bem grande.

- Verdade, eu só peguei pequenas, que injustiça. - Pegou o pacote para olhar o interior.

- Uma vez fui comer um pacote de balas, dessas fini que tem minhoquinhas, sabe? E ai eu peguei uma bem grossa e... e... Grant!!

- Grossa e grande? - Estranhou o uso de um idioma desconhecido, seus olhos ainda tentavam achar alguma bolacha grande dentro do pacote.

- N-ã..  O.. Ai.

- AI MEU DEUS MOÇA!

A loira se assustou com o grito repentino feito por uma voz que não conhecia, se virou ainda em choque para o local que vinha a voz, só então reparou em como as coisas estavam.

Havia um rapaz parado a cerca de uns metros das duas, ele estava completamente em choque, e o que a loira viu a seguir foi definitivamente algo que explicou o por que.

Lana estava desmaiada.

Mas não simplesmente desmaiada.

Ela estava desmaiada abraçada a uma árvore.

- Ai meu deus! - Correu até a garota, mas parou antes de tocar nela. Não sabia como retira-la dali, aparentemente ela tentou se segurar antes de cair, o que deu certo, afinal ela não estava caída no chão, mas sim pendurada em forma de abraço a árvore. - O que... Me ajuda! - Olhou incrédula para o homem que ainda estava sem reação. - Segura ela que eu vou soltar os braços dela, sozinha não vai dar.

- Ah, ok. - Enfim ele se mexeu e se aproximou para ajudar, fez o que foi pedido, segurando a garota pelo tronco enquanto a loira retirava devagar os braços dela do entorno da árvore. - Me desculpe por isso, todos aqui são acostumados comigo, não sabia que tínhamos gente nova. A última coisa que quero é causar isso a uma fã...

Fã?

Ok. Uma coisa que todos deveriam saber sobre a loira é que sua memória para artistas que ela não acompanha é extremamente inexistente. Ela, por exemplo, gosta de algumas músicas da Meghan Trainor, já viu alguns clipes, mas se a moça estivesse com ela na fila de um supermercado, ela jamais saberia quem era.

- Certo, eu na verdade não sei quem é você, por que sou meio desligada do mundo, mesmo. - Comentou enquanto ajudava a depositar a garota deitada no chão. - Mas também eu não sou obrigada a nada. - Franziu o cenho.

O homem riu.

- Grant Gustin. - Apertou a mão da garota. - Hum, se você quer uma referência conhecida, eu sou o flash. - Sorriu divertido. Não que esperasse que todos conhecessem quem ele era, mas era incom- não, ele esperava que todos conhecessem mesmo.

- Ah, oh! Caramba. Desculpe pela falta de conhecimento. - Encolheu os ombros. - Mas eu de fato não sou muito ligada no seu meio.

- Tudo bem, nem todo mundo deve conhecer minha cara. - Riu. - Ei, ela está acordando!

- Hum? Eu acho que tive um sonho, Lexy.

- É? Fale mais.

- Sonhei que eu estava abraçando o Grant... - Enrugou o nariz. Ela ainda estava de olhos fechados, sua mão massageava a testa devagar.

- E ele era grosso, né? E cheio de cascas e musgo... Cabelo verde. - Não aguentou a situação toda e começou a rir, o rapaz acabou sucumbindo a risada também, foi isso que chamou a atenção da morena que se sentou depressa, acabando por bater testa com testa com o homem. - Ouch.

- Ai! - Choramingou fechando os olhos. No segundo seguinte os abriu novamente. - Grant! Meu deus não era um sonho!

- Não. Eu pelo menos nunca sonhei que faria uma fã abraçar uma árvore, por mais ecológico que isso soe, muito menos que levaria uma testada. E caramba, você é forte. - Levou os dedos a testa.

- Sério, desculpa, meu deus! - Cobriu a boca com as mãos. Não acreditava que na primeira vez que viu Thomas Grant Gustin pessoalmente, em carne e osso, na sua frente, ela desmaia e ainda da uma testada nele!

- Não foi nada, mesmo! Vem cá, um abraço pra provar que tá tudo bem. - Abriu os braços, obviamente a morena não hesitou em abraça-lo com força.

A loira recuperava-se das risadas, mas mesmo ainda tentando encontrar ar tirou o celular do bolso para fotografar o momento. Aproveitou para ver as mensagens que haviam sido deixadas no grupo.

Gabe: Bonito hein
Gabe: muito bonito u_u
Ômega: É! U-u sair assim sem nem esperar a gente
Gabe: Elas são chatas, não se junte a essa gentalha, Ômega u_u
Ômega: Isso ae u-u e vamos sair para comer fora sozinhos já que elas saíram sem a gente tambem
Lexy: E se a gente levar o Grant Gustin? Vocês deixam a gente ir comer fora com vocês? ♡
Ômega: Oi? '-'
Gabe: Pera, como assim?
Lexy enviou uma foto
Lexy: ;)
Ômega: É O QUE MANO COMASSIM ONDE VCS ACHARAM ELE
Ômega: ??????
Gabe: MENINA VEM PRA CÁ AGORA. Starbucks. Now.

Guardou o celular rindo da reação alheia, se virou para os dois que a essa altura estavam sentados no meio da trilha de madeira e conversavam sobre qualquer coisa.

- Ei, os meninos estão indo no Starbucks, estão chamando a gente. - Se aproximou dos dois. - Você também. - Se referiu a Grant.

- Ah, eu aceito. Mas só se aceitarem irem ao shopping comigo depois do Starbucks. Eu ia ir sozinho, mas companhia parece bem melhor.

- Então pronto, vamos! - Lana levantou já limpando a calça.

[...]

- Eu realmente estou bem chocado com o fato de você não ter tirado uma foto desse momento. - Luigi olhou para a loira. - Sério, ia ser muito engraçado uma foto da Lana abraçando a árvore.

- Ah, eu concordo! - Gabriel se uniu ao amigo. - Se fosse eu teria tirado.

- To vendo que vocês são amigos que se amam muito, hein. - Grant comentou divertido. Ele havia sido o último a acabar de comer, agora todos se dirigiam para o carro de Grant, ele levaria todos ao shopping com seu carro, havia dito que iria comprar alguns jogos novos e ver algum filme que estivesse em cartaz.

- Eles são é chatos, isso sim. - A mais nova das garotas protestou. Não queria fotos constrangedoras suas espalhadas por ai. - Eu vou na frente! Só por ter sido zoada o caminho todo pra cá. - Decretou entrando no carro.

- Justo. - A loira riu baixo.

O caminho do Starbucks ao shopping era consideravelmente curto, então não demorou para que todos enfim saíssem do carro e entrassem no local. Grant, por motivos óbvios, estava o mais confundível que conseguiu parecer, com um boné bem enterrado na cabeça e tentando parecer o mais discreto possível.

- Certo, eu definitivamente vou atrás de Just Dance primeiro. - O rapaz comentou no momento em que entraram no shopping.

- Bem que a gente podia aproveitar e já comprar um vídeo game pra gente. - Gabriel olhou para os outros três amigos. Todos pareceram gostar da idéia, cada um já tendo em mente o tipo de jogo que gostaria.

- Viu como fiz um bem a todos trazendo vocês pra cá? - Grant se gabou.

- De fato, mas a gente tinha que vir de qualquer jeito. - A loira arqueou as sobrancelhas. - Temos que abastecer os armários.

- Sério, Lexy? Todo mundo querendo jogos e se divertir e você pensando nisso? - Gabriel olhou um pouco incrédulo para a amiga. - Você tem que se soltar mais, se permita um pouco.

- Ugh. - A loira cobriu os olhos com as pontas dos dedos, balançou a cabeça levemente. - Ok, mas depois que comprarmos os jogos e sairmos do cinema, vamos fazer as compras. - Tirou as mãos dos olhos e olhou para os outros, eles concordaram. Sabia que as vezes sua mania de seguir as coisas corretamente era fora do padrão para pessoas da sua idade, mas tinha um desejo interno de fazer tudo conforme o "correto" e se sentia uma espécie de desobediente-rebelde sem causa quando não fazia tudo dessa forma.

- Isso, loirinha, você tem que parar de se preocupar com tudo assim. - O rapaz mais velho comentou. - Seus amigos tem toda razão. É chato viver dentro das regras.

- Ah, por falar nisso! Emily me mandou uma mensagem, eles acharam um hospital abandonado e querem que a gente vá com eles explorar amanhã, dizem que é assombrado. - Luigi se entusiasmou. - Nós vamos né?

- Eu quero! - Lana entrou na vibe animada do outro. - Amo coisas assim. - Se você quiser vir com a gente, Grant, tá mais que convidado!

- Até queria, mas tenho compromisso amanhã. - Encolheu os ombros. - Reunião de trabalho.

- Vish.

- Bem, a gente pode levar câmeras e filmar tudo. - Lexy sugeriu. - Assim podemos ver também se vai aparecer algo nas filmagens, coisas que não veríamos na hora.

- Coisas mal assombradas? - Luigi perguntou.

- É.

- Acho engraçado isso. Locais são mal assombrados, isso quer dizer que tipo, os fantasmas não estão fazendo o trabalho direito?!

- Ai meu deus, você não fez essa piada!

- Ele fez! - E assim o shopping percebeu que haviam deixado entrar cinco hienas no estabelecimento.


Notas Finais


Desculpem qualquer erro, eu corrigi mas sempre deixo passar algo sem querer.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...